Blog do Madeira - Notícias de Varginha - MG

Notícias diárias de Varginha e Sul de Minas – [email protected]

Assassinato de homossexuais em Varginha: 20 anos sem solução

fevereiro 21st, 2020 · 3 Comentários

Há cerca de 20 anos, uma série de assassinatos chocou Varginha. Homossexuais foram assassinados com requinte de violência. Até hoje, ninguém descobriu o (s) assassino (s).

Felipe era de Poços de Caldas. Morreu no alto da Vila Paiva, da Copasa. Quem subiu para fazer caminhada se deparou com uma cena de terror: atearam fogo nele.

Marcelo trabalhava no trevo de Varginha. Foi decapitado. Levou 8 tiros no corpo. O corpo foi enterrado sem a cabeça, que não foi encontrada até hoje.

Depois desses crimes chocantes, vira e mexe ocorrem novos assassinatos contra homossexuais na cidade.

Chiquinho era um garçom que morava na Vila Floresta. Seu corpo foi encontrado com punhaladas no corpo inteiro.

Paulinho era enfermeiro, uma pessoa do bem, amigo de muita gente. Foi morto em casa, com a camiseta enfiada na boca. Foi degolado.

Leonardo foi assassinado ano passado.

Outros assassinatos ocorridos em Varginha, resultaram na prisão de suspeitos: um professor que morava na Wenceslau Braz e Natasha, na Vila Barcelona. O motivo alegado pelas pessoas presas, acusadas dos assassinatos, foi acerto de drogas.

Por que falar desse assunto nesse momento?

É importante lembrar da história, para evitar que ela se repita. Principalmente às vésperas do carnaval, quando aumentam consumo de álcool, drogas e as pessoas ficam mais agressivas e, as vítimas, vulneráveis.

O Brasil registra uma morte por homofobia a cada 23 horas, aponta o Grupo Gay da Bahia.

Na segunda-feira 17/2, um jovem gay foi espancado por um grupo de homens em São Paulo, perto de um bloco de carnaval.

Um policial militar da Paraíba teve fotos divulgadas nas redes sociais, com uma fantasia de dálmata. Juntaram fotos dele de farda com a foto fantasiado. “O objetivo foi me difamar, querendo colocar aquilo como um exemplo de reprovação. Eu estava de folga no momento do bloco, usando uma fantasia como qualquer pessoa que estava presente”.

Falta respeito e tolerância. De ambas as partes. Quem exige respeito, deve respeitar os outros.

Que este carnaval não tenha registros de casos semelhantes.

Tags: Geral

3 Respostas Até Agora ↓

  • 1 Novo Aqui // fev 22, 2020 at 8:33 PM

    Bem oportuno. Parabéns.

  • 2 Luiz // fev 22, 2020 at 8:40 AM

    Parabéns pelo texto @Marcus Madeira
    Muito humano e sensato. Gostei! Na época eu trabalhava em um jornal de Varginha e acompanhei isso tudo. Lembro do delegado me mostrando as fotos dos crimes. Ventilaram muito boato naquela época, mas nada foi feito.

  • 3 Nicole // fev 22, 2020 at 8:40 AM

    2000… Pra evitar que a história se repita: Vale o documentário Hunting Season da Rita Moreira. O documentário fala da homofobia escancarada nos anos 80 no Brasil. São Paulo e Rio de Janeiro foram palco para o documentário. https://youtu.be/rjan_Yd0C5g

    Vale a pena assistir

    Gostei demais do texto

Deixe um Comentário