Blog do Madeira - Notícias de Varginha - MG

Notícias diárias de Varginha e Sul de Minas – [email protected]

Leitor lembra um pouco da história do Cine Rio Branco

dezembro 29th, 2017 · 7 Comentários

O texto é do leitor Edgard Ximenes Machado (foto). Em um post aqui no BlogdoMadeira, ele se recordou de fatos a respeito do Cine Rio Branco. Muitos desconhecidos do grande público. Vale a pena a leitura!

“No final dos anos cinquenta, na vizinha e amiga cidade de Três Pontas o ex- prefeito daquela cidade Sr. Paulo Loures, idealizou e construiu o Cine Ouro Verde (café) que na época era considerado o melhor cinema da região sul mineira.

Em nossa cidade existia o Cine Theatro Capitólio e o Cine Rex. Porém, não era justo e nem razoável que a então Princesa do Sul de Minas não ostentasse um representante da sétima arte a altura do conceito de nosso município.

Foi quando, numa demonstração de pujança e empreendedorismo, associaram-se vários fazendeiros de nossa urbe para presenteá-la com um arrojado projeto de um novo cinema. O local escolhido para construção do referido foi na rua Presidente Antonio Carlos em frente a ACIV onde hoje funciona um estacionamento para veículos.

Porém, na demolição do casarão antigo, aconteceu um lamentável acidente que, infelizmente, ceifou a vida de um pedreiro. A demolição foi suspensa, obviamente.

Mas naquele intervalo chegaram a feliz conclusão que aquele local não seria o ideal para hospedar o imponente cinema. Contrataram o saudoso arquiteto Dr. José Braga Jordão para a nobre missão, credenciando-o visitar vários cinemas de cidades de grande porte e, ecleticamente, apresentar um anteprojeto que agradasse a “gregos e troianos”.

Assim foi feito e nasceu o legendário CINE RIO BRANCO.

O nome escolhido foi através de plebiscito. Posso afirmar, sem dúvidas, que foi em homenagem não só a arborizada Avenida mas como também ao grande Estadista e Diplomata Barão do Rio Branco. Lembro que li em uma revista de circulação nacional especializada em cinemas, classificando o recém inaugurado Cine Rio Branco como um dos melhores “do mundo” (1956) a maior tela da América Latina ( 18 x 9 ).

Não Posso esquecer que o Sr. Aristides Prince, falecido recentemente aos 97 anos de idade, foi a mola mestra que muito contribuiu com seu dinamismo e seriedade para que tudo se tornar-se realidade.

Sábado, 11 de agosto de 1956, foi o dia da esperada inauguração . O filme, RAPSÓDIA com Elizabeth Taylor e Vitor Gasmam. Era proibido entrar sem paletó…”.

Tags: Cultura · Destaque · Memórias de Varginha

7 Respostas Até Agora ↓

  • 1 [email protected] // jul 4, 2020 at 12:46 AM

    Eu também!

  • 2 Glauber Vieira Ferreira // jan 11, 2018 at 10:24 AM

    Existe algo concreto em relação ao futuro do Rio Branco?

  • 3 Helio // jan 9, 2018 at 1:55 PM

    Tenho orgulho da minha formatura de Direito feita no Cine Rio Branco, a maior sala de espetáculos de Varginha! Foi um dia maravilhoso de nossas vidas!Parabens varginhense pelo texto histórico!!!

  • 4 Edgard Ximenes Machado // jan 3, 2018 at 10:56 AM

    Obrigado pelas palavras de incentivo Sr. Affonso Henrique Madeira !
    Saudade é a ausência que incomoda. Felfiz 2018!

  • 5 Affonso Henriques Madeira // jan 1, 2018 at 10:26 AM

    Muito bom o texto, de parabéns Edgard Ximenes Machado pela sua brilhante e esclarecedora matéria sobre nosso saudoso Cine Rio Branco, que deixou saudades em todos os varginhenses vivos hoje e que presenciaram e conviveram com a construção, com a inauguração e depois assistiram as concorridas sessões de filmes memoráveis: uma tela imensa, a maior da América Latina e o som estereofônico espetacular, ambos grandes novidades para a época. Mais uma vez, nossos parabéns pelas lembranças e pela sua iniciativa em tornar realidade a pintura da fachada do nosso inesquecível Cine Rio Branco.

  • 6 Edgard Ximenes Machado // dez 30, 2017 at 7:48 PM

    Obrigado Madeira !
    Agora estou empenhado na pintura da fachada do Cine Rio Branco.
    Tomara que de certo !
    Feliz Ano Novo pra você e seus entes queridos !

  • 7 Adauto - // dez 30, 2017 at 2:04 AM

    Texto muito interessante e de grande importância para o cenário cultural de Varginha e do próprio Cine Rio Branco. Parabéns Edgard e Blog!!!

Deixe um Comentário