Blog do Madeira - Notícias de Varginha - MG

Notícias diárias de Varginha e Sul de Minas – [email protected]

Barack Obama imita Getúlio Vargas

janeiro 21st, 2009 · 17 Comentários

Carlos Cornwall/Especial para o Blog do Madeira
Pela televisão e internet o mundo viu que o presidente eleito Barack Obama e sua família saíram de trem da Filadélfia para Washington, onde tomou posse. Só na estação de Baltimore cerca de 100 mil pessoas esperavam  a passagem do trem. Para nós brasileiros, que nos deixamos nas últimas décadas encantar pelos automóveis e desprezar os trens,principalmente os de passageiro, nada melhor ao  lembrar que os americanos(democratas e republicanos, lá não existe essa coisa brasileira de direita e esquerda) possuem a maior malha ferroviária do mundo. É comum por exemplo, se nossa cidade fosse lá nos EUA, que se tivéssemos de ir a Elói Mendes, pegaríamos um trem ou para Carmo da Cachoeira,São Gonçalo,etc, como a coisa mais natural do mundo, mas nossos Governantes Federais ainda não enxergaram isso. E esse desmonte começou na década de 70 e perdura até hoje. Mas voltando ao título do texto, vemos que nosso querido Obama não foi pioneiro em sua idéia, pois ela é brasileira e começou com Getúlio Vargas-o Presidente mais popular da história desse país, também chamado de Pai dos Pobres,pois ao encabeçar a revolução de 1930, Getulio Dornelles Vargas (1883-1954) tomou um trem para ir de seu Estado natal, Rio Grande do Sul, ao Rio de Janeiro, onde tomou posse como presidente. Em seus diários, o político gaúcho registrou a viagem e a manifestação popular favorável ao fim da Política do café-com-leite.“Partimos, destino ao Rio, eram mais de 9 horas. Todo o caminho, todas as estações, por mais insignificantes, tínhamos de atender ao povo entusiástico, vibrante. No geral, povo de trabalhadores rurais, operários, etc. Flores, discursos, foguetes. Assim fomos até Mogi das Cruzes. […] Toda a comitiva admirava-se da vibração do espontâneo entusiasmo do povo paulista”, anotou Vargas em seus diários no dia 30 de outubro de 1930.

Tags: Colaboradores · Cultura · Política

17 Respostas Até Agora ↓

  • 1 Paulo Lúcio // dez 5, 2010 at 7:57 AM

    Eu nasci e vivi até meus 16 no povoado de Freitas local onde era feita a baldeação para Campanha e Lambari. Tempo bom, eu ficava na venda ao lado da estação observando aquele movimento tão grande de pessoas que ali faziam parada. Era grande também o embarque e desembarque de bois.

    Com desativação da Ferrovia o meu maravilhoso povoado foi se acabando e para piorar ainda mais, a unica ponte usada pelas pouca pessoas que ali insiste em morar usava para a travessia do rio verde ligando os municípios de Carmo de Minas e Soledade de Minas caiu já há mais de quatro anos e nenhum dos políticos da região fez nada até agora.

  • 2 Dr. Simplicio // jan 24, 2009 at 7:59 AM

    Um país de dimensões continentais como o Brasil carece SIM de uma malha ferroviária de primeiro mundo para baratear o transporte e encurtar distâncias… Precisamos tirar o atraso…
    Com a palavra o PAC do governo federal… Precisamos saber e divulgar quanto foi investido no setor até agora e quanto será investido até ofim do governo petista?
    Com a palavra os petistas…

    ACORDA BRASIL…

  • 3 Carlos Cornwall // jan 22, 2009 at 6:32 PM

    Como foram vários os comentários, o que demonstra interesse pela matéria.
    Convém informar que a revista Brasilturis,trouxe no ano passado importante informação sobre os trens turísticos da FCA(a que opera os trens de carga atualmente em Varginha- temporariamente limitada a uma fábrica próxima da av.celina otoni), leiam sobre trens turisticos, o que nos leva aguardar de politicos sérios(se lerem o blog,lógico), que a indústria do turismo não polue e traz divisas:

    Mais turistas nos trens turísticos da FCA
    01/09/2008 – Brasilturis
    Cerca de 95 mil pessoas circularam pelos dois trens turísticos operados pela Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), no primeiro semestre deste ano. O movimento de turistas e moradores no Trem da Vale, entre Ouro Preto e Mariana, e a Maria Fumaça São João Del Rei-Tiradentes, foi 18% superior ao registrado nos primeiros seis meses do ano passado. Para o gerente de trens turísticos da FCA, Marcos Teixeira, vários fatores explicam o bom resultado. “O Trem da Vale é uma operação nova, tem dois anos e está em plena fase de crescimento. Somado a isso, temos o bom momento que a economia brasileira está passando, que permite as pessoas viajarem mais e o trabalho de divulgação em feiras de turismo e participação em eventos turísticos que temos feito este ano”, afirmou.
    A FCA, empresa controlada pela Vale, opera trens turísticos desde 2001 e já investiu R$ 55,7 milhões nos dois projetos. Neste período quase um milhão de turistas foram transportados nas quatro cidades históricas mineiras

  • 4 Carlos Cornwall // jan 22, 2009 at 10:48 AM

    Meu caro Juca Pitanga, realmente você tem certa razão, o inicio da industrialização com as primeiras montadoras da era JK tiveram um certo impacto, mas não acredito que sozinho ele seja responsável, até porque vieram os duros anos da ditadura, que deixaram de investir em ferrrovias,preferindo as rodovias,tanto as federais como estaduais,inclusive a famosa ponte rio niterói, veja que de lá para cá nenhuma grande ferrovia foi construída(a ferrovia do aço até hoje não saiu do papel-várias partes estão abandonadas bem próximo de nossa região). Com relação ao nosso conterrâneo JK, temos que fatores históricos foram relevantes, que já existiam, como o uso de diferentes bitolas(distância entre os trilhos), fazendo com que fosse dificil que os modais fossem rentáveis, o que inibia investimentos,constituindo-se em gasto oneroso ,também o mapeamento ferroviário foi muito complicado por muitas baldeações demoradas e caras, para chegar se chegar ao destino. Daí Juscelino que chegava com a idéia de executar um governo capaz de progredir 50 anos em 5 e precisava realizar essa façanha necessitava de boas estradas para escoamento da produção agrícola e industrial. Viu, desde logo, que não poderia contar com o sistema ferroviário existente. Seu tempo era curto e o problema ferroviário exigia grandes investimentos que não dispunha. Partiu para construção de estradas rodoviárias. Asfaltou Rio-Porto Alegre; construiu Belo Horizonte- Brasília; retificou e asfaltou Rio-Salvador; construiu Brasília-Belém, etc. No terreno ferroviário deixou funcionando a fábrica de locomotivas e vagões: a Mafersa, que o governo FHC desativou. Se você andar no Metrô do Rio de Janeiro lá estavam placas com os dizeres: “Construido pela Mafersa”. Então acredito que muito pode ser feito para voltar a era,ou melhor entrar na era ferroviária, o modelo deve ser o das PPPs-Parceria-Público-Privadas,com envolvimento de Estados e Municipios.

    Juca temos boas noticias, o transporte turístico por trens deve crescer 20% em 2009,de acordo com especialists do setor. Vale a pena, fiz recentemente o trajeto belo horizonte a vitória com cerca de oitenta pessoas da nossa região e senti que esse potencial é enorme, só para se ter idéia são 25 vagões com 1.300 passageiros ,incluídos turistas e pessoas que vão ficar em uma das 28 cidades do trajeto.

    Manter ou reativar essa importante indústria é vital para o crescimento do país, lembre-se da excelência que eram as escolas técnicas da antiga RFFSA, de lá por exemplo surgiu o primeiro astronauta brasileiro Marcos Pontes, que estudou na Escola Técnica da Rede em Bauru/SP, que foi o mais importante entroncamento ferroviário brasileiro, da qual não podemos deixar de citar também Cruzeiro/SP,Lavras/Ribeirão Vermelho entre outras.
    Você se referiu a Lambari, há alguns dias descobri onde se localizava a estação da cidade, que pena que não preservaram, a terra das águas virtuosas merecia.Com relação a Conceição do Rio Verde sugiro uma mobilização das lideranças politicas locais(prefeitos,vereadores e ONGS), iniciando com a restauração da Estação e posteriormente reativando o trecho até soledade e três corações e até ramais novos, pois a região do circuito das águas tem muito potencial turistico a ser explorado. É hora de chamar a Academia para ajudar nos projetos, Unincor/Ufla/Faceca/Santa Marta/Puc,etc,quem ganha é Minas Gerais.
    Abcs.

  • 5 Cont(ato) // jan 22, 2009 at 8:59 AM

    Varginha vai ter metrô, leitor. rsssss!

  • 6 Leitor do Blog // jan 22, 2009 at 6:55 AM

    Diego, uma coisa é andar num trem ou metrô europeu, e outra é andar aqui no Brasil. Vc como já viajou ao exterior, sabe bem a diferença no investimento e na malha. Então não dá para comparar. São Paulo tem pouco mais de 65km de linha metroviária, e Bogotá, por exemplo, possui mais de 200km. Londres possui mais de 400km. Nova York possui 370km. Então só nesse pequeno comparativo, temos a noção exata de que ainda faltam investimentos no setor. Aqui em Varginha, sempre vejo alguem reclamando de que o ônibus urbano não chega ao seu bairro, ou que quando chega, passa um ônibus a cada 40 minutos. Portanto…

  • 7 Pedreiro // jan 22, 2009 at 6:09 AM

    Se o novo presidente americano não mostrar serviço em relação a crise mundial cuja raiz é nos USA , logo esse apoio se transformará em revolta .

  • 8 Juca pitanga // jan 21, 2009 at 6:36 PM

    Dr. Carlos,
    A informação que tive durante minha vida acadêmica e que foi Juscelino Kubitschek, que para “agradar” os americanos pela rescente criação da industria automobilistica no Brasil, abandonou as ferrovias a sua própria sorte, não investindo nem um tostão em sua manutençao, expansão, e que a partir daí o sistema ferroviário foi só sucateando, e o desfexo final foi durante o Gov. Militar com a privatização por consequência.
    Caso eu esteja enganado, por favor me esclareça.

    E como era bom andar de trem, eu por exemplo já fui de Conceição do Rio Verde a Lambarí , fazendo baldeação , não me lembro bem se em Freitas ou Soledade de Minas, também eu tinha apenas 4 anos d e idade.
    Já fui prá Aparecida do Norte em Romaria de Trem por mais de 10 anos, para São José dos Campos visitar amigos até prá São Paulo, gastando uma ninharia, pois as passagens eram baratíssimas, até pobres como eu podia andar por toda a parte, naquela época.
    Bons tempos aqueles !
    O sistema tinha que ser ampliado nunca desativado, hoje dependemos de caminhão para tudo, e não temos estradas condignas para isso.

  • 9 Diego Gazola // jan 21, 2009 at 5:04 PM

    Em tempos modernos de automóvel, o trem da questão são os ônibus urbanos ( Vival! ). Em Varginha costumo utilizá-los por opção apesar de ter carro disponível. Os brasileiros que vão aos exterior andam de ônibus com o maior prazer… agora quantos varginhenses de classe média e alta já subiram em uma Vival?

  • 10 Cont(ato) // jan 21, 2009 at 4:08 PM

    Maria, você concluiu certo, não é burrice. Talvez o modo como escrevi não deu pra entender de início. É só uma piada sobre o fim do Getúlio, esperamos que nada aconteça com o Obama, claro!

  • 11 Juca Pitanga // jan 21, 2009 at 3:25 PM

    A Midia norte americana também informaou que Obama estaria fazendo o mesmo percurso do presidente Lincon.

  • 12 Juca Pitanga // jan 21, 2009 at 3:23 PM

    Dr. Carlos, pelo pouco que sei , quem começou a desmontar o sistema ferroviário brasileiro foi Juscelino Kubitschek, como contra partida ao incentivo norte americano à industria automobilistica que se instalava no Brasil naquele momento.
    Na minha infância, por exemplo cheguei a ir de Conceição do Rio Verde a Lambarí de trem ( RMV), que fazia baldeação em Freitas.
    Isto lá se vão 48 anos.

  • 13 Maria G. M. // jan 21, 2009 at 2:20 PM

    Cont(ato), desculpe a burrice, mas não consegui concluir o raciocínio. Será o fim do Getúlio?
    Mas a frase citada não foi dita pelo Lula?
    Help me, esclareça por favor. rrssrsrs

  • 14 Indignado // jan 21, 2009 at 1:41 PM

    Vamos ver se agora os preconceituosos da raça negra tomem seu devido lugar, agora o Presidente da maior nação e potência do mundo é negro, 44º aguardem….

  • 15 Heldrick // jan 21, 2009 at 12:12 PM

    como dizia um prof. meu, “Pai dos pobres…e mãe dos ricos”

  • 16 Cont(ato) // jan 21, 2009 at 11:34 AM

    Esperamos que o fim não seja igual, não é Maria G.M.?

  • 17 Maria G. M. // jan 21, 2009 at 11:06 AM

    E aquela história de “a esperança venceu o medo…”?

Deixe um Comentário