Blog do Madeira - Notícias de Varginha - MG

Notícias diárias de Varginha e Sul de Minas – [email protected]

Usina de biodiesel

junho 9th, 2009 · 11 Comentários

Depois de tentativas frustradas na administração anterior, a Prefeitura de Varginha vai investir novamente no projeto da usina de biodiesel. A prefeitura envia, nos próximos dias, projeto de lei para os vereadores. A ideia é autorizar a empresa Abdiesel, de Araguari, a administrar a usina. Em troca, a empresa doaria R$ 100 mil ao Município, 20 computadores, mais R$ 100 mil em lama asfáltica. Além desses valores, a empresa se obrigaria a destinar 500 litros de biodiesel por mês para a prefeitura, pelo período de 10 anos. A usina tem capacidade para produzir até 2.400 litros do combustível por dia. Atualmente o biodiesel é comercializado no Brasil na proporção de 4% do diesel. “Mas usamos 100% em uma Hilux há um ano e nunca deu problema”, diz o gerente industrial da empresa Abdiesel, Themístocles Rodrigues dos Santos. “Pelo contrário, abrimos o motor do carro e está novo”, afirma.

Tags: Economia · Meio ambiente · Política

11 Respostas Até Agora ↓

  • 1 Tiranu Dumeu // jun 14, 2009 at 11:36 PM

    TODO CUIDADO É POUCO, EM SE TRATANDO DE COMBUSTIVEIS, OLHA O QUE A FOLHA TRAZ AI GENTE:

    14/06/2009 –
    Petrobras paga R$ 4 milhões a produtoras ligadas ao PT .

    Duas produtoras de vídeo que trabalharam nas campanhas do governador Jaques Wagner (PT-BA) e de duas prefeitas do PT receberam R$ 4 milhões da Petrobras em 2008, sem licitação, em projetos autorizados por Geovane de Morais, informa reportagem de Leonardo Souza e Hudson Corrêa, publicada neste domingo pela Folha
    Morais era o gerente de Comunicação da área de Abastecimento da estatal. Sob sua administração estava um orçamento no ano passado de R$ 31 milhões. Ele foi demitido em 3 de abril, após uma sindicância interna ter constatado uma série de irregularidades em sua gestão, incluindo “indícios de pagamentos sem a devida entrega de serviços contratados”.
    A Folha teve acesso a todos os contratos de 2008 da área comandada por Morais. Entre os valores recebidos pelas duas produtoras, está R$ 1,5 milhão para filmagem de festas de São João e Carnaval na Bahia. Há também trabalhos como telerreportagem sobre “o primeiro ponto de solda” de um gasoduto em Catu (BA), pelo qual embolsaram R$ 60 mil.
    Segundo a reportagem, a apuração sobre Morais começou por iniciativa de sua superiora hierárquica, Venina Velosa da Fonseca, gerente-executiva da área de Abastecimento.
    Com base no relatório da equipe de Venina, o departamento jurídico da Petrobras concluiu que era o caso de demitir Morais por justa causa. A demissão foi informada a ele, mas ainda não foi consumada por ele estar de licença médica desde o final de 2008. Morais não foi localizado pela Folha.
    Outro lado
    A Petrobras informou que desde dezembro apura indícios de irregularidades nos contratos da gerência de Comunicação do Abastecimento e que decidiu, em abril passado, pela demissão por justa causa de Morais.
    “Foram encontrados indícios de pagamentos sem a devida entrega dos serviços contratados.”
    Questionada pela Folha se havia sinais de favorecimento ao PT nos contratos autorizados por Morais, a estatal disse que não identificou sinais, até o momento, de beneficiamento a nenhum partido.

  • 2 Dr. Simplicio // jun 13, 2009 at 6:37 PM

    O projeto poderá vir a dar certo…
    Entretanto, a Prefeitura precisa escolher muitíssimo bem o administrador que cuidará e representará os interesses do município de Varginha no que diz respeito ao biodiesel e principalmente energias renováveis…
    Aí vai a sugestão: Que tal esta empresa recolher o óleo de cozinha e transformá-lo em biodiese???? Vai gerar muitos em pregos verdes…
    Estramos diante de um grande DESAFIO…

    Torço de verdade, como ambientalista, para que o projeto vingue e dê certo…

  • 3 Paola Diniz (VERDADEIRA) // jun 10, 2009 at 1:10 AM

    Se não quiserem dar de graça a Usina para algum empresário protegido, é um bom projeto! Não podem é querer gastar dinheiro da Prefeitura , que já não tem, e depois doar para alguém explorar e ainda liberar da cláusula de reversão… A empresa tem de cumprir um protocolo por 10 anos e só depois ter a posse definitiva do bem. Só falta querer doar para alguém levantar dinheiro em bancos e depois entregar para pagar a dívida…

  • 4 MELLIS DE PAIVA // jun 9, 2009 at 11:28 PM

    ISSO SERIA MUITO BEM VINDO DE NOVO PARA VARGINHA,MAS ALGUNS EDIS HIPOCRITAS DE NOSSA CIDADE ,COM CERTEZA VAO DAR UM JEITO DE VETAR ESSA INICIATIVA,POIS OS MESMOS SAO MANDADOS POR ALGUNS DEPUTADOS….

  • 5 Leandro Motteran // jun 9, 2009 at 10:18 PM

    Achei que o Biodiesel proveninente da mamona já tinha ido por água abaixo. Sim, porque o biodiesel da mamona tem viscosidade superior da recomendada, segundo o link http://blogs.diariodonordeste.com.br/egidio/economia/anp-diz-que-mamona-sozinha-nao-da-biodiesel .

  • 6 OLHO VIVO EM TUDO. // jun 9, 2009 at 4:53 PM

    A Prefeitura de Varginha, ja gastou uma fortuna com esta história de BIODIESEL, agóra ja esta começando tudo denovo, a Câmara Municipal devería pedir a prestação de contas do dinheirão gasto no começo do BIODIESEL, ai sim a Prefeitura poderia apresentar um outro projeto do BIODIESEL, mais mesmo assim eu acho que a fabricação de Biocombustiveis, deveríra ser obrigação da PETROBRAS e não de Prefeituras e principalmente Prefeituras falidas e quebradas conforme esta a de Varginha…

  • 7 jOÃO BuRacÃO // jun 9, 2009 at 4:03 PM

    Editorial de O Globo do dia 09 de junho
    Ataque à imprensa

    No centro do noticiário de desvios de recursos em contratos superfaturados, de irrigação generosa de ONGs companheiras, e motivo de instalação de uma CPI no Senado, a Petrobras decidiu, de maneira agressiva, antiética e ilegal, tentar acuar O GLOBO, a “Folha de S. Paulo” e “O Estado de S. Paulo”, jornais que, por dever de ofício, acompanham com a atenção devida as evidências de desmandos na administração da companhia.

    O caminho encontrado pela estatal foi publicar em um blog da empresa as perguntas encaminhadas por repórteres dos jornais e respectivas respostas. Com o detalhe, também grave, de que a empresa divulgou na sexta informações que prestara para uma reportagem que seria publicada no GLOBO de domingo, numa as-sombrosa quebra do sigilo que precisa existir no relacionamento entre imprensa e fonte prestadora de informações. Agira da mesma forma com os outros jornais.

    Mesmo as perguntas, encaminhadas por escrito, são de propriedade do jornalista e do veículo a que ele representa. O indisfarçável objetivo intimidativo da empresa, como bem interpretou nota da Associação Nacional dos Jornais (ANJ), desrespeito profissionais e atenta contra a liberdade de imprensa, ao violar o direito da sociedade de ser informada, sem limitações.

    A Petrobras fere a Constituição. Corporação poderosa, com tendência histórica de se descolar de controles públicos, a Petrobras, com a política de aparelhamento do Estado posta em prática por Lula, se tornou, em parte, um bunker nas mãos de correntes de sindicalistas, do PT e sob o jugo dos anseios fisio-lógicos do PMDB.

    A estatal alega praticar a “transparência” ao cometer o erro de divulgar material de propriedade de profissionais e veículos de imprensa. Ser cada vez mais transparente é um objetivo correto para a estatal -, caso ela não o use como justificativa para agir deslealmente com os meios de comunicação. A Petrobras errou, e espera-se que volte atrás nos procedimentos nada éticos que adotou no atendimen-
    to à imprensa.

    Pelo seu porte, obrigada a prestar informações a milhares de acionistas e a órgãos reguladores dentro e fora do país, a estatal não pode ser instrumento de grupos políticos, não importa de qual figurino ideológico.

    A empresa, sem dúvida uma conquista da sociedade brasileira, já atingiu um porte diante do qual governos devem tratá-la com respeito, mas sem permitir que paire sobre o país, imune a qualquer regulação, que se feche diante do legítimo interesse do contribuinte em saber como são feitos os negócios públicos.

    O Tribunal de Contas da União (TCU), ligado ao Legislativo, tem acesso a contratos firmados pela administração direta pelos quais o contribuinte financia ONGs e organizações sociais. A estatal faz o mesmo, mas impede auditores do tribunal de examinarem os acordos, escudada na interpretação de uma lei da era FH. Sem qualquer preocupação com os interesses dos acionistas privados, no Brasil e no exterior, a estatal montou uma desproporcional equipe de mais de 1.150 profissionais de comunicação, uma redação que supera em três ou quatro vezes cada uma daquelas dos maiores jornais do país. Vê-se agora que um dos objetivos é usar esta redação – ociosa, por falta do que fazer no trabalho normal de comunicação corporativa – na luta política e na ameaça à imprensa.

    Outro sinal da transformação da Petrobras em uma espécie de caixa dois de operações políticas está exposto na reportagem do GLOBO, no domingo – cujo sigilo foi quebrado pela estatal -, sobre o apoio continuado ao projeto sem destino do uso da mamona como biocombustível. A própria Agência Nacional de Petróleo (ANP) já atestou a inviabilidade do programa. Mas,como assentamentos do MST, da Contag e outras organizações ditas sociais são beneficiários do projeto, milhões de reais continuam a ser repassados, enquanto a mamona apodrece em armazéns no sertão nordestino. Não por acaso, no lado da estatal, quem gerencia esta área é Miguel Rossetto, ministro do Desenvolvimento Agrário no primeiro governo Lula, quando patrocinou o aparelhamento do Incra pelo MST e satélites. Hoje, transfere dinheiro da Petrobras para os antigos aliados -, com a vantagem de não precisar prestar contas ao TCU.

    O ataque da Petrobras à imprensa, nova especialidade de uma empresa que deveria estar concentrada na exploração do petróleo e gás, não deve ser, portanto, um simples desvio organizacional. Longe disso. Tudo parece coerente com um estilo de administração e diversificação de objetivos adotados nos últimos tempos.

    Editorial de O Globo do dia 09 de junho

  • 8 Pedreiro // jun 9, 2009 at 2:09 PM

    Acho que ninguém leu a notícia de forma correta , é a empresa que está doando dinheiro ao município . A usina nunca funcionou , a única coisa que se produziu foi amostras para estudo e olhe lá , o investimento por parte da prefeitura foi altíssimo e acho que é uma grande oportunidade de se obter algum retorno com essa usina fantasma . Vejam bem , além das doações da empresa ( dinheiro , computadores e lama asfaltica ) a mesma estará gerando empregos direta e indiretamente na nossa cidade . A burrice já foi feita de se investir em algo como essa usina , ainda mais dinheiro público , mas mantê-la da forma que está é uma burrice maior ainda . Não existe outra saída para a mesma , é uma boa solução no meu ponto de vista . Acho que somente negociaria melhor esse repasse de 500 litros ao mês sendo que a sua capacidade divulgada é de 2500 litros / dia , talvez um pouco mais não seria ruim para a prefeitura alimentar suas máquinas .

  • 9 teixeira // jun 9, 2009 at 1:23 PM

    Acho que se ele tiver a companhia do ex ele vai demorar é 16 anos.Acorda corujinha.

  • 10 varginhense // jun 9, 2009 at 1:21 PM

    Uai o corujinha tá querendo arumar mais uma obra em varginha,não seria melhor ele acabar as obras paradas a mais de oito anos,ou será que vai ser mais de 12 anos que os varginhenses esperam que elas acabem.

  • 11 indiota // jun 9, 2009 at 1:19 PM

    Será que o Corujinha vai entrar nessa de Biodiesel,pelo amor de Deus,chega de gastança de dinheiro pelo ralo gente,criem juizo.Aqui só da é café mesmo ,não adianta querer falar que descobriram o Brasil,sendo que ele já foi descoberto a muito tempo.

Deixe um Comentário