Blog do Madeira - Notícias de Varginha - MG

Notícias diárias de Varginha e Sul de Minas – [email protected]

Corte na UFLA permite funcionamento até setembro

maio 6th, 2019 · 7 Comentários

A UFLA, Universidade Federal de Lavras, teve 26% do orçamento bloqueado. São R$ 16 milhões a menos no orçamento de R$ 62 milhões.

A Diretoria Executiva da instituição divulgou que, como medida emergencial, a UFLA suspendeu ações como compras; novos empenhos; viagens nacionais e internacionais à serviço, entre outras, “até que se tenha um cenário mais claro do que representam os bloqueios e se há a possibilidade de revertê-los ou não”.

“Caso persista o atual bloqueio e não haja outros mais adiante, os recursos disponíveis no orçamento da UFLA permitem que a Universidade siga com as suas atividades previstas até setembro”.

A UFLA é a oitava melhor instituição pública de ensino do país

“Porém, deve-se ressaltar que a UFLA, por ser uma instituição de pequeno/médio porte, que já trabalha com um orçamento muito enxuto, não dispõe de margens que permitam importantes ajustes. Outra linha prioritária de ação para o reitor é a busca de recursos adicionais, como sempre fez, com negociações em Brasília que permitam a liberação de ao menos parte dos valores bloqueados, além de ações que viabilizem a liberação de recursos extra orçamentários, como as emendas de bancada já aprovadas para a UFLA, mas também bloqueadas, e Termos de Execução Descentralizada (TED), para que seja viável a manutenção dos serviços pelo maior prazo possível”.

Efeitos do bloqueio:

  • Fornecimento de materiais para aulas práticas nos mais de 250 laboratórios da Instituição;
  • Compra de materiais de consumo para serviços administrativos;
  • Manutenção dos serviços terceirizados que envolvem trabalhadores de várias categorias;
  • Custos com combustível, energia elétrica, telefonia, pagamento de bolsas a estudantes;
  • Despesas com restaurante universitário, assistência à saúde e manutenção geral dos quase 300 mil metros quadrados de área construída, acrescendo-se uma área total de 460 hectares no campus, além de duas fazendas onde são realizadas pesquisa e extensão, em suporte à pós-graduação;
  • Compra de equipamentos para laboratórios, cuja demanda é grande, já que a UFLA abriu cursos como Medicina e Engenharias, que demandam novas aquisições, e a Instituição precisa realizar, ainda, aquisições para atender à atualização de seus cursos históricos, de modo a garantir a qualidade pela qual são conhecidos.
  • Obras, ampliações de estruturas físicas, mobiliário, expansão de redes como a de eletricidade e de transmissão de dados e internet, entre outros.

Leia a nota da instituição:

“A missão da UFLA é manter e promover a excelência do ensino, da pesquisa e da extensão, formando profissionais qualificados, produzindo conhecimento científico e tecnológico inovador e disseminando a cultura do conhecimento na sociedade local, na sociedade mineira, no Brasil e no mundo. Ao longo dos últimos anos, a Universidade experimentou crescimento considerável, saindo de 640 vagas para ingresso na graduação para as mais de 2800 ofertadas hoje, colaborando para o acesso de milhares de jovens ao ensino superior e ao mercado de trabalho. A área construída da instituição mais que dobrou a partir de 2012, com mais laboratórios, salas de aula, gabinetes de professores, espaços administrativos e outras áreas importantes para o desenvolvimento da missão da Universidade. A UFLA tem também a qualidade de seus trabalhos e de sua gestão reconhecida por diferentes órgãos externos, como TCU, e em rankings nacionais e internacionais, nos quais figura em posição de destaque. Por todos os resultados que vem alcançando, pela contribuição que oferece à sociedade e por todo o potencial que possui para continuar auxiliando no desenvolvimento do País, o compromisso da direção executiva é com a busca constante para que os recursos sejam assegurados e as atividades sejam mantidas na Instituição”.

Diretoria Executiva da UFLA

Tags: Educação · Política

7 Respostas Até Agora ↓

  • 1 Lula lá // maio 7, 2019 at 3:53 PM

    Balburdia…

    Mais um Ministro da Educação fraquíssimo! Ideólogo de quinta categoria! Aluno de Olavo de Carvalho, o autoproclamado filósofo que tem tara em c*! Acredito ser a palavra mais dita pelo guru da dinastia Bolsonaro.

    É claro e evidente que querem acabar com nossas faculdades.
    Primeiro esse ministrinho diz que iria cortar recursos com a desculpa da balburdia, viu que não colou e resolveu generalizar cortando recursos de todas as federais. Isso parece mais a sanha em asfixiar de propósito as instituições a fim de legitimar uma possível e inevitável privatização das mesmas.

    Darci Ribeiro dizia que o caos na educação era um projeto, isso é confirmado neste (des)governo.

    Bolsonaro é vingativo!
    Ataca as universidades que sempre foram contra ele!
    Ataca a imprensa que o desmente e escancara seus podres diariamente!
    Se prestar atenção, faz o mesmo agora com as Forças Armadas por ter sido menosprezado por Geisel em seu livro: “Presentemente, o que há de militares no Congresso? Não contemos o Bolsonaro, porque o Bolsonaro é completamente fora do normal, inclusive um mau militar”.

    Elegeram um lunático!
    A mim não surpreende, mas entristece…

    A melhor matéria que li sobre o Bolsonaro!
    https://epoca.globo.com/a-sombra-de-si-mesmo-23184248

  • 2 Porco caipira // maio 7, 2019 at 10:43 AM

    Tem que cortar mais as asas dessa juventude transviada…

  • 3 Anderson // maio 7, 2019 at 8:38 AM

    Se há problemas nas instituições, os mesmos devem ser identificados e resolvidos de acordo com os meios legais para cada caso. Cortar verbas não resolve o problema; ao contrário, só aumenta ainda mais. Tem muito idiota, igual ao Bolsonaro, que posta comentários… Mas nem sabe o que está faltando…

  • 4 marco aurelio // maio 6, 2019 at 4:24 PM

    tá certo o governo, no momento atual os estudantes só sabem fazer phutarias, e fumar makonha.

  • 5 AL // maio 6, 2019 at 4:13 PM

    Onde os pobres alunos vão fumar erva e encher a cara agora?

  • 6 Rodolfo Kieser // maio 6, 2019 at 3:31 PM

    Faz tempo que os alunos, no Brasil inteiro, estão pagando pela má gestão financeira das reitorias publicas no Brasil.
    Continuar com a “torneira” aberta não vai resolver os problemas dos alunos.
    Com pouco mais de 4 meses de governo novo, essa foi a medida mais acertada para estancar esse problema de gestão.
    A próxima medida certamente será a melhoria do quadro profissional das reitorias e até mesmo a privatização de varias delas.

  • 7 Rodolfo Kieser // maio 6, 2019 at 2:39 PM

    Deveria ter cortado mais. Universidade comandada por esquerdopatas/comunistas.
    Vejam o link abaixo:
    https://www.olavrense.com.br/2018/03/escola-sem-partido-entra-com-acao-contra-ufla.html

    NOTA DO BLOG: concordo não, Rodolfo. Muda a diretoria. Os alunos não têm nada a ver com a história.

Deixe um Comentário