Blog do Madeira - Notícias de Varginha - MG

Notícias diárias de Varginha e Sul de Minas – [email protected]

Linha férrea: retrato do abandono

agosto 7th, 2015 · 48 Comentários

bike linhaDSC_0169010214Um misto de aventura e ideia de jerico. Foi o que o blogdomadeira fez na manhã desse sábado (1/2). Acompanhado do advogado Carlos Cornwall, do filho dele, Bruno e do amigo Marcos, percorremos o trajeto da linha férrea entre a Cooperativa Minasul, no Campos Elíseos e a antiga estação da Juriti (onde hoje fica a estação de captação de água da Copasa). O objetivo era conhecer a situação dos trilhos em toda sua extensão. Devido ao péssimo estado da linha, levamos 5 horas para percorrer apenas 6 quilômetros de bicicleta. Tá certo que paramos várias vezes para beber água (um sol de rachar mamona) e comer alguma coisa. Apanhamos goiaba na Vila Floresta, banana na Vila Floresta, água e suco de acerola na casa da mãe do Carlos.
Mas o que impressionou mesmo foi o abandono da linha por toda sua extensão. Em poucos trechos dá para pedalar.

bike linhaIMG_6332010214

Começando pelo “marco zero”, perto da cooperativa. bike linhaDSC_0128010214Não dá para ver o começo da linha, pois está coberto pelo mato.
bike linhaDSC_0132010214

 

Um pouco depois, perto da Minasul, começa a aparecer o lixo jogado pela própria população na beirada da linha.
bike linhaDSC_0135010214Antes do Moinho Sul Mineiro, dá para ver o serviço de porco da Ferrovia Centro Atlântica (FCA), responsável pela manutenção da linha. Em vez de capinarem a linha por toda sua extensão, acharam mais prático (mais rápido e barato) passar um trator para retirar o mato e entulho. Resultado: vários dormentes vão junto…

Quando o Moinho Sul Mineiro recebia trigo pela linha férrea, o trem entrava em um galpão da empresa. A extensão dos trilhos existe até hoje (foto).
bike linhaDSC_0140010214Ao lado do moinho, mais lixo: até estrado de cama.
bike linhaDSC_0145010214Lixo e mato mais para a frente, perto da Tiradentes, pleno centro da cidade.

O trecho em frente à estação ferroviária é um dos poucos mais ou menos limpos. Neste ponto a prefeitura assume espontaneamente a responsabilidade, devido à Quinta da Boa Música, projeto de música ao vivo realizado toda noite de quinta-feira.
bike linhaDSC_0163010214Perto da estação, um divisor de linhas estragado por vândalos.
bike linhaDSC_0171010214

Pai observa grafite produzido por artista de Varginha (foto à direita).
bike linhaDSC_0180010214

Como se não bastasse a ineficiência do poder público, parte da população também não ajuda. Olha o lixo no centro da cidade. Em compensação, mais um grafite, ainda perto da estação ferroviária.
bike linhaDSC_0196010214Aqui encontramos o “seu” Nilo. O pai dele era ferroviário. Nilo se lembra do trem pagador: “Quando a rede mandava o salário dos funcionários era o dia mais animado. A estação ficava lotada. Todos esperavam o dinheiro. Vinha em um envelope. Meu pai pedia para eu levar a pensão de uma senhora. Ela me dava um cruzeiro. Era meu salário do mês”, lembra.
bike linhaDSC_0189010214Chão de pedras, entre a estação e o começo da Delfim Moreira. Um dos poucos trechos em que o piso original não foi modificado.
bike linhaDSC_0203010214Em alguns trechos, ainda dá para ver a antiga linha do telégrafo (perto da casa rosa). O último fica em frente à Igreja do Mártir São Sebastião.
bike linhaDSC_0214010214Apite.
bike linhaDSC_0223010214

A praça em frente à Igreja do Mártir abrigava um virador de trens, que fazia o giro dos vagões de passageiros que chegavam de Cruzeiro/São Lourenço/Três Corações. Os vagões eram colocados na linha auxiliar com a frente acoplada à locomotiva para entrada dos passageiros e, depois, nos trilhos principais. Atualmente esse sistema (que foi retirado em Varginha) existe em apenas cinco cidades: Ribeirão Vermelho, Tiradentes e Poços de Caldas (MG) e em Cruzeiro e Campos do Jordão (SP).Viradouro A foto antiga é do leitor Nelson Sarto. Datada de 1966, mostra o viradouro original.

bike linhaDSC_0228010214A Venda do Leley, de propriedade do Senhor José Campos, era um ponto de parada do trem para carregar mantimentos para as famílias que moravam na Juriti. A informação é da professora Vânia Moraes, filha do radialista Silas Sampaio Moraes, diretor da Rádio Clube. Silas foi dono da Juriti durante alguns anos. Vânia recorda com saudade desse tempo.

bike linhaDSC_0232010214Sete casas foram parcialmente destruídas em junho de 1995, quando um trem carregado de cerveja importada Faxe descarrilou. De acordo com o advogado Carlos Cornwall, o motivo foi a retirada errada da mercadoria, fazendo com que os trilhos tombassem.

Entre as Três Bicas e a Vila Floresta está o trecho mais bem cuidado (pelos moradores!).

Sinalização original. Alguns resistem mais à ação do tempo.

O trecho da “ferradura”, curva entre as Três Bicas e a Vila Floresta, é o único ponto em que há calçada para pedestres e ciclistas nos 6 quilômetros da linha dentro da cidade.

Fome: em vários pontos há árvores com goiaba, manga, bananas, abacate e até tomate, perto da Fertipar. Mas não deixe de levar comida, se fizer o passeio…

Depois da esquina com a rua do Mercado do Produtor está o trecho mais sujo e abandonado.

bike linhaDSC_0312010214Mato fechado entre o Mercado do Produtor e a Plascar.

Gambiarra perto da Plascar: devido ao mato alto, decidimos cortar caminho em um barranco. Por pouco teve gente escorregando e caindo na aroeira.

Depois da Plascar, a linha chega até a avenida Celina Ottoni, perto da Estação de Tratamento de Esgoto da Copasa.

A linha passa rente à Fertipar, que também tinha um ramal dentro da empresa, para descarregar insumos.

Pontilhão, depois da Fertipar.

O último quilômetro foi o mais longo. Não apenas pelo cansaço e calor, mas principalmente por ter só pedras entre a Fertipar e a estação da Juriti, onde hoje fica a estação de captação de água da Copasa. Para compensar, belas paisagens às margens do Rio Verde.

Resumo: é possível reativar a linha férrea, seja para turismo ou a proposta de transporte público com um veículo adaptado. Falta dinheiro e vontade política. Projeto foi enviado pelo Movimento Ferroviário de Varginha e Região (MFRV) à presidente Dilma. O projeto foi encaminhado a dois ministérios. Se sair do papel, seria necessário recuperar alguns trechos em que a Ferrovia Centro Atlântica fez o favor de estragar os dormentes. Mas coisa mínima.
Enquanto isso não acontece, a FCA poderia ter mais respeito com a cidade e recuperar os trechos da linha. Ou, pelo menos, limpar com mais frequência as margens da linha. E de forma correta, com capina manual, em vez de colocar um trator para cavucar os trilhos.
Se o leitor quiser fazer o trecho, vá acompanhado. Em vários pontos você fica vários minutos sem ver ninguém.
Leve lanche leve, muita água, filtro solar, chapéu e o principal: não vá de bicicleta. É muito mais negócio fazer uma caminhada…
Observação: matéria publicada originalmente em fevereiro de 2014. Mas o trecho continua no mesmo abandono…
 

banner promo salmao frigorifico

Tags: Dez motivos pra sair de casa em Varginha · Lazer

48 Respostas Até Agora ↓

  • 1 Celso Franco // out 11, 2015 at 11:50 AM

    NOSSOS GOVERNANTES PRECISAM ENTENDER QUE:
    VARGINHA TREM JEITO !!!
    TAMUJUNTUNAREATIVAÇÃODAFERROVIADEVARGINHA.

  • 2 Rômulo Azevedo Ribeiro // ago 9, 2015 at 3:37 PM

    Parabéns o pela reportagem. Tenho trabalhado pela implantação de ciclovia no trecho urbano da linha férrea, confiando ser boa solução, pois ela servirá principalmente para mobilidade no nosso município, aliás, se realizada será a mais importante obra de mobilidade urbana dos últimos tempos para a cidade de Varginha. Além disso ela promoverá a saúde, o lazer, o esporte, a economia doméstica, a segurança, a integração entre bairros e regiões distantes da cidade e até mesmo a cultura, pois o projeto que incentivamos prevê áreas de cultura no seu entorno. Reforço que é necessário conquistar a verdadeira vontade política do executivo para realizar essa obra, que é relativamente barata diante dos importantes e perenes benefícios para toda população. Nesse momento creio que a maioria da população apóia essa causa, inclusive tenho visto maior simpatia das autoridades para tal implantação. Sobretudo tenho visto apoio real dos jovens e dos ciclistas que são convictos dos benefícios. Nossa cidade merece essa atenção, pois o trecho da linha férrea hoje promove fragilidades sociais diversas, como violência, mato alto, animais peçonhentos, descarte de lixo, focos da dengue, refúgio para criminosos e usuários de drogas. Insisto em promover esse debate para conquistar o apoio de todos os setores, principalmente a vontade política de nossos líderes pois essa obra é viável. Se promovermos a cultura da bicicleta e do esporte reduziremos, por exemplo, as filas dos hospitais, mais elevaremos, por exemplo, o IDH do nosso município.

  • 3 bela // ago 8, 2015 at 2:46 PM

    Cadê a Ciclovia que falaram em fazer nesse espaço da antiga linha do trem.

  • 4 TOTÓ // ago 8, 2015 at 8:47 AM

    Acho que a administração Municipal está atendendo as prioridades, visto o tamanho da dívida deixada pelo PT.
    Antônio Silva tem meu voto novamente o ano que vem.
    Fora Geisa, PT etc. Este partido que era pra ajudar o trabalhador, só fode a gente. Fala sério.

  • 5 Edgard Ximenes Machado // ago 7, 2015 at 10:40 PM

    Lembro-me como se fosse hoje. Estudava no Grupo Brasil e quando era previamente escalado pela professora de aritmética para declamar a tabuada, não restava alternativa a não ser a de matar aula escondendo no antigo virador localizado próximo a Igreja do Martir. Quando servi a Pátria em Três Corações (EsSA), com 18 anos de idade, toda segunda feira, acordava às cinco horas para embarcar na “Maria Fumaça” que percorria o trecho em 70 minutos, com duas paradas: Juriti e Flora. Aos domingos meu querido pai me convocava para ir à pé e voltar de trem da estação Juriti, onde morava seu amigo Sr. Nonô Rozendo, dono de uma chácara com belo pomar. Em sua casa avarandada de frente para estação, sentávamos confortavelmente onde era servido uma verdadeira salada de frutas. O assunto sempre o mesmo, política, economia e fofocas. Eu, com apenas 10 anos, achava tudo muito chato, a exceção da salada… Parabéns Madeira por este túnel do tempo que me trouxe de volta para o futuro.

  • 6 Vânia Beatriz Conde Moraes // fev 16, 2014 at 3:48 PM

    Madeira,
    não pensei que uma simples conversa sobre coisas de antigamente resultasse em uma matéria-pesquisa-passeio como esta, capaz de evocar lembranças de coisas tão boas e a vontade de resgatar coisas da história deste pedacinho do sul-de-minas tão desmemoriado. Agora compreendo a extensão do projeto do Carlos e do seu. E os parabenizo. Contem comigo!
    Vânia Beatriz Conde Moraes

    NOTA DO BLOG: Obrigado, Vânia. Pode deixar que vou voltar a conversar com vocês, blz? O material está ficando muito bom!

  • 7 Camila // fev 6, 2014 at 3:43 PM

    PARABÉNS!!! Muito interessante mesmo! Pois é, infelizmente vejo esta linha todos os dias e penso, nossa que desperdício, poderia ser um lugar limpo, usado, fora que realmente, tem lugares bonitos, mais está tudo mal cuidado, nossa cidade está virando um caos, pagamos tantos impostos, para que mesmo?! Até desanima em pensar, teríamos sim, que fazer um movimento, e marcar coisas que deveriam ser tratadas com respeito, e de uma maneira simples! Basta começar, pois a cidade é bonita, grande, porque não deixa-la melhor?!

  • 8 Gi // fev 6, 2014 at 9:33 AM

    Muito bacana a matéria! Deu vontade de conhecer o trajeto. Só falta a prefeitura limpar….

  • 9 Fabrício Pontes // fev 5, 2014 at 8:53 AM

    Seria muito bom ter uma ciclovia em toda a extensão da linha férrea, como já comentado abaixo.

    A opção de ter um transporte publico cruzando a cidade de uma ponta a outra (evitando o congestionamento) também é muito boa.

    Mesmo sendo uma ferrovia privada, é necessário que a prefeitura e nossos deputados corram atrás para recuperar e utilizar a área em benefício da nossa cidade.

  • 10 ESTRELA // fev 4, 2014 at 1:01 PM

    LEGAL NÉ!PARABÉNS AO CARLOS,MADEIRA E OUTROS QUE ESTÁ A CONTRIBUIR PARA DAR CONTINUIDADE DE UM PATRIMÔNIO HISTÓRICO.POIS CIDADÃO É AQUELE QUE SE EMPENHA A FAZER O BEM PARA O LOCAL ONDE VIVE, SOBRE SUA TERRA, SEU PASSADO E SUA HISTÓRIA. GRANDE TRABALHO VALEU.

  • 11 XYZ // fev 4, 2014 at 8:17 AM

    Os maiores ICMS (e outras receitas) de 2013 no Sul de Minas:

    Pouso Alegre 367.054.687,01

    Extrema 351.945.167,82

    Poços de Caldas 341.260.258,02

    Varginha 207.499.455,00

    http://www.fazenda.mg.gov.br/governo/receita_estado/receita_mensal/pdf/201312/arcicmotrcmunMG-12.pdf

    O extremo sul de minas dando um show na atividade econômica.

  • 12 ZECABACANA // fev 4, 2014 at 12:31 AM

    Ta na hora de pararmos de só reclamar, moramos no melhor lugar do mundo, a nossa princesa é a mais linda do planeta, nosso clima é o saudável, o sol do meu pais tem mais calor, vamos fazer nossa parte, que Deus ilumine nossos governantes e que a paz continue a reinar em beneficio das gatas mais do mundo.

  • 13 Pablo // fev 4, 2014 at 12:09 AM

    Madeira, acho que passou da hora de começarmos um movimento chamado REAGE VARGINHA, se cada um que não aceita a situação de descaso de nossa cidade começar a reagir algo tem que começar a mudar, tirar um foto, reclamar na ouvidoria, ligar para uma emissora de tv, passar e-mail para as rádios, além de tudo isso necessitámos mexer naquilo que os políticos mais têm medo…o voto, falar NÃO, falar BASTA, ir além, deixar novas lideranças surgirem, limpar a poeira dos velhos faraós…esta na hora de VARGINHA se reciclar.

  • 14 IN OFF // fev 3, 2014 at 8:50 PM

    TEMOS QUE ACABAR COM ESTES
    POLITICOS!!
    COMO?
    Mão de obra dos edis para refazer tudo de
    novo..!!!
    Já que não fazem nada!!!!
    Eu hein!!

  • 15 gandur tanus neto // fev 3, 2014 at 6:48 PM

    bom dia carlos/madeira, gostaria que a produção do blog do madeira e carlos corwal conseguisse fotos da estação de campo belo onde estive em um encontro de motos a alguns dias,tirei poucas fotos para mandar para voces,madeira colocaram bloquetes em desenho como a praia de ipanema, ficou bonito demais, e alem disso não tiraram a linha ferrea, continuou com o tradição ,ficou bom demais e ninguem tropeça nas linhas, fica ai a dica para voces constatarem e cobrar de nossos representantes.um abraço vou enviar a fotos que tirei para voces constatar

  • 16 Realista // fev 3, 2014 at 5:56 PM

    Sorte de voces nao serem assaltados pelo caminho… boa materia!!!!

  • 17 Lady // fev 3, 2014 at 5:43 PM

    E nos que moramos em frente a linha, sofremos com todo esse mato e sujeira que trás muitos bichos para nossas casas. Deveria tirar essa linha e fazer uma linda ciclovia pra embelezar nossa cidade, mas o que adianta falar ou dar ideias, os que poderiam fazer alguma coisa tão nem ai, só se preocupam é consigo mesmo, mas na epoca das eleições com certeza teremos varias PROMESSAS em relação a este trecho.

  • 18 Stael // fev 3, 2014 at 4:53 PM

    Parabéns ao Carlos, Madeira, Bruno e Marco Antonio pela magnífica reportagem. As paisagens são lindas. É uma pena que a população não colabore, jogando lixo às margens da linha férrea, num total desrespeito com o meio ambiente. Minha mãe recorda-se de quando ela tomou o trem nos idos de 1960 em direção a Cruzeiro e de lá tomava-se um trem confortável até o Rio de Janeiro. ” E tempinho bão!!! “

  • 19 Wanderléa // fev 3, 2014 at 3:43 PM

    Parabéns pelo trabalho exaustivo, mas muito prazeroso.
    Madeira, você só nos deu bolo e não almoçou conosco, a mãe manda um abraço e disse que caprichou no cardápio mineiro pra te esperar…

  • 20 insatisfeita // fev 3, 2014 at 2:43 PM

    Parabéns pela Matéria, Varginha precisa de uma ciclovia…

  • 21 luciano // fev 3, 2014 at 2:40 PM

    wood, talvez a melhor reportagem tua. parabéns !

  • 22 vania fatima // fev 3, 2014 at 2:07 PM

    Parabéns pela matéria.
    Se a linha férrea fosse cuidada,seria um lugar maravilhoso pra se fazer um passeio em família,caminhada ao fim da tarde,um lindo e saudável passeio!
    Que os políticos interessados em fazer algo em prol de Varginha e seus habitantes aliem-se ao Carlos Sérgio Cornwell e o ajudem a tornar este sonho realidade.

  • 23 Bruna // fev 3, 2014 at 1:09 PM

    Muito legal saber que tem lugar bonito aqui em Varginha mesmo. mas é uma pena que o caminho está todo mal cuidado…

  • 24 Varginhense // fev 3, 2014 at 12:15 PM

    Matéria Nota Mil… parabéns aos idealizadores do passeio, com fotos e explicações detalhadas durante todo o percurso. Tomará que o projeto do prezado Dr. Carlos dê resultado, vamos torcer prá isso! Varginha está se esquecendo das coisas sadias e úteis do passado… e está na hora de se recuperar aquilo que representa nossas tradições e nossa própria história. Madeira, parabéns pela iniciativa e que venham outras mais para nos relembrar o quanto de tradição nós perdemos, e deixamos entregues ao abandono e ao léu… Tomara que se consiga recuperar aquilo que o tempo inexorável estragou, coisas que se estão a perder devido ao descaso e ao abandono das autoridades por coisas que era seu dever cuidar e zelar !

  • 25 francisco fialho // fev 3, 2014 at 11:35 AM

    e pensar que tudo isso um dia já foi o nosso orgulho: hoje é a nossa vergonha!! varginha parou nessa idiotice de ET…!!!!

  • 26 marcio // fev 3, 2014 at 11:30 AM

    faz 18 anos que varginha parou de crescer, culpa do ET.

  • 27 // fev 3, 2014 at 10:56 AM

    Legal Madeira! Mas na próxima, sugiro que veja antes o filme Frog Dreaming, quem sabe com uma gambiarra daquelas vocês não chegam até a Flora? 🙂 Uma parte está aqui pra você entender: http://www.youtube.com/watch?v=g4OUoLZwIK8&feature=related

    NOTA DO BLOG: Hahaha, boa! Sábado vamos pra torre, anima?

  • 28 Ademir Semboloni // fev 3, 2014 at 10:39 AM

    Este projeto merece ser posto em prática, recuperar esta linha pelo menos até três Corações,
    eu viajei muito de Aparecida a Varginha quando trabalhava em Taubaté.
    Parabéns pela matéria!

  • 29 luiz carlos cunha // fev 3, 2014 at 10:16 AM

    Tristeza !!!!!!!!!!!!!! aBANDONO!! Trem é o transporte mais utilizado na Europa e EUA, no Brasil ( interesse de donos de E. de Onibus e Frota de Transporte Rodoviário, não querem nem pensar no assunto). Disseram que a linha ferroviaria passva dentro de Varginha;rsssss Queriam o que ?

  • 30 Roberto. // fev 3, 2014 at 10:07 AM

    Parabéns a todos
    Carlos Cornwell criador do MFVR ( Movimento Ferroviário de Varginha e Região).Bruno e Marcus Madeira (Blog) por trabalhar pela conservação desta linha férrea.
    Quem sabe se um dia no futuro podemos ver
    alguma utilização destes trilhos em nossa cidade uma vez que o mesmo corta vários bairros e a área central da cidade.
    Na minha opinião acho de deveriam trabalhar para que abra uma avenida de cada lado da linha à partir da AV Celina Ottoni em direção à Juriti.
    O FUTURO AGRADECE!

  • 31 Geanne // fev 3, 2014 at 8:55 AM

    Parabéns Madeira!!!

    Também tinha conhecimento do projeto do Professor Carlos Cornwell .

    Precisamos de vontade política!

  • 32 Fluente Fluêncio // fev 3, 2014 at 8:48 AM

    Às vezes uma idéia que poderia ser considerada de “jerico” se transforma nisso aí: uma das melhores reportagens, se não a melhor, que o Blog já realizou. Parabéns Madeira.

  • 33 Laura // fev 3, 2014 at 8:39 AM

    Fiquei emocionada ao ler a matéria, viajei muito com meus pais para Cruzeiro, saíamos de madrugada e a viagem era cansativa, demorava o dia todo. Mas são lembranças de família que apertam o coração. Saudade de um tempo que não volta mais.

  • 34 Carlos Augusto // fev 3, 2014 at 8:30 AM

    Vergonha a pichação da antiga estação ferroviária! Uma falta de respeito para famílias que ali circulam!
    Além de desafiar o poder público, os pichadores também têm desafiado nossas autoridades “rabiscos” que poluem visualmente me deu um susto ontem na antiga estação rodoviária, ofensas ao pudor e uma falta de vergonha de quem pichou e de quem tem deixado isso acontecer já faz um tempo.
    É ridículo é ver esses comentários, é isso que nós temos de resultado com uma péssima educação, uma cidade sem opção de entretenimento pro público Jovem, uma vez que não existem projetos de inclusão social que realmente funcionam, enquanto tem nego pagando de playboy com o dinheiro público, superfaturando obras e fazendo estádio pra gringo ver, enquanto a cidade está entregue as traças, nada funciona direito, não adianta bater ou matar um pichador, tem é que dar educação de qualidade e combater a origem do problema, sem medidas paliativas, enquanto o pensamento das pessoas for pequeno e retrogrado e mais marginal do que o dos marginais, o que esperar dos ”marginais” ? triste realidade de Varginha!
    Pode significar que temos uma geração de idiotas, que quando tiverem filhos vão dizer tudo de belo que encontrei eu destruí. Não presto para nada.
    Mas a pergunta que não quer calar é: Onde esta nossa Guarda Municipal? E Polícia, cadê a ação???? Até agora só ouvi papo…

  • 35 Luiz Paulo // fev 3, 2014 at 7:53 AM

    Massa demais madeira!

  • 36 Vendedor de carros // fev 3, 2014 at 1:12 AM

    Não insistam nos trens, precisamos vender mais carros e financiamentos!!!

  • 37 Edson // fev 2, 2014 at 11:15 PM

    FALTA VONTADE POLITICA PARA FAZER DESTA VIA UM MEIO DE TRANSPORTES, OU COM O TREM, AVENIDA OU CICLOVIA. LIGA A CIDADE DE PONTA A PONTA, PEÇO AO SR. DILZON MELO QUE FAÇA ESSA OBRA POR VARGINHA.

  • 38 Joe // fev 2, 2014 at 8:56 PM

    Seria bom se esse a linha férrea fosse retirada desde o marco zero até a Av. Celina Ottoni para a construção de uma ciclovia, isso iria baratear os custo do cidadão com transporte público de péssima qualidade e contribuindo com o meio ambiente, acredito que várias pessoas iriam deixar seus carros em casa e iriam trabalhar de bicicleta já que essa via é toda plana e de fácil acesso ao centro e a vários bairros da cidade acredito que a população toda seria beneficiada com essa ideia.

  • 39 carol // fev 2, 2014 at 8:35 PM

    Também acho que bem poderia voltar a linha férrea. Além de ser histórico acho lindo. Acho que seria muito bom ter a experiência de andar de trem.

  • 40 h.romeu pinto // fev 2, 2014 at 8:05 PM

    LINDA MATÉRIA ,PARABÉNS A TODOS QUE TEVE ESSA IDEIA GENIAL ,E LOGICO, TAMBEM É O MEU SONHO QUE A LINHA FERROVIARIA SEJA ATIVADA O MAIS RAPIDO POSSIVEL..

  • 41 wenderson pila // fev 2, 2014 at 7:33 PM

    Atualmente não moro mais em Varginha e fico triste ao ver as condições da linha férrea. Não sei se a linha, e acredito que não pelas fotos, ainda é utilizada. Morava no Jardim Andere e muitas vezes a utilizei pra cortar caminho e andar de bicicleta. Este espaço poderia ser utilizado para pratica de esportes como corrida, ciclismo e caminhada. As cidades são carentes de espaços para estes esportes e por se tratar de espaço já existente basta apenas de limpeza e manutenção periódica.

  • 42 Cláudia // fev 2, 2014 at 7:31 PM

    Muito legal o passeio. Eu e meu marido já fizemos o trajeto moinho/pontilhão a pé várias vezes, anos atrás. Recentemente tentamos novamente, mas desistimos pois tivemos medo do trecho após o mercado do produtor.

  • 43 vera // fev 2, 2014 at 6:19 PM

    Lugar para passeios em Varginha esta escasso! Grande aventura neste trajeto.

  • 44 Gustavo // fev 2, 2014 at 5:04 PM

    A cidade ganharia muito com turismo, imagina só como deve ser bom andar de locomotiva! Varginha está parando no tempo, acho que é culpa do ET!

  • 45 Janilton Gabriel de Souza // fev 2, 2014 at 3:50 PM

    Adorei a reportagem meu caro amigo Marcus. Reportagem atlética essa. Parabéns!

  • 46 LYDIA MARIA BRAGA FORESTI // fev 2, 2014 at 3:39 PM

    Reportagem interessante e rica. Indicadores
    que levam a diagnóstico documentado e a sugestões para minimização e solução da questão.
    Congratulo-me com o advogado Carlos Cornwell criador do MFVR ( Movimento Ferroviário de Varginha e Região). Sem alardes já encaminhou projeto à presidente Dilma e acompanha a tramitação em dois ministérios.
    Destaques da matéria:
    . ” é possível reativar a linha férrea, seja para turismo ou a proposta de transporte público com um veículo adaptado. Falta dinheiro e vontade política. ”
    . a FCA ( Ferrovia Centro Atlântica)” poderia ter mais respeito com a cidade e recuperar os trechos da linha. Ou, pelo menos, limpar com mais frequência as margens da linha. E de forma correta, com capina manual, em vez de colocar um trator para cavucar os trilhos.”
    . colaboração da população no descarte correto de resíduos.
    Parabenizo Marcus Madeira, Carlos e Bruno. Disposição, preparo físico e interesse público
    caracterizaram a aventura em um sábado de calor excessivo.

  • 47 Caçador de Reliquias // fev 2, 2014 at 3:05 PM

    Seria um bom roteiro para os amantes do ciclismo/bike nao e?

  • 48 jose ramos borges // fev 2, 2014 at 2:58 PM

    Varginha tem Muitos políticos ou melhor que dizem estar a Trabalho do Município ,alguns fazem Panfletagem,informando a população de seus Trabalhos,realizados em favor da Cidade.Já passou da hora de reaver esta importante obra,a Manutenção da ferrovia,pois ela significou e significa muito em nossa História,pois através dela chegou muitos Imigrantes,e o progresso da nossa Cidade………

Deixe um Comentário