Blog do Madeira - Notícias de Varginha - MG

Notícias diárias de Varginha e Sul de Minas – [email protected]

Você repórter: leitora fala sobre drogas em Varginha

janeiro 9th, 2009 · 28 Comentários

Varginhense que mora em Belo Horizonte passou o final do ano em Varginha com sua família. Ela disse que ficou impressionada com a quantidade de jovens que viu pelas ruas, drogados. Ela diz que eles quase nem falam de maconha, mas de cocaína e crack. Clique no título para ler o relato que ela enviou para o blog.

Olá, Madeira! 
Atualmente moro em BH e estive em Varginha nestas últimas semanas para passar Natal e ano novo. Como tenho acompanhado seu blog (e lendo o seu perfil vi que você é voluntário da Abraço) resolvi dividir com vc um pouco do que presenciei nestes últimos dias. Inclusive estou pensando em enviar uma carta à RádioVanguarda e à Câmara Municipal para despertar os pais, a população e cobrardas devidas autoridades alguma atitude. Madeira, é impressionante como as drogas dominaram os jovens, adolescentes epré-adolescentes dos bairros Centenário e Damasco. Imagino que em outros bairros também esteja no mesmo nível, mas os que posso afirmar com toda certeza que a situação está crítica, são esses dois. Existe em cada esquina dos dois bairros um traficante. Aliás, algumas ruas, chegam a ter dois. Um para a esquina de baixo, outro para a de cima.O que pude presenciar foi uma juventude alienada, que está vivendo o dia todo como zumbi. Constantemente drogados, principalmente por crack e cocaína (quase não falam de maconha), ficam o tempo todo pela rua, em bando, disformes, quase não se aguentando em cima do próprio corpo. Por cada “grupinho” que passei, as conversas são sempre as mesmas, os mesmospalavriados.Viraram pessoas sem identidade. Muitos estão bem magros. Pude conversar com um uns dois ou três que tenho intimidade e vi nascer e crescer (uma vez que faz apenas três anos que mudei de Varginha) e fiquei sabendo que um grande número desses adolescentes tem abandonado as escolas, não estão trabalhando nem praticando nehuma atividade. Quase não tem acesso à cultura, informação, entretenimento. Simplesmente passam o tempo todo nasruas se drogando.Como as famílias são de classe média baixa, alguns estão roubando a própria casa, vendendo roupas que estão no varal, aparelho de som, celular ou praticando pequenos furtos nas residências vizinhas. Percebi que as famílias não têm estrutura nenhuma para lidar com esses casos e estão se desintegrando. Alguns pais nem percebem que o filho está envolvido com drogas, outros já desisitiram de tentar. É uma pena porque são pessoas que tinham tudo para ter senão um futuro brilhante, pelo menos, um futuro decente. As famílias são gente do bem, humildes que tentam dar uma vida melhor para os filhos mas acabam falhando. Não sei o que os leva a se entregar dessa forma a esse mundo. Não sou sequer especialista no assunto. Imagino que seja a tão falada falta de oportunidade, a curiosidade, a desilusão de não vislumbrar nada melhor. O que me pertuba é que essas pessoas formarão a sociedade ativa de Vga daqui a alguns anos. O que vai ser da cidade? Como viverão as próximas gerações tendo como pilar esta que está se formando hoje de forma tão errada? Varginha já está tão violenta.. e grande parte dessa violência tem ligações com tráfico e usuários de drogas. Não sei como podemos ajudar… Talvez recorrendo a secretaria de esporte cultura para que promovam mais eventos, atividades nesses bairros.. Talvez aos diretores das escolas, para ficarem mais atentos aos casos de evasão e também na forma como vão prender a atenção depessoas que não enxergam na escola uma grande chance de mudar seu destino. Quem sabe procurando o conselho tutelar, cobrando dele ações mais efetivas nas famílias vitimadas. Quem sabe através de um trabalho com a polícia militar.. incentivando a denúncia dos pontos de tráfico. Sinceramente não sei como se pode resolver esses casos, mas sei que providências devem ser tomadas para que outros não se “contaminem” por essa onda. Os que hoje tem 15, 16, 17 anos possuem irmãos e irmãs de 5, 8, 10 anos que presenciam essa realidade. Se não mostrarmos a eles que existe outro caminho, que eles podem fazer diferente vão seguir os passos daqueles que estão mais próximos, que lhes servem de exemplo. Conto com você, Madeira para que de alguma forma esta mensagem possa fazer com o que pessoas ligadas a este problema possam agir, propor soluções e não apenas reflexões. O que essas famílias precisam urgente é de alguém que realmente faça alguma coisa por elas.

Tags: Você repórter

28 Respostas Até Agora ↓

  • 1 eraldo // mar 13, 2011 at 8:31 PM

    Policiais de caraguatatuba,prende inocentes acusado-os de tralficantes,mesmo nao encontrando nada na revista pessoal que desabona-se suas condutas,manteram a prisao baseados no talvez.As drogas foram encontradas no interior da residencia denunciada,portanto deveriam dar voz de prisao aos responsaveis pelo aluguel da mesma e nao nas pessoas que estavam ali no lugar errado e na hora errada,vale apenas averiguar.

  • 2 Frei Kaneka // jun 20, 2009 at 10:28 PM

    TEMOS OU NÃO TEMOS.LEIA A NOTICIA ABAIXO:

    20/06/2009
    Mais de 90% dos munícipios brasileiros não tem conselho para política antidrogas

    Segundo informações do secretário nacional Antidrogas, Paulo Roberto Uchôa, mais de 90% dos municípios brasileiros não têm conselho ou núcleo consultivo antidrogas. O cenário contraria o que prevê a Política Nacional Antidrogas. “Infelizmente, estamos ainda chegando a 10%”, afirmou Uchôa, que considera a droga um problema universal. Ele disse ainda que “não existe família no Brasil ou no mundo que possa garantir ou que possa dizer ‘na minha família droga não entra.'”.

    De acordo com Uchôa, o conselho é fundamental para que haja políticas e, portanto, metas, objetivos e diretrizes de ação preventiva. “Todos os municípios estão suscetíveis. A cidade tem que se fortalecer, capacitar lideranças e orientar a juventude.” O secretário disse ainda que o Poder Público deve desenvolver políticas articuladas para reduzir o consumo de drogas e que, em nível local, essas políticas devem ser formuladas pelo conselho, formado de representantes da prefeitura e da comunidade.

  • 3 Cont(ato) // jan 14, 2009 at 7:47 PM

    Curioso esse texto. Parabéns a psicóloga Karla Christine e a você Curioso.

  • 4 andorinha // jan 14, 2009 at 11:31 AM

    Concordocomo que escreveu Afonso Henrique.As tvs jogam porcarias todos os dias em nossos lares.Poderão dizer que se mude de canal ou desligue a tv.Quem não tem tv por assinatura,fica exposto a esse lixo todo.

  • 5 cristina // jan 14, 2009 at 10:52 AM

    na verdade, e citado a periferia, mas o problema ta geral. meu filho teve coragem de me roubar p se drogar . nao saio de casa p nao deixa-lo sozinho, nao confio mais e nao tapo o sol c/ a peneira , ele sabe q o futuro e cadeia ou cemiterio. o bairro damasco ta fuçado ,moleke de 12 anos ta vendendo o auto pass da mae, p se drogar. o q faremos? nao se ve futuro p essa geraçao. e uma pena…..

  • 6 Marits // jan 14, 2009 at 6:45 AM

    Para Paulo,

    Moramos na mesma região, falamos a mesma língua, somos da mesma raça e ainda ficamos discutindos essas idéias de qual a cidade mais importante, pólo, etc…

    É por essas e outras que temos violências, guerras, etc… Nossa raça caminha a passos largos para autodestruição.

  • 7 É BRINCADEIRA! // jan 13, 2009 at 12:10 PM

    UMA MANEIRA MUITO EFICAZ PARA ACABAR COM O TRÁFICO DE DROGAS EM VARGINHA É SÓ CONTINUAR PRENDENDO OS PEQUENOS VENDEDORES, AI OS GRANDES NÃO TEM PRA QUE VENDER. MAIS TEM QUE MANTE R ELEE PRESOS POR MUITO TEMPO, CASO CONTRÁRIO NÃO ADIANTA NADA.

  • 8 Paulo // jan 13, 2009 at 11:46 AM

    O que acontece em Varginha: drogas, violência, bandidagem, acontece também em cidades maiores e com mais crescimento como Pouso Alegre ou Poços de Caldas. A diferença é que a EPTV só noticia assuntos positivos de Varginha e notìcias ruins de PA e PC. O resultado é que quando vem à tona que Pouso Alegre e Poços crescem mais em população, geram mais empregos, atraem mais empresas, vocês aí de Varginha ficam assustados. Acorda moçada, Varginha perdeu o posto de principal pólo da região. Poços e P. Alegre estão na frente.

  • 9 Afonso Henrique // jan 12, 2009 at 10:03 PM

    A postagem do Curioso veio sob medida.
    Sempre tive esta impressão do Cazuza (e de um punhado de outros ídolos nossos por aí), só que nunca me manifestei. Por falta de coragem ou de oportunidade.
    Os meios de comunicação, acredito eu, têm grande parcela de responsabilidade sobre esta “idolatria” a pessoas erradas.
    Outro dia estava navegando num site católico meio que radical. E lá eles dão à Tv Globo o singelo título de “MERETRIZ ELETRÔNICA”. Posso até parecer antiquado e fora de moda, mas não é que eles têm razão?
    Vocês já prestaram atenção na quantidade de porcarias que as tvs, principalmente a tv Globo, impinge a nós, aos nossos filhos e a nossas famílias? Diariamente é feita apologia ao banditismo, à infidelidade, ao roubo, às DROGAS, à corrupção e a todos os outros maus predicados que se consiga imaginar.
    O lema parece ser: quanto mais depravado, melhor. Senão não dá Ibope.
    Não que isso seja o motivo para que os jovens varginhenses se droguem, mas deve ser um bom estímulo.

  • 10 Cont(ato) // jan 12, 2009 at 8:23 PM

    Concordo Cidadão Brasileiro. Mas as drogas contrubuem para a vagabundagem. Há mais de 10 anos escuto falar que escolas e esporte podem acabar com as dogras, ledo engano. Haja visto que o Flamengo contratou um novo reforço para o campeonato, um atleta que passou pelo cruzeiro e outros times que é usuário de cocaina. Como disse, a maioria de usos de drogas começam com os próprios pais. Vai acabar como?

  • 11 F. Oliveira // jan 12, 2009 at 2:13 PM

    Só pra registrar: Também moro próximo a Vila Mendes e confirmo tudo. Não há um santo dia que não presencio o consumo livre de crack e outros, alí debaixo daquelas árvores próximo a cooperativa. Já tiveram a capacidade de pular o muro da minha casa pra roubar o capacete que estava na moto. Provavelmente deve ter sido vendido por uns 10,00. Toda vez que minha esposa sai a pé e passa naquela esquina nos fundos do moinho, ela é obrigada a escutar gracinhas dos VAGABUNDOS que alí praticamente moram. É por essas e outras que estamos vivendo cada vez mais presos em nossas casas.

  • 12 Cidadão Brasileiro // jan 12, 2009 at 7:49 AM

    A maioria aqui parece pensar que o grande problema são as drogas em si, oque não é o caso. Se acabassem com as drogas, a violencia e a criminalidade continuariam a existir. O grande problema é a falta de perspectiva desses jovens, aos quais não são dadas as mínimas possibilidades de crescimento profissional e intelectual. O próprio autor do texto assume este fato ao mencionar que ainda que estes jovens não tenham a possibilidade de um futuro brilhante, teriam um futuro decente. Futuro decente? Outro caminho? Ter que trabalhar o mês inteiro para mal dar conta de por comida na mesa de sua familia? Meus caros, não se iludam achando que o combate as drogas é a fórmula mágica através da qual todos os problemas da periferia serão resolvidos. O buraco é muito mais embaixo.

  • 13 Pedreiro // jan 12, 2009 at 7:35 AM

    Os meios de comunicação de nossa cidade , não divulgam as informações e realmente a situação de nossa cidade fica mascarada . Basta houvir os programas jornalisticos das rádios Vanguarda e Clube as 11:00hs( está segunda é a pior ) as notícias policiais não duram 10 segundos . Estou errado ? Queremos saber a real situação de nossa cidade , apesar que todos nós sabemos que a coisa está feia .

  • 14 Donatan // jan 12, 2009 at 5:56 AM

    A Violencia em Varginha bateu todos os recordes nestes ultimos 10 anos… E a cidade cresceu tanto assim? Nada. Isso é mais uma comprovação da terrivel gerencia deste partido “PT” em nossa cidade! Que compra a imprensa e entope o quadro de funcionarios com guardinhas da área azul que batem papo de esquina em esquina no centro da cidade! A 10 anos atras podia andar de madrugada com tranquilidade na cidade e agora? “Com PT é outra historia!!!” KKKKKKKKkkkkk

  • 15 Juca pitanga // jan 11, 2009 at 7:29 PM

    Não sei se alguém da polícia acessa o blog, só sei que a esquina do crack no Catanduvas esteve deserta de Sabádo a tarde até agora 21:28h do domingo.
    Ao lado de minha casa, eu ponho pra correr mas meus vizinhos tem medo dos pivetes.

  • 16 marcelino // jan 11, 2009 at 5:52 PM

    Sou professor no Conservatório,e vejo durante o dia na praça J.Pessoa,adolecentes e jovens consumindo bebidas álcóolicas e drogas.Algumas vezes com guarda municipal,e mesmo policiais nas imediações.O Conservatório fica próximo a Vila Mendes.
    Música e esporte para tirar nossas crianças e adolescentes da rua.

  • 17 Miro // jan 10, 2009 at 7:09 PM

    Gente, infelizmente isto acontece em nossa cidade e em todos lugares de nosso país, é um assunto complexo, pois quem devía averiguar estas coisas, não o faz e isso nos deixa revoltado porque não temos voz pra gritar. Estamos vendo nossa juventude se acabando nas mãos de bandidos e nada é feito, todos vocês que estão opinando neste blog sabe de um ponto de droga, não é? pois a justiça também sabe e o que é pior, sabe quem é os grandões, mas as leis nossa proteje a corja e na verdade ninguém tá disposto a nada, aliás querem que nós fiquemos de plantão e denuncie, como? e nossa segurança? quem garante? Tenho saudades do tempo do Varginha em Foco da Rádio Clube quando se falava o nome, a alcunha e o endereço do meliante e hoje não pode fazer isso, pois os direitos humanos defende os vagabundos. E aproveitando para falar em quem não põe a cara a tapa, vou meter o pau na EPTV, eta… jornalzinho regional ordinário, sem conteúdo, fraquinho e chato, pois só falam de bobagens e coisas fúteis e não é só eu que está se queixando não, lá fora então…. O EPTV aproveita o tema aí em cima e vai correr atrás, faz alguma coisa boa em prol do proximo e saia da mesmice! O JORNAL REGIONAL MAIS CHATO, SÔ!!!!!

  • 18 Juca pitanga // jan 10, 2009 at 2:20 PM

    Até que enfim alguém se preocupa com o problema.

    “Vereador Dr. Adilson Marciano Rosa (PR)
    Indicação: Solicitando a imediata reativação do Conselho Municipal Anti-Drogas (CMAD) com a indicação dos Conselheiros para iniciar as atividades em caráter de urgência; Solicitando a realização do 1º Fórum da Comissão de Saúde, Assistência, Promoção Social, Educação, Cultura, Esporte e Lazer da Câmara Municipal de Varginha – Fórum 2009. “

  • 19 Juca pitanga // jan 10, 2009 at 2:07 PM

    Cont(ato), este assunto é muito espinhoso e muitos não gostam de falar sobre ele.
    Mas a realidade é que o dinheiro da classe média e rica mantém o tráfico.
    São muitas as festinhas “RAVE” que acontecem nos sítios e fazendas cedidos gentílmente pelos papais ao seus filhinhos onde rola solto droga ,sexo e muita bebida.
    Os pobres , se enxafurdam de pinga e craque porqe são mais baratos.
    E assim nossa juventude está traçando seu incerto futuro, se é que alguns deles terão a chance de viver este futuro.
    Realmente uma pena

  • 20 Curioso // jan 10, 2009 at 2:06 PM

    Meus Amigos do Blog; Recebi este texto e acho que merece a reflexão de todos! Tem a ver com este assunto.

    Vejam só!

    Psicóloga x Cazuza!

    Esta mensagem precisa ser retransmitida para todas as FAMÍLIAS!
    Uma psicóloga que escreveu. corajosamente algumas verdades.

    Uma psicóloga que assistiu o filme Cazuza escreveu o seguinte texto:
    ‘Fui ver o filme Cazuza há alguns dias e me deparei com uma coisa estarrecedora . As pessoas estão cultivando ídolos errados…
    Como podemos cultivar um ídolo como Cazuza? Concordo que suas letras são muito tocantes, mas reverenciar um marginal como ele, é, no mínimo, inadmissível.
    Marginal, sim, pois Cazuza foi uma pessoa que viveu à margem da sociedade, pelo menos uma sociedade que tentamos construir (ao menos eu) com conceitos de certo e errado.
    No filme, vi um rapaz mimado, filhinho de papai que nunca precisou trabalhar para conseguir nada, já tinha tudo nas mãos. A mãe vivia para satisfazer as suas vontades e loucuras. O pai preferiu se afastar das suas responsabilidades e deixou a vida correr solta.
    São esses pais que devemos ter como exemplo?
    Cazuza só começou a gravar pois o pai era diretor de uma grande gravadora.
    Existem vários talentos que não são revelados por falta de oportunidade ou por não terem algum conhecido importante.
    Cazuza era um traficante, como sua mãe revela no livro, admitiu que ele trouxe drogas da Inglaterra, um verdadeiro criminoso. Concordo com o juiz Siro Darlan quando ele diz que a única diferença entre Cazuza e Fernandinho Beira-Mar é que um nasceu na zona sul e outro não.
    Fiquei horrorizada com o culto que fizeram a esse rapaz, principalmente por minha filha adolescente ter visto o filme. Precisei conversar muito para que ela não começasse a pensar que usar drogas, participar de bacanais, beber até cair e outras coisas, fossem certas, já que foi isso que o filme mostrou.
    Por que não são feitos filmes de pessoas realmente importantes que tenham algo de bom para essa juventude já tão transviada? Será que ser correto não dá Ibope, não rende bilheteria?
    Como ensina o comercial da Fiat, precisamos rever nossos conceitos, só assim teremos um mundo melhor.
    Devo lembrar aos pais que a morte de Cazuza foi consequência da educação errônea a que foi submetido…
    Será que Cazuza teria morrido do mesmo jeito se tivesse tido pais que dissesem NÃO quando necessário?
    Lembrem-se, dizer NÃO é a prova mais difícil de amor
    Não deixem seus filhos à revelia para que não precisem se arrepender mais tarde. A principal função dos pais é educar.. Não se preocupem em ser ‘amigo’ de seus filhos.
    Eduque-os e mais tarde eles verão que você foi a pessoa que mais os amou e foi, é, e sempre será, o seu melhor amigo, pois amigo não diz SIM sempre.’

    Karla Christine
    Psicóloga Clínica

  • 21 Eu // jan 10, 2009 at 7:48 AM

    Na minha opinião, o problema vem da nossa atual lei, que protege os menores. A polícia não tem como fazer nada. Prendem hoje, têm que soltar ainda hoje! A própria polícia fica com pés e mãos atados, e acabam por deixar estes casos por último na lista de prioridades de atendimento, pois realmente não dão resultados concretos para a sociedade, como a prisão de um traficante (maior de idade) ou algo assim. É triste ver que Varginha está sendo dominada pelas drogas. Gostaria de citar dois pontos, o Sion e Santana também estão dominados. Acredito que, se existe hoje um Estatuto da Criança e do Adolescente, que protege estes indivíduos, o Estado teria que dar conta do recado, pegando estes indivíduos e reciclando-os, não em uma prisão, mas numa casa de tratamento anti-drogas, com todo o acompanhamento necessário, seja por médicos, psicólogos, esportistas, etc. Temos tantos exemplos parecidos, como aquela fazenda de um padre que faz este tipo de tratamento.

    Além disso, hoje temos uma pessoa importante na nossa Câmara Municipal, que está por dentro deste problema, que é a Racibe da Acrenoc que, creio eu, veio para mostrar e agir em cima deste problema.

  • 22 Cont(ato) // jan 10, 2009 at 7:24 AM

    Zé Anderson perfeita opinião e o Juca Pitanga tem razão sobre o seu assunto não comentado anteriormente. Mas Varginha está a mercê do tráfico, infelizmente.

  • 23 Laura // jan 10, 2009 at 7:08 AM

    Concordo com o Cont(ato). A polícia faz um trabalho de prevenção de drogas, lindo e efetivo nas escolas, chamado PROERD. As Igrejas deveriam pensar em uma Pastoral que pudesse vir de encontro ao tema.As escolas não tem apoio nenhum por parte de um ou de outro nesse caso, mas mesmo assim tem norteado o assunto através de um projeto e outro, embora pudesse ampliar esse trabalho com parceria da sáude e do Conselho tutelar.Quem sabe ativando o Conselho Anti-drogas , aparecerá um trabalho para atender essas necessidades.

  • 24 Cont(ato) // jan 9, 2009 at 7:06 PM

    E o pior é que alguns adolescentes segue os passos de seus pais. Parece mentira mas a Vila Mendes parece uma cracolândia de Varginha. Alí, paes e filhos traficam na cara dura perto de todo mundo. Ninguém respeita nem quando passamos perto. A polícia faz pega toda hora, muitos são presos, horas depois estão se drogando de novo. Dizer que nossa polícia não faz o trabalho dela é mentira. Filhos de paes da classe alta e média povoam esse bairro. No Bairro Bom Pastor não fica atrás, sempre tem traficantes sendo presos e gente bem conhecida. Não sei porque a imprensa local não dá os nomes desse larápios. Se são protegidos não há lei que acabe com as drogas e ladrões na cidade. Muitos são pegos com a mão na massa e dizem ser usuários e assim o tráfico nunca acaba. Uma pena!

  • 25 Juca pitanga // jan 9, 2009 at 7:01 PM

    Dias atrás, postei um comentário sobre o tráfico no bairro Catanduvas, na esquina de Santa Terezinha com Nossa Senhora Aparecida, ninguém se habilitou a fazer qualquer comentário sobre o “pregão” que acontece aos finais de semana onde pivetões anunciam a todo pulmão: ” bucha de 5 , bucha de 10″ como Tim Lopes constatou nas favelas cariocas antes de sua morte .
    Mas como alguém que escreve melhor do que eu e vem de BH tocou no assunto , alguns bloguistas se consternam.
    Sai na tua rua e preste atenção, talvés alguém de sua convivência esteja neste momento pertinho de sua casa fazendo o mesmo, pois a droga não obedece critérios sociais, econômicos, e com ela quanto maior o STATUS, melhor ela se espalha.
    Se não dermos apoio as instituições , que cuidam da prevenção e outras que cuidam dos efeitos , nossa juventude , tem um futuro muito incerto, pois o apêlo das drogas é muito forte, e famílias desestruturadas estão a todo momento colocando cada vez vez mais filhos no mundo.

  • 26 Zé Aderson Paiva Pinto // jan 9, 2009 at 5:20 PM

    Madeira, em primeiro lugar parabéns por tratar deste assunto. Os meios de comunicação de Varginha escondem a real situação de nossa cidade. Pegue um jornal local e observe que são noticiadas ocorrências policiais de outras cidades, parece que a nossa é uma ilha de paz e a violência e as drogas existem somente nas cidades vizinhas. As portas das nossas casas estouradas, nossos carros arrombados, assaltos nas vias públicas não são noticiados.
    A verdade precisa ser colocada às claras. Os pais de hoje precisam saber que as pracinhas próximas as suas casas não são somente palco de brincadeiras inocentes como antigamente. Pensar que nossos filhos estão nas ruas brincando inocentemente e imunes aos perigos é fechar os olhos para o que pode acontecer.
    O assunto drogas deve ser enfrentado de frente e cada um assumindo o seu papel. O melhor caminho para minimizar o problema é a prevenção e nesse ponto a família é fundamental. O problema é que a maioria de nós pais, não estamos preparados e informados adequamente para orientar os nossos filhos, aqueles um pouco mais esclarecidos e empenhados usam a velha fórmula: amor + diálogo. Será que apenas isso é suficiente nos dias de hoje?
    Há que haver uma tolerância zero com relação ao problema. Um pai que faz um churrasco e coloca prá tocar um lixo sonoro que diz, “… vou apertar mas não vou acender agora…” que mensagem está passando para seus filhos? Isto para dar apenas um exemplo do que chamam de música. É preciso atenção ao que permitimos entrar em nossas casas.
    Não podemos esquecer que muitos pais erram por pensar que seus adolescentes são inocentes bebês crescidos quando na verdade podem ter dentro de suas casas potenciais marginais.
    Acreditar que a prevenção pode ser resolvida pelo poder público é querer jogar sobre os ombros dos outros a responsabilidade que é sua. Acreditar que o esporte por si só é capaz de resolver o problema é ignorar os jogadores de futebol e outros atletas que diariamente estão no noticiário por envolvimento com drogas.
    A polícia cabe a repressão ao tráfico e numa cidade como Varginha, onde contamos com policiais que apesar da escassez de recursos ainda se empenham em combater o crime, imaginar que os mesmos não saibam quem são os traficantes é no mínimo burrice, ou deles ou nossa por pensar assim. Muitos são tradicionais e já há muito tempo “estabelecidos” e com várias passagens pela polícia. É preciso ter tolerância zero e com inteligência, seriedade e legalidade colocar essa gente atrás das grades.
    Para aqueles pais que por um motivo ou outro têm a infelicidade de conviver com o problema, talvez a melhor solução seja a união, para troca de experiências e a busca de tratamento para seus filhos e denunciar os traficantes.
    Mais uma vez, parabéns por tocar no assunto.

  • 27 MINHA OPINIÃO // jan 9, 2009 at 3:29 PM

    Isso está presente em todas as classes sociais de Varginha!

    Sou de classe média e, convivo com isso diariamente.

    Ótimo relato!

  • 28 Maria G. M. // jan 9, 2009 at 11:44 AM

    Concordo com tudo o que foi dito. È preciso agir e urgente!
    Vemos jovens a perambular pelas ruas , quer seja de dia eou à noite. À noite, então , causa estranheza, pois são menores e nos perguntamos: onde estão os pais? Onde estão as autoridades policiais para fazer valer o estatuto da criança e do adolescente?
    As famílias, sem o apoio do Estado, sentem-se impotentes, com apoio podem buscar agir. Um jovem dentro de casa está menos exposto às más companhias.
    O estatuto não è apenas direito, mas deveres e , sobretudo , prevenção.
    Festas iniciam-se tarde da noite, a bebida é liberada, quando sabemos das proibições…
    Mais uma vez afirmo que de nada adiantam as leis se não há quem as faça cumprir. A impunidade , a ausência de fiscalização e controle tem dado aos nossos jovens a sensação de onipotência e, aos demais, a de impotência.

Deixe um Comentário