Blog do Madeira - Notícias de Varginha - MG

Notícias diárias de Varginha e Sul de Minas – [email protected]

Buraco na pista

outubro 9th, 2008 · 14 Comentários

A Prefeitura de Florianópolis foi condenada a pagar indenização por danos materiais de R$ 851,00, e por danos morais e estéticos de R$ 10 mil a um ciclista. Em fevereiro de 2002, o rapaz caiu de bicicleta em uma avenida por causa de buracos na pista. Ele alegou a inexistência de sinalização alertando sobre os buracos. No recurso, a prefeitura sustentou que o boletim de ocorrência foi feito na Delegacia de Polícia e que nenhum policial compareceu ao local do fato. Mas, para o relator do processo, o acidente só ocorreu por má conservação da pista, pois deixou que um buraco permanecesse na pista de rolamento de veículos sem sinalização adequada. O ciclista usava capacete e não estava embriagado, segundo testemunhas. O relator afirmou que o correto seria o Município ter tomado as providências de sinalizar o local. A decisão da Câmara foi unânime.

Tags: Geral

14 Respostas Até Agora ↓

  • 1 Alquímico de Aromas // out 5, 2010 at 4:34 PM

    SEGREDOS AROMATIZANTES

    Quando inspiramos um aroma, o cérebro ativa o sistema límbico, responsável pelas emoções. O cheiro fica na memória e, geralmente, é associado a lugares, pessoas e momentos.

    No caso do marketing, ele é uma poderosa arma competitiva ela causa uma boa impressão ao local, reforça os atributos de um produto ou marca, dá uma assinatura olfativa a um empreendimento, entre outras funções.

    Não há como impedir o cheiro de entrar. Teríamos que parar de respirar para isso. E, uma vez que ele é sentido, provoca associações que ficam na memória de forma positiva. Além disso, o marketing olfativo pode ser decisivo no ato da compra. Às vezes, o cliente nem entra na loja para adquirir algum produto, mas o faz influenciado pelo cheiro, sobretudo porque a emoção exerce influência nas compras por impulso.

    Olfato é estratégia para atrair consumidor.

    Somos uma empresa que atua no mercado de pesquisa, indústria e comércio no ramo de aromatizantes de ambientes e perfumaria em geral.
    Nossos aromatizantes são utilizados em: casas, lojas, hotéis, cinemas, teatros, salões de festas, escritórios, halls, etc…

    Somos os fornecedores exclusivos das lojas: KSL Fitness, Carlota, Catran, Blue Man, Enjoy, Euller Faria, Lacca, Leeloo, Mary Zaide, Essencial, Mr. Cat, Osklen, NewOrde, Amsterdam Sauer, Reserva, Rudge, Wollner, Aviator, Verty, Verve, Salinas, South, Banco de Areia, Bintang , Vip’s Motel, La suite, Uncle k, Olinda Othon e outros …

    Gostaríamos de agendar uma visita, para apresentar nossos aromas, e poderemos ainda, criar sua marca olfativa, com um AROMA EXCLUSIVO para você.

    A moda, as jóias, a arte, a elegância e o bom gosto andam lado a lado.

    Tel.: (21) 2241-5730 / 2501-6756
    Govardhana Dasa.

  • 2 Anderson de Freitas Santos // dez 12, 2008 at 11:33 AM

    Estou entrando em contato através do seu Blog, pois estou a procura de uma senhora cujo nome é INÊS DAMACENA DOS SANTOS.
    Gostaria de saber se é possível alguma informação relacionada a essa pessoa que reside nesta Cidade,
    Sem mais
    Anderson de Freitas

  • 3 José Geraldo de Souza // out 13, 2008 at 1:56 PM

    Srª Paola,
    Baseado em sua informação sobre buraco em cabeceira de uma ponte, liguei para os encarregados de setores do DER em Caxambu, Cambuquira e Boa Esperança e segundo eles desconhecem o fato , gostaria que a Srª identificasse o Curso d´água e a rodovia para que tomemos as providências caso a rodovia seja estadual ou federal delegada ao DER.
    Caso a Rodovia seja de jurisdição do DNIT, favor entrar em contato com o Engº Rogério Naves em Pouso Alegre.
    Obrigado pelo seu desabafo, e como a manutenção rodoviária é uma coisa dinâmica, continue atenta e ponha a boca no trombone, pois pessoas como a senhora nos ajuda a nos mantermos alerta, pois temos pouquissimos recursos, já que o Gov. do Estado está sucateando o DER.

  • 4 Afonso Henrique // out 10, 2008 at 5:49 PM

    Em tempo: obrigado aos Srs. Carlos, Saulo e José Geraldo pelos esclarecimentos.
    Ao meu ex-aluno: lembre-se da força centrípeta!

  • 5 Afonso Henrique // out 10, 2008 at 4:32 PM

    Talvez possamos concluir pelos comentários que os acidentes ocorrem naquela curva da MG167 pela soma de imprudência dos motoristas com erro de projeto e/ou construção.
    Realmente as MG’s estão conservadas como nunca estiveram e parabéns ao DER por isso. Porém não podemos misturar conservação e sinalização com geometria inadequada das rodovias.
    Pelo bom senso – que todos engenheiros devem ter – quando começaram os acidentes em série no local, deveriam há muito tempo ter sido tomadas providências, tipo uma correção da pista ou qualquer obra de melhoria.
    Em respeito às nossas vidas. Acho que não é pedir muito.

  • 6 Paola Diniz // out 10, 2008 at 3:03 PM

    É Sr. José Geraldo, apesar da sua atenção em justificar e dar retorno, aliás, está de parabéns porque é difícil alguém do DER mostrar a cara quando se fala de acidentes e buracos, esse caso é muito pequeno para o que acontece em todo o trecho sob jurisdição do órgão. Tá certo que agora está pronto um levantamento para manutenção geral da linha viária, mas primeiro deixa acabar tudo, não se dá ao trabalho de tapar um pequeno buraco na cabeceira de uma ponte para salvar vidas, enquanto aquilo não vira estado de calamidade. Será que é muito difícil para o DER levar uma lata de massa asfáltica nesse caso, ou será que não passa ninguém do DER pelas rodovias durante anos, até que todas acabem? Desculpe o desabafo, sei que vc não é culpado sozinho. De qualquer forma, parabéns por se manifestar.

  • 7 José Geraldo de Souza // out 10, 2008 at 9:39 AM

    Por favor onde saiu “impatível” , considere incompatível.
    Mensagem extensiva ao Sr. Júlio César , a quem peço descupas pela omissão de seu nome.

  • 8 José Geraldo de Souza // out 10, 2008 at 9:31 AM

    Sr. Afonso Henrique, Dr. Carlos Cornwall e Sr. Saulo José Oliveira,

    or força de minha profissão, sou funcionário do DER, estive minutos após ao acidente no local citado por V.Sas. e em conversa com os policiais rodoviários que atendiam a ocorrência, procurei me inteirar das causas do mesmo.
    O motorista da carreta seguia sentido Três Pontas e desceu todo aquele declive com uma velocidade impatível com o trecho que percorria, nem se ele fosse um piloto de formula Truck ele conseguiria fazer a curva, graças a Deus não vinha ninguém em sentido contrário senão haveria uma tragédia.
    O DER, tem procurado cumprir seu papel institucional, tanto que nossas rodovias estão em bom estado, Toda a malha da 10ª CRG – Varginha, está em faze final de estudos (PROMG PLENO) de recuperação , inclusive a MG 167 . Existe ao longo de toda a Rodovia MG 167 placas com os limites de velocidade permitido naquela via, e não consta que naquele local se possa trafegar a mais de 100 km por hora.
    Podemos sim mediante estudos criar mais dispositivos de segurança para aquela área , mas não podemos ser cobrados pela irresponsabilidade de alguns motoristas que se julgam pilotos.
    Peço que encaminhem ao DER críticas e sugestões para melhorarmos nossa atividade.

  • 9 Leitor do blog // out 10, 2008 at 9:31 AM

    Caro professor Paione:
    Fui aluno (nota 6,5 a 7,0, rs,rs) do sr. de Física, e podemos notar que aquela curva tem uma maior força centrífuga que o normal, pois ela foi feita sem a devida inclinação para dentro da curva. Não há guard-rails nem tampouco placas de sinalização (que o DER coloque placas com base de concreto, valetas para as máquinas agrícolas não circulem por ali, etc).

    Dr. Carlos:
    O sr. está na vanguarda, pois são poucos que se aventuram em litigar contra o Estado em virtude de tais fatos (buracos na pista, que rasgam um pneu de R$300,00 , amassam as rodas, podem amassar um pára-choque ou caixa de roda, etc).
    Que o sr. divulgue seu êxito em tais ações, pois já vi casos em outras cidades que tornam-se jurisprudência.

    Comentários assim como o dos srs. enriquecem o Blog e a cultura de quem lê (eu por exemplo).

  • 10 Saulo José Oliveira // out 10, 2008 at 5:41 AM

    Afonso Henrique, você tem toda razão em falar sobre erro de projeto, mas toda e qualquer sinalização vertical( placas) que se coloca naquela curva é retirada por vandalos, e equipamentos agrícolas que proibidos de circular na pista trafegam pelo acostamento e quebram todas as placas, ( informações do DER).
    Você deveria entrar em contato com o DER e falar de sua indignação, vamos engrossar a fila das reclamações, quem sabe um dia eles tomam providências.
    acesse e reclame : http://www.der.mg.gov.br

  • 11 Carlos Cornwall // out 9, 2008 at 8:58 PM

    Prezado Afonso Henrique você está correto em sua colocação ,se a referia curva tiver defeito a ponto de provocar acidentes , cabe ao responsável reparar os danos que causou. Como voce diz que foram vários, o ideal é que uma Entidade de Defesa da Vida ajuize com o Ministério Público uma ação Coletiva por Danos Diversos-Moral-Material-Receita Cessantes-obrigação de Fazer entre outros. Tenho uma ação em andamento na Justiça Federal da BR 491-Avenida do Transtorno,digo Contorno, em caso idêntico ao de Florianópolis.

    Antes de questionar a Curva da 167, o ideal é que algum Engenheiro faça uma pericia ou Estudo , Consultar Faculdades de Engenharia como a UNIFEI-Itajubá,o Batalhão de Engenharia do Exército, a PUC/Poços ou entidades de Renome. Se ficar provado esse vicio no serviço, a chance de ganhar uma ação é muito grande.
    Espero ter respondido parte de seu questionamento.

    Em tempo: Tenho outra ação que questiona a aquaplanagem na BR 491 cujo laudo identificou defeito na construção e escoamento da água de chuva. Quanto sair a sentença postarei no Blog.

    Hoje com a privatização das Estradas, os Juizes aplicam o Código do Consumidor, quando são estradas estaduais ou federais, como as MGs e algumas BRs, aplica-se o código civil.

    Cordiais saudações
    Carlos Cornwall

  • 12 Júlio César // out 9, 2008 at 7:57 PM

    Já presenciei um acidente lá em 98… uma médica numa caminhonete, meu pai já na curva seguinte viu a caminhonete capotando no ar pelo retrovisor. Por sorte a motorista não se machucou, mas não é o que acontece com muitos dos que lá se acidentam.

  • 13 luiz // out 9, 2008 at 6:45 PM

    TEM MEU VOTO DE APOIO !!!

  • 14 Afonso Henrique // out 9, 2008 at 5:07 PM

    Interessante que eu estava retornando para casa agora há pouco e passei pela famosa “curva da morte”, que fica a cerca de 3 km de Varginha na MG 167 – Varginha/Três Pontas ao lado do sítio do Dr. Mário Frota. Lá estava mais uma carreta tombada.
    A MG 167 foi asfaltada em 1968, portanto há 40 anos. Não tenho as estatísticas, mas daquela data até hoje com certeza mais de 200 acidentes já ocorreram naquele local. Muitas vidas foram perdidas e até dizem que morreu na “curva da morte” o neto do construtor da rodovia. Não sei.
    Só sei que podemos concluir que trata-se de um ERRO GRAVÍSSIMO de projeto e construção da estrada e não é necessário perícia nem parecer de técnicos porque os números falam por sí de maneira gritante. Para piorar, a sinalização no local praticamente não existe.
    Assim como foi feito pelo rapaz de Florianópolis não seria o caso de uma ação contra o Estado para a correção do erro antes que mais vidas sejam perdidas naquele local? Tipo uma ação pública.
    O Estado adora legislar e punir os cidadãos. Será que o contrário não é possível?
    Por favor os advogados e especialistas que frequentam o Blog nos esclareçam.
    Os usuários, como eu, da MG 167 agradecem.

Deixe um Comentário