Blog do Madeira - Notícias de Varginha - MG

Notícias diárias de Varginha e Sul de Minas – [email protected]

Setor cafeeiro prevê dias duros

outubro 28th, 2008 · 2 Comentários

A choradeira dos cafeicultores é comum quando o assunto é linha de crédito. Mas, dessa vez, o problema vem de fora. A recessão norte-americana, que respinga na Europa, está prestes a atingir a economia brasileira, apesar das tentativas de blindagem do governo. O setor cafeeiro já freou atividades de importação (clique no título para ler a matéria).

Pelo Porto Seco de Varginha, para se ter idéia, foram embarcadas 55.630 sacas de café em setembro desse ano. Em 2007 foram 166.332 sacas, mais do triplo. Em agosto os números ficam ainda mais distantes: 15.270 sacas esse ano contra 116.460 em 20076, ano de safra baixa. Não é um movimento isolado, os números se repetem em todo o país. Em agosto desse ano, o Brasil exportou 361.555 sacas de café. Em agosto do ano passado foram 439.871 sacas.
O engenheiro da Fundação Procafé, André Luiz Alvarenga Garcia lembra que esse ano a colheita atrasou de 40 a 50 dias por causa da seca do ano anterior, o que pode ter contribuído para atrasar a venda. Mas o principal motivo, mesmo, é a cautela na hora de vender o café. “Quem pode, segura. O pequeno, tem que vender”, diz o presidente do Centro do Comércio de Café de Minas Gerais, Archimedes Coli Neto. Para ele, “o grande problema hoje do mercado de café se chama crédito. Os bancos não têm dinheiro disponível para as empresas. Quem consegue, tem que pagar juros mais altos”, reclama, lembrando que o momento agora é de esperar. “O dólar tanto pode chegar a três reais como pode ficar abaixo de dois reais”.
O gerente da Volcafé em Varginha, Gilmar da Silva Lobo, concorda. “Não tem como trabalhar com a volatilidade do dólar, ninguém fecha grandes operações. A diferença de 5, 6 reais a saca de café muda em 10, 15 minutos. Melhor ficar quieto”, analisa.
O diretor de uma exportadora do Sul de Minas que vende para 70 países de todos os continentes acredita que não há prazo para o cenário melhorar. “Foi um ano complicado, já que a safra atrasou demais. O movimento caiu, esperando a entrega do café. Quando estava tudo pronto, vem essa crise mundial”.
Gilmar Lobo receia que a recessão chegue com mais força ao Brasil. “Por enquanto o governo está administrando. Mas parece que, a curto prazo, não vai ter melhora, vai ser uma temporada dura, porque o mercado lá fora está completamente engessado”.
O Sul de Minas exportou café, esse ano, para Alemanha, Itália, Finlândia, Japão, Suíça, Estados Unidos, Bélgica, Suécia, Holanda, Noruega e Canadá.

Tags: Café

2 Respostas Até Agora ↓

  • 1 peso pesado // out 28, 2008 at 7:15 AM

    O tão propalado agronegócio do café hoje além da crise internacional, tem ainda vários concorrentes, dizem que até no vietinã e na indonésia já cultivam os grãozinhos do palheta com grande qualidade.Portanto é hora de amarrar as calças, não fazer bobagem e agir com profissionalismo. Unir forças, cortar gastos e usar o velho e bom controle financeiro, só gastar aquilo que tem certeza que vai poder pagar.

  • 2 peso pesado // out 28, 2008 at 7:00 AM

    Que nada como disse um amigo meu, no Brasil a crise vai ser apenas uma marolinha..
    rssss, só rindo do país com a piada pronta…

Deixe um Comentário