Holocausto Brasileiro: jornalista e escritora Daniela Arbex ministra palestra em Varginha

  

Renomada jornalista prestigia Comunica Mundo em dia voltado a luta antimanicomial O III Congresso Internacional do Grupo Unis, recebeu na noite desta quinta (18/5), a jornalista investigativa e autora dos livros, Holocausto Brasileiro e Cova 312, Daniela Arbex. Com mais de 20 prêmios nacionais e internacionais, entre eles três prêmios Esso, o americano Knight International Journalism Award de 2010 e do prêmio IPYS de Melhor Investigação Jornalística da América Latina de 2009, Daniela Arbex foi convidada a ministrar palestra com o tema “Holocausto Brasileiro”, título de seu primeiro livro Best-seller, lançado em 2013.

A idéia de trazer a autora mineira partiu da coordenadora de curso de Jornalismo do Unis, Gisele Nishiyama, responsável pelo evento integrado ao III Congresso Internacional “Comunica Mundo”. A oportunidade trouxe reflexão, afinal dia 18 de maio é dedicada a luta antimanicomial, assunto concomitante com o tema discutido e abordado pela palestrante, que atraiu público recorde no Comunica Mundo.

A jornalista contou um pouco do seu primeiro livro o “Holocausto Brasileiro”, no qual ela expõe a história do hospício na cidade de Barbacena, em Minas Gerais. Ao longo de anos, milhares de pacientes foram internados à força, sem diagnóstico de doença mental. Arbex ressaltou que não havia critério médico para a internação. Muitos deles eram apenas epiléticos, alcoólatras, homossexuais, prostitutas, meninas grávidas pelos patrões devido a estupro, mulheres confinadas pelos maridos, moças que haviam perdido a virgindade antes do casamento, pessoas na época consideradas desviadas socialmente.

Nesse local eram torturados, violentados, morriam de fome, diarreia, frio sem que ninguém se interessasse pelos fatos que lá ocorriam.

No final da palestra, Arbex respondeu várias perguntas de estudantes e espectadores diversos, que questionaram sobre o caso que mais marcou a autora no processo de produção do livro; a jornalista contou que foi ouvir histórias de mães que na época eram internas, e que tiveram os filhos arrancados de seus braços e levados à adoção. Nessa fase do trabalho, a jornalista amamentava o filho que era pequeno, deixando-a mais sensibilizada.

A expressão de emoção e contentamento com a palestra era notória nos espectadores, que em diversos momentos se emocionaram com os relatos de Daniela Arbex. Para a estudante do 3° período de Jornalismo da instituição Paula Vilela, Arbex consegue inspirar os estudantes de comunicação, a buscarem sempre a versão do outro lado das histórias, e principalmente dar vozes aos socialmente mudos (excludentes da sociedade), e ainda manter sempre compromisso com a ética e informação.

Texto: Rayssa Michele
Vídeo: Igor Andrade

anuncio-giggio-spaguetti-2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display