Blog do Madeira - Notícias de Varginha - MG

Notícias diárias de Varginha e Sul de Minas – [email protected]

Índice da cesta básica em Varginha tem queda de 2,23% entre abril e maio

maio 8th, 2019 · Sem comentários

Na quinta pesquisa de 2019 o Índice da Cesta Básica de Varginha (ICB-CEPI/UNIS), calculado pelo Grupo Unis em parceria com a ACIV (Associação Comercial, Industrial Agropecuária e Serviços de Varginha) apresentou deflação de 2,23% entre abril e maio, após sete meses em alta.

Clique no título para mais informações.

“Nesse mês atingimos as 12 coletas relativas de preços para verificação da taxa anual, e pode-se afirmar que em 12 meses a cesta básica em Varginha teve um aumento de 14,99%. Somente nesse ano de 2019 o aumento acumulado já atingiu 7,08%”, afirmou o responsável pela pesquisa, Prof. Dr. Pedro dos Santos Portugal.

A pesquisa mostrou que neste mês de maio o valor da cesta básica nacional de alimentos para o sustento de uma pessoa adulta em Varginha é de R$404,31, correspondendo a 44,03% do salário mínimo líquido. Sendo assim, o trabalhador que recebe um salário mínimo mensal precisa trabalhar 89 horas e 08 minutos por mês para adquirir essa cesta de alimentos.

Entre os meses de abril e maio, dos 13 produtos componentes da cesta básica pesquisada em Varginha, seis apresentaram alta dos preços médios, são eles: Batata, Banana, Café em pó, Leite integral, Arroz e Manteiga. Sete produtos apresentaram queda em seus preços médios, são eles: Tomate, Feijão carioquinha, Óleo de soja, Carne bovina, Pão francês e Açúcar refinado.

“Nesse mês a pesquisa demonstrou que a dinâmica dos preços esteve mais relacionada com o comportamento da oferta dos produtos. Apenas no caso do feijão visualizou-se a influência do comportamento da demanda. No entanto, reiteramos a previsão de que o comportamento da demanda voltará a influenciar os preços nos próximos meses, dado que o consumidor está atento aos preços no momento de suas compras”, concluiu o Prof. Pedro.

A pesquisa pode ser acessada clicando aqui.

Tags: Economia

0 Respostas Até Agora ↓

  • Não existe comentário ainda. Deixe o seu comentário preenchendo o formulário abaixo

Deixe um Comentário