Blog do Madeira - Notícias de Varginha - MG

Notícias diárias de Varginha e Sul de Minas – [email protected]

  • 970x140V2
  • CÂMARADEVARGINHA_CampanhaVereadoresSuasFunções _VVA001721D – BANNERNET Blog do Madeira (Top da home 970x140px)
  • PMVARGINHA_CampanhaGeraçãoDeEmpregos_VVA006221C – BANNERNET Blog do Madeira (desk_mobile – banner topo – 970x140px)
  • Alpha-Blog-Madeira-970×140
  • Sebrae Empretec Anuncio 970×140
  • covalub-topo-maio-2021
  • parlamento mulher
  • banner vai dar certo

Inflação geral em Varginha é de 2,70% no mês de setembro

outubro 13th, 2021 · Sem comentários

Na terceira sondagem sobre a inflação geral em Varginha, realizada pelo Departamento de Pesquisa do Grupo Unis, o IMPC (Índice Municipal de Preços ao Consumidor) referente ao mês de setembro indicou alta de 2,70% comparado com o mês de agosto.

Clique no título para mais informações.

O IMPC é composto por 5 grupos de gastos, sendo eles: Alimentação (em domicílio e fora do domicílio); Habitação (gastos residenciais em geral como energia elétrica, gás de cozinha, água, limpeza e higiene pessoal); Transporte (combustíveis e transporte público); Educação (mensalidades escolares em diferentes níveis) e Comunicação (planos de telefonia e de internet).Tais grupos são divididos em 11 subgrupos, compostos por 44 itens e totalizando 503 preços coletados entre diferentes tipos, marcas e locais na cidade.

Nesta atual pesquisa mais uma vez ficou evidenciado que o grupo transporte apresentou a maior alta geral (3,86%). Neste grupo os produtos com maior elevação nos preços médios foram diesel (6,84%), etanol (4,70%) e a gasolina (3,50%).

O segundo grupo com maior elevação foi habitação (3,18%). Neste grupo os destaques de alta foram os produtos de higiene pessoal (6,28%), a energia elétrica (5,95%) e o gás de cozinha (3,59%).

O grupo alimentação apresentou alta geral de 2,93%. Os destaques de alta foram tomate (90,41%), batata (21,46%) e carne suína (6,29%). Neste mesmo grupo, os produtos que apresentaram as maiores baixas foram carne de frango (-4,66%), água para consumo (-3,39%) e arroz (-1,33%), porém foram quedas muito tênues que não influenciaram o índice geral.

Os grupos educação e comunicação se mantiveram estáveis.

Mais uma vez foi possível verificar que nenhum dos cinco grandes grupos do IMPC apresentou queda. Isso demonstra que o orçamento das famílias continua sendo impactado pelos preços altos dos itens consumidos, principalmente produtos alimentícios, combustíveis e energia elétrica. Reiteramos, conforme o relatório anterior, que a procura por preços mais acessíveis e a substituição de produtos e marcas são ações necessárias para tentar diminuir esses impactos, juntamente com políticas governamentais que visem minimizar essas volatilidades nos preços.

A pesquisa completa pode ser acessada clicando aqui.

Tags: Economia

0 Respostas Até Agora ↓

  • Não existe comentário ainda. Deixe o seu comentário preenchendo o formulário abaixo

Deixe um Comentário