Blog do Madeira - Notícias de Varginha - MG

Notícias diárias de Varginha e Sul de Minas – [email protected]

Você repórter: denúncias levaram à demissão 9 ministros no governo Lula

setembro 20th, 2010 · 53 Comentários

Leitor do blog enviou matéria publicada pela EPTV.com sobre os escândalos no governo Lula. Leia a íntegra da reportagem.

Com a demissão da ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, na última quinta-feira (16), devido a denúncias de suposto tráfico de influência no Planalto, são nove os ministros que deixaram a Esplanada dos Ministérios em razão de denúncias nos quase oito anos de governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Relembre quais foram:

Benedita da Silva

Ministra da Secretaria de Assistência e Promoção Social, Benedita da Silva foi atingida por denúncias de mau uso de dinheiro público logo no primeiro ano de governo petista, ao pagar com recursos da União a hospedagem em um hotel de luxo na Argentina. À época, Benedita justificou a despesa afirmando que teria viajado ao país vizinho para participar de um café da manhã com evangélicos e resolvera esticar a agenda em um encontro oficial. Pressionada pelos fatos publicados pela imprensa, devolveu o dinheiro gasto na viagem e acabou demitida em 21 de janeiro de 2004.

Benedita sempre negou irregularidades. Na época, a ex-ministra alegou que os gastos realizados na Argentina foram realizados durante reuniões de trabalho.

Romero Jucá

Terceiro a pedir demissão na Esplanada, o hoje líder do governo no Senado, senador Roméro Jucá (PMDB-RR), era ministro da Previdência quando acabou envolvido em supostas irregularidades na aplicação de recursos emprestados pelo Banco da Amazônia. Como garantia para um empréstimo obtido junto ao banco, uma empresa de Jucá teria apresentado papéis que indicariam propriedade de fazendas fantasmas. Diante da repercussão do caso, Jucá acabou deixando a pasta em 21 de julho de 2005, apenas 122 dias após tomar posse, em 22 de março do mesmo ano.

O senador negou ter intermediado negociações. Na época em que as denúncias surgiram, seu advogado disse que as acusações tinham cunho eleitoral. Também disse que, ao contrário de ser beneficiário, Jucá foi avalista do empréstimo, colocando bens em garantia para o banco.

José Dirceu

Primeiro integrante do governo Lula a ocupar a Casa Civil, José Dirceu emergiu das eleições de 2002 como o braço direito do presidente Lula e um dos responsáveis pelos 53 milhões de votos obtidos pelo petista no segundo turno das eleições contra o hoje candidato José Serra (PSDB). Ele se demitiu em 16 de junho de 2005, no auge do escândalo do mensalão, pressionado por declarações do delator do esquema, o então deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), de que a sua permanência na Casa Civil poderia respingar no presidente Lula. O mensalão foi o escândalo da suposta compra de apoio de parlamentares no Congresso, que atingiu diretamente Dirceu, o principal responsável pelas alianças do governo petista com os partidos.

Sempre negou envolvimento com as denúncias. Deixou o cargo e voltou à Câmara dizendo que lá poderia esclarecer os fatos, mas acabou tendo o mandato cassado e os direitos políticos suspensos por oito anos. Segundo o ex-ministro, todas as denúncias foram infundadas.

Antonio Palocci

Homem forte no primeiro governo do presidente Lula, o hoje deputado federal Antônio Palocci (PT-SP) permaneceu no comando do Ministério da Fazenda até 27 de março de 2006, quando pediu demissão diante das denúncias publicadas pela imprensa sobre sua suposta participação na quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo dos Santos Costa na Caixa Econômica Federal. “Nildo”, como é conhecido o caseiro, afirmou ter visto Palocci em festas em uma mansão no Lago Sul de Brasília. Palocci respondeu a inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) e teve o processo arquivado no ano passado. O caseiro ganhou na Justiça uma indenização de R$ 500 mil da Caixa em razão da violação de sigilo – a instituição anunciou que irá recorrer.

Disse que ocorreu ‘movimento sistemático para lançar dúvidas e suspeitas’ sobre ele e garantiu que não teve participação no caso. Neste ano, o STF rejeitou denúncia contra ele.

Luiz Gushiken

Supostas interferências em fundos de pensão e suspeitas de envolvimento no escândalo do mensalão apuradas pela CPI dos Correios também fizeram Luiz Gushiken, então ministro da Secretaria de Comunicação do governo, a deixar o cargo no dia 13 de novembro de 2006. Gushiken já havia sido removido do comando da pasta e atuava no Núcleo de Assuntos Estratégicos do governo. Ele entregou sua carta de exoneração depois de ter sido alvo de investigação no Tribunal de Contas da União (TCU).

O ex-ministro afirmou que se afastou da pasta para evitar prejuízos ao governo, mas negou envolvimento em irregularidades.

Silas Rondeau

Em 2007, escândalos de corrupção chegaram até o Ministério de Minas e Energia, atingindo o então ministro Silas Rondeau. Apontado pela Polícia Federal como suspeito de ter recebido R$ 100 mil da Construtora Gautama, acusada de fraudes e desvios em obras públicas, Rondeau entregou o cargo no dia 22 de maio de 2007.

Rondeau sempre negou ter recebido propina. ‘Reafirmo minha completa e absoluta inocência’, escreveu em sua carta de demissão.

Walfrido Mares Guia

Seis meses depois da saída de Rondeau, em 22 de novembro de 2007, o ministro de Relações Institucionais, Walfrido Mares Guia — que também já havia ocupado a pasta do Turismo –, entregou ao presidente Lula sua carta de demissão, acossado por denúncias de envolvimento no escândalo do suposto mensalão mineiro. O esquema, segundo o procurador-geral da República à época, Antonio Fernando de Souza, foi o embrião do mensalão de 2005 no governo federal.

Afirmou que se afastou para evitar prejuízos ao governo, mas negou envolvimento em irregularidades. Ele classificou as acusações imputadas pelo então procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, de injustas e improcedentes e que isso ficaria provado no curso do processo.

Matilde Ribeiro

Até a queda de Erenice do cargo nesta quinta, a então ministra da Igualdade Racial, Matilde Ribeiro, permanecia como a última a ter deixado o governo em decorrência de denúncias. Ministra de Lula desde março de 2003, Matilde não resistiu à divulgação dos seus gastos com o cartão corporativo do governo, motivando até a abertura de uma CPI mista no Congresso. Em 2007, Matilde gastou mais de R$ 171 mil com o seu cartão, dos quais R$ 120 mil só com aluguéis de veículos. A justificativa da ministra é que teve de viajar mais para intensificar relações com novos governos. Ela deixou o cargo no dia 1 de fevereiro de 2008.

Disse que foi induzida ao erro ao usar cartão corporativo. Afirmou que foi orientada a usar o cartão para despesas com hospedagem, alimentação e locação de veículos.

Tags: Política

53 Respostas Até Agora ↓

  • 1 Quatro44Quatro // jun 5, 2011 at 11:00 AM

    ‘Fogo amigo’ ajuda a fragilizar ministro

    Intrigas e disputas dentro do PT, por ambições eleitorais e perda de poder, agravam a crise e aumentam pressão por nova articulação política

    Denise Madueño e Eugênia Lopes, O Estado de S.Paulo

    De perfil tranquilo, porém soturno, como apontam os próprios petistas, o ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, não promove o enfrentamento político interno, mas se mostra vulnerável ao “fogo amigo”.

    É dentro do próprio PT que estão os maiores desafetos de Palocci, situação que pode, na atual crise política, ajudar a empurrar o ministro para fora do cargo exatamente quando o Planalto avalia a repercussão das explicações fornecidas por ele na última sexta-feira.

    Nestes cinco primeiros meses do governo de Dilma Rousseff, ele desagradou parte da bancada petista na Câmara, que até hoje não conseguiu emplacar seus 104 indicados para cargos de segundo escalão.

    Com alguns, Palocci bateu de frente. Foi o caso do ex-presidente do PT e deputado Ricardo Berzoini (SP), que perdeu posições no Banco do Brasil e na Previ – o fundo de pensão dos funcionários do banco.

    Palocci é considerado eterno adversário de parlamentares paulistas que alimentam a esperança de virarem candidatos do PT ao governo de São Paulo. Até a recente crise política da qual ele é protagonista, por conta de sua evolução patrimonial, o nome do ministro era sempre lembrado para o cargo.

    Na lista de alguns petistas, Palocci é, inclusive, potencial candidato à Presidência em 2018.

  • 2 Quatro44Quatro // jun 5, 2011 at 10:22 AM

    Artigo – Só seis estrelas, incluídos Jennifer Lopez e Brad Pitt, ganharam mais do que Palocci em 2010.

    Neste artigo publicado no fim de semana pelo caderno EU, do jornal Valor, o sociólogo e professor Alberto Carlos Almeida, autor do livro ‘A Cabeça dos Brasileiros”, faz uma comparação entre os rendimentos conseguidos no ano passado pelo ministro Casa Civil e algumas personalidades mais coroadas do universo, inclusive as maiores estrelas de Hollywood, tudo em milhões de dólares:

    Jennifer Lopez, 25
    Brad Pitt, 20
    Julia Roberts, 20
    Sandra Bullocki, 15
    Venus Williams, 13
    Kate Moss, 12
    Palocci, 12

    . Só o PT proporciona este tipo de evolução meteórica rumo ao clube dos milionários. No processo do Mensalão, que está no STF, os métodos seguido pelos líderes do PT estão descritos com minúcias. Só o PT proporciona ganhos de tanta magnitude, tão velozmente e com tão pouco trabalho. O problema é que os novos milionários não conseguem explicar as razões do milagre, mas todos sabem que o resultado não é lícito e decorre das relações permissivas que os milionários petistas estabelecem entre as empresas privadas e o setor público. O princípio de tudo é tomar o aparato público e de lá criar dificuldades para vender facilidades.

    . No artigo, fica demonstrando que trabalhando no ano passado o total de 165 dias para a sua consultoria (nos demais dias, ele desempenhou suas funções como deputado, em Brasília), Palocci faturou R$ 121 mil por dia.

  • 3 PESO PESADO // set 29, 2010 at 7:54 AM

    DESTAQUE DE CLAUDIO HUMBERTO HOJE:

    [O diretor dos Correio] pediu dinheiro para favorecer Dilma e Erenice
    Rubnei Quícoli, consultor, confirmando na PF o pedido de Marco Antonio de Oliveira.

  • 4 PESO PESADO // set 28, 2010 at 1:14 PM

    “Quando alguém mente, está roubando de alguém o direito de saber a verdade. Quando alguém trapaceia, está roubando o direito à justiça”. (Khaled Hosseini em The Kite Runner – O caçador de pipas. Tradução de Maria Helena Rouanet – Editora Nova Fronteira)

  • 5 PESO PESADO // set 28, 2010 at 1:11 PM

    “É possível enganar algumas pessoas todo o tempo; é também possível enganar todas as pessoas por algum tempo; o que não é possível é enganar todas as pessoas todo o tempo” (President Abraham Lincoln – February 12, 1809 – April 15, 1865)

  • 6 PESO PESADO // set 28, 2010 at 1:10 PM

    “A primeira vez que você vier a mentir e eu acreditar, a culpa será sua. A segunda, será minha” (Theodor Boehme)

  • 7 PESO PESADO // set 27, 2010 at 11:35 AM

    NOSSA Verdadeiro ,li uma revista diferente, a Isto é e agora colocam o candidato de Minas na berlinda, o Hélio Costa, XIII,pior que tem gente tirando foto com cara:

    ‘IstoÉ’ revela que ex-ministro de Lula
    é investigado por lavagem de dinheiro

    HELIO COSTA E MAIS SETE ESTÀO SOB INVESTIGAÇÃO.
    A revista IstoÉ desta semana publica reportagem de Hugo Marques revelando que documento em poder da Procuradoria-Geral da República aponta indícios de lavagem de dinheiro no caso do desvio de R$ 169 milhões da Telebrás, envolvendo o candidato do PMDB ao governo de Minas, Hélio Costa.

    O ex-ministro das Comunicações do governo Lula, segundo a revista, é investigado por causa de um acordo que, segundo a Advocacia-Geral da União, provocou um prejuízo de R$ 169 milhões na Telebrás, e agora é apontado como suspeito de participar de um esquema de lavagem de dinheiro. Os indícios que o comprometem estão em um relatório elaborado pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), órgão do Ministério da Fazenda, e entregue ao procurador-geral da República, Roberto Gurgel. Trata-se da resposta a uma consulta feita pelo procurador Marinus Marsicus. Ele está apurando o suposto desvio da Telebrás e pediu que o Coaf investigasse as movimentações financeiras do ex-ministro e de mais sete pessoas (uma jurídica) ligadas a ele: Ana Catarina Figueiredo Xavier Costa, mulher de Hélio Costa; Eugênio Alexandre Tollendal Costa, filho do ex-ministro; Jorge da Motta e Silva, ex-presidente da Telebrás; Manoel Elias Moreira, assessor da Telebrás; Uadji Moreira e Jaciara Menezes Moreira. O Coaf constatou a existência de indícios de lavagem de dinheiro nas movimentações financeiras realizadas por diversas pessoas listadas pelo procurador Marsicus.

  • 8 PESO PESADO // set 27, 2010 at 9:56 AM

    OLHA A CENSURA AÍ GENTE…

    Juiz do TO censura jornal “Estadão” em caso de corrupção que cita governador aliado de Dilma

    O desembargador Liberato Póvoa, do Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE-TO), decretou censura ao Estado e a outros 83 veículos de imprensa, proibindo-os liminarmente de divulgar qualquer informação a respeito de investigação do Ministério Público de São Paulo que cita o governador Carlos Gaguim (PMDB) como integrante de organização criminosa para fraudes em licitações.

    . A mordaça, em 9 páginas, foi imposta sexta-feira e acolhe pedido em ação de investigação judicial eleitoral da coligação Força do Povo, formada por 11 partidos, inclusive o PT, que apoia Gaguim. Na campanha pela reeleição, Gaguim tem recebido no palanque a companhia do presidente Lula e da candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff.

  • 9 Verdadeiro // set 27, 2010 at 7:25 AM

    Pelo visto o Peso Pesado não leu nada…
    eu ainda querendo discutir coisa séria com gente alienada, quanta ingenuidade.

  • 10 IN OFF // set 26, 2010 at 9:48 PM

    Tão jogando pesado!!!!!
    Como disse o profeta!!!
    Mais vale um peito na mão do que dois no sutien!!
    Eu hein!!!

  • 11 PESO PESADO // set 26, 2010 at 9:26 PM

    Deu no noblat:
    Dilma vaiada no Cine Leblon

    Sessão das 21h do filme Wall Street 2, ontem, no Cine Leblon, Rio de Janeiro. Lotação esgotada.

    Em um noticioso, exibido antes do filme, aparece Dilma.

    Ouve-se então uma vaia estrondosa.

  • 12 PESO PESADO // set 26, 2010 at 8:05 PM

    Os palhaços somos nós.

    Tiririca, com um milhão de votos, vai eleger no mínimo mais três deputados federais pelo PR de São Paulo. No pacote Tiririca vem Agnaldo Timóteo, Juca Chaves e, acreditem, Valdemar Costa Neto, mais um réu do Mensalão que, depois de renunciar em 2005, vai reconquistar a sua vaga. Esta turma, junto com Netinho de Paula, o espancador notório e contumaz de mulheres, vai transformar o Congresso Nacional em casa de espetáculos. Melhor seria cobrir logo com uma lona, para virar circo.

  • 13 PESO PESADO // set 26, 2010 at 1:21 PM

    A posse do poder corrompe inevitavelmente a razão.
    Emmanuel Kant

  • 14 PESO PESADO // set 25, 2010 at 5:42 PM

    Depósito bancário comprova propina de R$ 120 mil para filho de Erenice

    Por Leandro Colon, no Estadão:

    Documentos bancários em poder da Polícia Federal, obtidos ontem pelo Estado, confirmam que o filho da ex-ministra Erenice Guerra recebeu propina de R$ 120 mil seis dias depois de a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) conceder permissão de voo à Master Top Linhas Aéreas (MTA).

    Os papéis mostram ainda que Israel Guerra e seus sócios tentaram cobrar propina numa negociação para que a Infraero reduzisse, em fevereiro deste ano, uma multa de R$ 723 mil imposta à MTA por deixar um avião parado na pista por mais de 30 dias. O valor da propina, nesse caso, era de R$ 50 mil. A polícia recebeu a documentação quinta-feira das mãos do empresário Fábio Baracat, que representava a MTA em Brasília.
    Pela primeira vez, documentos bancários comprovam o pagamento do lobby feito na Casa Civil. O escândalo derrubou Erenice Guerra da chefia da pasta.

    O Estado teve acesso à integra das 16 páginas do depoimento prestado por Baracat e aos documentos que ele entregou à PF. O empresário disse que, num encontro com Erenice, em março deste ano, ela não cobrou o pagamento dos serviços prestados pelo filho, mas deu um “conselho” aos “presentes”: “Erenice Guerra disse aos presentes que todos os compromissos assumidos, sejam políticos, pessoais ou profissionais, devem ser cumpridos”.

    Véspera de Natal
    Um comprovante bancário mostra que, às 9h17 de 24 de dezembro de 2009, Baracat fez uma transferência eletrônica de sua conta bancária, no valor de R$ 120 mil, para a conta da Capital Assessoria, empresa de Israel Guerra e de Vinicius Castro, então assessor da Casa Civil. O pagamento foi feito seis dias depois de a Anac revogar, numa decisão emergencial, a punição que proibia a MTA de operar por falta de documentos.

    E-mails entregues à PF mostram que a MTA foi orientada pelos lobistas a procurar a direção da Anac, incluindo a sua presidente, Solange Vieira. Ela já negou qualquer irregularidade no episódio. Segundo a Anac, a MTA apresentou a documentação necessária para reverter a punição.

    Segundo Baracat, dos R$ 120 mil depositados na véspera de Natal, R$ 100 mil foram pelo lobby na Anac. O restante era a mensalidade que pagava aos lobistas do Palácio do Planalto desde outubro. O empresário contou que, no total, foram pagos, entre outubro e março, R$ 220 mil para a Capital – R$ 100 mil referentes ao episódio da Anac e R$ 120 mil divididos em seis parcelas mensais para as consultorias.

    Os pagamentos eram feitos em dinheiro vivo e entregues em hotéis, ou na conta corrente da empresa e de Vinicius Castro. Baracat entregou à PF, além dos comprovantes de transferência, os recibos emitidos em março em nome da Capital Assessoria, com valores correspondentes a possíveis pagamentos anteriores. O empresário anexou também procurações e e-mails internos confirmando que representava os interesses da MTA, desmentindo a versão da empresa de que ele não tinha ligações profissionais com ela.

    Os documentos revelam que, em fevereiro, a Capital se ofereceu para ajudar a MTA a sanear multa imposta pela Infraero por deixar um avião na pista por mais de 30 dias. Segundo o empresário, no mesmo mês a empresa “fez um pedido de isenção e encaminhou para o depoente. Que, em decorrência do serviço prestado pela Capital Assessoria houve a redução de aproximadamente 30% da multa que seria cobrada pela Infraero e o parcelamento da mesma”. A multa de R$ 723 mil foi reduzida para R$ 121 mil.

    Ele afirma que o filho de Erenice e seus sócios cobraram R$ 50 mil pelo serviço “extra”.

  • 15 IN OFF // set 25, 2010 at 5:41 PM

    Nada a comentar!!!! Só duas palavras!!!
    Eu hein!!!

  • 16 PESO PESADO // set 25, 2010 at 10:25 AM

    DEPOIS DE TANTA LAMA,VAMOS RIR UM POUCO(RSSS)

    Rir ainda faz bem…

    A Patroa e o Mordomo!

    Patroa para o mordomo:

    Almeida, tire meu vestido…

    Ele obedeceu e, com suas mãos tremulas, colocou o vestido cuidadosamente sobre a cadeira.

    -Almeida, agora tire minhas meias e minha cinta-liga!

    ~Mais uma vez, ele obedeceu sem nada dizer.

    – Agora, Almeida, eu quero que você tire meu sutiã e minha calcinha!

    Olhar cabisbaixo, Almeida obedeceu.

    – Almeida! Se eu pegar você mais uma vez usando minhas roupas, não deixo mais você ir ao jogo do Vasco…

  • 17 PESO PESADO // set 25, 2010 at 1:03 AM

    OAB defende a liberdade de imprensa contra a ofensiva do PT, Lula e Dilma.

    Do G1:

    O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante, alertou em discurso na noite desta quinta-feira (23), no Rio de Janeiro, sobre os riscos correntes à liberdade de imprensa no Brasil. Durante evento de abertura do Colégio de Presidentes de Seccionais da OAB, Cavalcante demonstrou-se preocupado com a visão do governo sobre o papel dos meios de comunicação e dos profissionais que neles trabalham. “Ataques à liberdade de imprensa são verberados, perigosamente, dentro do próprio governo, da figura do presidente da República, como se de repente jornalistas e formadores de opinião tomassem parte de uma conspiração eleitoral”, afirmou. “[Os ataques] são, na verdade, um atentado ao estado de direito na medida em que a liberdade de imprensa é um bem fundamental à cidadania desse país e à democracia. Eu tenho certeza que mais do que isso, o mais importante é privilegiarmos e fortalecermos as instituições. Elas são muito maiores que os homens, sejam eles presidentes sejam eles de quaisquer condição social”, continuou. “A liberdade de imprensa é uma instituição da República, é um direito constitucional inegociável. Não será o ataque de uma autoridade ou de quem quer que seja que vai jogar por terra esse direito tão dificilmente conquistado”, afirmou. Ainda no discurso, o presidente da OAB lembrou os recentes “escândalos”, como “casos de quebra de sigilo fiscal e financeiro com envolvimento de agentes públicos”, assim como “denúncias sobre a existência de tráfico de influência e corrupção na esfera do poder, resultando no afastamento de uma ministra de Estado e na prisão de mais um governador”, em referência à queda da ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, e à prisão do governador do Amapá, Waldez Goez. “Por fim, acredito ser este o momento propício para diante de tãos maus exemplos advindos do sistema eleitoral partidário, rediscutir o nosso processo eleitoral interno, não deixando ser contaminados por práticas condenáveis e toda sorte de abusos”, completou.

  • 18 Verdadeiro // set 24, 2010 at 2:19 PM

    Apesar de grande parte do povo não ler e não se atentar para a discutir todo esse processo, valeu por ter publicado o texto

  • 19 PESO PESADO // set 24, 2010 at 1:17 PM

    Uma família que trabalha unida – Namorada de filho de Erenice também tem cargo no governo

    Por Felipe Coutinho e Andreza Matais, na Folha:

    A namorada de um dos filhos de Erenice Guerra, ex-ministra da Casa Civil, também conseguiu emprego no governo federal. Trata-se de Priscila Loreta Vaz Silva, namorada de Saulo Guerra, filho de Erenice e sócio da firma de lobby Capital Consultoria, envolvida no caso que provocou a saída da ministra do governo.

    Priscila foi nomeada em novembro de 2009, após começar a namorar Saulo, e ganha R$ 3.000 do Ministério da Aquicultura e Pesca para fazer “serviços administrativos diversos”. É o quinto caso conhecido de parentes e pessoas próximas a familiares de Erenice no governo. A Folha já revelou que três irmãos e um filho dela também ocuparam cargos sem concurso público.

    Antonio Eudacy Alves Carvalho foi da Infraero e da CGU (Controladoria-Geral da União); Maria Euriza, do Ministério do Planejamento e da EPE (Empresa Pública de Energia) e José Euricélio, do Ministério das Cidades. Israel, filho de Erenice, foi da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Erenice também empregou a filha do presidente dos Correios, David de Matos, no gabinete. Ela se demitiu anteontem. Um irmão de Erenice foi empregado por David quando ele era dirigente numa empresa pública do DF.

    BANCO DE CURRÍCULOS
    O ministério nega influência política na contratação de Priscila. Diz que mantinha um banco de currículos e que ela foi contratada por “qualificações técnicas”. Até junho de 2009, a pasta era subordinada à Casa Civil.

    Priscila negou ter relacionamento com Saulo. Questionada sobre quem a indicou para o cargo, ela desligou o telefone e não atendeu mais à reportagem. No Orkut, porém, ambos se identificam como casados. Após ser procurada pela Folha, ela apagou seu perfil e uma foto em seu blog onde se podia ler: “vida de casado é…”.

    Saulo não foi encontrado pela Folha para comentar sobre o assunto.

  • 20 Verdadeiro // set 23, 2010 at 8:48 AM

    Madeira, estou copiando e colando esse texto devido ao momento histórico e de suma importancia que vivemos no que se refere a informação, vai aí o texto.

    Miguel do Rosário: A última luta contra a ditadura

    por Miguel do Rosário, no Óleo do Diabo

    A julgar pelos editoriais, a imprensa brasileira se acha uma vítima trêmula e indefesa, pronta para ser devorada pelo bicho papão totalitário. Claro que há o constrangimento de ter apoiado a ditadura, contra o mesmo bicho papão, mas se ele (o papão) não existia antes e mesmo assim justificou-se um golpe de Estado, não é tão difícil inventar novamente o mesmo inimigo; dessa vez não exatamente para dar um golpe, mas algo mais fácil, como queimar um candidato e eleger outro. Considerando que esses jornais transformaram-se em poderosos conglomerados econômicos à sombra do regime militar, pode-se especular que nossa batalha contra os desmandos desses grupos consiste na última luta dos brasileiros contra o fascismo que pendurou nossa liberdade e nossas esperanças, por vinte longos anos, num pau de arara.

    Como empresas privadas, os jornais têm liberdade para defender ou atacar seja quem for, mas a Constituição ficaria grata se evitassem desrespeitar o direito dos indivíduos à honra e à privacidade e, sobretudo, se se esforçassem em conter seus ódios pessoais e tratassem as instituições democráticas e seus representantes com um mínimo de decoro e respeito. Não pedimos isenção. Ao contrário, pedimos honestidade em declarar sua preferência partidária, como fazem os jornais norte-americanos, o que ajudaria os leitores a separar notícia de opinião e entender melhor o que estão lendo.

    Conhecemos a imprensa de outros países e francamente não observamos em lugar nenhum do mundo (com exceção dos EUA, onde imprensa deixa bem claro de que lado está) um engajamento partidário tão enlouquecido e agressivo como vemos no Brasil.

    A imprensa de fato tornou-se um quarto poder, mas à diferença dos outros poderes, goza de uma liberdade quase selvagem. Pode incentivar as pessoas a tomarem remédios que não precisam, espalhar informações falsas sobre partidos, destruir a reputação de inocentes, pressionar juízes a emitir ordens de prisão (ou de habeas corpus), desestabilizar governos… E quando setores da sociedade, como as associações de medicina, por exemplo, iniciam debates para criar leis que regulamentem o uso de informações sobre saúde, os grupos de mídia não apenas se recusam a dialogar como lançam pesadas acusações contra os que desejam o debate. Eles se pretendem intocáveis. A liberdade de imprensa converte-se, portanto, em objeto de luxo de uso exclusivo de meia dúzia de proprietários de jornais e tv.

    Não temos ilusão quanto aos defeitos de nossa classe política e seus representantes, mas também não nos iludimos quanto à perseguição seletiva praticada por uma imprensa desde sempre identificada com ideais conservadores – e portanto com os partidos afinados com esses ideais.

    Protestamos, em suma, contra hábitos sinistros que estão se arraigando em nossa imprensa, como fazer acusações sem provas e prejulgar pessoas e instituições de maneira açodada, desrespeitando o princípio da presunção da inocência. Com seu poder, a mídia consegue intimidar inclusive juízes, produzindo outra aberração contra a democracia, que é obstruir o direito de todo cidadão ou empresa de ter um julgamento isento e livre, longe das paixões políticas.

    Protestamos, principalmente, contra a tentativa de interferir no processo eleitoral, através da criação de factóides que vão parar diretamente, às vezes no mesmo dia, na página de alguns candidatos. Denúncias devem ser feitas, claro, mas embasadas num mínimo de provas e fundamentos lógicos. Os escândalos que pipocam não nascem da intenção louvável de aprimorar o funcionamento da máquina pública, e sim do desejo mal disfarçado de produzir estragos políticos no adversário da vez.

    Enfim, quando vemos a mídia engajada em campanhas partidárias, e ainda lançando suspeitas de que há forças querendo censurá-la ou silenciá-la (o que é mentira); e, para culminar, participando de seminários no Clube Militar, como o que deverá acontecer dia 23 de setembro deste ano, intitulado “Democracia Ameaçada”, muitos cidadãos começam a se questionar, preocupados, se haveria alguém imaginando um golpe, seja um violento, com uso de armas, seja um “pacífico”, como fizeram em Honduras no ano passado, onde o presidente eleito, após decisão do Supremo Tribunal Federal (convertido assim num poder quase monárquico, acima da soberania popular), foi preso pelo exército e conduzido para fora do país. Todos, incluindo o golpe contra Chávez, em 2002, tem algo em comum: a cumplicidade entre oposição conservadora e corporações midiáticas.

    Falamos apenas dos jornais. Quanto à mídia televisiva, os fatos são muito mais graves, porque são concessionárias de serviço público, e há leis que proibem a veiculação de material entendido como propaganda partidária.

    Quando chamamos a imprensa de golpista, portanto, referimo-nos não só a seu papel fundamental na preparação do golpe de 64 e na consolidação política do regime militar, como também no esforço constante, até hoje, para derrubar ou eleger governantes a partir de artifícios nada éticos de manipulação da notícia.

    Reiteramos nosso apreço pela liberdade de imprensa e de expressão, mas observamos que estas liberdades não são direitos exclusivos dos donos de jornal: elas também valem para o leitor, que não deve ser enganado; e para o jornalista, que deve ter direito a trabalhar sem se submeter aos caprichos ideológicos do patrão.

    Por fim, convidamos a todos a se libertarem do vício triste de pensar com a cabeça alheia, e a conhecerem a blogosfera política, onde se trata a informação com muito mais profundidade: ela é verificada, checada, conferida novamente, revirada de todos os lados, discutida, rechaçada, e de novo aceita; e onde, principalmente, respeita-se a inteligência do leitor e procura-se fazer com que ele a use efetivamente, pensando politicamente por si mesmo.

    Somos os representantes da edição fluminense de uma articulação nacional, os Blogueiros Progressistas, ou seja, de esquerda, e nossa luta mais importante, nas últimas semanas, tem sido desmontar as manipulações midiáticas que visam confundir e influenciar o eleitorado, deturpando a vontade popular.

    Data: 23 de setembro, 19 horas

    Local: Auditório do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo

    (Rua Rego Freitas, 530, próximo ao Metrô República, centro da capital paulista).

    Presenças confirmadas de dirigentes do PT, PCdoB, PSB, PDT, de representantes da CUT, FS, CTB, CGTB, MST e UNE e de blogueiros progressistas.

    Vamos dar continuidade na evolução do processo Democrático, vamos discutir divergir e buscar o caminho que não seja simplesmente pautado por conglomerados de enorme interesse econômico em fabricações de notícias.

  • 21 Verdadeiro // set 23, 2010 at 7:33 AM

    Peso Pesado, não seja tão alienado meu filho, esse manifesto é engodo, pior que o movimento Cansei.
    Falar que a democracia está ameaçada pelo fato do presidente da república criticar algumas empresas de notícias é brincadeira.
    O governo Lula enfrenta a oito anos todo tipo de factóide criado por esses jornais e revistas, eles inventam notícias, acusam ser ter provas, criticam sistematicamente o governo e quando o governo decide critica-los eles vem com essa de ameaça de autoritarismo??? por acaso esse grupo está acima de todos? pois ninguém pode critica-los.
    A Democracia está a cada dia que passa mais forte, e é isso que essas empresas detestam no governo Lula, pois ditadura é o que eles impuseram por anos para o povo brasileiro.
    Viva a liberdade!
    Abaixo a imprensa inescrupulosa!

  • 22 PESO PESADO // set 23, 2010 at 12:37 AM

    Candidatos esquecidos criticam
    o governo Lula durante debate

    Os candidatos à Presidência Rui Costa Pimenta (PCO), Ivan Pinheiro (PCB) e Zé Maria (PSTU) criticaram, ontem (21), durante evento intitulado Debate dos Presidenciáveis de Esquerda o governo do presidente Lula, o evento foi realizado em São Paulo pelo jornal “Brasil de Fato”. Dilma Rousseff (PT), Marina Silva (PV) e Plínio Arruda Sampaio (PSOL) também foram convidados, mas não compareceram, justificando a ausência por problemas de agenda. Na ocasião, Zé Maria afirmou que o governo de Lula teve resultados inferiores na reforma agrária em relação à administração anterior, de Fernando Henrique. “Lula conseguiu assentar menos trabalhadores do que FHC. Isso depois de ele prometer fazer a reforma agrária com uma canetada”. Ao comentar o assunto, Pimenta disse que Lula “isolou movimentos rurais que não estão ligados ao governo”, o que contribuiu para aproximar latifundiários da sua base eleitoral. Ivan Pinheiro criticou a política externa do governo atual, ao afirmar que Lula pretende “fazer do Brasil uma grande potência capitalista nos marcos do imperialismo”.

  • 23 PESO PESADO // set 22, 2010 at 7:00 PM

    Manifesto em Defesa da Democracia (Endereço)

    Colaborando com quem está despertando os brasileiros deste sono letárgico em que estávamos, eis o endereço para assinar o manifesto

    http://manifestoemdefesadademocracia.wordpress.com/

    e VIva o Brasil brasileiro!

  • 24 ESTRANHO NO NINHO // set 22, 2010 at 3:43 PM

    Discutir CORRUPÇÃO PETISTA é chover no molhado…
    Onde existir PT, existirá corrupção. É a única certeza que temos hoje neste país…

  • 25 PESO PESADO // set 22, 2010 at 12:38 PM

    AMIGOS DO BLOG, PROTESTEM ATRAVÉS DO E-MEIO ABAIXO:

    [email protected]

    “Brasileiros erguem sua voz em defesa da Constituição, das instituições e da legalidade.

    “Não precisamos de soberanos com pretensões paternas, mas de democratas convictos.”

    Juntem-se as pessoas mais esclarecidos,como Helio Bicudo, Ferreira Gullar, José Arthur Gianotti, Leôncio Corrêa e muitas outras pessoas preocupadas com o rumo que está sendo dado ao nosso Brasil. Haverá uma manifestação no Largo de S. Francisco, São Paulo. Como não estou lá, assinarei por e-mail.

  • 26 PESO PESADO // set 22, 2010 at 12:30 PM

    Personalidades lançam manifesto em defesa da democracia

    Entre os que já assinaram o documento estão Hélio Bicudo, Carlos Velloso, José Arthur Gianotti, Ferreira Gullar e Carlos Vereza

    Estadão.com

    Num momento em que o governo do presidente Lula se dedica a investidas quase diárias contra a liberdade de informação e de expressão e critica a imprensa por divulgar notícias sobre irregularidades na Casa Civil, um grupo de personalidades de diferentes setores – entre eles juristas, intelectuais e artistas – decidiu lançar um “Manifesto em Defesa da Democracia”, cuja meta é “brecar a marcha para o autoritarismo”.

    O ato público será realizado nesta quarta-feira, 22, ao meio dia, na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, em São Paulo.

    Entre seus signatários estão o jurista Hélio Bicudo, o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal Carlos Velloso, os cientistas políticos Leôncio Martins Rodrigues, José Arthur Gianotti, José Álvaro Moisés e Lourdes Sola,o poeta Ferreira Gullar, d. Paulo Evaristo Arns, os historiadores Marco Antonio Villa e Bóris Fausto, o embaixador Celso Lafer, os atores Carlos Vereza e Mauro Mendonça e a atriz Rosamaria Murtinho.

    “Em uma democracia, nenhum dos poderes é soberano”, diz o manifesto em sua abertura. Nos seus 14 parágrafos, ele aponta desvios e abusos do governo federal.

    “Hoje, no Brasil”, diz o texto, “os inconformados com a democracia representativa se organizam para solapar o regime democrático.”

    Mais adiante, considera “inconcebível” que “uma das mais importantes democracias do mundo seja assombrada por uma forma de autoritarismo hipócrita”.

    O historiador Marco Antônio Villa, da Universidade Federal de São Carlos e um dos signatários do manifesto, decidiu aderir porque vê nos recentes atos do governo “uma ameaça concreta” à democracia no País.

    “É uma preocupação geral com o que está ocorrendo no País, e hoje (ontem) o Lula mais uma vez reforçou”, disse, em referência às críticas do presidente à imprensa, feitas em viagem ao Tocantins. “O manifesto é uma síntese dessas preocupações.”

    Caso um eventual governo Dilma consiga eleger três quintos do Congresso, advertiu, “eles conseguirão fazer mudanças constitucionais a seu bel-prazer. E se você tiver uma parte da legislatura formada por ‘Tiriricas’, corremos sério risco. Nada melhor para um Executivo autoritário do que um Legislativo desmoralizado”.

    Para Villa, “é preciso de um grito de alerta”. Ele acredita que “há muitas pessoas que comungam dessa preocupação” e que o manifesto funcionará como forma de agregá-las. “Não se pode achar que ataques, ameaças e agressão fazem parte da política”, diz.

    O cientista político Leôncio Martins Rodrigues, que também subscreveu o documento, avalia que as ameaças à democracia têm origem na postura do presidente, opinião também manifestada por José Arthur Gianotti.

    “Lula não pode misturar as funções de homem de Estado e líder partidário. Ele também é meu presidente, independentemente do meu partido”, afirma Gianotti.

  • 27 PESO PESADO // set 22, 2010 at 12:27 PM

    E TEM MAIS DA TURMA DO PT:
    Deu em O Estado de S. Paulo
    ‘TV Lula’ contrata empresa que emprega filho de Franklin

    Leandro Colon

    A Empresa Brasil de Comunicação (EBC), do governo federal, contratou por R$ 6,2 milhões uma empresa que emprega o filho do ministro da Comunicação Social, Franklin Martins, presidente do Conselho de Administração da estatal, conhecida como “TV Lula”.

    A Tecnet Comércio e Serviços Ltda. venceu, no penúltimo dia de 2009, a concorrência para cuidar do sistema de arquivos digitais da EBC, um dos grandes projetos do governo.

    E-mails da própria EBC obtidos pelo Estado mostram que o ministro Franklin Martins pediu “prioridade zero” para o assunto, embora pareceres feitos em dezembro alertassem quanto à falta de recursos orçamentários para o projeto.

    A EBC é a única emissora de televisão brasileira cliente da Tecnet na área digital. A empresa é o braço operacional do grupo que dirige a RedeTV!

    O jornalista Cláudio Martins, filho do ministro Franklin, trabalha na Tecnet há pelo menos dois anos como representante comercial, segundo a própria direção da empresa. De acordo com o comando da Tecnet, ele é o responsável pelos negócios de software e tecnologia da empresa no exterior e com as afiliadas do grupo. Cláudio acaba de chegar do Chile e da Argentina, onde foi apresentar serviços da Tecnet.

    A licitação vencida na EBC foi realizada às pressas em 30 de dezembro passado. No dia seguinte, o governo emitiu a nota de empenho (compromisso de pagamento) para a empresa.

    Segundo a direção da EBC, o trabalho da Tecnet está em fase de execução em São Paulo e, em breve, deve atingir Rio de Janeiro e Brasília.

    O sistema da Tecnet cuidará da gestão dos arquivos digitais novos e futuros da empresa do governo. Além desse contrato, a Tecnet tem outros dois com a Caixa Econômica Federal, no valor de R$ 5,4 milhões, para prestar serviços de telemarketing.

    A EBC foi criada em outubro de 2007 como um grande projeto do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para criar uma TV Pública. O ministro Franklin Martins é quem comanda o setor.

    A relação entre EBC e a Tecnet desperta a atenção não só pelo fato de o filho do ministro trabalhar na empresa contratada pela pasta comandada pelo pai. O processo de concorrência é nebuloso.

    Um empresário do mercado admitiu anteontem, em conversa gravada com o Estado, que deu orientação à comissão de licitação sobre como elaborar o edital de contratação. E, apesar disso, sua empresa participou da concorrência, tendo sido a única adversária da Tecnet na disputa.

    Os papéis mostram, ainda, que não havia recursos disponíveis. “Não há disponibilidade orçamentária para atender à despesa em questão”, diz relatório, de11 de dezembro, da coordenadora de licitações Maria Cristina Brandão Santos. Ainda assim, a EBC fez um pregão presencial às pressas, 19 dias depois.

    Essa correria talvez se explique pela decisão de Franklin de dar “prioridade zero” a esse contrato e a um outro da área, segundo e-mails trocados entre funcionários da licitação da EBC. Num e-mail enviado a cinco funcionários em novembro, o gerente da comissão de licitação, Francisco Lima Filho, pede agilidade no caso.

    “Tendo em vista o compromisso firmado entre Collar e o ministro Franklin Martins sobre o assunto, Wellington conduz as pesquisas e Cristina toca os editais”, disse.

    Collar é Ricardo Almeida Collar, ordenador de despesas da EBC. Foi ele quem assinou, a 11 de dezembro, a autorização para o pregão presencial. Assim, as concorrências foram feitas no apagar das luzes de 2009, a tempo de garantir a liberação dos recursos em 2010.

    O empresário Fábio Tsuzuki, que dirige a Media Portal, contou ao Estado que contribuiu para a elaboração do edital, o que quebra o caráter de impessoalidade da licitação. Ele menciona, como interlocutor, o gerente-executivo de Tecnologia da estatal, Gerson Barrey.

    A EBC pôs no papel uma estimativa de R$ 16 milhões num processo que contou com a participação de duas empresas. A Tecnet jogou os preços para baixo e fechou um contrato de R$ 6,2 milhões.

    Em nota, a EBC negou irregularidades e disse que “adaptou” o projeto entregue pela empresa onde trabalha o filho de Franklin. “O sistema MAM-TECNET foi adaptado às necessidades da EBC, já foi apresentado aos responsáveis técnicos e já foi por eles aprovado”, disse a direção da estatal.

    O empresário da Media Portal disse que orientou servidores da EBC a buscarem no site da empresa requisitos técnicos da disputa. Alertou que não fossem citados nomes específicos de “produtos”, mas apenas de funções, da concorrência pública.

    “Se você coloca nome de produto, fica muito direcionado”, disse. “De certa forma a gente ajudou validando a descrição das funções (do sistema). A gente disse que eles poderiam usar nossa descrição. Se você olhar, vai ver que é igual ao edital”, disse. “A gente foi prejudicado porque achou que iria ganhar e não ganhou. De certa forma poderia dizer que estava direcionado (para a Media Portal), mas não fomos beneficiados.”

    Tsuzuki disse não ter condições de afirmar que a Tecnet foi favorecida pelo governo.

  • 28 Carlos // set 22, 2010 at 8:51 AM

    É Casa Civil, ou Casa Covil!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • 29 Maricota. // set 22, 2010 at 4:37 AM

    Acho que não passa de mais um “eu nãovi.não sei.Vai dar em pizza de novo. Aliás o brasileiro parece estar viciado em comer pizzas.
    Acho que para mostrar uma responsabilidade pelo cargo que esta disputando a senhora Dilma devia ser chamada a explicar sobre a sua indicação da tão amiga ao cargo que a ela pertencia,o mais rapido possivel e antes das eleições para que o brasileiro conheça quem e a verdadeira Dilma.Só que como o governo esta gastando o nosso dindim a vontade já está começando a colocar os ingredientes da pizza para ela ir ao forno. Só vão sobrar os caroços das azeitonas ,que são os funcionarios que vão ter que triturar com os dentes, porque no fim de tudo eles vão ser os condenados.Os grandes fazem coação aos menores que ficam com a culpa. Lula, Dilma e turma ficam no Não sei, Não vi, Não tenho culpa e não acontece nada, O Brasil é o pais da impunidade.
    Quanto a dizer que as noticias sao inventadas pela imprensa, acho que quem diz isso, é porque também deve ter o seu rabinho preso em alguma coisa com esta cambada.Ou é pago para defender um crime que está na cara que é verdadeiro.
    Que vergonha sinto dos meus filhos e futuros netos do que eles vão ter na historia do Brasil para aprenderem. Apenas ,corrupção, Corrupção Corrupção.Grande exemplo ….Eles estão presenciando.
    Que Deus tenha pena do nosso País.
    Quanto a imprensa lá fora elogia sim, porque não passa de materia paga com o nosso dinheiro suado.
    Estamos ricos mandamos dinheiro para a Grécia, Haiti, emprestamos para a Bolivia, que nos deu uma banana de volta,hospedamos uma cambada de pessoas em Honduras comendo e bebendo do melhor as custas dos nosso suados dinheiros pagos em impostos.fomos fazer gracinha no Irã colocando o nosso pacato país em perigo com o resto dos outros países.
    Enquanto isso nossos irmãos nordestinos que tiveram suas cidades destruidas passam fome porque como disse uma moradora ,com as eleições a comida não tem chegado até nós.
    vomo dormir com estas atitudes do atual e futuro governo?
    Pena não termos nenhum brasileiro que tenha coragem de tomar a frente do povo para exigirmos mais respeito, menos corrupção e maisw clareza nos acontecimentos por elels acobertados.

  • 30 PESO PESADO // set 21, 2010 at 11:59 PM

    E tem mais, do site Videversus de Porto Alegre:

    Filho da petista Ideli Salvati também teve benefícios em empresa pública dirigida pelo próprio pai .

    As relações que envolvem a senadora Ideli Salvatti (PT-SC) com a Newfield Consulting mantêm mais um ingrediente familiar. O filho da senadora, Filipe Mescolotto, também prestou consultoria para a Eletrosul. A estatal federal é presidida pelo pai de Filipe, Eurides Mescolotto, ex-marido de Ideli. Filipe foi contratado pela própria mulher, Maria Solange Fonseca, que coordenou consultoria de gestão ministrada pela Newfield na Eletrosul. A mesma empresa realizou um curso, do qual participaram Ideli e o assessor Paulo André Argenta.

    O curso foi realizado na Argentina, na Espanha e no México, e custou R$ 70 mil pagos pelo Senado Federal. A participação de Filipe Salvatti Mescolottto na consultoria de planejamento e gestão dentro da Eletrosul foi confirmada pelo gerente de Assessoria de Comunicação Social e Marketing da estatal, Sadi Faustino. Segundo ele, Maria Solange teria apresentado o marido em substituição a outra consultora já no primeiro dia de curso. “Era a Solange e outra menina, mas parece que a menina teve um problema e o aí o Filipe atuou em alguma das etapas”, afirmou Faustino. Ministrado em três etapas, o curso ocorreu nos hotéis Mercure, no Itacorubi; Quinta da Bica d’Água, na Serrinha, e Castelmar, no Centro. Cada etapa tinha dois dias. Ao todo, entre 10 e 15 pessoas participaram das atividades, baseadas em planos de ação que deveriam ser executados pelos participantes do curso. A prestação de serviço custou à Eletrosul o valor R$ 39,8 mil. A Newfield “venceu” um processo licitatório por carta-convite. O diretor da Newfield no Brasil, Luiz Sérgio Gomes da Silva, afirmou desconhecer a contratação de Filipe e não soube informar o valor da remuneração paga ao consultor. Ex-funcionário do Palácio do Planalto nos primeiros anos do governo Lula e ex-assessor da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Gomes disse que conheceu Maria Solange em Brasília e que ela, como coordenadora da consultoria, tinha autonomia para fazer contratações. Gomes e Maria Solange se conheceram no Palácio do Planalto, no período em que ela era responsável pela elaboração da agenda do presidente Lula. Maria Solange saiu do governo em 2007, quando passou a trabalhar na consultoria, em Florianópolis.

  • 31 Roque // set 21, 2010 at 11:13 PM

    Não sou partidario. Acho engraçado , pois um simples comentario que enviei nao foi postado alegando estar fora das regras de periodo eleitoral. E estes ai acima nao estao não? Totalmente partidarios….estao dentro das normas?

  • 32 Tatu-pe // set 21, 2010 at 9:18 PM

    O Brasil já está cansado de tanto escandalo.Todo o dia aparece no noticiario um novo. Agora, o pior e muitissimo perigoso para o pais é constatar tanto escandalos e fraudes não serem punidos rapidos e severamente.

  • 33 jorge marçal // set 21, 2010 at 7:35 PM

    Quando Antonio Silva, então prefeito de Varginha, achou que podia romper com a imprensa local naquele momento, porque estava mais do que claro que ele estava nas mãos dos tres jornais “diários” e das emissoras de rádio e caso não mantivesse o mensalão da imprensa, acabaria se dando mal, foi dito e feito. Derrubaram ele, MAS SÓ PORQUE SEU GOVERNO ERA FRACO MESMO!! Não tinha respaldo político nem economico e nem de coisa alguma. Tanto que deu no que deu!!
    A nivel de Brasília é a mesma coisa!!! Depois que LULA assumiu, DIMINUIU DRÁSTIAMENTE AS VERBAS DESSES JORNALÕES E GRANDE IMPRENSA, ai o governo “ficou ruim”. De repente começaram a aparecer “escandalos” como esses de hoje, onde ninguém prova nada, só faz barulho. E dizem que isso é liberdade de expressão!!!
    Ô PESO PESADO, vc não lê outros jornais e revistas não??? PQP!!!!

  • 34 Verdadeiro // set 21, 2010 at 4:54 PM

    a imprensa não tem que se preocupar com a liberdade, pois ela é direito adiquirido garantido em nossa Constituição e nem de longe sofre ameaça, o que os jornalistas tem de ficar atento é com calúnia difamação que configura CRIME, já passou da hora do judiciário começar a cobrar dos órgãos de imprensa a fonte e a veracidade desse festival de denuncias promovidos por alguns jornalistas.
    Somos uma democracia consolidada e é inadimissível que órgãos de imprensa que não são institucionalizados, não tem fé pública e muito menos são eleitos pelo POVO democraticamente aja como se fosse os donos da verdade, pra toda profissão e instituição existem leis que a regulam, só a imprensa pode fazer o que quer sem o mínimo de responsabilidade com o que de fato acontece em nosso país.
    Enquanto a imprensa francesa, espanhola etc elogia nosso país e nosso governo, a mídia nacional apenas repercurte e tenta criar fatos novos pra desmoralizar a candidata do Lula.

  • 35 KKKKKKKK // set 21, 2010 at 1:59 PM

    Quer dizer entaum que tudo eh mentira???
    A Dilma e sua turma tah mais do que enrolada..
    soh cego mesmo pra nao ver… ou VERDADEIRO demais…

  • 36 carlos augusto // set 21, 2010 at 1:48 PM

    Quanta Corrupção, Meu Deus onde vamos parar.

  • 37 PESO PESADO // set 21, 2010 at 12:35 PM

    Serra, Marina e Plínio vão ao debate no SBT Nordeste; Dilma foge.

    Os candidatos à Presidência da República José Serra (PSDB), Marina Silva (PV) e Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) participaram na noite desta segunda-feira, no Recife, de debate promovido por TVs afiliadas ao SBT no Nordeste do país. Dilma Rousseff (PT) citou problemas de agenda e não compareceu ao programa.

  • 38 PESO PESADO // set 21, 2010 at 12:34 PM

    E tem mais amigo verdadeiro, o Madeira está a perigo, olha o que o autoritarismo faz:
    Lula critica imprensa brasileira e Kirchner manda prender donos de jornais argentinos

    A Associação Nacional dos Jornais e a Ordem dos Advogados do Brasil reagiram aos ataques de Lula à imprensa. Em comício com Dilma Rousseff, ele disse que alguns veículos agem como partido e afirmou: “Nós somos a opinião pública.” Segundo a ANJ, o papel da imprensa é informar, e o presidente jamais criticou o trabalho jornalístico quando as críticas atingiam opositores. Para a OAB, Lula agiu de forma lamentável, influenciado pelo cenário eleitoral.

    Na Argentina, em mais um round na luta para controlar a imprensa, a presidente Cristina Kirchner entra hoje com pedido de prisão contra os diretores e acionistas dos jornais “Clarín” e “La Nación”.

  • 39 PESO PESADO // set 21, 2010 at 12:26 PM

    E tem mais amigo verdadeiro:

    Caso Erenice – Piloto confirma propina a Israel Guerra

    Jailton de Carvalho, O Globo

    O piloto de motovelocidade Luís Corsini confirmou a amigos que pagou propina a Israel Guerra, filho da ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra, para receber um patrocínio de R$ 200 mil da Eletrobras em 2008.

    A estatal era uma das áreas de maior influência da ex-ministra. Insistente e desinibido, Israel cobrou pagamento até numa conversa com Ana Veloso Corsini, irmã do piloto, no autódromo em Brasília.

    – Ele foi lá pressionar minha irmã porque o dinheiro saiu pingado. Demorou para sair a segunda parte. Ninguém aguentava o cara no vácuo da gente – disse Corsini a um amigo.

    Ana teria reagido à pressão e até acusou Israel de estar cometendo crime de extorsão. Mas as queixas de nada adiantaram. O lobista teria insistido até receber o dinheiro. Ana diz que foram pagos R$ 24 mil em espécie e R$ 16 mil em cheque.

    O patrocínio foi liberado em duas parcelas de R$ 100 mil. Uma em julho e a outra em agosto de 2008.

    Os pagamentos da propina eram feitos logo depois da liberação do dinheiro. Ana diz que Israel exigia o pagamento alegando que tinha compromissos pessoais.

    – Ele dizia : “Eu quero receber, se vira. Eu tenho que pagar os pedreiros” – afirmou Ana.

    Ela conta que o pedido de patrocínio estava encalacrado. Corsini teria até recebido uma carta com o aviso de que o projeto não teria sido aprovado.

    As negociações só deslancharam quando Israel, apresentado a Corsini por um amigo, decidiu encampar a proposta. A partir dali, o contrato teria sido aprovado em dez dias.

    – Me dá isso aqui que minha mãe e minha tia resolvem isso – teria dito Israel.

    A tia mencionada por ele seria a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, à época ministra da Casa Civil.

    A ex-ministra disse que desconhecia as atividades de Israel.

    Na tarde de sábado, a Eletrobras negou qualquer irregularidade no contrato com Corsini . Mas, nesta segunda-feira, decidiu desarquivar o processo para analisar as contas.

    O ministro do Esporte, Orlando Silva, disse ignorar a informação de que Israel Guerra cobrou R$ 40 mil para conseguir o patrocínio da Eletrobras para Corsini. Segundo o ministro, a denúncia será apurada.

    – Qualquer denúncia, vamos apurar com rigor e não há possibilidade de esse tipo de conduta para conquistar apoio para atleta, competição, clube, evento ou coisa que o valha.

  • 40 Verdadeiro // set 21, 2010 at 10:43 AM

    Como fica a liberdade de imprensa diante de mentiras?
    até onde vai essa rancorosa campanha Folha-O Globo-Veja com o intuito de eleger serra?
    Onde se encontra o liame entre legalidade/denuncismo barato?
    e por fim, o que faz um cidadão ser tão alienado como o peso pesado?

  • 41 PESO PESADO // set 21, 2010 at 10:27 AM

    Caso Erenice-Procurador vê indício de tráfico de influência

    O Globo

    O procurador do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Marinus Marsico, pedirá abertura de investigação nos contratos de compra do Tamiflu (medicamento contra a gripe suína), porque considera que as denúncias são graves e precisam ser apuradas.

    Marsico vê indícios de tráfico de influência. A investigação da denúncia feita pela revista “Veja” ficará a cargo da Polícia Federal e do TCU.

    – Pela sucessão de indícios, observamos que há realmente tráfico de influência. É difícil que cada fato desses seja apenas uma mera coincidência – afirmou o procurador ao “Jornal Nacional”, da TV Globo.

    Segundo a revista, funcionários da Casa Civil teriam recebido, em 2009, propina pelo contrato emergencial de compra do Tamiflu. Entre os funcionários, estaria Vinicius de Oliveira Castro, apontado como sócio de Israel Guerra, filho da ex-ministra Erenice Guerra.

    A denúncia, segundo a revista, partiu de Marco Antônio Oliveira, tio de Vinícius, e ex-diretor dos Correios, demitido do cargo por Erenice. A declaração de Marco Antônio foi gravada, de acordo com a revista.

    Neste sábado, os ministros José Gomes Temporão (Saúde) e Alexandre Padilha (Relações Institucionais) negaram qualquer irregularidade na compra do Tamiflu.

  • 42 PESO PESADO // set 21, 2010 at 10:26 AM

    Deu em O Globo
    Companheira Dilma, comissária Rousseff

    Elio Gaspari

    Segundo a superstição petista, Dilma Rousseff é uma executiva altamente qualificada. Que seja. Ela teve um loja de cacarecos panamenhos chamada “Pão e Circo”, no centro comercial Olaria, em Porto Alegre, mas a aventura durou 17 meses.

    Fora daí, seu currículo ficou na barra da saia da viúva. Nele, embutiu um doutorado pela Unicamp que nunca foi concluído, mas deixou de mencionar sua única, banal e pitoresca passagem pela atividade privada.

    Nomeada ministra de Minas e Energia, por Nosso Guia, assistiu ao loteamento de sua pasta e à ida do engenheiro Silas Rondeau para a presidência da Eletronorte.

    Qualificava-se com títulos da Universidade Sarney, onde teve como orientador o eletrizante empresário Fernando, filho do ex-presidente.

    Em 2004, a ministra fritou o presidente da Eletrobras, Luiz Pinguelli Rosa, engenheiro nuclear, doutor pela UFRJ, com passagens por sete universidades estrangeiras.

    Para o seu lugar, turbinou Rondeau, que acabou substituindo-a no ministério. Em maio de 2007, um assistente do doutor foi preso pela Operação Navalha. Acusado pela Polícia Federal de ter recebido R$ 100 mil de uma empreiteira, Rondeau deixou o cargo. Denunciado por gestão fraudulenta e corrupção passiva, ele se tornou o sétimo ministro de Nosso Guia apanhado pelo Ministério Público.

    Rondeau subiu na vida por conta da aliança política com José Sarney, Erenice foi para a Casa Civil com credenciais típicas do comissariado: a fidelidade ao aparelho petista e à comissária Rousseff. Juntas, deixaram as impressões digitais no episódio da montagem de um dossiê com as despesas de Fernando Henrique Cardoso no Alvorada.

    (Há dias, um cálculo da Rede Guerra de Trabalho e Emprego informava que, em 15 anos, Erenice, seus três irmãos e dois filhos passaram por pelo menos 14 cargos. Há mais: foram pelo menos 17, distribuídos pelos setores de urbanismo, educação, saúde, transportes, segurança, energia, planejamento e pela burocracia legislativa. Israel, filho da doutora, tinha uma boquinha na Terracap e José Euricélio, irmão dela, bicou na editora da Universidade de Brasília e estava na teta da Novacap.)

  • 43 PESO PESADO // set 21, 2010 at 10:25 AM

    Deu na Folha de S. Paulo
    Se arrependimento matasse…

    Renata Lo Prete

    A notícia de que o consultor Rubnei Quícoli ameaçou os envolvidos no esquema de tráfico de influência que derrubou Erenice Guerra da Casa Civil deixou Lula especialmente contrariado.

    Para o presidente, a opção por não denunciar a chantagem seria indicativa de que o filho de Erenice e seus parceiros teriam culpa no cartório.

    Em privado, Lula manifesta a opinião de que os familiares “comprometeram” Erenice. Diz ainda que, quando a história veio à tona, todos os atos dela foram no sentido de proteger o filho, Israel Guerra, e os demais envolvidos.

    Para completar, o presidente não esconde mais o arrependimento por ter cedido aos apelos de Dilma Rousseff e nomeado Erenice para substituí-la na Casa Civil. Se tivesse escolhido no final de março alguém da confiança dele, acha que nada disso teria acontecido.

  • 44 PESO PESADO // set 21, 2010 at 10:12 AM

    Deu em O Estado de S. Paulo
    Partido oculto

    Dora Kramer, O Estado de S.Paulo

    Consta que o PT e o Planalto ficaram desolados com a divulgação da palestra feita para uma plateia de petroleiros pelo ex-presidente do partido, deputado cassado, réu processado por corrupção e autoproclamado “camarada de armas” de Dilma Rousseff, José Dirceu.

    O secretário de Comunicação do PT, André Vargas, chegou a discorrer muito claramente sobre o espírito da coisa.

    “O aconselhável é que todos nós, eu, qualquer dirigente do PT, o José Dirceu, falemos pouco, falemos menos ou não falemos de jeito nenhum. Se queremos ajudar a campanha, todos nós temos de falar o menos possível”, disse Vargas.

    Uma campanha presidencial em que quanto menos falarem os que estão envolvidos nela, melhor? O natural seria exatamente o oposto. Durante a campanha mesmo é que se deve falar muito, os concorrentes precisam ser expostos, responder a tudo e a todos, fazer frente a cobranças de toda ordem, ter passado, presente e futuro muito bem esquadrinhados.

    A lei enunciada pelo secretário de Comunicação prega a ocultação. Em outras palavras, a manutenção do eleitor na ignorância a respeito das coisas como elas realmente são.

    Por essa norma não se pode repetir em público o que em particular dizem os petistas por todo lado, graduados ou soldados rasos.

    Justificam o engajamento na campanha de uma candidata imposta e antipatizada justamente em nome do “projeto” a que se referiu Dirceu naquela fala menos discutida do que merecia, por causa da queda da ministra da Casa Civil.

    O projeto está detalhado em documento aprovado pelo partido em fevereiro último e causador de constrangimento quando apresentado à Justiça Eleitoral como sendo o programa de governo de Dilma. A campanha reapresentou uma versão “light” provisória, prometendo uma definitiva nunca apresentada.

    O assunto morreu na imprensa e, depois, não valia a pena abrir uma guerra entre partidos aliados por causa do programa de governo nem seria produtivo dar destaque ao PMDB em demasia.

    Essas coisas devem ser escondidas, assim como deve ser ocultada a proximidade de José Dirceu, bem como a candidata é mantida atrás do biombo de Lula a fim de que a massa do eleitorado não tenha contato mais espontâneo e amiúde com ela.

    Por quê? Porque Dilma não segura a onda, Dirceu é malquisto pelo público, o PMDB é mal falado e o PT divide a “base” – dentro e fora do Congresso.

    José Dirceu disse duas verdades: que o PT considera o governo Dilma sua grande chance de exercer de fato o poder e que considera excessiva a liberdade da imprensa.

    Mas se esqueceu de que antes da eleição a palavra de ordem é bico calado.

    Cenografia

    Foram 70 dias entre o prazo regulamentar e as duas notificações da Comissão de Ética Pública para que Erenice Guerra apresentasse informações sobre o patrimônio e a família. Ela ficou 170 no cargo.

    Portanto, havia 100 dias que a ministra estava em situação irregular sem que ocorresse aos conselheiros dirigir-lhe a censura feita depois da saída. O silêncio teria sido menos desmoralizante.

    A então ministra não atendeu aos pedidos porque ninguém no governo dá bola para a referida comissão nem para a ética pública.

    Certidão

    “Onde está a prova de que eu esteja envolvida?”, pergunta a candidata do PT, a propósito da rede de tráfico de influência, extorsão, empreguismo e nepotismo que envolvia sua sucessora na Casa Civil.

    A prova é o aval que Dilma deu à nomeação de Erenice.

    Dissociar uma da outra seria como considerar que o presidente Lula não tenha responsabilidade alguma sobre o que faça e diga ou venha a fazer e dizer Dilma Rousseff.

    Em português. Pode ser mais sonoro, mas é errado dizer “doa a quem doer”. As coisas doem “em” alguém e não “a” alguém.

  • 45 PESO PESADO // set 21, 2010 at 10:10 AM

    Consumidores já sentem no bolso aumentos acima de 10%

    Eliane Oliveira e Patrícia Duarte, O Globo

    Grandes responsáveis pela manutenção do superávit comercial brasileiro, que de janeiro a agosto deste ano ficou em US$ 11,673 bilhões, os preços das commodities agropecuárias explodiram no mundo e já chegam a níveis próximos aos registrados até setembro de 2008, mês de recrudescimento da crise financeira internacional.

    Os aumentos, registrados no atacado brasileiro, começam a ser sentidos no bolso do consumidor. Carnes em geral, milho, soja, açúcar e trigo tiveram seus valores aumentados em mais de 10% no último ano, ou seja, bem acima da inflação em 12 meses.

    No acumulado, o IPCA ficou em torno de 4,5%.

    – Ao contrário do ano passado, quando havia forte movimento especulativo nas bolsas de commodities, dessa vez os problemas climáticos no mundo são os principais fatores para esse quadro e, por isso, o consumidor sentirá no bolso as altas a curto prazo. Mas é transitório – diz o economista Fábio Silveira, da RC Consultores.

    O secretário de Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Célio Porto, aponta pelo menos três razões para esse cenário: a suspensão das exportações de trigo pela Rússia; a forte demanda por alimentos pelos asiáticos, com destaque para a China; e o aumento do uso do milho, nos EUA, para a fabricação de etanol.

  • 46 PESO PESADO // set 21, 2010 at 10:08 AM

    Deu em O Globo
    Caso Erenice – Os bons negócios de seu marido

    Órgão federal perdoou dívidas da Matra Mineração, outra empresa ligada a Campos

    Roberto Maltchik

    A Matra Mineração conquistou duas vitórias no Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), órgão sob influência de Erenice Guerra, depois que o marido da ex-ministra, José Roberto Camargo Campos, entrou na sociedade da pequena empresa com sede em Brasília e que atua no interior de Goiás.

    Além do perdão de 14 multas, nove delas apenas 43 dias depois de sua ida para a Matra, a empresa conseguiu, 60 dias depois, autorização para explorar calcário em Goiás.

    Além das multas perdoadas, a Matra, cujo capital social é de apenas R$ 30 mil, acumula dívidas que somam R$ 129,4 mil, parceladas em 60 vezes.

    De acordo com o DNPM, as multas estão sendo pagas em dia.

    Campos chegou à Matra em 22 de abril de 2008, associando-se ao gerente de Desenvolvimento Energético da Eletronorte, Ercio Muniz Lima, antigo amigo de Erenice, funcionária de carreira da estatal.

    O marido de Erenice também trabalhou na estatal.

    Em 5 de junho, 43 dias depois, o DNPM arquivou nove autos de infração emitidos contra a empresa em dezembro de 2004.

    Já no dia 20 de junho, o DNPM outorgou alvará de pesquisa para que a Matra explorasse minério no interior de Goiás.

    À época, Erenice ocupava a secretaria executiva da Casa Civil, subordinada à então ministra Dilma Rousseff, candidata do PT à Presidência.

    Antes de chegar à Casa Civil, ela era consultora jurídica do Ministério de Minas e Energia, onde acumulou, desde 2003, assento no Conselho Administrativo da Eletronorte.

    Um mês após a chegada de Erenice ao Conselho da Eletronorte, José Roberto passou a prestar serviços à estatal, num contrato de R$ 120 mil em 2003 e 2004.

    Em 2006, a Matra já tinha tido outras cinco multas arquivadas pelo DNPM. As autuações foram aplicadas por falta de pagamento da Taxa Anual por Hectare (TAH). Para todos os arquivamentos, o DNPM argumenta que houve discrepância entre os valores cobrados e aqueles que constam dos autos de infração.

    Além da mineradora e da prestação de serviços na Eletronorte, a participação de José Roberto Campos na Unicel, operadora de telefonia celular no interior de SP, também aproxima os negócios dele com a função pública de Erenice. A empresa, da qual ele é diretor, recebeu atestado de capacidade técnica da Presidência da República.

    De acordo com o jornal “Folha de S.Paulo”, foi a primeira e única vez em que a Diretoria de Telecomunicações da Presidência avalizou um serviço experimental, o que causou surpresa entre empresas do setor, já que não é praxe órgãos públicos atestarem capacidade baseada apenas em testes. Na época, Erenice era secretária-executiva de Dilma na Casa Civil.

    Na época em que recebeu o atestado, a Unicel brigava na Anatel por uma licença para implantar o serviço de telecomunicações via rádio que atenderia às Forças Armadas, à Presidência e à Polícia Federal.

    Em 2004, a Unicel teria participado de um chamamento público na Anatel para cadastrar interessados em explorar a faixa de frequência não usada pelas operadoras de celular.

    No ano seguinte, o coronel da reserva Elifas Gurgel, nomeado presidente da Anatel, autorizou a empresa a explorar comercialmente a frequência, com dispensa de licitação pública, o que foi contestado pela área técnica do órgão.

    A Unicel recorreu à Justiça e, no ano passado, o TCU confirmou que a licitação era dispensável, mas determinou que a Anatel convocasse outras empresas interessadas no negócio.

    Após deixar a Anatel, Elifas Gurgel tornou-se consultor da Unicel. O advogado da empresa, Gabriel Lainder, foi nomeado em janeiro passado como assessor da Casa Civil, para trabalhar com Erenice.

  • 47 PESO PESADO // set 21, 2010 at 10:07 AM

    Deu na Folha de S. Paulo

    TV estatal a serviço de Dilma

    Cartaz na sede da NBR orientava equipes a tirarem símbolos com marca da emissora nos eventos de campanha

    Mesmos funcionários que viajam para cobrir atos oficiais de Lula têm de registrar campanha e gravar em DVD à parte

    Simone Iglesias

    A Presidência da República usa funcionários públicos e equipamentos de TV oficial do governo federal para filmar comícios da candidata Dilma Rousseff (PT) que tenham a participação de Luiz Inácio Lula da Silva.

    A ordem é para que cinegrafistas e auxiliares da NBR gravem todos os discursos do presidente nos eventos da campanha eleitoral.

    A direção da TV estatal determinou que esses servidores, antes de iniciarem as filmagens, tenham o cuidado de retirar os sinais de identificação da emissora estatal – a camiseta ou colete, a canopla (peça que tem a logomarca) do microfone e o adesivo colado na câmera.

    A TV NBR é o canal da EBC (Empresa Brasil de Comunicação) que noticia atos e políticas do governo.
    Na sede da emissora, em Brasília, havia na semana passada cartazes com a ordem para tirar a identificação dos equipamentos. O texto é assinado por Lidia Neves, chefe de reportagem.

    “Cinegrafistas e auxiliares: além da agenda oficial, que é parte da nossa cobertura, o presidente Lula tem viajado também para participar de comícios e eventos de campanha”, orienta o cartaz.

    “Para o que não é agenda oficial, estamos mandando um cinegrafista sempre junto para acompanhar. O objetivo é somente ter um registro, gravando ações do presidente e os discursos”, diz o texto.

    Em seguida, vem a orientação: “Este material está sendo gravado sem a canopla da TV NBR, porque não é para a NBR. Este conteúdo não é para ser usado na nossa cobertura, nem mesmo para ser gerado para as emissoras. É apenas para registro. Em caso de dúvidas, por favor procurem a mim ou um dos coordenadores. Lidia”.

  • 48 PESO PESADO // set 21, 2010 at 10:04 AM

    A raíz dos escândalos do governo, segundo Marina

    Fábio Guibu, da Folha.com

    A candidata do PV à Presidência, Marina Silva, disse nesta segunda-feira (20), em Recife (PE), que a estratégia do governo de ressaltar apenas “as coisas positivas” foi responsável pela repetição das acusações de tráfico de influência na administração federal, nos últimos anos.

    “É uma repetição o tempo todo desses graves problemas porque as pessoas querem ligar seus nomes apenas aos acertos”, afirmou ela. “Quando tem os erros, ninguém quer assumir as responsabilidades”, declarou.

    “A política de apenas se tocar nas coisas positivas e não querer cuidar dos problemas levou à repetição dos mesmos erros”, disse Marina. “Nós temos que aprender com os erros para que eles não se repitam. E a gente faz isso com medidas de prevenção. Isso é o que precisa ser feito na administração pública.”

  • 49 PESO PESADO // set 21, 2010 at 10:01 AM

    Deu em O Globo
    Caso Erenice – Ex-ministra mantém cargos em estatais

    Mesmo afastada da Casa Civil, ex-ministra ainda integra conselhos consultivos do BNDES e da Eletrobras

    Maria Lima

    Derrubada pelo escândalo de corrupção e suposto propinoduto instalado na Casa Civil, a ex-ministra Erenice Guerra continua como integrante dos conselhos de administração de duas importantes estatais: BNDES e Eletrobras.

    No caso da Eletrobras, onde a ex-ministra recebe R$ 5.122 mensais para participar de uma reunião a cada três meses, depende da União, a acionista majoritária, tomar a decisão e dar início ao processo burocrático para efetivar a substituição.

    Até ontem à noite, a Casa Civil não havia se posicionado sobre a decisão de pedir ou não a substituição de Erenice Guerra no Conselho de Administração da Eletrobras.

    No Conselho do BNDES, onde ela recebe R$ 33.934 mil por ano, já há a decisão de afastá-la imediata e automaticamente, só faltando agora a formalização.

    Segundo a assessoria da Eletrobras, a substituição não é automática como no BNDES.

    Cabe à União tomar a decisão de convocar uma assembleia de acionistas, comunicar a troca de conselheiros à Bolsa de Valores, publicar essa convocação 15 dias antes e só então efetivar a indicação do novo conselheiro.

    Como Erenice Guerra participa do Conselho representando a Casa Civil, caberá ao órgão providenciar a retirada da ex-ministra do Conselho.

    O governo poderia, se assim desejasse, mantê-la como conselheira de estatais.

    Como fez com o ex-ministro de Minas e Energia Silas Rondeau, que mesmo derrubado do governo pelo envolvimento no escândalo de propina apurado pela Operação Navalha, em 2007, continua no Conselho da Petrobras.

    Rondeau é apadrinhado político do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).

    No estatuto da Eletrobras, os requisitos para integrar o conselho incluem: integridade pessoal; ausência de conflitos de interesses; alinhamento com os valores da Companhia e conhecimento das melhores práticas de governança corporativa.

    No Conselho do BNDES, as regras são claras: para integrá-lo, o conselheiro precisa ser representante oficial do governo, dos trabalhadores, do patronato e da sociedade civil.

    Como Erenice não está mais no governo, a decisão de afastá-la já está tomada. Ela não poderá mais participar de reuniões ou receber remuneração.

    Só depende agora de um ato formal do ministro de Indústria e Comércio, Miguel Jorge, que está fora do país, para iniciar o processo de troca.

    Dilma Rousseff quando deixou o governo para se candidatar à Presidência teve de sair dos conselhos que integrava.

  • 50 PESO PESADO // set 21, 2010 at 9:43 AM

    Deu na Folha de S. Paulo

    Dilma favoreceu firma e aparelhou secretaria, diz TCE

    Parecer apontou que fundação comandada por Dilma beneficiou instituto que depois prestaria serviços ao PT

    Tribunal aplicou multas contra a atual candidata à Presidência, que mais tarde foram convertidas em meras advertências

    Silvio Navarro

    Auditorias feitas na gestão de Dilma Rousseff (PT) na Secretaria de Minas e Energia do Rio Grande do Sul e na Federação de Economia e Estatística, entre 1991 e 2002, apontam favorecimento a uma empresa gaúcha que hoje recebe R$ 5 milhões da Presidência e mostram aparelhamento da máquina.

    Os documentos foram desarquivados no Tribunal de Contas gaúcho a pedido da Folha. Hoje candidata à Presidência, Dilma foi secretária dos governos Alceu Collares (PDT), em sua fase “brizolista” no PDT, e Olívio Dutra (PT), quando se filiou ao PT, pré-ministério de Lula.

    Em 1992, os auditores constataram que a fundação presidida por Dilma favoreceu a Meta Instituto de Pesquisas, segundo eles criada seis meses antes para vencer um contrato de R$ 1,8 milhão (valor corrigido).

    A empresa gaúcha foi a única a participar da concorrência devido à complexidade e falta de publicidade do edital.

    Segundo a auditoria, a negociação entre a empresa e o órgão do governo foi sigilosa e nem sequer constou em ata os termos negociados: “Conclui-se que as irregularidades cometidas no decorrer do procedimento licitatório vieram a favorecer a empresa Meta”, diz o parecer.

    Após ganhar outros negócios no governo gaúcho, a Meta prestou serviços ao PT, à Fundação Perseu Abramo, ligada ao partido, e obteve contratos mais vultuosos na esfera federal – via Ministério do Desenvolvimento Social e Ministério da Justiça.

    Em 2008, a Meta conseguiu seu melhor contrato: foi vencedora de uma concorrência de R$ 5 milhões da Secretaria de Comunicação da Presidência para fazer pesquisa sobre a aprovação e o alcance de programas sociais do governo, hoje bandeiras da campanha de Dilma: PAC, Bolsa Família e Minha Casa, Minha Vida.

  • 51 Mario Romao // set 21, 2010 at 9:36 AM

    E ainda há pessoas que acreditam na “pureza” do PT… tolinhos … E conhecemos pessoas que votam no candidato que está vencendo as pesquisas para que após a eleição, não tenham a sensação de perder o voto. Quanta ignorância. Comparar eleição com um campeonato de futebol. Eleição é razão; futebol é paixão. Nada a ver uma coisa com outra…

  • 52 PESO PESADO // set 21, 2010 at 9:31 AM

    ESQUECERAM DO MINISTRO DA MANDIOCA,QUER DIZER TAPIOCA DO CARTÃO DE CRÉDITO, QUE NÃO SAIU, MAS QUE FICOU MARCADO. E ESSA ERENICE, AO INVÉS DE ERENICEGATE, DEVERIA SER CHAMADO DO CASO DE A GRANDE FAMILIA(COM TODO RESPEITO AO HUMORISTICO DA TV).

  • 53 Verdadeiro // set 21, 2010 at 9:24 AM

    O mais interessante é que em nehum dos caso se comprovou algum tipo de corrupção, mas a grande mídia que representa um pequeno setor da sociedade brasileira, movida pelo ódio de ter perdido as eleições por duas vezes amplificam e distorcem chegando até criar fatos afim de fabricar mais factóides com esse denuncismo barato que não tem respaldo algum na realidade.
    Mais o qué é bom, é que esse veículos escrevem para um tipo de pessoas que não tem muito discernimento e acham que são informadas, pois o povo mesmo sabe discernir, ou melhor, está aprendendo a discernir melhor nos ultimos anos.

Deixe um Comentário