Blog do Madeira - Notícias de Varginha - MG

Notícias diárias de Varginha e Sul de Minas – [email protected]

  • Alpha-Blog-Madeira-970×140-Matriculas
  • 970x140V2
  • CÂMARADEVARGINHA_CampanhaVereadoresSuasFunções _VVA001721D – BANNERNET Blog do Madeira (Top da home 970x140px)
  • PMVARGINHA_CampanhaGeraçãoDeEmpregos_VVA006221C – BANNERNET Blog do Madeira (desk_mobile – banner topo – 970x140px)
  • Sebrae Empretec Anuncio 970×140
  • covalub-topo-maio-2021
  • parlamento mulher

Os rumos de Varginha 6ª parte (falta de medicamentos)

outubro 27th, 2012 · 6 Comentários

O prefeito eleito Antônio Silva (PTB) concedeu entrevista ao radialista Carlos Costa, vereador eleito pelo mesmo partido. Clique abaixo em “Leia Mais” para ver a sexta parte da entrevista, sobre Falta de Medicamentos. Às 17h, o assunto é o Boa Esporte Clube.

Veja aqui a quinta parte da entrevista, sobre Ambulâncias do SAMU.

 Veja aqui a quarta parte da entrevista, sobre Planejamento e Obras Inacabadas.
 Veja aqui a terceira parte da entrevista, sobre Dívidas e Compromissos.

Veja aqui a segunda parte da entrevista, sobre atendimento ao público: “As pessoas devem ser informadas adequadamente e não enroladas pela prefeitura“.

Clique aqui para ver a primeira parte da entrevista (transição).
Falta de medicamentos – “Sabe quantos itens você administra em uma seção de peças? Dez mil, 15 mil, 20 mil. Quantos medicamentos nos administramos na prefeitura? Com os remédios, são 200, 300. Não tem justificativa faltar, porque você tem que ficar atento a esse controle de estoque, planejando e fazendo a licitação com a antecedência necessária. Medicamentos de alto giro, você não pode deixar faltar, tem que estar com a atenção em cima dele. Isso é uma forma elementar de controlar estoque. E hoje, com a informática, ela controla sozinha, é capaz dela ligar para você e te lembrar que remédio você tem que comprar. Não há razões para colapsos e não há também justificativa pela falta de recursos pois são coisas de baixo custo e com verbas, muitas vezes, do governo federal”.

Boa – “Tenho absoluta consciência da importância dessa equipe hoje em Varginha. Na campanha eu brincava que o Boa é uma boa. É uma empresa que gera empregos, renda para comércio, hotelaria, taxistas, além de divulgar o nome de Varginha, é uma vitrine até internacional. E gera entretenimento, conquistou milhares de torcedores varginhenses e eles merecem o meu maior respeito. É lógico que não tem razão dizer que eu não vou apoiar o Boa. Na semana passada tivemos uma reunião com os diretores do Boa, eu disse a eles que queria começar minha administração ganhando e não perdendo. Eu não gosto de perder e Varginha não quer perder o Boa. No que depender da minha futura administração, o Boa vai ficar em Varginha e com apoio da prefeitura”.

Copasa – “É uma concessionária de serviço público e desempenha seus serviços mediante contrato com o Município. Foi implantada há trinta anos pelo prefeito Dilzon Melo, ato de coragem, não tinha alternativa e a melhor era a Copasa. Reconhecemos o trabalho da Copasa com todas suas falhas, mas realizou um bom trabalho, investiu em novas estações de tratamento de água, de esgoto, grandes investimentos foram feitos. Agora, qual é a realidade hoje? Nós temos um contrato que se arrasta há trinta anos e prevê as obrigações da Copasa. Ocorre o mesmo com o transporte coletivo, a prefeitura tem a responsabilidade de fiscalizar e cobrar o cumprimento do contrato. Tem que acompanhar os cálculos das tarifas, se o tapa-buracos da Copasa tem sido feito com a presteza e qualidade que se precisa ter. A prefeitura é a contratante e tem que fiscalizar o contrato, que está vencendo no final de 2013. Temos doze meses para discutir as cláusulas. Se a Copasa tiver cláusulas antiquadas, teremos que discutir esse contrato. Eu diria que a Copasa será uma prioridade na nossa gestão, de mantê-la, porque garantidamente nós temos um bom serviço, mas precisamos discutir o contrato no aspecto jurídico, cooperacional”.
Plano de cargos e salários – “O plano de cargos e salários é o mesmo que foi feito na minha primeira gestão. Você tem que analisar o mercado, outras prefeituras, a complexidade das funções para estabelecer um salário de acordo com o cargo, por isso ele se chama plano de cargos e salários. Já o plano de carreira é a sua carreira dentro do seu cargo. Quais as perspectivas que a prefeitura oferece para você, que vai lhe motivar a melhorar, a fazer cursos, a ter uma conduta eficiente. É esse que não foi votado na câmara. As alterações criaram distorções e até injustiças, puxavam uma classe para cá, aumentavam outra isoladamente, na verdade houve uma anarquia no plano de cargos e salários, que precisa ser corrigida. E o plano de carreira, que na verdade contrataram uma consultoria que não deve ter ficado barato, ofereceram um projeto que não agradou os servidores, 30% atendia os interesses dos servidores, 70%, prejudicava, esse plano foi remetido para a Câmara em cima da hora, no apagar das luzes da permissão eleitoral, a câmara tinha três dias para votar o plano, eu acho que isso é um desrespeito ao Poder Legislativo. Até proque tentaram jogar a responsabilidade para cima do Legislativo pela não aprovação do plano de carreira. É um desrespeito, porque a Câmara é um poder que não está atrelado ao Executivo e o Executivo tem que respeitá-lo. Nós não vamos prejudicar o servidor, porque não queremos que o servidor pague a conta da prefeitura, seus direitos têm que ser preservados, vamos fazer uma gestão procurando cortar todo tipo de desperdício, para preservar os serviços de atendimento à população e os direitos dos servidores”.

Trânsito de Varginha – “Nós cansamos de ouvir na campanha eleitoral que de 2001 para cá, Varginha teve uma revolução dentro da cidade, como se eu e meus antecessores nada tivéssemos feito. Qual foi o investimento que Varginha nesses doze anos fez efetivamente no trânsito? A duplicação da Contorno é uma obra federal, já havia um projeto antigo para realizá-la. Ela não desafogou o trânsito, não é mais um contorno. Não tivemos mais nenhum projeto mais ambicioso. Em 92, há 20 anos, eu pavimentei praticamente toda a cidade, não foi tapa-buraco, foi pavimentação com asfalto quente da [empresa] Torc, as entradas da Almirante Barroso, Benjamin Constant, entrada da Princesa do Sul, Doutor Módena, todo o centro de Varginha, Santa Cruz, São José, Rui Barbosa, Rio Branco, recapeamos a cidade. Duplicamos a Celina Ottoni, fizemos a ligação da Ozanan Santana, Castelo Branco com Humberto Pizzo, aquele trevinho do Cemitério, que está aguentando até hoje, foi feito por mim. Com a arrecadação que tivemos, com a implantação da Walita, com esse boom no mercado de café, isso naturalmente gerou um grande crescimento na arrecadação do Município. Paralelamente, o Estado saneou as finanças e passou a investir em Varginha, construindo e reformando escolas estaduais e foi dito na campanha eleitoral que o governo federal manda recursos para cá. Grande parte das obras que aconteceram nesses doze anos foram custeadas com verbas federais e estaduais, particularmente na área de saúde. Aí eu pergunto: quais os investimentos no trânsito? Agora no final trouxeram essa consultoria e me parece que houve um problema na justiça e não sei qual o know how dessa empresa, não conheço, é do Espírito Santo. Não sei qual foi a discussão para implantar esse projeto. Nós temos instituições, o CREA, pessoas qualificadas para discutir esse projeto. Nós vamos ter que rever isso e discutir o projeto, que está parado pela justiça. O trânsito precisa de intervenções rápidas e competentes. Amarrar o Trânsito com o Plano Diretor da cidade, não adianta inverter a mão de uma rua, colocar quebra-molas se não estiver amarrado com o plano diretor. Um mau projeto pode custar mais caro do que um bom projeto e pode prejudicar a cidade”.
Vice-prefeito: “Eu tenho um histórico de boa convivência com meus vices. Dr. Marçal aceitou ser secretário da Saúde e teve todo meu apoio. Dona Terezinha Delfraro também foi minha secretária da Educação e nossa convivência foi leal até o fim do nosso mandato. Espero que isso aconteça com o Vérdi, participamos de uma campanha durante cinco meses, não tivemos nenhum problema nesse relacionamento respeitável, amigo e responsável. É preciso que se deixe claro a função constitucional do vice, substituir o prefeito nos seus impedimentos eventuais e na sua falta. Mas o Verdi, com a experiência e gabarito que tem, será extremamente útil na minha gestão, até para me ajudar. Mas é claro que precisamos delimitar essas funções. Se você não fizer isso, pode ter uma medida que o vice tomou à sua revelia e de repente ela não ser aquilo que você gostaria e a responsabilidade é sua (do prefeito) e na primeira desautorização que você fizer, você briga com o vice. Porque a responsabilidade jurídica é do prefeito, ele que responde perante Tribunal de Contas, é ele que responde perante a sociedade, é um regime presidencialista, você não tem como fugir da sua responsabilidade. Agora, como integrar o vice sem esses riscos? É você ter com ele uma convivência leal, não concorrente, não ciumenta e acima de tudo com humildade e bastante maturidade, aí você não terá problemas com o vice. O Vérdi vai somar muito porque é uma pessoa íntegra, enérgica, nós vamos delimitar essas funções com muita clareza, lealdade, transparência. Logicamente aí que entra o Vérdi, ele vai assumir situações de coordenação, poderá buscar recursos no governo do Estado, ter um diálogo permanente com a câmara, com a população e as decisões de grande importância, jamais deixo de discuti-las até com o meu secretariado. Não sou onipotente, autoritário. Tanto que os cabos eleitorais das minhas campanhas eram ex-secretários meus, o que prova que minha convivência com eles é a melhor possível”.

Tags: Blog nas eleições 2012 · Política

6 Respostas Até Agora ↓

  • 1 sebastiana // nov 11, 2012 at 20:46

    e os aposentado como fica o salario e o tiket vai ficar como esta mos nao temos direito de comer porque somos aposentados principalmemte quem aposentou por envalides precisa se alimenta melhor porque ja tem pobrema de saude nao acha

  • 2 carlos rosalem de paula // out 30, 2012 at 11:35

    SE O BOA FICAR PARABÉNS ANTONIO SILVA TAMBÉM FUI PT,MAS AGORA POSSO DIZER QUE PODEMOS SIM FALAR A MESMA LINGUÁ E DESTA FORMA APOIAR SEU GOVERNO E FALAR BEM DA POSTURA DO SEU GOVERNO DIANTE DESTE CENÁRIO TÃO IMPORTANTE QUE É O FUTEBOL PROFISSIONAL EM VARGINHA!!!Abraços carlos

  • 3 claudinei silva // out 27, 2012 at 13:47

    meus parabens pelo o apoio ao boa comserteza assim a sua adiministraçao começa com o pe direito comfeço votei no pt mas agora estou vendo que poço falar bem de toninho

  • 4 Prof. Ribas // out 27, 2012 at 12:13

    Parabéns, Prefeito.
    Parabéns, Madeira, que ao divulgar essa entrevista contribui para a tranquilidade da população.

  • 5 semguerranaohapaz // out 27, 2012 at 10:19

    O Toninho, larga a mao desse tal de BOA, time generico de varginha, na cidade tambem tem bons jogadores, de oportunidade a quem votou em vc.

  • 6 De olho // out 27, 2012 at 09:07

    Bom dia,
    a falta de medicamentos não se dá por esse motivo não.
    acho importante analisar com muito critério, assim as coisas aparecem

Deixe um Comentário