Blog do Madeira - Notícias de Varginha - MG

Notícias diárias de Varginha e Sul de Minas – [email protected]

Em Varginha

maio 7th, 2008 · 1 Comentário

Pegando carona na nota de cima: uma tentativa de parceria entre o setor público e o privado envolvendo uma empresa de linhas aéreas acabou frustrada, na cidade. A empresa Air Minas operou em Varginha de 16 de agosto de 2006 a 24 de dezembro de 2007. Tinha média de 2 a 3 passageiros por vôo e não conseguiu manter a linha entre Belo Horizonte, Divinópolis, São Paulo, Bauru, Araçatuba e Rondonópolis. Este jornalista antecipou o fim das atividades em novembro.

Desentendimento
Enquanto a Air Minas tentava ganhar sobrevida, novo furdunço aconteceu nos bastidores políticos de Varginha. O prefeito Mauro Teixeira (PT) acusou a câmara de ter atrapalhado a negociação para que a empresa continuasse na cidade. Ele informou que a prefeitura tinha um acordo com a empresa, cuja meta era vender 10 passagens por dia. “A prefeitura ia complementar o restante, para dar um fôlego inicial para a Air Minas”. Se fossem vendidas sete passagens, por exemplo, a prefeitura compraria três. O valor do auxílio era de R$ 200 mil.

Vícios
Já o presidente da câmara, Verdi Lúcio Melo (PSDB) disse que os vereadores não aprovaram o projeto de lei porque havia “vícios de legalidade”. “No texto enviado pela prefeitura aos vereadores, a informação era a de que as passagens seriam utilizadas pelo prefeito e secretarias. A prefeitura já havia utilizado 31 passagens aéreas antes mesmo do projeto ser enviado à Câmara”.

Tags: Economia · Política

1 Resposta Até Agora ↓

  • 1 Antonio Adilson // maio 7, 2008 at 5:38 PM

    Na realidade houve uma má negociação entre a Prefeitura e a Air Minas, pois somente o município de Varginha garantir 10 passagens (33% da lotação do avião, que é de 30 poltronas) não me parece cabível. A aviação regional recebe um percentual das passagens da aviação comercial de grande porte e por esse motivo pode voar com uma taxa de ocupação inferior a 50%. Além do mais, a passagem é caríssima.

Deixe um Comentário