Você repórter: acidente na “curva da morte”

  

Um caminhão carregado de café tombou na estrada que liga Varginha a Três Pontas. Foi na tarde de hoje (12). Ninguém ficou gravemente ferido. Motoristas pararam e ajudaram a recolher a carga. O comentário abaixo e as fotos foram enviadas pelo professor Afonso Paione.

“Envio duas fotografias do acidente ocorrido agora a tarde na MG 167 próximo ao km 38, no local conhecido como “curva da morte”. Desta vez foi uma carreta carregada de café e não sei se houve vítimas. A MG 167 foi asfaltada em 1967 e nesses 43 anos o local mostrado pelas fotografias foi palco de inúmeros acidentes. Praticamente todo mês ocorre pelo menos um acidente nesta curva. Não tenho estatísticas, mas falo sem medo de errar em centenas de acidentes no local.
Podemos considerar a tal curva da morte como um erro grosseiro de engenharia ou será que os motoristas tornam-se momentaneamente “barbeiros” quando passam pelo local? Aliás não só a curva do km 38 tem erros como toda a MG 167 é cheia deles. Muitas vidas já foram perdidas na curva da morte e em toda a MG 167.
O Governo cuida de maquiar a estrada e jamais se preocupou em corrigir seus erros. Eu passo pelo menos duas vezes por dia por ali e sei como é perigoso.
Ao pessoal da área jurídica que lê o Blog, principalmente Dr. Carlos Cornwall, eu faço a seguinte pergunta: seria possível entrar com uma ação contra o DER e/ou o Governo do Estado para consertar definitivamente a curva da morte ou vamos ser obrigados a escutar

pelo resto de nossas vidas os agentes do trânsito posando de bons mocinhos nos feriados dando entrevistas às tv’s e jogando toda culpa de acidentes nos motoristas?
O tempo da ditadura já passou. Chega de enganação. Não sei como o pessoal que cuida daquela via dorme tranquilo e sem peso na consciência…” (Professor Afonso Paione)

Marcus Madeira

Advogado e jornalista, escreve diariamente a Coluna do Madeira desde 1999. Editor do Jornal Folha de Varginha. Integra a diretoria voluntária da Abraço (Associação Brasileira Comunitária de Prevenção ao Abuso de Drogas) de Varginha. É sócio-representante da Agência de Notícias Argumento, no Sul de Minas. Cruzeirense.

28 comentários em “Você repórter: acidente na “curva da morte”

  • 19 de agosto de 2010 em 12:35 AM
    Permalink

    Falha nossa. Não é deixar a vida correr. É deixar a curva mal feita por lá para as pessoas morrerem. Perfeito!

  • 19 de agosto de 2010 em 12:16 AM
    Permalink

    Pois é sr. Baader. Vamos “trancar o tópico e fechar o assunto”(13/08/2010).
    E deixar a vida correr. Perfeito

  • 16 de agosto de 2010 em 2:59 PM
    Permalink

    “As estradas paulistas foram construídas com segurança e técnica moderna…”

    Qndo estou indo pra Caraguatatuba, entre outras, percebo o quão bem construídas são essas rodovias paulistas…

    Quem pratica a direção defensiva, não abusa da velocidade, respeita a sinalização, dificilmente irá morrer ou sofrer acidente nas tais “cidades mal planejadas de Minas…” .

  • 16 de agosto de 2010 em 10:34 AM
    Permalink

    É, nesse domingo teve mais um acidente…

  • 16 de agosto de 2010 em 1:07 AM
    Permalink

    Professor Paione, Li Sua Materia sobre a curva da morte. e no final da noite do mesmo dia perdi um amigo nessa curva. muito triste

  • 16 de agosto de 2010 em 1:05 AM
    Permalink

    Perdi um Amigo Sabado Anoite Nesta Curva. Sr Celso Diniz Motorista do Ford Fusion de lavras que Colidiu Frontalmente com um Caminhao Mercedes Bens. Conheço a Curva, Lamentavel Continuarmos Perdendo Pessoas Importantes Nesse Local.

  • 15 de agosto de 2010 em 10:14 PM
    Permalink

    Dr. Carlos Cornwall, grato pela orientação e resposta. Para mim este assunto é sério demais pois esta estrada é o caminho de minha casa.
    Meu pai, anos atrás, foi atingido por um carro desgovernado nesta curva.
    Vou conversar com amigos e tentar alguma articulação. Quem sabe nossos candidatos aqui por Varginha e região? De repente encontro algum com boas intenções…

  • 15 de agosto de 2010 em 10:03 PM
    Permalink

    As rodovias de Minas Gerais têm curvas ou até mais em relação às dos outros estados. Só que por aqui parece que ainda não se aprendeu a construí-las.
    Observem: as Rodovias Anchieta e Imigrantes em São Paulo passam por serra igual ou pior que a BR 381 passa entre BH e João Monlevade.
    As estradas paulistas foram construídas com segurança e técnica moderna. A BR 381… sem comentários.
    Todas têm curvas, mas a maioria dos acidentes estão na 381. Por que será heim?
    Quem passa no trevo de Elói Mendes pelo contorno aqui em Varginha sente perfeitamente o que eu quero dizer em relação a curva mal construída.
    Pagamos os maiores impostos do mundo e somos retribuídos com os piores serviços do mundo. O dinheiro dá e sobra para desapropriar qualquer quantidade de terra, o que seria melhor aplicação do que ficar enriquecendo deputados por aí.
    Então, durante os feriados, ainda teremos que aguentar: “os motoristas são imprudentes”.
    São sim. Demais. Porém a ruindade de nossas estradas dá de dez a zero na imprudência dos motoristas.

  • 15 de agosto de 2010 em 11:42 AM
    Permalink

    “juca pitanga // Aug 13, 2010 at 10:31 pm

    Sinalização não é um mero enfeite, é uma regra de circulação.
    Quem não a obedeçe fatalmente paga o preço pela ignorância.
    Tentem desapropriar qualquer pedaço de terra lindeira a rodovia para ampliação verão o que aconteçe, o assunto vai parar em Brasília.
    Plantam café na faixa de domínio dificultando a visualização das placas, porque ninguém no blog toca neste assunto.
    O problema é que muitos motoristas se acham pilotos de formula 1.”

    Pronto, Madeira. Pode “trancar o tópico” e fechar o assunto. O Juca Pitanga em poucas linhas resumiu o que acontece…
    PERFEITO !

  • 15 de agosto de 2010 em 11:40 AM
    Permalink

    Como já disseram aí pra cima: “CURVA DA IMPRUDÊNCIA E DO DESRESPEITO”. Esses deveriam ser os nomes dessas curvas, rodovias, etc.

    Tem mais é que ir pro beleléu mesmo….e vai tarde. É torcer pra essa gente só não levar junto consigo gente inocente…

  • 15 de agosto de 2010 em 12:29 AM
    Permalink

    VARGINHENSES VÃO DIRETO AO LITORAL PAULISTA, PRINCIPALMENTE A UBATUBA.
    A RODOVIA LÁ NÃO TEM CURVAS???
    A CURVA É QUESTÃO DE TOPOGRAFIA NÃO DE CERTOS DELÍRIOS DE ALGUNS QUE SE MANIFESTARAM LOGO ACIMA.
    A VELOCIDADE MÁXIMA PERMITIDA POR LEI NUNCA É OBEDECIDA.
    OUTRO FATOR QUE CONTRIBUI PARA O AUMENTO DE ACIDENTES É A MELHORIA DAS CONDIÇÕES DA RODOVIA.
    A RODOVIA FOI RESTAURADA, ENTÃO PÉ NA TÁBUA.
    POR FALAR EM ESTATÍSTICA DE ACIDENTES, FAVOR PROCURAR A POLÍCIA RODOVIÁRIA ,NO CENTRO ADMINISTRATIVO DO SUL DE MINAS, E PEDIR OS BOLETINS DE OCORRÊNCIAS ANTES DE FICAR VOMITANDO NUMEROS DE ACIDENTES POR AÍ.

  • 14 de agosto de 2010 em 10:42 PM
    Permalink

    Nesta mesma curva o ” Gambi”..se foi!!! Isto á décadas!!!! E até hoje!!!! Nada!!!
    Eu hein!!

  • 14 de agosto de 2010 em 4:10 PM
    Permalink

    Rodo muito por esta estrada quando vou á Boa Esperança, é realmente uma estrada desafiadora, tal qual é a estrada que vai á Aparecida do Norte, cheia de curvas e se o veiculo não estiver em condições de rodar, se torna mais arriscado ainda.

  • 14 de agosto de 2010 em 1:07 PM
    Permalink

    É ISSO AÍ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • 13 de agosto de 2010 em 10:31 PM
    Permalink

    Sinalização não é um mero enfeite, é uma regra de circulação.
    Quem não a obedeçe fatalmente paga o preço pela ignorância.
    Tentem desapropriar qualquer pedaço de terra lindeira a rodovia para ampliação verão o que aconteçe, o assunto vai parar em Brasília.
    Plantam café na faixa de domínio dificultando a visualização das placas, porque ninguém no blog toca neste assunto.
    O problema é que muitos motoristas se acham pilotos de formula 1.

  • 13 de agosto de 2010 em 10:29 PM
    Permalink

    Sinalização não é um mero enfeite, é uma regra de circulação.
    Quem não a oberdeçe fatalmente paga pela ignorância.
    Tentem desapropriar qualquer pedaço de terra lindeira a rodovia para ampliação verão o que aconteçe, o assunto vai parar em Brasília.
    Plantam café na faixa de domínio dificultando a visualização das placas, porque ninguém no blog toca neste assunto.

  • 13 de agosto de 2010 em 6:52 PM
    Permalink

    Solução:
    só fabricar carros com a velocidade maxima de 60 Km/h

  • 13 de agosto de 2010 em 3:13 PM
    Permalink

    Muito bem colocadas as opções. Minha pergunta é: quem vai tomar frente? A maioria (inclusive eu) não entende nada de leis, artigos etc… Voces que são entendidos no assunto que tomem as devidas providências, ou estou errado(a)? Quem vai enfrentar os fazendeiros latifundiários que beiram a rodovia para que a mesma seja melhorada? Deus? Ou o governo que não está nem aí?

  • 13 de agosto de 2010 em 1:24 PM
    Permalink

    Professor Paione, só agora li a matéria.
    Sua colocação é prefeita e cabe sim , aos usuários acionarem o órgão Responsável, qual seja se for Estadual/DER ,se for Federal, o DENIT.
    O ideal seria buscar isso , através de provocação junto ao Ministério Público, seja o Estadual ou o Federal, dependendo da responsabilidade do trecho citado.
    Uma ação civil publica cumulada com obrigação de fazer, para que seja refeita a referida curva,ou até mudança de trajeto,uma vez que trata-se de interesses difusos. Como tudo que é estatal custuma demorar, o ideal seria que o Órgão que fizesse a ação, pedisse também multa diária ,caso a obra não se completasse em prazo razoável.
    Enfim, acredito que até mesmos os próprios municipios ou Cãmaras Municipais que logicamente tem interesse na Estrada ,também acionassem, por seus departamentos juridicos.
    obs: essas são apenas algumas pinceladas juridicas, mas existe “N” formas de se atingir o objetivo, pois destaque-se que a responsabilidade tem suporte no art.37 § 6º da Constituição Federal, que reza:

    “Art. 37 – A administração pública direta, indireta, ou fundacional, de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência, e também, ao seguinte:

    § 6º – As pessoas jurídicas de direito público e as de direito privado prestadoras de serviços públicos responderão pelos danos que seus agentes, nessa qualidade, causarem a terceiros, assegurado o direito de regresso contra o responsável nos casos de dolo e culpa.”

  • 13 de agosto de 2010 em 12:56 PM
    Permalink

    em resposta, ao comentario do sr. Aecio dirigir carreta, e carro de passeio e diferente,talves o sr tenha passado por la de bicicleta……

  • 13 de agosto de 2010 em 12:13 PM
    Permalink

    Não sabe como dormem? Pode ter toda razão no post, conheço muita gente que faz coisa pior na vida, aqui em Varginha e dorme tranquilo que é uma beleza!!

  • 13 de agosto de 2010 em 11:35 AM
    Permalink

    Não há como negar as péssimas condições em que se encontram as rodovias mineiras, porém há de se ressaltar que a enorme maioria dos acidentes automobilistícos são de responsabilidade dos próprios condutores, muitas vezes negligentes e imprudentes. Embriaguez ao volantes, excesso de velocidade, desatenção, veículos em péssimas condições, cansaço e outros fatores de responsabilidade exclusiva do homem são as principais causas de acidentes. Sejamos realistas, a educação no trânsito deve partir dos próprios condutores, os limites e regras existem para serem respeitados.

  • 13 de agosto de 2010 em 9:59 AM
    Permalink

    Essa estrada tem esse traçado idiota porque, quando de seu asfaltamento, não deixaram que se fizesse as retificações necessárias, pois iria invadir dezenas de propriedades rurais. Deu no que deu! Já que as placas de aviso são solenemente ignoradas pelos “motoristas”, basta instalar, nos dois lados daquela descida, um pardal limitando em 50/60 km/h.

  • 13 de agosto de 2010 em 9:12 AM
    Permalink

    Curva da morte? Não.

    Curva dos barbeiros e imprudentes.

    Viajo diariamente pela estrada e nunca sofri acidente.

  • 13 de agosto de 2010 em 7:42 AM
    Permalink

    Realmente é lastimável uma cena desagradável de se ver. Café derramado na terra do café. Muito já foi feito pelo DER por esta rodovia, com o por exemplo a terceira faixa acima desta curva. Não custaria ao departamento também abrandar este trecho, que liga duas cidades de valor na produção cafeeira, um dos produtos que trazem mais lucro para a nossa região. A estrada poderia at´pe ser duplicada.

  • 12 de agosto de 2010 em 8:15 PM
    Permalink

    Esta estrada de Tres Pontas tem um monte de Curva com nome de Curva da Morte. Toda vez que tem um acidente em ponto diferente falam em curva da morte. Vamos chamar entao de rodovia da morte. Quem nao conhece alguem que ficou pela estrada da vida neste caminho??????????

  • 12 de agosto de 2010 em 8:02 PM
    Permalink

    O acidente aconteceu de manhã, pois quando passeid e carro, as 8hs o caminhão já estava tombado

  • 12 de agosto de 2010 em 7:09 PM
    Permalink

    Esta curva é foda mesmo…passo por ali toda semana, acho que falta sinalização, pq da para fazer ela dboa, mais se bobiá uai capota mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

No Banner to display