Blog do Madeira - Notícias de Varginha - MG

Notícias diárias de Varginha e Sul de Minas – [email protected]

Memórias de Varginha: Três Bicas

outubro 25th, 2015 · 11 Comentários

 

“O primeiro casarão que enxergamos, ainda existe, mas o segundo é um prédio. Por isso a foto apenas se aproxima. Mas as ruas de baixo dão mais visibilidade. A primeira rua, na foto antiga, onde vemos quatro casas no estilo geminadas, é a Rua Silva Bittencourt, chamada naquela época de Rua do Carmo. Na foto atual, parte dessas casas é a atual Arbo (Associação Operária). Na foto atual, com um carro a frente, depois se compararmos a descida das ruas, veremos muitas mudanças, mas semelhanças até as primeiras árvores, que são da mesma casa. Já de frente, muitos quintais se transformaram em casas atuais. A rua debaixo é a Rua da Ferrovia ou Rua Professora Eliza Fonseca, cujo nome antigo era Rua Piracaia. Veja que o ângulo mostra bem a curvatura do trajeto, pois fica na conhecida ferradura da linha de trem. A rua de baixo é a Rua Ouro Preto, mesmo nome original,e para o bem do ar da cidade e da natureza, uma área verde grande daquele tempo se manteve, conhecido dos moradores como Pasto do Zé Gomes, e ainda exuberante nos dias atuais. Infelizmente na foto atual e no dia do clique com uma queimada feita por vândalos, coisa que segundo relato dos moradores mais antigos, não costumava acontecer nos tempos passados.”

Carlos Cornwall, idealizador do Livro “O Menino das 3 Bicas” , ainda no prelo, mas de construção coletiva, cujas pessoas que têm histórias e fatos sobre o bairro e seu entorno podem mandar para o e-mail: [email protected] Créditos: Pedrofotografiadigital e Carlos Cornwall.

banner fabio faz tudo

Tags: Memórias de Varginha

11 Respostas Até Agora ↓

  • 1 Glauber Vieira Ferreira // jun 19, 2021 at 3:55 AM

    Alguma novidade sobre este livro?

  • 2 Eu vou! vc vai? // out 25, 2015 at 1:52 PM

    Minha avó morou nas 3 bicas, ela me contava histórias fantásticas de lá, me divertia muito ouvindo, ela hoje está com Deus, saudades dessa época.

  • 3 Affonso H.Madeira // out 25, 2015 at 10:33 AM

    Prezado Carlos. No inicio dos anos 50, quando a rua Wenceslau Braz (no primeiro quarteirão), não tinha as super lojas de hoje, existia um pouco abaixo do predio da então Rádio Clube de Varginha, um bar chamado Bar Ideal, de propriedade dos irmãos Dario e Jair Paiva, muito movimentado na época. Era o local preferido pelos jovens da época, principalmente nos fins de semana, quando o Clube de Varginha promovia seus tradicionais bailes, animado por grandes orquestras e conjuntos musicais de sucesso. Antes dos famosos bailes da época, os jovens iam lá no Bar Ideal tomar seus drinks para “calçar a cara…” (como se dizia na época), antes de procurarem os salões do clube para se animarem a convidar alguma donzela para dançar…
    Um dos proprietários do referido bar Ideal, Dario Paiva, foi o fundador e o proprietario dos então Transportes Paiva, por ocasião da construção de Brasilia, empresa que se tornou uma das maiores do Brasil na época; e como gerente da organização, com sede em Varginha, atuava seu irmão caçula Helvio Paiva, jovem idealista e de visão, hoje também já falecido.
    Isso que hoje relato, faz parte da historia de Varginha. A organização Transportes Paiva, como disse acima, na época chegou a ser uma das maiores empresas do gênero do pais e que levava materiais os mais diversos para Brasilia: cimento, tijolos, aço, etc., quando a futura capital do Brasil estava em sua fase inicial de construção!
    Conforme prometi, prezado Dr. Carlos Cornwall, aqui vão outros relatos historicos de Varginha, se você quiser aproveita-los em seu livro.

  • 4 IN OFF // out 17, 2015 at 5:09 PM

    Gostei!!! Eu hein!!!

  • 5 Carlos Cornwall // out 16, 2015 at 1:12 PM

    Grande Leão, amigo botafoguense, obrigado pelas palavras, é uma forma simples de homenagear as pessoas e a história, que bom que a matéria te comoveu e com certeza,voce tem muita coisa boa para compartilhar, me envie por e-meio , para acrescentar no livro, puxei pela memória e aquelas anedotas do Sr.Donda, já estão digitadas no prelo. Aguardo seu retorno.abraço.

  • 6 Carlos Cornwall // out 15, 2015 at 7:38 PM

    Falou amigo Afonso,já estou anotando, Prezado Paulo Afonso,sua contribuição será bem vinda,o livro fala do que vi,vivi e ouvi ,por isso sua vivência dessa época será registrada, me envie pelo e-meio.abraços biquenses.

  • 7 Leão Miranda // out 15, 2015 at 5:16 PM

    Caro Dr Carlos Cornwall!!!
    venho de público te parabenizar por esta excelente matéria, sobre nossa querida ” 3 bicas.” te confesso que voltei no túnel do tempo, nos áureos tempos de minha infância, adolescência e juventude, lembro de minha querida MÃE, que foi morar com DEUS, quando residíamos na Rua Professora Eliza Fonseca. Ainda bem que existe Pessoas da sua estirpe, que preocupa e zela pela historia de nossa cidade, de nosso passado e de nosso povo, isto é Cultura.

  • 8 Affonso H.Madeira // out 15, 2015 at 9:15 AM

    Prezado Carlos, eu me lembro, na minha adolescência, quando o trem vindo de Cruzeiro, começava a apitar já no começo das 3 Bicas, era motivo de alegria e de satisfação popular: era um espontâneo sentimento de regozijo, motivado pelos viajantes que chegavam à cidadezinha (naquele tempo, era…) e o trem que chegava trazia amigos, conhecidos, parentes, além de mercadorias que eram esperadas por comerciantes e cidadãos em geral! São lembranças que a todos traziam muita alegria e que continuam ainda nas memorias dos varginhenses daquelas épocas.
    Outro acontecimento que ficou marcado na historia da cidade foi a quantidade de viajantes (vendedores de mercadorias as mais diversas) que vinham pernoitar todo final de semana, aproveitando para aqui descansar e usufruir das varias opções de lazer que a cidade oferecia naquela época… Devido a esse fato, muitos caixeiros-viajantes , acabaram ficando por aqui, inclusive dezenas deles se casaram com moças das mais variadas e tradicionais familias-varginhenses e constituiram familia.
    Os vereadores daquela época, instituiram o dia Primeiro de Outubro feriado municipal, em homenagem ao Viajante Comercial do Brasil. Nesse dia, o comercio todo fechava as portas e à noite, na Praça onde hoje está a Fonte Luminosa, havia uma festa popular muito concorrida, com a queima de fogos e inclusive com a participação da Banda de Música da época, jocosamente apelidada de “A Furiosa…”…
    Prezado Carlos, tenho outras lembranças, e na medida do possivel vou te narrando aqui, falou ?

  • 9 Paulo Afonso resende // out 14, 2015 at 2:23 PM

    Prezado Carlos,
    Nasci nas três bicas em 1950. Resido em bh a 47 anos.Sou engenheiro mecânico formado em 1975.
    Na foto que você enviou, consigo visualizar um caminho que cruza a rua do Carmo este caminho era a rua Iguatmy. Nasci e vivi nesta Rua no número 166.Se for escrever um livro posso contribuir com a história da minha época.
    Abraços,
    Paulo

  • 10 Carlos Cornwall // out 13, 2015 at 6:29 PM

    Prezado Afonso H.Madeira, não só terei prazer em lhe ofertar o livro, mas se tiver alguma história do entorno das 3 Bicas,incluindo o próprio Centro, me mande,para enriquecer a prosa e os versos.abraços

  • 11 Affonso H.Madeira // out 11, 2015 at 5:39 PM

    Meus parabéns pelas reminiscências, prezado Carlos Cornwall. Assim como você, sou também um saudosista daquelas épocas ingênuas de Varginha como cidade.
    Quando seu livro ficar pronto, sou um interessado na compra de um exemplar.

Deixe um Comentário