Blog do Madeira - Notícias de Varginha - MG

Notícias diárias de Varginha e Sul de Minas – [email protected]

Memórias de Varginha: Igreja Matriz em 1959

agosto 29th, 2008 · 27 Comentários

matriz59_red.jpg

Um dos motivos alegados para a demolição da nossa antiga Matriz do Divino Espírito Santo foi que a sua torre encontrava-se de costas para o centro da cidade. Diziam também que as paredes, com mais de 1 metro de espessura, eram ocas e que a igreja poderia ruir. Finalmente a Comissão da Nova Matriz lançava mão da questão da modernidade. Não era possível em plena década de 70 do século XX continuarmos a ter uma igreja antiga, feia e mal conservada. Era necessário termos uma igreja moderna e bonita. Observem bem a foto de 1959, comparem com a nossa Matriz do Divino Espírito Santo atual e tirem suas próprias conclusões. (professor Afonso Paione)

Tags: Memórias de Varginha

27 Respostas Até Agora ↓

  • 1 Elton // set 1, 2013 at 4:21 PM

    Igreja realmente não é o forte de Varginha, se compararmos principalmente com Pouso Alegre que possui nove igrejas historicas ricas em detalhes e preservadas. Mas o que falta em Varginha é dar acabamento as igrejas .A maioria delas parece que foi construída as pressas com material pré fabricado. Na minha opinião a única igreja que ainda se salva é a matriz do Divino

  • 2 Nova Visão // nov 22, 2010 at 11:16 PM

    Quem gosta de passado é museu. Do que adianta lamentar o leite derramado se tudo já está consumado. O que faltou foi realizar um plebicito junto a sociedade local, onde todos poderiam opinar a favor ou contra a demolição do saudoso Templo de Deus. O plebicito seria um documento importante para lavar às mãos dos possíveis responsaveis.

  • 3 Guilherme Frota // set 10, 2010 at 9:09 PM

    É inacreditável a demolição de nossa matriz antiga, vijando pela região e até mais longe, como na Europa por exemplo, as igrejas antigas são os pontos turísticos mais visitados e apreciados pelo mundo, que pena!!

  • 4 Luiz Otávio // ago 2, 2010 at 9:46 AM

    Como não ter saudades de Varginha em uma epoca que nós crianças, no meu caso 1966 tinhamos todo o respeito e atenção dos adultos e podiamos andar numa boa por toda a cidade, nas fazendas, ir ao zoologico que era um luxo que poucas cidades tinha.
    Ir ouvir as musicas estrumentais no coreto do Jardim do Sapo.
    E Srs e Sras o passado tinha a velocidade de informação onde se dava tempo de absorve-las.
    Hoje tudo é para ontem.(Só correrias)
    Abs a todos os Varginheses do passado lento e do presente apressado.

  • 5 JOSÉ ALOISIO PAIONE // jun 17, 2010 at 8:51 PM

    A igreja matriz antiga de Varginha não podia ser demolida em hipótese nenhuma. Se estivesse aqui faria “uma revolução” ou “uma guerra” para evitar a sua demolição.Apelaria para os militares na época para evitar esse desastre. A nova Matriz em nada substitui a antiga.É de um tremendo mau gosto, na minha opinião.Ela devia ter reformulada e mudada a sua arquitetura. Apelemos para o Bispo.

  • 6 VC // abr 24, 2010 at 11:06 PM

    A igreja matriz de Três Corações está lá, em pé, com muitos anos de vida, um monumento, uma das mais belos interiores de igreja pra quem quiser apreciar…e a sua colossal torre fica de costas para a metade da cidade tricordiana!

  • 7 eduardo ottoni // mar 1, 2010 at 9:03 PM

    o Murilo esta totalmente desinformado.Eu fui eleito Prefeito em 15 de novembro de 1976 e tomei posse no dia 31 de janeiro de 1977. Nessa ocasião a Igreja já tinha sido demolida e a construção já se encontrava em fase bem adiantada. Se voce se reportar ao noticiário da época e tiver acesso a fotos, a missa de ação de graça na véspera da posse se deu na parte de baixo hoje salão paroquial e/secretaria da nossa Igreja Matriz. a conclusão da obra se deu em fins de 1977 ou 1978. Na época a comissão dos paroquianos que assessoraram ovigário`Pe. Waslmor Zucco houve por bem decidir pela construção do que aí está. dentro de uma concepção moderna, que englobava a reforma e modernização da avenida rio branco (salvo engano projetada pelos mesmos arquitetos do Rio, parentes do Sr. Odiloon Barreto). A minha manifestação não é para estabelecer qualquer polemica. mas apenas fazer justiça e repor verdades sobre o assunto. Não é justo tentar penalizar o vigário da época que fez excpcional trabalho na cidade a favor da nossa Igreja. Não participei da comissão responsável. Cito aqui alguns nomes que a compunham: Rubens de Luca, João MIranda, José Paiva Pinto, Pascoal Paione Neto, Odilon Barreto, João Frota, Dr. Carlos Brito, Gilberto Jordão, Paulo Almeida, dentre tantos outros homens e mulheres de boa vontade e que emprestaram o seu tempo pela contrução de um novo templo para a nossa comunidade católica.

  • 8 IN OFFF // fev 28, 2010 at 9:02 PM

    Sem comentários!!! Vendi muito carnê para a alteração…mas na época……….. !!!
    Mas ..fazer o K^E!!!!
    Eu h!!

  • 9 Murilo Benevides // fev 28, 2010 at 7:32 PM

    Monica Paiva, por enquanto estão demolindo. Até o final dessa administração tudo vai afundar porque só tem crateras e mato em nossa cidade. Varginha tá uma vergonha, nosso prefeito ainda não assumiu!!!!!! Mas o ex continua a toda na administração da cidade.

  • 10 Murilo Benevides // fev 28, 2010 at 7:30 PM

    Prezado Eduardo Ottoni, como sempre fala, fala e não diz nada heim! O fato é que a igreja foi demolida em sua gestão e pronto! A única cidade do sul de minas que não tem um templo católico antigo é Varginha. Temos um galpão que mais parece um armazem de café…. Se bem que o que vale é a fé do povo, mas a verdade tem de ser dita.

  • 11 eduardo ottoni // fev 28, 2010 at 3:12 PM

    a bem da verdade e da historia dou aqui o meu depoimento sobre a questão da demolição e contrução da nossa Igreja Matriz. Não é justo que se queira penalizar o então vigário da paróquia – Pe> Walmor Zucco. Ele aqui chegou, no final de 1969. Com a sua cultura e grande preparo teológico, muito inteligente e versátil, assumiu a nossa paróquia e a ela, coadjuvado pelo Pe. Adilson Colombi, fez um belissimo trabalho junto à população a quem, com sua liderança e com um dom extraordinário de convencimento, arrebanhou muitas “ovelhas” desgarradas, ampliando muito, o numero de fieis . Implantou aqui o movimento de CURSILHO DE CRISTANDADE e tornou nossa Igreja mais presente e dinamica na vida de todos nós. Pois bem, o nosso temnplo carecia de uma boa reforma. Ele, tendo organizado a Sociedade Paroquial do Divino Espírito Santo, comandada por leigos, colocou para a essa sociedade os problemas normais da paróquia, em especial a questão do templo – o que fazer: reformar, mudar de local (Praça Jos-e Resende Paiva ou para o hoje estacionamento do Colegio Marista) ou contruir um novo templo com uma arquitetura mais moderna. Formou-se então uma comissão formada por homens e mulheres que decidiu após muito debate e longas reuniões, pela construção de um novo templo. Salvo engano, por projeto oferecido por arquitetos do Rio de Janeiro, parentes do saudoso Odilon Barreto, edificou-se o novo templo. Pe. Walmor em março/77 deixou Varginha ficando por terminar a obra que foi concluida em fins de 1977 inicio de 1978/1979, quando eu era o Prefeito da cidade. Então, a deisão não foi do Pe. Walmor, penalizado acima com muitos comentários, mas a decisão foi da comunidade, através dessa comissão da qual participavam pessoas de grande representatividade da Igreja local e dos meios sociais. O Pe. Walmor realizou um trabalho fantástico, como também o fez, naquela época o Pe. Adilson, como de resto fazem os padres desta nossa paróquia, destacando aqui o Pe. Flávio que foi o condutor dos trabalhos na fase já de conclusão da obra.O MOvimento de EMAUS posteriormente organizado e lançado a nivel nacional surgiu daqui desse trabalho do Pe. Walmor, destacando-se, neste particular, a participação e todo o envolvimento da saudoso Dr. Naylor Gontijo. Fica esse registro de quem participou de perto daqueles importantes acontecimentos, como cidadão, como professor da FACECA que eu era e como Vereador e advogado militante, além de católico participante da nossa paróquia e cursilhista (agosto/l970).

  • 12 Jackie // jan 22, 2010 at 7:44 PM

    … Varginha é a única cidade que em vez de restauração (reforma)…. preferiu derrubar um de seus maiores patrimonios!!!

    Sorry,

  • 13 monica paiva // ago 17, 2009 at 11:26 PM

    Moramos em varginha em 1968 até 198 4. Vimos e conhecemos a igreja matriz antiga. Mas fiquei mais assustada com as outras demoliçoes. Não sabia, porque nunca mais voltamos a frequentar esta cidade.
    Espero que parem de demolir.
    Com amizade Monica e Maria Alice

  • 14 jose francisco // jan 26, 2009 at 2:58 PM

    Quanto a destruição do Templo, é porque as pessoas que contribuiram para tal, se esqueceram da velha máxima: O POVO QUE PRETENDE TER FUTURO NÃO DESTRUIRÁS O SEU PASSADO, A SUA HISTÓRIA.

  • 15 Peso Pesado // nov 6, 2008 at 4:58 AM

    Agora não adianta chorar o leite,digo a Igreja derramada.
    Se analisarmos bem, o centro da cidade foi modificando-se aos poucos e a Igreja Matriz atual com o olhar visionário de Padre Valmor simplesmente seguiu essa tendência.
    De nada adiantaria deixar a Igreja ,enquanto os vizinhos reformavam e derrubavam suas casas.
    Basta olhar para a avenida e praça ao lado, os últimos casarões estão sendo reformados ou simplesmente derrubados. Nada mais resta dos tempos de outrora.
    A Igreja atual é muito bonita, bastando-lhe apenas uma pintura para cores mais modernas.
    Mas em se tratando de fé, a Igreja verdadeira está dentro de cada um de nós. A verdadeira Igreja é a prática do bem e o seguimento de palavras que confortem o próximo e os inclua mum mundo de paz.
    Que a paz do espírito Santo de Nossa Querida Matriz continue Majestosa olhando para os quatro cantos de Varginha e levando sempre bons fluídos, pois nossa cidade precisa muito disso de positividade de de novos ares que os tempos trazem.

  • 16 Jose Reis dos Santos // nov 6, 2008 at 4:20 AM

    Respeito a opinião de todos, mas na minha opinião, Deus não está preocupado se a igreja é bonita ou não, Ele está preocupado com as atitudes dos homens. Ele quer morar no coração do homem. Jesus é a imagem do Deus invisivel, e quando ele esteve aqui nessa terra, pregava em qualquer lugar, pq o que mais importava era a pessoa e não a casa ou igeja na época. A igreja pode ser a mais simples possivel, mas se as pessoas ali o buscam de todo coração, ele se alegra.

  • 17 marcelino // nov 5, 2008 at 5:49 PM

    O vigário responsável pela derrubada da antiga matriz,foi oPe.Valmor Zucco.Ele dizia que a torre da igreja estava do lado contrário.Tinha que ser para o lado da fonte.A matriz não parece igreja.Totalmente fora dos padrões arquitetônicos da cidade.

  • 18 VITOR COMUNIAN // nov 5, 2008 at 5:17 PM

    VITOR COMUNIAN
    Eu estava lá, eu vi tudo, ainda jovem, o Padre Walmor Chagas, era na época o padre da moda, e tudo que ele falava era lei, inclusive foi meu professora na FACECA, resolver demoliar a Matriz, foram meses de demolição, me lembro das máquinas, caminhões, mutirão, e la se foi nossa igreja. Madeira peça relação da Diretoria responsável pela Demolição. Foi o maior sacrilegio contra nossa memoria.

  • 19 Verdivga // nov 5, 2008 at 10:50 AM

    Lamentavelmente, nós, varginhenses, assistimos a derrubada da memória religiosa de nossa cidade.
    Derrubaram a Matriz do Divino Espírito Santo, a Igreja de Fátima, a Igreja do Rosário e a Igreja de Santa Cruz. Hoje, só podemos admirá-las, por fotos. Construíram, no entanto, no mesmo lugar, outros prédios.
    Alegações existiram para isso? Sim, existiram, embora não convincentes. O interessante é que mal conseguem manter funcionando o novo relógio da Igreja Matriz. Parabéns aos responsáveis pela Igreja do Mártir São Sebastião que, mesmo com o constante crescimento populacional da cidade, se mantém de pé, tal qual foi construída no século passado.

  • 20 C0nt(ato) // set 2, 2008 at 1:15 PM

    Como Assis, Marley? Para a época foi um grande projeto assim como foi a rodovária, mas o projeto é orçado em X e depois termina em x. A obra que era pra ficar faraônica fica pela metade por falta de verba. Vai entender, né? Agora se o meu barracão fosse daquele jeito eu estaria feliz. Mas ainda preferiria a antiga Matriz.

  • 21 ASSIS MARLEY // set 2, 2008 at 12:33 AM

    GRANDE PROJETO ARQUITETONICO MODERNO Cont(ato)??? Brincadeira, né!? Essa igreja parece um BARRACÃO.

    Essa obra foi GRANDE para o bolso de algúem. O espertalhão ficou rico!

  • 22 Halfi // ago 31, 2008 at 12:29 AM

    Um outro motivo alegado na época para a demolição, seria que a Igreja já estava pequena para o crescimento que a cidade vinha tendo e o projeto da nova Igreja demonstrou isso.Infelizmente Varginha não tem tendência para cidade Histórica sempre foi uma cidade em franco crescimento e se pensarmos em Historia não poderia-mos demolir a Rodoviária antiga , a praça na Av. Rio Branco a sede social do VTC a Rodovia do Contorno o Supermercado Maiolini. Podem ver que nesses lugares (com exceção da Rodoviária) deram lugar a prédios e vias funcionais, bonitos e modernos.

  • 23 Professora // ago 30, 2008 at 12:35 AM

    Que saudade da antiga Matriz!!!!!
    Era linda! Vitrais coloridos ….maravilhosos!
    Lembro-me da missa das 10h, de domingo, onde os jovens adoravam ir, pois tocavam músicas “modernas’, de Roberto Carlos…durante as missas.Pombinhas sobrevoavam o teto. Que paz transmitia, em seu interior!
    Que tristeza foi vê- la ir ao chão!

  • 24 C0nt(ato) // ago 30, 2008 at 12:01 AM

    Sorte a minha de ter conhecido a antiga Igreja Matriz quando cheguei em Varginha no ano de 1969. Mas não devemos deixar de elogiar um dos grandes projetos arquitetônicos moderno criado pelos arquitetos Gilberto Jordão e Braga jordão.

  • 25 Claudio Martins // ago 29, 2008 at 8:27 PM

    Nestes oito anos trabalhando no Museu, ouvi inúmeras pessoas declarando o absurdo que foi colocar a Igreja abaixo… Na época, década de 70, a ditadura estava ainda de olho no cidadão. E em Varginha não foi diferente, de forma velada mas o Estado tinha seus tentáculos. E a “Igreja” historicamente sempre esteve aliada ao poder do Estado. Ninguem ousou contestar o ato da derrubada com veemência. Aliás ao contrário, muitos da classe abastada ajudaram o Pároco da época. Davam dinheiro para que seus nomes constassem na nova Igreja e ganhavam “partes” do Templo, como santos, vitrais, sinos, bancos etc…
    Acredito que a derrubada seja o maior pecado histórico que cometeram… Porém, a cada dia vejo outros desatinos acontecerem. Um casarão é derrubado ali, outro lá… E as ruas minúsculas da cidade é invadida por prédios e arremedos,misturas arquitetônicas, aproveitando partes de uma construção e lojas sem eira nem beira… Progresso, pra que te quero?

  • 26 Maria José G. M. // ago 29, 2008 at 6:04 PM

    Prof Afonso, o senhor , melhor que ninguém deve saber que Historia é HISTORIA e que algum motivo havia para a frente da igreja e torre estarem naquela direçao. ( Acho q tem a ver com a origem da cidade , nao é mesmo?) Porém nem todos veem em cada canto a vida de muitos.
    Nao sou daqui, mas vejo que nao so de pirulitos (tiroles) e brincadeiras dançantes sao feitas as coincidencias.
    Em minha cidade de infancia, interior de Sao Paulo, ha tbém uma igreja construida em lugar de uma outra, historica, coincidentemente na mesma década. Que furacao foi esse? A “historia ” explica, so nao apaga as lagrimas que vi no rosto de minha mae naquela tarde qdo veio ao chao a antiga torre.
    Continue neste belo trabalho de resgate.

  • 27 F. Infect // ago 29, 2008 at 3:51 PM

    Minha preferencia seria pela antiga Matriz. Não poderiam construir outra torre? Não poderiam reforçar as paredes?
    Sinceramente não gostei da troca.

Deixe um Comentário