Blog do Madeira - Notícias de Varginha - MG

Notícias diárias de Varginha e Sul de Minas – marcus@blogdomadeira.com.br

Blog do Madeira - Notícias de Varginha e Sul de Minas

Incidente abre crise entre Guarda Municipal e Polícia Militar de Varginha

24 de abril de 2009 · Geral ·

Uma ocorrência aparentemente simples de se resolver abriu uma ferida que já estava sendo remoída há vários meses: uma rixa velada entre a Guarda Municipal e a Polícia Militar de Varginha. A ocorrência foi no bairro Rio Verde e resultou em voz de prisão para três agentes da Guarda Municipal e para um cabo da Polícia Militar. O caso começou na manhã da terça-feira 21/4, feriado de Tiradentes. Uma mulher e uma criança portadora de necessidades especiais caíram no chão durante ataque de um cão da raça pitbull. Ninguém foi mordido, porque o pai da criança afugentou o animal com chutes. Eles ligaram para a PM para reclamar e pedir providências. No 190 foram informados de que o assunto era de competência da Guarda Municipal. A mulher e o marido ligaram para a GM. Os agentes foram ao local e notificaram o dono do animal, alegando contravenção penal, pois não guardou sob cautela animal considerado perigoso. Foi feito boletim de ocorrência e o dono do cão foi informado de que teria que comparecer à Delegacia de Polícia. Ele se negou a ir, pois teria que trabalhar naquele dia. O diretor da Guarda Municipal, Guilherme Maia, informa que os guardas municipais tentaram convencê-lo a ir para a delegacia por seis vezes. “Como ele não quis ir, os agentes deram voz de prisão. Um dos guardas estava de óculos, que bateu no rosto do rapaz, arranhou o olho e saiu um pouco de sangue. Nesse momento as pessoas que já estavam em volta acompanhando o que acontecia, ligaram para a PM. A viatura da Polícia Militar chegou e, com a Guarda Municipal, levaram a mulher e o dono do cão para o pronto-atendimento do Hospital Bom Pastor. Depois, todos foram para a Delegacia. Lá, um cabo da PM deu voz de prisão aos três agentes municipais, “por estarem exercendo uma função diferente e fora da competência da Guarda Municipal e sua função”, segundo o boletim de ocorrência da PM. Em seguida um inspetor da Guarda Municipal deu voz de prisão ao cabo “por abuso de autoridade”, de acordo com o B.O. da Guarda Municipal. Todos foram ouvidos pelo delegado e liberados em seguida.
O diretor da Guarda Municipal diz que não entende o motivo da voz de prisão dada pela PM. “Lamento a ação da polícia, estou por entender o motivo, foi totalmente infeliz. Os órgãos de segurança de Varginha são referência estadual e nacional por realizar um trabalho em parceria, acho que todos devemos nos preocupar com o bem-estar da população, e não procurar picuinhas com os outros”.
O capitão Walmir Sidney, da Polícia Militar, minimiza o acontecido. “Os guardas municipais alegaram que o dono do animal resistiu à prisão e que convidaram-no para ir à delegacia. Mas ele se machucou, teve um hematoma e corte no rosto. A população ligou para a PM para relatar isso, nossos policiais entenderam que havia necessidade de dar voz de prisão e foi feito”. Foi a primeira vez que um guarda municipal e um policial militar recebem voz de prisão em Varginha.

Guilherme Maia diz que a Guarda Municipal vai denunciar o ocorrido à Secretaria de Estado de Defesa Social e ao Ministério Público. “Vamos verificar o que pode ser feito, inclusive ingressar na Justiça”.
Já o capitão Sidney entende que “não há motivo para crise. A providência (voz de prisão aos agentes da Guarda Municipal) foi adotada porque havia indícios de que seria a medida recomendável. Inclusive levamos a vítima (o dono do cão) até o hospital”. A mulher que caiu no chão durante o ataque do pitbull foi levada na viatura da Guarda Municipal.

→ 289 Comentários

+1
-2
  

289 Comentários até o momento ↓

  • Leitor atento

    É A MAIS PURA REALIDADE DA INEFICIÊNCIA DA POLICIA MILITAR EM VARGINHA. RETIRARAM O TRABALHAM QUE OS GM’s TÃO BEM COLABORAVAM NA RUA E AINDA NÃO O FAZEM. CADÊ O POLICIAMENTO NA FRENTE DO COLÉGIO MARISTA? RICO NÃO É MULTADO! É SABIDO DO DESRESPEITO COM O CONDUTOR VARGINHENSE PELOS PAIS SOBERBOS E MOTORISTAS DE VANS NAQUELE BENDITO COLÉGIO E NADA É FEITO. VAI TRABALHAR MILITARES! PREOCUPA COM A POPULAÇÃO E NÃO COM O EGO DA CORPORAÇÃO. NOGENTA A ATITUDE DE VOCES. REPROVADO.

  • gilberto

    Que saudade do Figueiredo. Naquela época reinavam a justiça e a ordem. Agora………………

  • Manollo

    A função da Polícia Federal, Polícia Civil são funções distintas de polícia Judiciária. A Polícia Militar em qualquer atuação de infração penal, ela faz o boletim de ocorrência e encaminha a autoridade judiciária competente, pois encarregada do inquérito é a polícia judiciária.
    A guarda municipal não tem poder de polícia. Portanto, sua criação foi para proteger o patrimônio público, suas funções são distintas. Fora disto é querer rasgar a Constituição Federal.

  • lucas

    Amigos!
    Guarda municipal no brasil foi criada para tomar conta das praças resumindo todo o patrônio publico e reprimir pequenos delitos,
    Mais o que acontece que a guarda que ser independente,chegando ao ponto de dar voz de prisão a pm,

  • Leonara

    É MEUS CAROS LEITORES, ATÉ QUANDO VAMOS AGUENTAR OS DESMANDOS DE ALGUNS PROFISSIONAIS DESPREPARADOS, MILITARES QUE SE ACHAM ACIMA DE TUDO, ISSO É NOSSO BRASIL QUE USAM E ABUSAM DO “PSEUDO” PODER QUE ACREDITAM TER?

    A LEI É UMA SÓ E DEVE SER SEGUIDA POR TODOS, INDEPENDENTEMENTE DE CARGOS, PATENTES OU PRIVILÉGIOS MILITARES QUE AINDA INSISTE EM SE MANTER INTOCAVÉL NESTE PAIS DE SEGUNDO MUNDO. ESTE POLICIAL RESPONDE ATÉ HOJE NA JUSTIÇA COMUM POR ESTA ABERRAÇÃO CORPORATIVISTA.

  • Lima

    Meus amigos!!!!!
    Aonde já se viu GUARDA MUNICIPAL da voz de prisão a um POLICIAL MILITAR.
    Afinal e brasil em todo o brasil foi criada esta instituição que na verdade e dependente direta da PM, pois quando a coisa aperta e a PM que tem que resolver.
    Estes caras tem que tomar conta e de hospitais , escolas e praças que ja esta de bom tamanho.
    Na verdade toda a guarda municipal tem que ter um comando de um militar para dar aquela moral.
    Talvez daqui uns 200 anos esta guarda se torna uma instituição de verdade.
    Aqui no RIO DE JANEIRO não e diferente eles somente fazem M.

  • Fabio

    Caro amigo BACANINHA até o momento estou concordando com voce, furada vai ser essa entrega de trãnsito para a PM… PSDB adora isso.

  • Bacaninha

    INOVAÇÃO? CPCS CONTINUA A MESMA QUANTIDADE…DÃO 30,000.00 PARA O BOA, POR MÊS.. OS FUNCIONÁRIOS FORAM ILUDIDOS E AGORA ESTÃO CHORANDO PELOS CANTOS DA CIDADE, SEM AUMENTO SALARIAL, ETC…REMÉDIOS CADÊ? MÉDICOS NA UPA CADÊ? POLICLINICAS NEM GINECOLOGISTA TEM… GAZOLINA PROS CARROS DA PREFEITURA, CADÊ? MAS OS CPCS SÓ CRESCENDO….. GENTE SE LIGA, RENOVAR DE FATO, TINHA QUE TER VOTADO NO RENATO OU KIKO, AGORA CHORA, CHORA,CHORA… MAS PORQUE FICOU ILUDINDO O POVO COM TANTAS PROMEÇAS ESTAVAM DE FALSAS? ESTAVÃO DE OLHO SÓ NA ARRECADAÇÃO? AGORA FALTA DE COMPÊTENCIA É NOTÓRIA… TUDO AGORA É CULPA DO FALECIDO, JA PASSOU BOLA PRA FRENTE, NÃO SOMOS BOBOS LEMOS QUE UM SENADOR LIBEROU VERBAS PRA SAUDE MAIS DE 1 MILHÃO CADÊ ? VAI DAR PRO BOA? OU PROS CPCS? SE LIGA GENTE!!! É TUDO FARINHA DO MESMO SACO.. VÃO TIRAR DOS POBRES IPTU DOBROU DE UM ANO PRA CÁ.. ABSURDO

  • Mirela

    ALEXANDRE ……. VOU TER QUE CONCORDAR COM VOCÊ, GUILHERME, MACIEL FOI UMA DUPLA QUE REALMENTE DEU CERTO, TRABALHO EM UMA ESCOLA E POSSO AFIRMAR QUE ÉRAMOS APOIADO EM TUDO QUE PRECISAVAMOS, SEGURANÇA, PALESTRAS E AGORA SÓ TRISTEZA DE VER A REVOLTA INQUIETANTE DOS FUNCIONÁRIOS E A QUE PONTO CHEGOU ESTA NOBRE INSTITUIÇÃO.

  • Mirela

    ALEXANDRE ……. VOU TER QUE CONCORDAR COM VOCE, GUILHERME, MACIEL FOI UMA DUPLA QUE REALMENTE DEU CERTO, TRABALHO EM UMA ESCOLA E POSSO AFIRMAR QUE ERAMOS APOIADO EM TUDO QUE PRECISAMOS, SEGURANÇA, PALESTRAS E AGORA SÓ TRISTEZA DE VER A REVOLTA INQUIETANTE DOS FUNCIONARIOS E A QUE PONTO CHEGOU ESTA NOBRE INSTITUIÇÃO.

  • Alexandre

    A Guarda de Varginha foi um exemplo para todo o Brasil quando era dirigida pelo Guilherme e teve o Gilciney e Maciel como comandantes, despois deles, ACABOU… E tinha Guarda que reclamava, não vê que matando a instituição está aos poucos se matando, pois quem vai querer investir em uma Corporação sem atribuição, sem auto-estima… A Polícia reclamava pois via a GM de Varginha crescendo, sendo mais querida e respeitada do que ela…

  • Rodrigo

    Hoje tem Guarda aqui em Varginha? Ta vendo voces eram felizes e não sabia, a guarda não faz nada e a PM ajuda, tamo ferrado, só vir aqui na praça do Barcelona e dar uma olhadinha.

  • Cristiane

    NESTE TEMPO A GUARDA TRABALHAVA, TANTO QUE INCOMODAVA A PLICIA MILITAR, AGORA É DE DAR DÓ.

  • Alexis Aleixo Domingues Rodrigues

    Sao tods uns froxo… Os guardar municipais sao chamados de power ranger kkkk e os Pm de cochinha…. ninguem faz nada nessa cidade e ainda fica brigando… que mais é q c Explodaooo

  • Douglas

    Blá.Blá,Blá.Ladainha furada!

  • agenda 21 responde

    Guerra besta das letrinhas, PM,GM,se cada um fizer sua parte ficaremos bem ,afinal todos recebem do meu suado dinheirinho,parem com a palha çada vao cuidar do nosso povo.

  • d´Sousaal Saddan

    Edição do dia 28/12/2011
    28/12/2011 08h18 – Atualizado em 28/12/2011 08h18
    PM mata sargento do Exército a tiros em briga de trânsito em São Paulo
    Segundo a Polícia Civil, ele estava de folga nesta terça-feira (27) e portava uma arma de uso pessoal. Por isso, poderá ir a júri popular.

    O PM Adilson Luiz de Oliveira deixou a delegacia depois de prestar depoimento, que foi acompanhado por policias militares e do pelotão de investigação criminal do exército.
    Ele foi preso em flagrante depois de matar com quatro tiros o sargento do Exército Jucelino de Sousa Dias, de 38 anos. O crime ocorreu depois de uma briga de trânsito em Carapicuíba, na região metropolitana de São Paulo.
    Segundo testemunhas, o carro do sargento fechou a moto pilotada pelo policial militar, que passou a segui-lo. Durante a perseguição, o PM deu um tiro para o alto. Os dois pararam e começaram a discutir. Um apontou a arma para o outro. Daí em diante as versões são diferentes.
    Arivaldo e a sogra dele estavam no carro com o sargento Jucelino. Ele diz que o amigo baixou a arma antes de ser atingido. “O Juscelino falou ‘Abaixa sua arma que eu abaixo a minha’. Quando ele abaixou, o outro já começou a atirar”, conta.
    A porta-voz da PM, major Márcia Lopes Maciel, conta outra história. “Eu sei que o policial efetuou os disparos com a arma de fogo e que a arma do sargento demonstra que ele acionou o gatilho, que ele tentou utilizar a arma, mas a munição dele não saiu”.
    À noite, o PM foi levado para o Presídio Romão Gomes da Polícia Militar em São Paulo. O PM vai permanecer no presídio à disposição da Justiça. Segundo a Polícia Civil, ele estava de folga nesta terça-feira (27) e portava uma arma de uso pessoal. Por isso, poderá ir a júri popular. O sargento Jucelino fez parte das forças enviadas ao Haiti.

  • p/ Preocupada!!

    Preocupada com o que? Com a vida dos outros, a conversa alheia ou o bom andamento das novelas??? Hã?!?
    Sua roupa precisa ir para o tanque e o seu feijão precisa sair do fogo antes que vire cinzas!!!

  • d´Sousaal Saddan

    SEGUNDA-FEIRA, 12 DE DEZEMBRO DE 2011

    PMs são presos suspeitos de envolvimento em briga ocorrida numa boate na Ilha do Governador
    Extra

    Dois policiais militares – um capitão e um cabo – foram presos suspeitos de envolvimento numa briga na Ilha do Governador. A informação é do telejornal “Bom Dia Rio”, da TV Globo. A confusão foi numa boate. Rorion Moraes, de 28 anos, sofreu inúmeras agressões na cabeça e perdeu seis dentes.

    Os PMs foram identificados pelas câmeras do circuito interno da casa noturna no momento em que chegaram ao local. As imagens mostram quando a vítima se desentende com um homem. Um amigo tenta afastá-lo e ele cai. Ao se levantar, leva um soco e, em seguida, é atingido por um banco de madeira. Desmaiado, ele leva mais chutes, que só param quando os seguranças da casa entram em ação.
    A Polícia Civil informou que uma patrulha esteve no local na noite do incidente. Os PMs não prenderam os acusados, foram identificados e serão indiciados por prevaricação. Nesta segunda-feira, outro envolvido na briga prestará depoimento.

    - Podia ter morrido, podia ter ficado aleijado. Do jeito que eles agiram ali, uma pessoa normal não age – disse Rorion Moraes.

    Já a Corregedoria da Polícia Militar investiga se outros policiais tiveram envolvimento com a briga. Os PMs já identificados ficarão presos administrativamente por 72 horas.

    Leia mais: http://extra.globo.com/casos-de-policia/pms-sao-presos-suspeitos-de-envolvimento-em-briga-ocorrida-numa-boate-na-ilha-do-governador-3430284.html#ixzz1gKXKYEm8

  • d´Sousaal Saddan

    PMs são presos suspeitos de agredir homem em boate
    Rio – Um capitão e um cabo da Polícia Militar foram presos suspeitos de envolvimento em uma briga dentro de uma boate na Ilha do Governador, na Zona Norte. Rorion Moraes, de 28 anos, foi agredido na madrugada da última sexta-feira e sofreu lesões na cabeça. Câmeras do circuito interno da casa noturna flagraram as agressões.

    Rorion foi agredido com socos e chutes. Um dios homens chegou a atirar um banco de madeira contra a cabeça da vítima, que desmaiou. Outro envolvido na confusão prestará depoimento nesta segunda-feira. Os PMs foram identificados e serão indiciados por prevaricação. Eles ficarão presos administrativamente por 72 horas.

    disponível em:

  • d´Sousaal Saddan

    Soldado que participou da operação que capturou Nem é preso
    POR FLÁVIO ARAÚJO

    Rio – O soldado Silva Júnior, um dos PMs que participaram da prisão do Nem da Rocinha, foi preso por policiais do 5º Batalhão assaltando pessoas na saída do túnel da Rua Henrique Valadares, no Centro, no fim da noite deste domingo. Segundo os PMs que efetuaram a prisão, ele apresentava sinais de alteração, possivelmente estando drogado ou embriagado.

    Apesar de não estar fardado nem de serviço, ele usou sua pistola para dar uma coronhada em uma das vítimas. O soldado foi encaminhado para a 5ª DP (Mem de Sá).

    disponível em: http://odia.ig.com.br/portal/rio/html/2011/12/soldado_que_participou_da_operacao_que_capturou_nem_e_preso_211839.html

  • Preocupada!!

    Em vez de vocês ficarem ai brigando e defendendo policiais,militares, civis e guarda municipal…levem eles pra casa de vocês!!!!Acaba briga….

  • d´Sousaal Saddan

    Flagrante efetuado por guardas municipais tem validade

    A 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo manteve decisão da Comarca de Itapira para condenar quatro pessoas por tráfico de drogas à pena de quatro anos de reclusão. Os réus foram abordados em flagrante por guardas municipais e a defesa alegava que, por essa razão, a prova deveria ser considerada ilícita.
    De acordo com o voto do relator do recurso, desembargador Ruy Alberto Leme Cavalheiro, o artigo 301, do Código de Processo Penal, estipula que qualquer pessoa poderá, e as autoridades policiais e seus agentes deverão, prender quem quer que seja encontrado em flagrante delito. “Esse princípio legal permite, portanto, que qualquer do povo, aí incluídos guardas municipais, possam efetuar prisão”, afirmou o relator.
    A defesa pretendia anular a prova obtida por intermédio dos guardas, mas a turma julgadora negou o pedido. “Tiveram a ‘notitia criminis’, dirigiram-se àquele local e encontraram situação que lhes pareceu ser de cometimento de crime, em análise para este momento inicial. Agiram nesse sentido e não encontro aqui dissonância com a divisão das polícias e suas atividades na Constituição Federal”, disse Cavalheiro.
    O julgamento do recurso teve votação foi unânime. Também participaram os desembargadores Fernando Simão e Luiz Pantaleão.

    Apelação nº 0001351-90.2008.8.26.0272.

  • Mohhamed

    é o que me faltava, já não tinha uma, dai criam outra e agora não temos nem uma, nem outra…..

  • ze roxo

    o cidadaõ! a guarda é para cuidar dos bens publicos, só isto, larga de viajar na maionese. .comandante.

  • Pedreiro

    Na minha opnião , tinha que se acabar com essa rivalidade de PM e GM , quem perde com isso é somente a população , ou seja , cachorro de dois donos morre de fome , um vai deixar para o outro e nenhum dos dois fará nada . Cada um deve fazer a sua parte da melhor forma possível e acabar com essa ladainha , pelo menos é o que nós cidadãos esperamos de vcs e que em nossa cidade seja exemplo de segurança pública , idenpendente da cor do uniforme de quem o faça .

  • para o CIDADÃO

    Até qdo vc vai ficar nesse sono hein? Não acha que já tá na hora de acordar não? Só tem comentário seu aqui, a maioria com com pseudonimos diferentes. Tá na hora de mudar, cara! ENTENDA E ACEITE: ” O POVO BRASILEIRO É BURRO E VOTA COM O ESTÔMAGO, (algumas vezes acho que vota com a bunda mesmo, porque nunca vi tanta cagada como tem por aí…). O POVO TEM EXATAMENTE O QUE MERECE: OS POLÍTICOS, OS HOSPITAIS, O TRANSPORTE PÚBLICO, A POLÍCIA (seja ela militar, civil, federal, rodoviária, ferroviária, aquática, subterrânea, simultânea, aérea, honesta, corrupta, municipal, estadual, qualquer desta aí que ocasionalmente venha a servir…) O RESPEITO, A SAÚDE E ETC… ISSO NUNCA VAI MUDAR. DAQUI 15 OU 20 ANOS, EU ESTAREI APOSENTADO DA MESMA FORMA QUE VOCÊ. E DE QUE VAI ME SERVIR A POLÍCIA SER OU NÃO SER MILITAR? NADA! TALVEZ LHE SIRVA PRA MASSAGEAR O EGO… PRA MIM SERÁ UMA QUESTÃO INSIGINIFICANTE. TALVEZ PRA VC SEJA COMO UM ORGASMO, JÁ QUE COM MAIS DE 60 NEM O VIAGRA VAI ESTAR TE AJUDANDO MUITO, OU TALVEZ VC GOSTE DE OUTROS BRINQUEDINHOS!!! SEI LÁ! NUNCA SE SABE… Mude de assunto cara, vc é voto vencido! a função principal do COVEIRO é enterrar os mortos e deixá-los descansar e não o contrário. Esse assunto já tá morto, por favor deixe-o enterrado!

  • cidadão

    o proximo passo para a modernização da segurança pública é municipalizá-la, como é feito em países mais desenvolvidos que o brasil. a policia militar está com os dias contados,nos proximos 15 ou 20 anos deixará de existir, e o termo militar será só do exercito marinha e aeronáutica. as policias militares foram constituidas para defender os interesses dos militares e oligarcas da politica do café com leite do século passado. as primeiras guardas do brasil, imperial e republica velha eram civis

  • cidadão

    “Ser Guarda Municipal exige a rapidez de um executivo, a coragem de um herói, o discernimento de um juiz e o tato de um psicólogo.”

  • cidadão

    resposta ao ” senhor ” capitão caveraaaaa que postou por aqui :
    meu caro amigo as guardas nao precisam de voces pm , pelo contrario voces precisam delas .
    por que elas fazem seus trabalhos e bem feito ! assim como mostra a ultima pesquisa do IBOPE , tendo a guarda em 3° lugar e a sua “gloriosa” PM em apenas 7° lugar em credibilidade entre a população . As guardas nao querem disputar nada com voces , e pelo contrário querem união e força . Até por que as guardas foram criadas para alem de olhar patrimónios públicos , tamben para suprir as dificuldades e nessecidades do estado na area de segurança pública.
    E concerteza fazem isso com muito orgulho os guerreiros sangue azul marinho, até porque o maior património deles são sem duvidas o cidadão.
    E para finalizar : Todos GMs desejam todos vocês PMs muita saude e vida , para ver a vitória deles em PÉ .

  • cidadão

    GUARDA MUNICIPAL: 3º LUGAR EM CREDIBILIDADE EM PESQUISA DO IBOPE, perdendo apenas para Forças Armadas e Polícia Federal

    Toga suspeita

    Já sob o impacto da denúncia da ministra Eliana Calmon, do STF, de que há “bandidos de toga”, uma pesquisa de outubro mostra a que ponto chegou a imagem do Judiciário junto à população.
    No ranking de 11 instituições avaliadas só o Congresso tem nota pior.
    O povo deve ter lá suas razões para confiar mais no guarda (municipal) da esquina (tabela).
    É de fazer corar a imagem de pedra de Têmis, deusa da justiça.

  • coxinhas

    ai amigo pm do destrito federal , que deixou esse infeliz comentario bem acima !
    para que estudar para ser pm ? para ser corrupto , ganancioso que só pensa no seu maldito ” bico ” que é o maior causador de problemas com as guardas municipais.
    os guardas nao querem seus bicos nem sua pretigiosidade com a população ! até pq eles ja tem !
    E mais uma coisa os guardas vieram para somar e nao subritair !

  • Dionisio

    Erros existem do dois lados, porém o que falta é competência para corrigi-los de forma a não permitir que se repitam, e isto cabe aos dois comandos tanto da PM como GM, levando-se em conta também que quando alguem se inscreve para vir a fazer parte destas quarnições o candidato se apresenta como sendo uma pessoa equilibrada, sensata, enfim detentora de todas as qualidades necessárias para a execução destes cargos, porém ao conseguirem aprovação e ao inicirem suas atividades se mostram totalmente diferentes daquilo que apresentaram na época de suas candidaturas, se tornando pessoas ARROGANTES, PREPOTENTES, DESCONTROLADAS, enfim mostram suas verdadeiras personalidades, ou seja NÃO digo DESPREPARADAS porque isto elas receberam na academia, porém suas intenções são outras, já cansei de ver alguns GMs dando prova de total descontrole em situações digamos até corriqueiras em que com um pouco de bom senso tudo pode ser resolvido, mais eles não conseguem ou não querem resolver assim a situação, e por isto passam a agir de forma totalmente desiquilibrada e as vezes violenta.
    Agora imagine você se tivesse sido liberado o uso de armas de fogo para a GM, infelizmente por culpa de alguns GMs (felizmente são poucos) teríamos que correr um alto risco devido ao descontrole destes “poucos”, pois não posso aqui generalisar e dizer que todos os GMs e PMs de Varginha são assim, porque sabemos que existem GRANDES PROFISSIONAIS em ambos os seguimentos, mais infelizmente existem as exceções e quero crer que isto não irá durar muito tempo visto que o processo seletivo está se afunilando aos poucos e melhorando muito a escolha de seus futuros colaboradores do Setor de Segurança Pública.
    Mais por enquanto devemos ainda nos precaver de não entrar em demanda com alguns destes servidores por questão de segurança, não nos esquecendo porem de lembrá-los de que seus salários saem dos nossos bolsos através dos nossos impostos.
    SOCIEDADE PERFEITA É AQUELA EM QUE PREVALECE O RESPEITO E A EDUCAÇÃO.

  • Saddam Al Salem

    Fala sério, onde passa PM a coisa fica preta, parece praga está envolto em tudo de ruim…..isto precisa mudar

    Ministro diz que recebeu policial a pedido de Agnelo

    O ministro do Esporte, Orlando Silva, afirmou hoje que recebeu apenas uma vez o policial militar João Dias Ferreira que o acusa de receber propina em contratos firmados na pasta. Segundo ele, o encontro aconteceu quando era secretário-executivo da pasta a pedido do então ministro, Agnelo Queiroz, atual governador do Distrito Federal (DF). ‘A única vez que encontrei este caluniador foi no Ministério do Esporte. Eu era secretário-executivo do Agnelo, que me recomendou que recebesse e firmasse o convênio’, disse Orlando.

    Segundo ele, a conversa com o policial militar aconteceu entre o final de 2004 e início de 2005. Os convênios com a associação de João Dias e a federação brasiliense de Kung Fu, presidida por ele, foram firmados em 2005 e 2006. Orlando afirmou que o convênio foi celebrado devido a ‘experiência da entidade’ em um trabalho social na cidade de Sobradinho.

    Orlando disse acreditar que o pedido feito por Agnelo em favor das entidades de Dias foi de ‘boa fé’. ‘O governador do Distrito Federal é pessoa correta. É uma pessoa bem intencionada, defende o interesse público. É uma pessoa que agiu de boa fé. Acreditou nas intenções, nas atitudes manifestadas por algumas pessoas. Quero acreditar nisso’.

    O ministro reiterou suas declarações de inocência em relação à acusação de recebimento de propina. ‘Eu repudio veementemente as falsidades publicadas na reportagem’. Ele voltou a chamar Dias de ‘bandido’, disse que sua honra foi ferida e que deseja ‘restabelecer a verdade’. Destacou ainda as medidas tomadas de pedir investigação junto à Polícia Federal e o Ministério Público. Informou ainda ter pedido para apresentar pessoalmente suas explicações à comissão de ética pública da Presidência da República.

    Orlando destacou que o Ministério busca no Tribunal de Contas da União (TCU) retomar recursos que teriam sido desviados pelas entidades de Dias. Atribuiu a acusação a uma possibilidade de condenação do policial militar em uma ação penal em tramitação. O ministro destacou ainda uma decisão do ministério de não mais firmar convênios com entidades não-governamentais no âmbito do programa Segundo Tempo. Questionado sobre o porquê não havia uma portaria oficializando a decisão, afirmou que isso poderá ser feito.

  • Al Saddan

    NOTÍCIA CENSURADA PELA SECRETARIA DE SEGURANÇA: CAPITÃO ROBINSON GIMENES FERREIRA e TENENTE EMERSON FABIANO CACCIACARRO, OFICIAIS DA PM DE SP QUE EXPLORAVAM PROSTITUIÇÃO USANDO ADOLESCENTES E SE PASSAVAM POR POLICIAIS CIVIS PARA EXTORQUIR PEDÓFILOS FORAM DEMITIDOS POR GERALDO ALCKMIN
    12/10/2011Deixar um comentárioIr para os comentários
    O crime foi descoberto no dia 18 de janeiro de 2010, quando policiais do 36 Batalhão da PM, responsável pela segurança em Taboão e em Embu, foram presos durante desdobramento de investigação do DEIC e da Corregedoria Geral da Polícia Civil.

    Os oficiais usavam adolescentes , com idade entre 14 e 16 anos, para seduzir empresários e comerciantes em um bar de Taboão. Contratado o “programa” rumavam para motel, onde , logo em seguida, os policiais militares armavam o flagrante; identificando-se como policiais civis.

    Sob a acusação de pedofilia, os oficiais – “disfarçados de Delegados” – extorquiam as vítimas para não levá-las ao DEIC. Os fatos ( na época ) foram mantidos em segredo por 10 dias, acabando noticiado ( apenas pelo Diário de São Paulo ) de forma deturpada , sem mencionar as circunstâncias e identidade dos envolvidos; como se o esclarecimento tivesse sido realizado pela Corregedoria da PM.

  • Jairo Antonio Pimenta

    Não existe nada entre a Guarda Municipal e a Polícia Militar, pois a constituição brasileira já denomina a funções de segurança pública, e a missão da Guarda principal é cuidar do patrímonio público, que esta sendo destruido e o prefeito que é o responsável pelo comando da Guarda não faz nada, por isto há estes comentarios. Cada instituição deve cuidar do que a consttituição determina.
    Jairo

  • Al Saddam Salem

    Decretada a prisão de mais um PM pela morte da juíza
    Agência EstadoPor Marcela Bourroul Gonsalves | Agência Estado –

    O soldado da Polícia Militar Handerson Lents Henriques da Silva, acusado de participar do assassinato da juíza Patrícia Acioli, teve sua prisão temporária decretada hoje. A decisão é do juiz Petersen Barroso Simão, da 3ª Vara Criminal de Niterói, e vale pelo prazo de 15 dias.

    De acordo com o pedido de prisão feito pelo delegado titular da Divisão de Homicídios, Felipe Ettore, e reiterado pelo Ministério Público, o soldado Lents teria indicado o endereço da juíza aos assassinos no mês de julho, um mês antes do crime.

  • Al Saddam Salem

    A motivação para o assassinato da juíza Patrícia Acioli seria uma investigação sobre o envolvimento do tenente-coronel Claudio Luiz Oliveira, que foi exonerado nesta terça-feira (27/9), em casos de corrupção e execuções. O ex-comandante do 7º BPM (São Gonçalo) foi apontado como o mandante da morte da juíza por um dos cabos que já se encontrava preso pelo crime, em acordo de delação premiada.

    A afirmação foi feita pelo delegado da Divisão de Homicídios da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Felipe Ettore, em entrevista coletiva à imprensa na tarde desta terça-feira (27/9).

    O nome do cabo que acusou o ex-comandante não foi revelado. Ele se beneficiou da delação premiada, em audiência de antecipação de provas realizada nesta segunda-feira (26/9), depois da qual o juiz Petersen Barroso, da 3ª Vara Criminal de Niterói, decretou, a pedido do Ministério Público, a prisão temporária, por 15 dias, de mais sete policiais militares: além do tenente-coronel Claudio Luiz, os PMs Charles de Azevedo Tavares, Alex Ribeiro Pereira, Carlos Adílio Maciel Santos, Sammy dos Santos Quintanilha, Jovanis Falcão Junior e Junior Cezar de Medeiros.

    O delator e sua família foram incluídos no serviço de proteção à testemunha, a pedido da Defensoria Pública. Os outros policiais deverão ficar no presídio Bangu VIII.

    O secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame, destacou a “maneira transparente” como vem sendo conduzida a investigação que, segundo ele, está próxima do desfecho. “Mas como ainda há pessoas a serem ouvidas, não podemos revelar alguns fatos”, completou. Ao seu lado, a chefe da Polícia Civil do Rio, delegada Martha Rocha, fez coro, pontuando que “antes de 60 dias a Polícia Civil já terá concluído o inquérito do assassinato de Patrícia Acioli”. A delegada informou, ainda, que até o momento 380 armas foram periciadas.

    Desfecho próximo
    Indagado pelos jornalistas se é possível fazer alguma previsão, o delegado Felipe Ettore reiterou que “o desfecho está próximo”. “Há testemunhos de que o tenente-coronel Claudio é o autor intelectual dessa trama macabra. Ele ia ser preso mais cedo ou mais tarde”, completou. Questionado sobre o papel de cada um no crime, o delegado disse que prefere aguardar os depoimentos que restam para se pronunciar.

    O procurador-geral do Estado do Rio, Claudio Lopes, anunciou que, após as prisões temporárias, começa agora a “fase judicial”. Ele fez questão de parabenizar a Polícia “por elucidar num prazo curto esse crime bárbaro”.

    Questionado por um jornalista, o secretário José Beltrame negou que a transferência de comando do Batalhão de São Gonçalo para o da Maré não teria sido uma espécie de “promoção” para o tenente-coronel Claudio Luiz. “Proteção nunca houve, nunca haverá. Quem me conhece sabe que não compactuo com isso.”

    Magistratura atenta
    Ao agradecer, “em nome da magistratura fluminense”, o presidente da Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro (Amaerj), desembargador Antonio Cesar Siqueira, salientou que a Polícia Civil, “mesmo diante de um crime sem testemunhas e apenas com provas técnicas, apontou três executores no prazo de um mês”. “Naquele momento, afirmamos que o inquérito prosseguiria, porque estávamos certos de que havia um mandante”, disse. “Temos que fazer justiça de forma tranquila, não somos justiceiros”, completou.

    Ainda de acordo com o desembargador, se por um lado “é preciso parabenizar a Polícia Civil pela investigação, em que todos mantiveram o respeito à regra do silêncio”, por outro, não pode passar em branco o fato de que um comandante da Polícia Militar esteja envolvido no crime da juíza Patrícia Acioli. “É inaceitável que certas pessoas, algumas ocupando cargos de comando na PM, estejam envolvidas num crime como esse. Temos que reinventar o Estado.” Com informações da Assessoria de Imprensa da Amaerj.

    Revista Consultor Jurídico, 27 de setembro de 2011

  • Al Saddam Salem

    Justiça decreta prisão de tenente-coronel pela morte da juíza Patrícia
    Ordem para o crime teria sido dada quando Cláudio Luiz de Oliveira ainda era comandante do batalhão de São Gonçalo

    iG Rio de Janeiro | 27/09/2011 05:25

    Notícia anterior Justiça decreta prisão de suspeito de assaltar albergue no Rio
    Próxima notícia Justiça decreta prisão de tenente-coronel pela morte da juíza Patrícia

    Texto:

    O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro decretou no final da noite desta segunda-feira (26) a prisão do tenente-coronel Cláudio Luiz de Oliveira, ex-comandante do 7º BPM (São Gonçalo) e que atualmente estava à frente do 22º BPM (Maré). Ele é apontado como o mandante do assassinato da juíza Patrícia Lourival Acioli, ocorrido no dia 11 de agosto no município de Niterói, na Região Metropolitana do Rio.

    A ordem para o crime teria sido dada quando Oliveira ainda comandava o batalhão de São Gonçalo. Além do tenente-coronel, outros cinco policiais que trabalhavam com o ex-comandante na mesma unidade também tiveram as prisões decretadas nesta segunda-feira pela 3ª Vara Criminal de Niterói.

    Foto: Reprodução Facebook

    Patrícia Acioli tinha 47 anos e foi morta quando chegava em sua casa, em Niterói
    Leia também:

    Antes de ser morta, juíza decretou prisão de PMs
    Policiais premeditaram a morte da juíza Patrícia

    Os PMs são acusados de acusados de forjar um auto de resistência (morte em confronto com a polícia) para acobertar o assassinato de um jovem identificado como Diego da Conceição Beliene, de 18 anos. O crime ocorreu no mês de junho durante uma operação do Grupo de Ações Táticas (GAT) do 7º BPM no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo.

    Após chegar à conclusão de que teria sido um assassinato, a juíza Patrícia decidiu incluir no inquérito toda a guarnição do grupo que participou da operação policial.

    Até então, somente dois PMs estavam presos por causa do crime. A decisão teria sido o motivo do assassinato da magistrada, segundo investigação da polícia.

    Histórico

    A Justiça já tinha decretado no dia 11 de setembro a prisão de três PMs pela morte de Patrícia. O tenente Daniel dos Santos Benitez Lopes e os cabos Sérgio Costa Júnior e Jefferson de Araújo Miranda teriam assassinado a magistrada acreditando, equivocadamente, que a prisão deles pela morte do jovem Diego ainda não havia sido decretada.

    Eles não contavam, no entanto, que, horas antes de ser assassinada, Patrícia já tinha oficializado a medida. No último dia 19, a Justiça determinou que os três PMs fossem transferidos para carceragens diferentes para que não combinem estratégias de defesa.

    A prisão do ex-comandante do 7º BPM teria sido decretada após um dos cabos já presos ter relatado que Oliveira havia sido o mandante do crime. O agente fez a revelação para obter o benefício da delação premiada, que acarreta uma provável redução de pena.

    Patrícia foi assassinada no final da noite do dia 11 de agosto com 21 tiros quando chegava a sua casa, no bairro de Piratininga, em Niterói. No momento, a juíza, de 47 anos, estava sem seguranças.

Deixe seu Comentário

Loading Facebook Comments ...