Blog do Madeira - Notícias de Varginha - MG

Notícias diárias de Varginha e Sul de Minas – marcus@blogdomadeira.com.br

Incidente abre crise entre Guarda Municipal e Polícia Militar de Varginha

abril 24th, 2009 · 289 Comentários

  

Uma ocorrência aparentemente simples de se resolver abriu uma ferida que já estava sendo remoída há vários meses: uma rixa velada entre a Guarda Municipal e a Polícia Militar de Varginha. A ocorrência foi no bairro Rio Verde e resultou em voz de prisão para três agentes da Guarda Municipal e para um cabo da Polícia Militar. O caso começou na manhã da terça-feira 21/4, feriado de Tiradentes. Uma mulher e uma criança portadora de necessidades especiais caíram no chão durante ataque de um cão da raça pitbull. Ninguém foi mordido, porque o pai da criança afugentou o animal com chutes. Eles ligaram para a PM para reclamar e pedir providências. No 190 foram informados de que o assunto era de competência da Guarda Municipal. A mulher e o marido ligaram para a GM. Os agentes foram ao local e notificaram o dono do animal, alegando contravenção penal, pois não guardou sob cautela animal considerado perigoso. Foi feito boletim de ocorrência e o dono do cão foi informado de que teria que comparecer à Delegacia de Polícia. Ele se negou a ir, pois teria que trabalhar naquele dia. O diretor da Guarda Municipal, Guilherme Maia, informa que os guardas municipais tentaram convencê-lo a ir para a delegacia por seis vezes. “Como ele não quis ir, os agentes deram voz de prisão. Um dos guardas estava de óculos, que bateu no rosto do rapaz, arranhou o olho e saiu um pouco de sangue. Nesse momento as pessoas que já estavam em volta acompanhando o que acontecia, ligaram para a PM. A viatura da Polícia Militar chegou e, com a Guarda Municipal, levaram a mulher e o dono do cão para o pronto-atendimento do Hospital Bom Pastor. Depois, todos foram para a Delegacia. Lá, um cabo da PM deu voz de prisão aos três agentes municipais, “por estarem exercendo uma função diferente e fora da competência da Guarda Municipal e sua função”, segundo o boletim de ocorrência da PM. Em seguida um inspetor da Guarda Municipal deu voz de prisão ao cabo “por abuso de autoridade”, de acordo com o B.O. da Guarda Municipal. Todos foram ouvidos pelo delegado e liberados em seguida.
O diretor da Guarda Municipal diz que não entende o motivo da voz de prisão dada pela PM. “Lamento a ação da polícia, estou por entender o motivo, foi totalmente infeliz. Os órgãos de segurança de Varginha são referência estadual e nacional por realizar um trabalho em parceria, acho que todos devemos nos preocupar com o bem-estar da população, e não procurar picuinhas com os outros”.
O capitão Walmir Sidney, da Polícia Militar, minimiza o acontecido. “Os guardas municipais alegaram que o dono do animal resistiu à prisão e que convidaram-no para ir à delegacia. Mas ele se machucou, teve um hematoma e corte no rosto. A população ligou para a PM para relatar isso, nossos policiais entenderam que havia necessidade de dar voz de prisão e foi feito”. Foi a primeira vez que um guarda municipal e um policial militar recebem voz de prisão em Varginha.

Guilherme Maia diz que a Guarda Municipal vai denunciar o ocorrido à Secretaria de Estado de Defesa Social e ao Ministério Público. “Vamos verificar o que pode ser feito, inclusive ingressar na Justiça”.
Já o capitão Sidney entende que “não há motivo para crise. A providência (voz de prisão aos agentes da Guarda Municipal) foi adotada porque havia indícios de que seria a medida recomendável. Inclusive levamos a vítima (o dono do cão) até o hospital”. A mulher que caiu no chão durante o ataque do pitbull foi levada na viatura da Guarda Municipal.

Tags: Geral

Loading Facebook Comments ...

289 Respostas Até Agora ↓

  • 1 Leitor atento // mar 7, 2014 at 1:55 PM

    É A MAIS PURA REALIDADE DA INEFICIÊNCIA DA POLICIA MILITAR EM VARGINHA. RETIRARAM O TRABALHAM QUE OS GM’s TÃO BEM COLABORAVAM NA RUA E AINDA NÃO O FAZEM. CADÊ O POLICIAMENTO NA FRENTE DO COLÉGIO MARISTA? RICO NÃO É MULTADO! É SABIDO DO DESRESPEITO COM O CONDUTOR VARGINHENSE PELOS PAIS SOBERBOS E MOTORISTAS DE VANS NAQUELE BENDITO COLÉGIO E NADA É FEITO. VAI TRABALHAR MILITARES! PREOCUPA COM A POPULAÇÃO E NÃO COM O EGO DA CORPORAÇÃO. NOGENTA A ATITUDE DE VOCES. REPROVADO.

  • 2 gilberto // dez 28, 2013 at 8:55 PM

    Que saudade do Figueiredo. Naquela época reinavam a justiça e a ordem. Agora………………

  • 3 Manollo // nov 20, 2013 at 9:26 AM

    A função da Polícia Federal, Polícia Civil são funções distintas de polícia Judiciária. A Polícia Militar em qualquer atuação de infração penal, ela faz o boletim de ocorrência e encaminha a autoridade judiciária competente, pois encarregada do inquérito é a polícia judiciária.
    A guarda municipal não tem poder de polícia. Portanto, sua criação foi para proteger o patrimônio público, suas funções são distintas. Fora disto é querer rasgar a Constituição Federal.

  • 4 lucas // nov 4, 2013 at 9:13 AM

    Amigos!
    Guarda municipal no brasil foi criada para tomar conta das praças resumindo todo o patrônio publico e reprimir pequenos delitos,
    Mais o que acontece que a guarda que ser independente,chegando ao ponto de dar voz de prisão a pm,

  • 5 Leonara // ago 26, 2013 at 2:30 PM

    É MEUS CAROS LEITORES, ATÉ QUANDO VAMOS AGUENTAR OS DESMANDOS DE ALGUNS PROFISSIONAIS DESPREPARADOS, MILITARES QUE SE ACHAM ACIMA DE TUDO, ISSO É NOSSO BRASIL QUE USAM E ABUSAM DO “PSEUDO” PODER QUE ACREDITAM TER?

    A LEI É UMA SÓ E DEVE SER SEGUIDA POR TODOS, INDEPENDENTEMENTE DE CARGOS, PATENTES OU PRIVILÉGIOS MILITARES QUE AINDA INSISTE EM SE MANTER INTOCAVÉL NESTE PAIS DE SEGUNDO MUNDO. ESTE POLICIAL RESPONDE ATÉ HOJE NA JUSTIÇA COMUM POR ESTA ABERRAÇÃO CORPORATIVISTA.

  • 6 Lima // jun 2, 2013 at 8:07 PM

    Meus amigos!!!!!
    Aonde já se viu GUARDA MUNICIPAL da voz de prisão a um POLICIAL MILITAR.
    Afinal e brasil em todo o brasil foi criada esta instituição que na verdade e dependente direta da PM, pois quando a coisa aperta e a PM que tem que resolver.
    Estes caras tem que tomar conta e de hospitais , escolas e praças que ja esta de bom tamanho.
    Na verdade toda a guarda municipal tem que ter um comando de um militar para dar aquela moral.
    Talvez daqui uns 200 anos esta guarda se torna uma instituição de verdade.
    Aqui no RIO DE JANEIRO não e diferente eles somente fazem M.

  • 7 Fabio // abr 12, 2013 at 10:08 AM

    Caro amigo BACANINHA até o momento estou concordando com voce, furada vai ser essa entrega de trãnsito para a PM… PSDB adora isso.

  • 8 Bacaninha // mar 13, 2013 at 12:18 PM

    INOVAÇÃO? CPCS CONTINUA A MESMA QUANTIDADE…DÃO 30,000.00 PARA O BOA, POR MÊS.. OS FUNCIONÁRIOS FORAM ILUDIDOS E AGORA ESTÃO CHORANDO PELOS CANTOS DA CIDADE, SEM AUMENTO SALARIAL, ETC…REMÉDIOS CADÊ? MÉDICOS NA UPA CADÊ? POLICLINICAS NEM GINECOLOGISTA TEM… GAZOLINA PROS CARROS DA PREFEITURA, CADÊ? MAS OS CPCS SÓ CRESCENDO….. GENTE SE LIGA, RENOVAR DE FATO, TINHA QUE TER VOTADO NO RENATO OU KIKO, AGORA CHORA, CHORA,CHORA… MAS PORQUE FICOU ILUDINDO O POVO COM TANTAS PROMEÇAS ESTAVAM DE FALSAS? ESTAVÃO DE OLHO SÓ NA ARRECADAÇÃO? AGORA FALTA DE COMPÊTENCIA É NOTÓRIA… TUDO AGORA É CULPA DO FALECIDO, JA PASSOU BOLA PRA FRENTE, NÃO SOMOS BOBOS LEMOS QUE UM SENADOR LIBEROU VERBAS PRA SAUDE MAIS DE 1 MILHÃO CADÊ ? VAI DAR PRO BOA? OU PROS CPCS? SE LIGA GENTE!!! É TUDO FARINHA DO MESMO SACO.. VÃO TIRAR DOS POBRES IPTU DOBROU DE UM ANO PRA CÁ.. ABSURDO

  • 9 Mirela // mar 12, 2013 at 10:19 PM

    ALEXANDRE ……. VOU TER QUE CONCORDAR COM VOCÊ, GUILHERME, MACIEL FOI UMA DUPLA QUE REALMENTE DEU CERTO, TRABALHO EM UMA ESCOLA E POSSO AFIRMAR QUE ÉRAMOS APOIADO EM TUDO QUE PRECISAVAMOS, SEGURANÇA, PALESTRAS E AGORA SÓ TRISTEZA DE VER A REVOLTA INQUIETANTE DOS FUNCIONÁRIOS E A QUE PONTO CHEGOU ESTA NOBRE INSTITUIÇÃO.

  • 10 Mirela // mar 12, 2013 at 10:15 PM

    ALEXANDRE ……. VOU TER QUE CONCORDAR COM VOCE, GUILHERME, MACIEL FOI UMA DUPLA QUE REALMENTE DEU CERTO, TRABALHO EM UMA ESCOLA E POSSO AFIRMAR QUE ERAMOS APOIADO EM TUDO QUE PRECISAMOS, SEGURANÇA, PALESTRAS E AGORA SÓ TRISTEZA DE VER A REVOLTA INQUIETANTE DOS FUNCIONARIOS E A QUE PONTO CHEGOU ESTA NOBRE INSTITUIÇÃO.

  • 11 Alexandre // mar 5, 2013 at 9:07 AM

    A Guarda de Varginha foi um exemplo para todo o Brasil quando era dirigida pelo Guilherme e teve o Gilciney e Maciel como comandantes, despois deles, ACABOU… E tinha Guarda que reclamava, não vê que matando a instituição está aos poucos se matando, pois quem vai querer investir em uma Corporação sem atribuição, sem auto-estima… A Polícia reclamava pois via a GM de Varginha crescendo, sendo mais querida e respeitada do que ela…

  • 12 Rodrigo // fev 28, 2013 at 1:56 PM

    Hoje tem Guarda aqui em Varginha? Ta vendo voces eram felizes e não sabia, a guarda não faz nada e a PM ajuda, tamo ferrado, só vir aqui na praça do Barcelona e dar uma olhadinha.

  • 13 Cristiane // fev 21, 2013 at 12:57 PM

    NESTE TEMPO A GUARDA TRABALHAVA, TANTO QUE INCOMODAVA A PLICIA MILITAR, AGORA É DE DAR DÓ.

  • 14 Alexis Aleixo Domingues Rodrigues // abr 26, 2012 at 4:04 PM

    Sao tods uns froxo… Os guardar municipais sao chamados de power ranger kkkk e os Pm de cochinha…. ninguem faz nada nessa cidade e ainda fica brigando… que mais é q c Explodaooo

  • 15 Douglas // mar 19, 2012 at 8:15 PM

    Blá.Blá,Blá.Ladainha furada!

  • 16 agenda 21 responde // jan 22, 2012 at 3:04 PM

    Guerra besta das letrinhas, PM,GM,se cada um fizer sua parte ficaremos bem ,afinal todos recebem do meu suado dinheirinho,parem com a palha çada vao cuidar do nosso povo.

  • 17 d´Sousaal Saddan // dez 28, 2011 at 9:44 AM

    Edição do dia 28/12/2011
    28/12/2011 08h18 – Atualizado em 28/12/2011 08h18
    PM mata sargento do Exército a tiros em briga de trânsito em São Paulo
    Segundo a Polícia Civil, ele estava de folga nesta terça-feira (27) e portava uma arma de uso pessoal. Por isso, poderá ir a júri popular.

    O PM Adilson Luiz de Oliveira deixou a delegacia depois de prestar depoimento, que foi acompanhado por policias militares e do pelotão de investigação criminal do exército.
    Ele foi preso em flagrante depois de matar com quatro tiros o sargento do Exército Jucelino de Sousa Dias, de 38 anos. O crime ocorreu depois de uma briga de trânsito em Carapicuíba, na região metropolitana de São Paulo.
    Segundo testemunhas, o carro do sargento fechou a moto pilotada pelo policial militar, que passou a segui-lo. Durante a perseguição, o PM deu um tiro para o alto. Os dois pararam e começaram a discutir. Um apontou a arma para o outro. Daí em diante as versões são diferentes.
    Arivaldo e a sogra dele estavam no carro com o sargento Jucelino. Ele diz que o amigo baixou a arma antes de ser atingido. “O Juscelino falou ‘Abaixa sua arma que eu abaixo a minha’. Quando ele abaixou, o outro já começou a atirar”, conta.
    A porta-voz da PM, major Márcia Lopes Maciel, conta outra história. “Eu sei que o policial efetuou os disparos com a arma de fogo e que a arma do sargento demonstra que ele acionou o gatilho, que ele tentou utilizar a arma, mas a munição dele não saiu”.
    À noite, o PM foi levado para o Presídio Romão Gomes da Polícia Militar em São Paulo. O PM vai permanecer no presídio à disposição da Justiça. Segundo a Polícia Civil, ele estava de folga nesta terça-feira (27) e portava uma arma de uso pessoal. Por isso, poderá ir a júri popular. O sargento Jucelino fez parte das forças enviadas ao Haiti.

  • 18 p/ Preocupada!! // dez 12, 2011 at 3:45 PM

    Preocupada com o que? Com a vida dos outros, a conversa alheia ou o bom andamento das novelas??? Hã?!?
    Sua roupa precisa ir para o tanque e o seu feijão precisa sair do fogo antes que vire cinzas!!!

  • 19 d´Sousaal Saddan // dez 12, 2011 at 12:54 PM

    SEGUNDA-FEIRA, 12 DE DEZEMBRO DE 2011

    PMs são presos suspeitos de envolvimento em briga ocorrida numa boate na Ilha do Governador
    Extra

    Dois policiais militares – um capitão e um cabo – foram presos suspeitos de envolvimento numa briga na Ilha do Governador. A informação é do telejornal “Bom Dia Rio”, da TV Globo. A confusão foi numa boate. Rorion Moraes, de 28 anos, sofreu inúmeras agressões na cabeça e perdeu seis dentes.

    Os PMs foram identificados pelas câmeras do circuito interno da casa noturna no momento em que chegaram ao local. As imagens mostram quando a vítima se desentende com um homem. Um amigo tenta afastá-lo e ele cai. Ao se levantar, leva um soco e, em seguida, é atingido por um banco de madeira. Desmaiado, ele leva mais chutes, que só param quando os seguranças da casa entram em ação.
    A Polícia Civil informou que uma patrulha esteve no local na noite do incidente. Os PMs não prenderam os acusados, foram identificados e serão indiciados por prevaricação. Nesta segunda-feira, outro envolvido na briga prestará depoimento.

    – Podia ter morrido, podia ter ficado aleijado. Do jeito que eles agiram ali, uma pessoa normal não age – disse Rorion Moraes.

    Já a Corregedoria da Polícia Militar investiga se outros policiais tiveram envolvimento com a briga. Os PMs já identificados ficarão presos administrativamente por 72 horas.

    Leia mais: http://extra.globo.com/casos-de-policia/pms-sao-presos-suspeitos-de-envolvimento-em-briga-ocorrida-numa-boate-na-ilha-do-governador-3430284.html#ixzz1gKXKYEm8

  • 20 d´Sousaal Saddan // dez 12, 2011 at 8:46 AM

    PMs são presos suspeitos de agredir homem em boate
    Rio – Um capitão e um cabo da Polícia Militar foram presos suspeitos de envolvimento em uma briga dentro de uma boate na Ilha do Governador, na Zona Norte. Rorion Moraes, de 28 anos, foi agredido na madrugada da última sexta-feira e sofreu lesões na cabeça. Câmeras do circuito interno da casa noturna flagraram as agressões.

    Rorion foi agredido com socos e chutes. Um dios homens chegou a atirar um banco de madeira contra a cabeça da vítima, que desmaiou. Outro envolvido na confusão prestará depoimento nesta segunda-feira. Os PMs foram identificados e serão indiciados por prevaricação. Eles ficarão presos administrativamente por 72 horas.

    disponível em:

  • 21 d´Sousaal Saddan // dez 12, 2011 at 8:41 AM

    Soldado que participou da operação que capturou Nem é preso
    POR FLÁVIO ARAÚJO

    Rio – O soldado Silva Júnior, um dos PMs que participaram da prisão do Nem da Rocinha, foi preso por policiais do 5º Batalhão assaltando pessoas na saída do túnel da Rua Henrique Valadares, no Centro, no fim da noite deste domingo. Segundo os PMs que efetuaram a prisão, ele apresentava sinais de alteração, possivelmente estando drogado ou embriagado.

    Apesar de não estar fardado nem de serviço, ele usou sua pistola para dar uma coronhada em uma das vítimas. O soldado foi encaminhado para a 5ª DP (Mem de Sá).

    disponível em: http://odia.ig.com.br/portal/rio/html/2011/12/soldado_que_participou_da_operacao_que_capturou_nem_e_preso_211839.html

  • 22 Preocupada!! // dez 10, 2011 at 12:32 AM

    Em vez de vocês ficarem ai brigando e defendendo policiais,militares, civis e guarda municipal…levem eles pra casa de vocês!!!!Acaba briga….

  • 23 d´Sousaal Saddan // nov 30, 2011 at 9:04 AM

    Flagrante efetuado por guardas municipais tem validade

    A 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo manteve decisão da Comarca de Itapira para condenar quatro pessoas por tráfico de drogas à pena de quatro anos de reclusão. Os réus foram abordados em flagrante por guardas municipais e a defesa alegava que, por essa razão, a prova deveria ser considerada ilícita.
    De acordo com o voto do relator do recurso, desembargador Ruy Alberto Leme Cavalheiro, o artigo 301, do Código de Processo Penal, estipula que qualquer pessoa poderá, e as autoridades policiais e seus agentes deverão, prender quem quer que seja encontrado em flagrante delito. “Esse princípio legal permite, portanto, que qualquer do povo, aí incluídos guardas municipais, possam efetuar prisão”, afirmou o relator.
    A defesa pretendia anular a prova obtida por intermédio dos guardas, mas a turma julgadora negou o pedido. “Tiveram a ‘notitia criminis’, dirigiram-se àquele local e encontraram situação que lhes pareceu ser de cometimento de crime, em análise para este momento inicial. Agiram nesse sentido e não encontro aqui dissonância com a divisão das polícias e suas atividades na Constituição Federal”, disse Cavalheiro.
    O julgamento do recurso teve votação foi unânime. Também participaram os desembargadores Fernando Simão e Luiz Pantaleão.

    Apelação nº 0001351-90.2008.8.26.0272.

  • 24 Mohhamed // nov 9, 2011 at 1:56 PM

    é o que me faltava, já não tinha uma, dai criam outra e agora não temos nem uma, nem outra…..

  • 25 ze roxo // nov 2, 2011 at 5:06 PM

    o cidadaõ! a guarda é para cuidar dos bens publicos, só isto, larga de viajar na maionese. .comandante.

  • 26 Pedreiro // nov 2, 2011 at 8:19 AM

    Na minha opnião , tinha que se acabar com essa rivalidade de PM e GM , quem perde com isso é somente a população , ou seja , cachorro de dois donos morre de fome , um vai deixar para o outro e nenhum dos dois fará nada . Cada um deve fazer a sua parte da melhor forma possível e acabar com essa ladainha , pelo menos é o que nós cidadãos esperamos de vcs e que em nossa cidade seja exemplo de segurança pública , idenpendente da cor do uniforme de quem o faça .

  • 27 para o CIDADÃO // nov 1, 2011 at 5:25 PM

    Até qdo vc vai ficar nesse sono hein? Não acha que já tá na hora de acordar não? Só tem comentário seu aqui, a maioria com com pseudonimos diferentes. Tá na hora de mudar, cara! ENTENDA E ACEITE: ” O POVO BRASILEIRO É BURRO E VOTA COM O ESTÔMAGO, (algumas vezes acho que vota com a bunda mesmo, porque nunca vi tanta cagada como tem por aí…). O POVO TEM EXATAMENTE O QUE MERECE: OS POLÍTICOS, OS HOSPITAIS, O TRANSPORTE PÚBLICO, A POLÍCIA (seja ela militar, civil, federal, rodoviária, ferroviária, aquática, subterrânea, simultânea, aérea, honesta, corrupta, municipal, estadual, qualquer desta aí que ocasionalmente venha a servir…) O RESPEITO, A SAÚDE E ETC… ISSO NUNCA VAI MUDAR. DAQUI 15 OU 20 ANOS, EU ESTAREI APOSENTADO DA MESMA FORMA QUE VOCÊ. E DE QUE VAI ME SERVIR A POLÍCIA SER OU NÃO SER MILITAR? NADA! TALVEZ LHE SIRVA PRA MASSAGEAR O EGO… PRA MIM SERÁ UMA QUESTÃO INSIGINIFICANTE. TALVEZ PRA VC SEJA COMO UM ORGASMO, JÁ QUE COM MAIS DE 60 NEM O VIAGRA VAI ESTAR TE AJUDANDO MUITO, OU TALVEZ VC GOSTE DE OUTROS BRINQUEDINHOS!!! SEI LÁ! NUNCA SE SABE… Mude de assunto cara, vc é voto vencido! a função principal do COVEIRO é enterrar os mortos e deixá-los descansar e não o contrário. Esse assunto já tá morto, por favor deixe-o enterrado!

  • 28 cidadão // nov 1, 2011 at 3:14 PM

    o proximo passo para a modernização da segurança pública é municipalizá-la, como é feito em países mais desenvolvidos que o brasil. a policia militar está com os dias contados,nos proximos 15 ou 20 anos deixará de existir, e o termo militar será só do exercito marinha e aeronáutica. as policias militares foram constituidas para defender os interesses dos militares e oligarcas da politica do café com leite do século passado. as primeiras guardas do brasil, imperial e republica velha eram civis

  • 29 cidadão // nov 1, 2011 at 2:30 PM

    “Ser Guarda Municipal exige a rapidez de um executivo, a coragem de um herói, o discernimento de um juiz e o tato de um psicólogo.”

  • 30 cidadão // nov 1, 2011 at 2:16 PM

    resposta ao ” senhor ” capitão caveraaaaa que postou por aqui :
    meu caro amigo as guardas nao precisam de voces pm , pelo contrario voces precisam delas .
    por que elas fazem seus trabalhos e bem feito ! assim como mostra a ultima pesquisa do IBOPE , tendo a guarda em 3° lugar e a sua “gloriosa” PM em apenas 7° lugar em credibilidade entre a população . As guardas nao querem disputar nada com voces , e pelo contrário querem união e força . Até por que as guardas foram criadas para alem de olhar patrimónios públicos , tamben para suprir as dificuldades e nessecidades do estado na area de segurança pública.
    E concerteza fazem isso com muito orgulho os guerreiros sangue azul marinho, até porque o maior património deles são sem duvidas o cidadão.
    E para finalizar : Todos GMs desejam todos vocês PMs muita saude e vida , para ver a vitória deles em PÉ .

  • 31 cidadão // nov 1, 2011 at 1:49 PM

    GUARDA MUNICIPAL: 3º LUGAR EM CREDIBILIDADE EM PESQUISA DO IBOPE, perdendo apenas para Forças Armadas e Polícia Federal

    Toga suspeita

    Já sob o impacto da denúncia da ministra Eliana Calmon, do STF, de que há “bandidos de toga”, uma pesquisa de outubro mostra a que ponto chegou a imagem do Judiciário junto à população.
    No ranking de 11 instituições avaliadas só o Congresso tem nota pior.
    O povo deve ter lá suas razões para confiar mais no guarda (municipal) da esquina (tabela).
    É de fazer corar a imagem de pedra de Têmis, deusa da justiça.

  • 32 coxinhas // nov 1, 2011 at 12:14 PM

    ai amigo pm do destrito federal , que deixou esse infeliz comentario bem acima !
    para que estudar para ser pm ? para ser corrupto , ganancioso que só pensa no seu maldito ” bico ” que é o maior causador de problemas com as guardas municipais.
    os guardas nao querem seus bicos nem sua pretigiosidade com a população ! até pq eles ja tem !
    E mais uma coisa os guardas vieram para somar e nao subritair !

  • 33 Dionisio // out 31, 2011 at 10:35 AM

    Erros existem do dois lados, porém o que falta é competência para corrigi-los de forma a não permitir que se repitam, e isto cabe aos dois comandos tanto da PM como GM, levando-se em conta também que quando alguem se inscreve para vir a fazer parte destas quarnições o candidato se apresenta como sendo uma pessoa equilibrada, sensata, enfim detentora de todas as qualidades necessárias para a execução destes cargos, porém ao conseguirem aprovação e ao inicirem suas atividades se mostram totalmente diferentes daquilo que apresentaram na época de suas candidaturas, se tornando pessoas ARROGANTES, PREPOTENTES, DESCONTROLADAS, enfim mostram suas verdadeiras personalidades, ou seja NÃO digo DESPREPARADAS porque isto elas receberam na academia, porém suas intenções são outras, já cansei de ver alguns GMs dando prova de total descontrole em situações digamos até corriqueiras em que com um pouco de bom senso tudo pode ser resolvido, mais eles não conseguem ou não querem resolver assim a situação, e por isto passam a agir de forma totalmente desiquilibrada e as vezes violenta.
    Agora imagine você se tivesse sido liberado o uso de armas de fogo para a GM, infelizmente por culpa de alguns GMs (felizmente são poucos) teríamos que correr um alto risco devido ao descontrole destes “poucos”, pois não posso aqui generalisar e dizer que todos os GMs e PMs de Varginha são assim, porque sabemos que existem GRANDES PROFISSIONAIS em ambos os seguimentos, mais infelizmente existem as exceções e quero crer que isto não irá durar muito tempo visto que o processo seletivo está se afunilando aos poucos e melhorando muito a escolha de seus futuros colaboradores do Setor de Segurança Pública.
    Mais por enquanto devemos ainda nos precaver de não entrar em demanda com alguns destes servidores por questão de segurança, não nos esquecendo porem de lembrá-los de que seus salários saem dos nossos bolsos através dos nossos impostos.
    SOCIEDADE PERFEITA É AQUELA EM QUE PREVALECE O RESPEITO E A EDUCAÇÃO.

  • 34 Saddam Al Salem // out 18, 2011 at 8:21 AM

    Fala sério, onde passa PM a coisa fica preta, parece praga está envolto em tudo de ruim…..isto precisa mudar

    Ministro diz que recebeu policial a pedido de Agnelo

    O ministro do Esporte, Orlando Silva, afirmou hoje que recebeu apenas uma vez o policial militar João Dias Ferreira que o acusa de receber propina em contratos firmados na pasta. Segundo ele, o encontro aconteceu quando era secretário-executivo da pasta a pedido do então ministro, Agnelo Queiroz, atual governador do Distrito Federal (DF). ‘A única vez que encontrei este caluniador foi no Ministério do Esporte. Eu era secretário-executivo do Agnelo, que me recomendou que recebesse e firmasse o convênio’, disse Orlando.

    Segundo ele, a conversa com o policial militar aconteceu entre o final de 2004 e início de 2005. Os convênios com a associação de João Dias e a federação brasiliense de Kung Fu, presidida por ele, foram firmados em 2005 e 2006. Orlando afirmou que o convênio foi celebrado devido a ‘experiência da entidade’ em um trabalho social na cidade de Sobradinho.

    Orlando disse acreditar que o pedido feito por Agnelo em favor das entidades de Dias foi de ‘boa fé’. ‘O governador do Distrito Federal é pessoa correta. É uma pessoa bem intencionada, defende o interesse público. É uma pessoa que agiu de boa fé. Acreditou nas intenções, nas atitudes manifestadas por algumas pessoas. Quero acreditar nisso’.

    O ministro reiterou suas declarações de inocência em relação à acusação de recebimento de propina. ‘Eu repudio veementemente as falsidades publicadas na reportagem’. Ele voltou a chamar Dias de ‘bandido’, disse que sua honra foi ferida e que deseja ‘restabelecer a verdade’. Destacou ainda as medidas tomadas de pedir investigação junto à Polícia Federal e o Ministério Público. Informou ainda ter pedido para apresentar pessoalmente suas explicações à comissão de ética pública da Presidência da República.

    Orlando destacou que o Ministério busca no Tribunal de Contas da União (TCU) retomar recursos que teriam sido desviados pelas entidades de Dias. Atribuiu a acusação a uma possibilidade de condenação do policial militar em uma ação penal em tramitação. O ministro destacou ainda uma decisão do ministério de não mais firmar convênios com entidades não-governamentais no âmbito do programa Segundo Tempo. Questionado sobre o porquê não havia uma portaria oficializando a decisão, afirmou que isso poderá ser feito.

  • 35 Al Saddan // out 17, 2011 at 12:06 AM

    NOTÍCIA CENSURADA PELA SECRETARIA DE SEGURANÇA: CAPITÃO ROBINSON GIMENES FERREIRA e TENENTE EMERSON FABIANO CACCIACARRO, OFICIAIS DA PM DE SP QUE EXPLORAVAM PROSTITUIÇÃO USANDO ADOLESCENTES E SE PASSAVAM POR POLICIAIS CIVIS PARA EXTORQUIR PEDÓFILOS FORAM DEMITIDOS POR GERALDO ALCKMIN
    12/10/2011Deixar um comentárioIr para os comentários
    O crime foi descoberto no dia 18 de janeiro de 2010, quando policiais do 36 Batalhão da PM, responsável pela segurança em Taboão e em Embu, foram presos durante desdobramento de investigação do DEIC e da Corregedoria Geral da Polícia Civil.

    Os oficiais usavam adolescentes , com idade entre 14 e 16 anos, para seduzir empresários e comerciantes em um bar de Taboão. Contratado o “programa” rumavam para motel, onde , logo em seguida, os policiais militares armavam o flagrante; identificando-se como policiais civis.

    Sob a acusação de pedofilia, os oficiais – “disfarçados de Delegados” – extorquiam as vítimas para não levá-las ao DEIC. Os fatos ( na época ) foram mantidos em segredo por 10 dias, acabando noticiado ( apenas pelo Diário de São Paulo ) de forma deturpada , sem mencionar as circunstâncias e identidade dos envolvidos; como se o esclarecimento tivesse sido realizado pela Corregedoria da PM.

  • 36 Jairo Antonio Pimenta // out 7, 2011 at 10:42 PM

    Não existe nada entre a Guarda Municipal e a Polícia Militar, pois a constituição brasileira já denomina a funções de segurança pública, e a missão da Guarda principal é cuidar do patrímonio público, que esta sendo destruido e o prefeito que é o responsável pelo comando da Guarda não faz nada, por isto há estes comentarios. Cada instituição deve cuidar do que a consttituição determina.
    Jairo

  • 37 Al Saddam Salem // set 29, 2011 at 7:16 PM

    Decretada a prisão de mais um PM pela morte da juíza
    Agência EstadoPor Marcela Bourroul Gonsalves | Agência Estado –

    O soldado da Polícia Militar Handerson Lents Henriques da Silva, acusado de participar do assassinato da juíza Patrícia Acioli, teve sua prisão temporária decretada hoje. A decisão é do juiz Petersen Barroso Simão, da 3ª Vara Criminal de Niterói, e vale pelo prazo de 15 dias.

    De acordo com o pedido de prisão feito pelo delegado titular da Divisão de Homicídios, Felipe Ettore, e reiterado pelo Ministério Público, o soldado Lents teria indicado o endereço da juíza aos assassinos no mês de julho, um mês antes do crime.

  • 38 Al Saddam Salem // set 28, 2011 at 8:07 AM

    A motivação para o assassinato da juíza Patrícia Acioli seria uma investigação sobre o envolvimento do tenente-coronel Claudio Luiz Oliveira, que foi exonerado nesta terça-feira (27/9), em casos de corrupção e execuções. O ex-comandante do 7º BPM (São Gonçalo) foi apontado como o mandante da morte da juíza por um dos cabos que já se encontrava preso pelo crime, em acordo de delação premiada.

    A afirmação foi feita pelo delegado da Divisão de Homicídios da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Felipe Ettore, em entrevista coletiva à imprensa na tarde desta terça-feira (27/9).

    O nome do cabo que acusou o ex-comandante não foi revelado. Ele se beneficiou da delação premiada, em audiência de antecipação de provas realizada nesta segunda-feira (26/9), depois da qual o juiz Petersen Barroso, da 3ª Vara Criminal de Niterói, decretou, a pedido do Ministério Público, a prisão temporária, por 15 dias, de mais sete policiais militares: além do tenente-coronel Claudio Luiz, os PMs Charles de Azevedo Tavares, Alex Ribeiro Pereira, Carlos Adílio Maciel Santos, Sammy dos Santos Quintanilha, Jovanis Falcão Junior e Junior Cezar de Medeiros.

    O delator e sua família foram incluídos no serviço de proteção à testemunha, a pedido da Defensoria Pública. Os outros policiais deverão ficar no presídio Bangu VIII.

    O secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame, destacou a “maneira transparente” como vem sendo conduzida a investigação que, segundo ele, está próxima do desfecho. “Mas como ainda há pessoas a serem ouvidas, não podemos revelar alguns fatos”, completou. Ao seu lado, a chefe da Polícia Civil do Rio, delegada Martha Rocha, fez coro, pontuando que “antes de 60 dias a Polícia Civil já terá concluído o inquérito do assassinato de Patrícia Acioli”. A delegada informou, ainda, que até o momento 380 armas foram periciadas.

    Desfecho próximo
    Indagado pelos jornalistas se é possível fazer alguma previsão, o delegado Felipe Ettore reiterou que “o desfecho está próximo”. “Há testemunhos de que o tenente-coronel Claudio é o autor intelectual dessa trama macabra. Ele ia ser preso mais cedo ou mais tarde”, completou. Questionado sobre o papel de cada um no crime, o delegado disse que prefere aguardar os depoimentos que restam para se pronunciar.

    O procurador-geral do Estado do Rio, Claudio Lopes, anunciou que, após as prisões temporárias, começa agora a “fase judicial”. Ele fez questão de parabenizar a Polícia “por elucidar num prazo curto esse crime bárbaro”.

    Questionado por um jornalista, o secretário José Beltrame negou que a transferência de comando do Batalhão de São Gonçalo para o da Maré não teria sido uma espécie de “promoção” para o tenente-coronel Claudio Luiz. “Proteção nunca houve, nunca haverá. Quem me conhece sabe que não compactuo com isso.”

    Magistratura atenta
    Ao agradecer, “em nome da magistratura fluminense”, o presidente da Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro (Amaerj), desembargador Antonio Cesar Siqueira, salientou que a Polícia Civil, “mesmo diante de um crime sem testemunhas e apenas com provas técnicas, apontou três executores no prazo de um mês”. “Naquele momento, afirmamos que o inquérito prosseguiria, porque estávamos certos de que havia um mandante”, disse. “Temos que fazer justiça de forma tranquila, não somos justiceiros”, completou.

    Ainda de acordo com o desembargador, se por um lado “é preciso parabenizar a Polícia Civil pela investigação, em que todos mantiveram o respeito à regra do silêncio”, por outro, não pode passar em branco o fato de que um comandante da Polícia Militar esteja envolvido no crime da juíza Patrícia Acioli. “É inaceitável que certas pessoas, algumas ocupando cargos de comando na PM, estejam envolvidas num crime como esse. Temos que reinventar o Estado.” Com informações da Assessoria de Imprensa da Amaerj.

    Revista Consultor Jurídico, 27 de setembro de 2011

  • 39 Al Saddam Salem // set 27, 2011 at 10:02 AM

    Justiça decreta prisão de tenente-coronel pela morte da juíza Patrícia
    Ordem para o crime teria sido dada quando Cláudio Luiz de Oliveira ainda era comandante do batalhão de São Gonçalo

    iG Rio de Janeiro | 27/09/2011 05:25

    Notícia anterior Justiça decreta prisão de suspeito de assaltar albergue no Rio
    Próxima notícia Justiça decreta prisão de tenente-coronel pela morte da juíza Patrícia

    Texto:

    O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro decretou no final da noite desta segunda-feira (26) a prisão do tenente-coronel Cláudio Luiz de Oliveira, ex-comandante do 7º BPM (São Gonçalo) e que atualmente estava à frente do 22º BPM (Maré). Ele é apontado como o mandante do assassinato da juíza Patrícia Lourival Acioli, ocorrido no dia 11 de agosto no município de Niterói, na Região Metropolitana do Rio.

    A ordem para o crime teria sido dada quando Oliveira ainda comandava o batalhão de São Gonçalo. Além do tenente-coronel, outros cinco policiais que trabalhavam com o ex-comandante na mesma unidade também tiveram as prisões decretadas nesta segunda-feira pela 3ª Vara Criminal de Niterói.

    Foto: Reprodução Facebook

    Patrícia Acioli tinha 47 anos e foi morta quando chegava em sua casa, em Niterói
    Leia também:

    Antes de ser morta, juíza decretou prisão de PMs
    Policiais premeditaram a morte da juíza Patrícia

    Os PMs são acusados de acusados de forjar um auto de resistência (morte em confronto com a polícia) para acobertar o assassinato de um jovem identificado como Diego da Conceição Beliene, de 18 anos. O crime ocorreu no mês de junho durante uma operação do Grupo de Ações Táticas (GAT) do 7º BPM no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo.

    Após chegar à conclusão de que teria sido um assassinato, a juíza Patrícia decidiu incluir no inquérito toda a guarnição do grupo que participou da operação policial.

    Até então, somente dois PMs estavam presos por causa do crime. A decisão teria sido o motivo do assassinato da magistrada, segundo investigação da polícia.

    Histórico

    A Justiça já tinha decretado no dia 11 de setembro a prisão de três PMs pela morte de Patrícia. O tenente Daniel dos Santos Benitez Lopes e os cabos Sérgio Costa Júnior e Jefferson de Araújo Miranda teriam assassinado a magistrada acreditando, equivocadamente, que a prisão deles pela morte do jovem Diego ainda não havia sido decretada.

    Eles não contavam, no entanto, que, horas antes de ser assassinada, Patrícia já tinha oficializado a medida. No último dia 19, a Justiça determinou que os três PMs fossem transferidos para carceragens diferentes para que não combinem estratégias de defesa.

    A prisão do ex-comandante do 7º BPM teria sido decretada após um dos cabos já presos ter relatado que Oliveira havia sido o mandante do crime. O agente fez a revelação para obter o benefício da delação premiada, que acarreta uma provável redução de pena.

    Patrícia foi assassinada no final da noite do dia 11 de agosto com 21 tiros quando chegava a sua casa, no bairro de Piratininga, em Niterói. No momento, a juíza, de 47 anos, estava sem seguranças.

  • 40 Nois na Fita // set 13, 2011 at 10:40 AM

    TINHA QUE ACABAR COM ESTA GUARDA MUNICIPAL VARGINHA NAO PRECISA DELES…

  • 41 Al Saddam Salem // set 1, 2011 at 8:07 AM

    Decisão sobre júri popular de réu no caso do Carro Preto é adiada
    A TRIBUNA.COM
    SÃO VICENTE – 31AGO11
    PAULO FREITAS

    A Justiça ainda não definiu se o soldado André Aparecido dos Santos, de 34 anos, que ficou conhecido como o ‘PM do Carro Preto,’ irá a júri popular. A decisão sobre o caso foi adiada para o próximo mês.
    Acusado de um homicídio e outras oito tentativas, o soldado chegou à Vara do Júri de Santos por volta das 9h30, onde permaneceu por mais de quatros. Ele está está recolhido no Presídio Militar Romão Gomes, em São Paulo, onde aguarda julgamento.
    Dessa vez, 15 testemunhas foram chamadas. Três delas não compareceram. Entre os ouvidos estavam os seis jovens que foram vítimas do atentado na Vila Margarida, em São Vicente.
    A maioria dos crimes aconteceu na madrugada do dia 10 de abril. O mais grave deles foi cometido na Rua Pindorama, no Boqueirão, onde Paulo Roberto Barnabé, de 34 anos, foi morto e um rapaz que o acompanha ficou ferido.
    O policial militar é acusado de, com seu carro em baixa velocidade, efetuar os disparos contra os homens, sem que houvesse qualquer motivo. Os atentados foram cometidos em quatro bairros de Santos e São Vicente e as vítimas foram escolhidas aleatoriamente.

  • 42 Al Saddam Salem // set 1, 2011 at 8:06 AM

    e agora quem poderá nos proteger rsrsrsrs

    os caras não conseguem ne cuidar de si quiçá do povo…

    CPI-6 – BAIXADA SANTISTA

    Ladrão aproveita distração de policiais e leva carro da PM
    G1
    GUARUJÁ – 31AGO11
    EDITORIAL

    Veículo foi furtado no Guarujá, no litoral paulista.
    Policiais perseguiram criminoso, que foi baleado.
    Um criminoso aproveitou a distração de dois policiais e fugiu com um carro da Polícia Militar em Vicente de Carvalho, no Guarujá, no litoral paulista. O crime aconteceu na manhã desta terça-feira (30) na Avenida Santos Dumont.
    Dois policiais estavam próximos ao veículo na hora do crime e perseguiram o criminoso, que foi baleado.
    O homem foi detido e passou por uma cirurgia para retirar duas balas. Até o final da noite desta terça, ele estava internado em observação no Hospital Santo Amaro. O quadro dele é estável.
    A PM vai abrir uma sindicância para analisar a atitude dos policiais.

  • 43 Al Saddam Salem // ago 31, 2011 at 8:43 AM

    Enquanto os PM armados fogem das ocorrências a GCM Poá, mesmo desarmada detém criminosos diariamente:
    GCM realiza flagrantes e prisões em Poá

    A Guarda Civil Municipal (GCM) de Poá realizou na manhã desta terça-feira, dia 30, a prisão em flagrante de L.A.S., 28 anos, por furto no Supermercado Nagumo, no Bairro de Calmon Viana. Em menos de uma semana, a Guarda realizou quatro ações que resultaram em quatro prisões.

    Durante o patrulhamento, os GCM’s Guarnieri e Ramon foram informados pelo segurança do mercado sobre um individuo que havia furtado alguns produtos e fugido logo em seguida, após diligências pelo bairro, o acusado foi encontrado na Rua José Lopes Mohor, no mesmo bairro. De acordo com os GCM’s, o acusado confessou o crime e afirmou que é usuário de crack e que só furtou os materiais para trocar pela droga.

    FLAGRANTES

    Além desta ocorrência, na quinta-feira, dia 25, a Guarda realizou a prisão em flagrante de um homem que furtou uma blusa em uma loja da área central do município. O acusado que já tinha passagem na polícia por roubo, furto e porte ilegal de arma, havia sido solto no dia 12 deste mês.

    Já no domingo, dia 28, após roubarem os clientes de uma lanchonete na área central do município, três homens empreenderam fuga levando R$ 800,00 e uma bolsa, porém, dois deles foram detidos pela GCM portando os objetos roubados, uma arma de brinquedo e uma faca.

    Além dos flagrantes, nesta segunda-feira, dia 29, durante a ronda, a Guarda encontrou diversos objetos utilizados em construção que devem ser produtos de furto e que foram abandonados na passarela situada na Rua Herculano Duarte Ribas, no Conjunto Alvorada.

  • 44 Marcos Andre // ago 27, 2011 at 7:23 PM

    É inerente à prefeitura o combate ao crime e à desordem locais, o grande absurdo de tudo isso é EXISTIR UMA POLÍCIA MILITAR.

  • 45 Al Saddam Salem // ago 15, 2011 at 9:58 AM

    Denuncia de desvio de verbas para cursos de GCM, AGMBrasi, AGMESP e Querubim do Insp. Braga de São Paulo são investigadas junto com a Prefeitura de paraguaçú Paulista, por desvio de verbas e mau aplicação nos cursos de GCM daquela cidade, disponivel em: <jornalinfoco.com.br/noticias/denuncias/indicios -desvio-de-verbas.html

  • 46 Marcio Caselato // ago 5, 2011 at 11:51 PM

    NÃO ESQUENTEM NÃO,QUANDO O CORUJA SAIR DA PREFEITURA ELE VAI LEVAR A GUARDA MUNICIPAL PARA ELE,NÃO ENTENDO COM UM BATALHÃO DE POLICIA EM VARGINHA,PARA QUE IMPLANTAR QUARDA MUNICIPAL EM VARGINHA,ISTO É SÓ PARA FALAR ONDE ESTA SENDO GASTO O DINHEIRO MUNICIPAL,ESTES MERDAS DESTES QUARDINHAS SÓ DA PROBLEMAS PARA A COMUNIDADE,FICAM MULTANDO OS COITADOS DO POVO,PARA ERRACADAR FUNDOS PARA ESTA MERDA DE PREFEITURA.

  • 47 Al Saddam Salem // jul 21, 2011 at 10:04 AM

    Policial deve ser indenizado por abusos
    Consultor Jurídico
    Brasília – 20Jul11

    A 7ª Vara da Fazenda Pública do Distrito Federal condenou a Polícia Militar a indenizar um policial em R$ 15 mil por iniciar processo de demissão sem investigação preliminar e por acusá-lo equivocadamente.
    O policial ajuizou ação de danos morais por ter sido acusado de participar de uma assembleia geral de policiais e bombeiros em frente ao Palácio do Buriti. O policial afirma que sofreu constrangimento em razão de infundada acusação, apenas para servir de “bode expiatório” e justificar a punição aos participantes do evento proibido por lei militar.
    Segundo o juiz, a Polícia Militar tem autonomia e competência para instaurar processos administrativos para apurar a conduta de seus policiais. Porém, no caso em questão, apontou uma sequência de atos ilegais e abusivos contra as garantias constitucionais do policial. Destacou a falta de ampla defesa e o fato de ter sido iniciado o processo de exclusão do autor da Corporação Militar sem qualquer procedimento anterior, visando comprovar a sua efetiva participação na assembleia feita na Praça do Buriti.
    O policial relata que as investigações apontaram apenas que suas características físicas eram semelhantes às de um dos grevistas. Mesmo assim, em decorrência do procedimento militar, perdeu o porte de arma, foi retirado da escala de trabalho e passou a utilizar a carteira funcional provisória. Ao final do procedimento ele foi inocentado.
    O Distrito Federal se defendeu argumentando inépcia da inicial e pediu a improcedência do pedido de indenização. Destacou que há legalidade no poder de apuração e mesmo que o autor fosse absolvido, não haveria nenhum constrangimento, muito menos ação ilegal do Conselho Permanente de Disciplina.
    Mas, o juiz entendeu de forma diferente e considerou abusiva a acusação do policial com base em um vídeo em que os participantes dificultavam a sua identificação pessoal de todas as formas possíveis. “Neste vídeo, o autor foi de pronto identificado por mera silueta física, de modo subjetivo ao bel prazer do (s) identificador (es), em verdadeira caça às bruxas”, resumiu o julgador, que não aceitou as alegações da defesa e impôs a indenização. Com informações da Assessoria de Imprensa do Tribunal de Justiça do DF.

    “A meganha em todo o Brasil não aprende nunca e sempre buscam um “bode Expiatório” para colocar nos altares dos prazeres e esconder as imundices internas”

  • 48 Al Saddam Salem // jul 21, 2011 at 8:54 AM

    Pra variar a PMESP de Mogi das Cruzes, onde há um CPA e um BPM, com um coronel, tres TenCel, varios majores, capitães, etc.. tem função delegada.
    levaram as armas do forum
    Assaltantes levam armas do Fórum de Mogi das Cruzes

    Duas pessoas invadiram o Fórum de Mogi das Cruzes, em São Paulo, na madrugada deste domingo (29/5), e levaram armas encontradas no depósito. A Polícia foi acionada por volta das 2h, depois que o vigia viu homens encapuzados e armados no estacionamento, como informa notícia do Estadão.com.

    O cadeado da porta da sala de armas foi danificado e a porta de acesso ao depósito, levantada. Foram apreendidos um pé de cabra e um revólver calibre 38 que estava do lado externo do prédio. O caso foi registrado no 1º DP da cidade como furto qualificado. Ainda não foi feito levantamento para saber o número exato de armas roubadas.

    Fonte wwwconjur:

  • 49 Al Saddam Salem // jul 21, 2011 at 8:53 AM

    Justiça manda prender PMs acusados de executar Juan
    Agência EstadoPor AE | Agência Estado
    A Justiça decretou ontem a prisão temporária, por 30 dias, dos quatro policiais militares suspeitos de envolvimento na morte do menino Juan, de 11 anos, em Nova Iguaçu (RJ). A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense concluiu que, no dia 20 de junho, o estudante foi executado pelos sargentos Isaías Souza do Carmo e Ubirani Soares e pelos cabos Edilberto Barros do Nascimento e Rubens da Silva em operação forjada – na qual não houve troca de tiros com criminosos – na Favela Danon.

    Os mandados de prisão foram expedidos pelo juiz Márcio Alexandre Pacheco da Silva, do 4.º Tribunal do Júri de Nova Iguaçu. O Ministério Público do Rio acusa os PMs de dois homicídios duplamente qualificados, duas tentativas de homicídio e ocultação de cadáver. A perícia da Polícia Civil derrubou a versão de tiroteio dos sargentos e dos cabos. Além das mortes de Juan e de Igor de Souza Afonso, de 17 anos, eles vão responder pela tentativa de matar o irmão do estudante, de 14, e um vendedor, de 19 anos. Baleados, ambos estão em um programa estadual de proteção de testemunhas.

    “Todos os tiros foram de fuzil. Testemunhas disseram ter ouvido rajadas. Isso comprova que não houve disparo de qualquer outra arma”, disse Ricardo Barboza, titular da Delegacia de Homicídios da Baixada. O diretor de Polícia Técnica e Científica, Sérgio Henriques, revelou que não foram encontrados indícios de disparos por parte de criminosos. Segundo ele, as cinco cápsulas deflagradas na cena do crime eram de fuzil 7.62, o mesmo calibre usado pelos PMs, que dispararam pelo menos 30 vezes.

    O advogado dos policiais, Edson Ferreira, disse que não comentaria o caso nem se pronunciaria sobre o resultado da perícia. Os quatro acusados negam a participação na morte de Juan. No registro de ocorrência, os PMs apresentaram drogas e uma arma com quatro cápsulas intactas, que seriam dos baleados. Os quatro envolvidos já participaram de 36 autos de resistência (mortes de criminosos em confronto com policiais). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Na região de Mogi das cruzes SP, fato análogo ocorreu, ams como sempre por aqui as coisas somem da midia…por que será??

  • 50 Al Saddam Salem // jul 20, 2011 at 6:47 PM

    Tiros disparados por PMs acertaram Juan, diz polícia
    De acordo com inquérito, no dia da morte do menino não houve confronto com traficantes

    iG Rio de Janeiro | 20/07/2011 13:59

    O inquérito realizado pela Polícia Civil aponta que o menino Juan Moraes, de 11 anos, foi atingido por disparos feitos por policiais militares e que não houve confronto entre soldados do 20º BPM (Mesquita) e traficantes no dia da morte da criança.

    A informação foi divulgada nesta quarta-feira (20) pelo titular da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense, Ricardo Barbosa. Segundo ele, esses fatos foram determinantes no indiciamento dos PMs investigados pela morte de Juan.

    Leia também:

    Secretário sobre caso Juan: ‘É vergonhoso’
    ‘Juan era muito brigão’, diz amigo do menino
    Polícia adota conduta mais rigorosa após caso Juan
    Promotoria pede prisão de PMs do caso Juan

    “Os tiros foram de fuzil e não de pistola, indicando que não ocorreu confronto no local”, disse o titular.

    De acordo com o delegado, o inquérito também aponta que os PMs demoraram 23 minutos para socorrer o adolescente Igor de Souza Afonso, de 17 anos, apontado como traficante de drogas.

    Na terça-feira (19), o Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro pediu à Justiça a prisão temporária por 30 dias de quatro policiais militares investigados pelo desaparecimento de Juan.

    O menino desapareceu no dia 20 de junho na Favela Danon, no município de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Na ocasião, o irmão de Juan, Wesley, de 14 anos, e um jovem de 19 anos foram baleados. Um suspeito de integrar o tráfico foi morto.

    Mais uma vergonha na ficha da PM, isto que dá Militar deve cuidar de Militar e Cidadão de Cidadão.

    Militar é pra guerra, matam discriminadamente, se estiver do outro lado é morte certa.

  • 51 Al Saddam Salem // jul 18, 2011 at 8:53 AM

    PMs acusados de execução não conseguem liberdade
    Por Fernando Porfírio

    Os policiais militares Ailton Vital da Silva e Felipe Daniel Silva vão aguardar presos o julgamento da ação penal que respondem. A decisão foi tomada, na terça-feira (13/6), pelo Tribunal de Justiça de São Paulo que negou pedido de liberdade provisória formulado pela defesa. Os PMs são suspeitos do assassinato de Dileone Lacerda de Aquino, de 27 anos. O crime aconteceu em 12 de março no cemitério Parque das Palmeiras, em Ferraz de Vasconcelos (SP). Eles foram presos em flagrante graças à denúncia de uma mulher que viu o crime enquanto visitava o túmulo do pai e ligou para o 190.

    A 16ª Câmara Criminal, depois de ouvir a manifestação da defesa e do Ministério Público, entendeu que a prisão cautelar dos dois policiais militares foi decretada com base na efetiva necessidade de preservação da ordem publica. De acordo com a turma julgadora, o decreto do juiz de primeiro grau está fundamentado a partir das circunstâncias em que o crime foi cometido e por conta da gravidade do delito, que ficou evidenciada. O relator ainda citou que o depoimento da testemunha protegida, que presenciou o fato e ligou para a Polícia, foi confirmado por outras três testemunhas.

    A turma julgadora também não aceitou o argumento da defesa de que os acusados reuniam as condições favoráveis para responder o processo em liberdade. Para os desembargadores, o fato de os réus serem primários, ter residência fixa e ocupação lícita não afasta a possibilidade do decreto de prisão cautelar, quando a gravidade do delito desassossega o meio social e põe em risco a credibilidade da Justiça.

    O boletim de ocorrência descreve que Dileone foi morto durante uma troca de tiros com PMs ao resistir à prisão após um furto. De acordo com a Polícia Civil, a vítima foi pega pelos PMs ao perder o controle de uma van furtada e bater em carros e no muro de um condomínio. Dileone já havia sido preso por roubo, receptação, formação de quadrilha e resistência à prisão. Ele cumpriu pena em Bauru, no interior de São Paulo, e estava de volta à casa dos pais, no Itaim Paulista, Zona Leste de São Paulo, havia oito meses.

    Ação Penal
    O Ministério Público ofereceu denúncia contra os acusados por homicídio duplamente qualificado. De acordo com a Promotoria, os PMs agiram em concurso de agentes, caracterizado pela identidade de propósitos e unidade de desígnios, e mataram Dileone Lacerda Aquino, por motivo torpe e com recurso que dificultou a defesa da vítima, por meio de tiros.

    Segundo a denúncia, os policiais militares foram chamados por causa de um roubo. Foram ao local quando então viram a Van roubada. Começou então uma perseguição que provocou a entrada da Van em um condomínio. Houve troca de tiros entre o motorista do automóvel e a PM. A Van bateu em alguns carros e os policiais conseguiram prender o motorista.

    Depois a algemaram e a levaram até o carro da PM. Dileone foi colocado no guarda-presos e os policiais rumaram para o cemitério. A vítima foi retirada da viatura e morta a tiros. Em seguida, os PMs colocaram o corpo de volta a ao carro e o levaram ao hospital para mostrar que estavam prestando socorro.

    “O móvel do delito foi torpe, vingança em razão dos antecedentes da vítima e de esta ter resistido à prisão. O recurso que dificultou a defesa da vítima vem caracterizado em razão de esta ter sido alvejada quando retirada abruptamente do guarda-presos e ainda algemada”, afirmou na denúncia a promotora de Justiça Mariana Apparício de Freitas.

    Em primeiro grau, ao receber a denúncia, o juiz Márcio Ferraz Nunes, da 2ª Vara de Ferraz de Vasconcelos, entendeu haver prova da materialidade e indícios de autoria e decretou a prisão preventiva dos acusados. No decreto, o juiz ressaltou a brutalidade do crime imputado aos PMs e disse que o fato causou grande repercussão e clamor social. O juiz observou, ainda, que a liberdade dos réus colocaria em risco a ordem pública.

    “A materialidade delitiva está bem demonstrada pelos elementos produzidos até então, apesar de ainda não ter sido encartado aos autos o exame necroscópico da vítima. O fato imputado aos acusados é de tamanha brutalidade que acabou por gerar grande repercussão e clamor social. A liberdade deles, nesse momento, colocaria em risco, por tal motivo, a ordem pública”, afirmou na época o juiz de Ferraz de Vasconcelos.

    A defesa
    Inconformado, o réu recorreu ao Tribunal de Justiça reclamando a revogação da medida. A defesa, patrocinada pelo advogado Hernandes Tassini, negou a versão apresentada na denúncia e pediu que os réus pudessem recorrer da ação penal em liberdade.

    De acordo com o advogado, Ailton Vital da Silva e Felipe Daniel Silva sofrem constrangimento ilegal por parte do juiz da 2ª Vara de Ferraz de Vasconcelos. Ele decretou a prisão em flagrante e a preventiva dos acusados e depois manteve o encarceramento, negando o pedido de liberdade provisória.

    Para a defesa, a decisão que decretou a custódia cautelar não está fundamentada, pois apenas fez menção à gravidade do delito, indícios de autoria, clamor público e garantia da ordem pública. O advogado sustentou que a juíza sequer observou as condições pessoais favoráveis dos pacientes, que por si só, já garantiriam o direito da liberdade provisória.

    O advogado destacou que a negação da liberdade provisória deve ser fundamentada em dados concretos, não bastando a simples menção de fato grave que ameaça a ordem pública. “A gravidade do delito e sua repercussão no meio social não podem servir de base para a decretação da custódia cautelar”, afirmou o advogado Hernandes Tassini. Ainda segundo a defesa, a prisão dos policiais militares fere o princípio constitucional da presunção de inocência.

  • 52 nascimento // jul 17, 2011 at 11:14 PM

    você da guarda ou são loucos e muito corajoso e loucos para serrem policia, pois sou pm do df e rcebo por mes mais de 6000,00 reais de salario e trabalho com pt.40 e fuzil 556 e submtr .40 alem de munição de não letal e munição quimica. enqunto você em muito dos municipios recebe menos de 1000,00 reais por mes e portão no maximo revolver .38 ou pt380 quantando portão e ainda querem fazer o meu trabalho que e de policia. acho melhor vocês estudarem um pouco mais e passar num concurso para policia, aqui no df e so ter curso superior em qualquer area para poder tentar o concurso.

  • 53 Al Saddam Salem // jun 13, 2011 at 1:16 PM

    CPA/M-4 – ZONA LESTE

    Enterrado corpo de adolescente morto por PM
    Jornal da Tarde – 12/06/11
    Redação

    Foi enterrado na manhã deste domingo, 12, o corpo do adolescente Alisson de Paula Guerreiro, de 15 anos, morto por um policial militar na noite de sexta-feira na frente da Universidade Cruzeiro do Sul (Unicsul), em São Miguel Paulista, zona leste da capital. O corpo do estudante, que cursava o ensino fundamental, foi enterrado às 11h no Cemitério da Saudade, em São Miguel Paulista.
    Crime
    Na sexta-feira, o adolescente estava com amigos em um bar, quando uma viatura da PM chegou à Avenida Dr. Ussiel Cirilo, na Vila Jacuí, anunciando blitz, por volta das 23h30. Parentes do jovem afirmam que o policial disparou contra a cabeça de Alisson “várias vezes”.
    O soldado Erisvan da Paz, da Força Tática do 29.º Batalhão da Polícia Militar de São Paulo, foi preso em flagrante, acusado de matar com um tiro na cabeça o garoto. Em nota, a PM afirmou ter sido um único disparo, “acidental” e afirmou que o caso será
    investigado pela corregedoria da corporação. Levado ao Presídio Romão Gomes, o soldado foi indiciado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

    é fácil matar e prender inocentes…

  • 54 Al Saddam Salem // jun 10, 2011 at 8:33 AM

    PMs são condenados por sequestro e extorsão no Rio

    A juíza Ana Paula Monte Figueiredo Pena Barros, da Auditoria da Justiça Militar do Rio de Janeiro, condenou quatro policiais militares pelos crimes de extorsão mediante sequestro, roubo qualificado e extorsão. Por duas vezes, eles exigiram dinheiro de um frequentador da Vila Mimosa, na Praça da Bandeira, no Rio de Janeiro.

    Entre os réus está o 2º tenente da PM Vítor Alexandre Silveira, condenado a 13 anos e dois meses de prisão. Já o cabo Alexandre Roberto dos Santos Rodrigues foi condenado a 18 anos e quatros meses de prisão, o soldado PM Josemir Flávio Pereira a 10 anos e noves meses e o soldado PM Wandercleison Pires dos Santos a 12 anos de reclusão. Todos cumprirão a pena em regime, inicialmente, fechado.

    A vítima em questão frequentava uma boate na Vila Mimosa e, na madrugada do dia 21 de janeiro do ano passado, foi abordada pelo soldado Wandercleison e pelo cabo Alexandre Roberto. Os policiais lhe deram voz de prisão, acusando-o de ser traficante de drogas, e passaram a exigir propina para que ele não fosse preso. A vítima entregou, então, R$ 6 mil aos PMs.

    O homem voltou a ser abordado na semana seguinte, na madrugada do dia 28 de abril , pelos mesmos policias e mais o 2º tenente e o soldado Josemir. Dessa vez, foram exigidos R$ 20 mil, mas a vítima só tinha R$ 1 mil. O homem foi, então, detido até o dia amanhecer, quando foi levado a uma agência da Caixa Econômica Federal para que fossem sacados mais R$ 1 mil.

    Segundo a juíza, a condenação deve servir de exemplo para os policiais que utilizam sua posição contra a população. “Ante todo o exposto, percebe-se que os acusados, a quem a Constituição da República delegou a preservação da ordem pública, utilizaram-se de suas fardas e do poder ostensivo inerente a sua função para obter vantagens ilícitas, em atuação ainda mais danosa do que aquela de bandidos que se comprometeram a combater”, completou Ana Paula.

    Para decidir, a juíza ouviu testemunhas das extorsões e baseou-se em imagens dos circuitos internos de câmeras dos estabelecimentos próximos à boate frequentada pela vítima. As informações são da Assessoria de Imprensa do TJRJ.

    014033178.2010.8.19.0001

  • 55 Al Saddam Salem // jun 7, 2011 at 8:22 AM

    CPA/M – 10 – ZONA SUL

    ‘Houve ataque, não legítima defesa’, diz delegado sobre morte de jovem
    G1
    Capital – 06Jun11

    O delegado responsável pelas investigações do assassinato do metalúrgico Alessandro da Conceição Sousa, de 23 anos, morto após uma briga de trânsito na madrugada deste domingo (5), no Jardim Santa Terezinha, Zona Sul de São Paulo, disse acreditar que o principal suspeito do crime, um policial militar, não agiu em legítima defesa.
    Sousa morreu ao levar pelo menos cinco tiros depois de colidir seu carro no veículo de um policial do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate). Segundo a mulher da vítima, que também foi baleada, Sousa já havia se desentendido com o PM, que estava de folga e à paisana. “Minha filha contou que meu genro discutiu com um rapaz em outro veículo. Ele [o suspeito] mostrou uma arma”, afirmou o eletricista Marcelo José Monteiro, de 40 anos, pai de Caroline Villadal Monteiro, de 19 anos.
    O jovem resolveu anotar a placa do outro carro para denunciá-lo à polícia e o seguiu em alta velocidade. Ao chegar à Rua das Pirajubas, os dois veículos, um Gol e um Logan, se chocaram e o condutor do outro automóvel já saiu atirando. A versão do PM, porém, contrasta com a das vítimas. Ele afirma que o casal tentou assaltá-lo. Após a colisão, uma terceira pessoa saiu do carro de Sousa e disparou em sua direção. O policial, então, reagiu disparando, mas o suposto atirador fugiu.
    “Os carros estão posicionados numa situação que demonstra que houve um ataque, não uma legítima defesa. E pelo número de disparos, está evidenciado que não houve legítima defesa”, disse o delegado Leonardo Mendonça, do 98º Distrito Policial, no Jardim Miriam.
    O PM foi preso e indiciado por homicídio e tentativa de homicídio. Ele foi levado ao Presídio Militar Romão Gomes, na Zona Norte de São Paulo, no domingo.

  • 56 Al Saddam Salem // jun 3, 2011 at 8:02 AM

    CPI-6 – BAIXADA SANTISTA

    Ocorrência: PM preso por concussão
    Nome dos PM: Sd PM 105770-7 Claudio de Souza, do 6º BPM/I
    Condição: Escalado em Serviço
    Dia: 02JUN11
    Hora: 17:30
    Endereço: Sede da 3ª CIA/PM do 6º BPM/I, Santos
    Vítimas: Diego Salgado Mendes de Almeida RG 25.700.320-4
    Envolvidos:
    OPM: 6° BPM/I
    DP:
    Vtr/PP:
    Procedimento: APFD nº 6BPMI-013/007/11
    Histórico: Sd PM Claudio estava de serviço na base operacional da 3ª cia do 6º BPM/I na função de serviço de dia, e por volta das 12:00 presenciou um motociclista trafegando com a viseira levantada, abordou o condutor da Ronda Bis placa DVF 0937 (licenciamento atrasado), constatou irregularidade administrativa e para não realizar auto de infração exigiu R$ 100,00 em dinheiro e combinou para que o dinheiro fosse entregue na sede da cia PM às 17:30. O condutor denunciou a atitude do PM na sede do 6º BPM/I, onde o Oficial SJD 1º Ten PM Celso e CFP fotocopiaram as notas de dinheiro, acompanharam o denunciante até o local combinado, permaneceram escondidos e presenciaram o momento em que o PM recebeu o dinheiro. Os Oficiais revistaram os bolsos do Policial Militar, encontraram as notas e deram voz de prisão ao Sd PM. Após ser preso em flagrante foi e encaminhado ao PMRG.

  • 57 Al Saddam Salem // jun 3, 2011 at 8:01 AM

    PM ‘liberava’ áreas para roubo a caixa eletrônico
    Jornal Destak
    Todo Estado – 02Jun11

    Investigações da Polícia Civil a respeito de ataques a caixas eletrônicos de bancos em estabelecimentos comerciais apontaram que policiais militares “liberavam” áreas para os roubos. Até anteontem, foram ao menos 70 casos. Ontem, o Banco Central decidiu que as notas manchadas por tinta em caixa eletrônico não serão mais aceitas.
    Trechos de conversas gravadas com autorização da Justiça mostram que os criminosos sabiam até quando os carros da Polícia Civil chegavam.
    Das cerca de cem pessoas envolvidas nas quatro quadrilhas identificadas até então, ao menos 26 são PMs. Um dos policiais é apontado como o mentor de uma das quadrilhas que agiam na zona sul da capital. Ele indicava quais tipos de crimes deveriam ser cometidos e os locais.
    O coronel Edson Silvestre, subcorregedor da PM, afirmou que os PMs envolvidos normalmente dão cobertura aos criminosos e nem todos os roubos e furtos a caixas têm participação de PMs.

    Apas: 50% das lojas retiraram seus terminais
    O vice-presidente da Apas (Associação Paulista dos Supermercados), Orlando Morando (também deputado estadual pelo PSDB), disse que ao menos 50% dos mercados que possuem caixas eletrônicos já os desativaram.
    São cerca de 15 mil lojas no Estado, porém, não é possível saber quantas possuem os terminais nem quantas já os desativaram de fato, segundo Morando. Procuradas, Febraban e ACSP (Associação Comercial de São Paulo) não comentaram o assunto.

    PM muda horário de trabalho contra roubo a caixas eletrônicos
    Agência de Notícias Jornal Floripa
    Todo Estado – 02Jun11

    A Polícia Militar anunciou nesta quinta-feira que vai mudar o horário de trabalho dos policiais de dois grupos de elite da corporação para combater os assaltos a caixas eletrônicos em São Paulo.
    Segundo o comandante-geral da PM, Álvaro Camilo, os policiais da Força Tática e da Rota (Rondas Ostensivas Tobias Aguiar), que costumam entrar às 10h serão deslocados para horários da tarde para trabalharem durante a madrugada também.
    Além disso, o comandante anunciou ainda que vai pedir ao Tribunal de Justiça Militar que os policiais envolvidos em crimes graves, como os assaltos a caixas eletrônicos não sejam encaminhados para o Presídio Militar Romão Gomes. “[Esses policiais] são bandidos. Eles têm que ir para presídio comum”, afirmou o comandante.
    As mudanças ocorrem após a operação que prendeu, no início desta semana, policiais militares sob suspeita de envolvimento nesse tipo de crime. Na ocasião, foram presos 4 PMs, um ex-PM e outros dois homens suspeitos de integrar uma das quadrilhas.
    Neste mês ocorreram mais de 20 roubos e furtos. A onda de arrombamentos, que são feitos com o uso de maçaricos ou explosivos, tem levado comerciantes a desativar os terminais.

    CÉDULAS
    O Banco Central anunciou ontem que não irá mais ressarcir o cidadão que receber uma cédula danificada por dispositivos antifurto de caixas eletrônicos.
    “A recomendação é que a população não receba a cédula suspeita de estar danificada por dispositivo antifurto. Essa cédula perderá a validade”, disse o diretor de Administração do BC, Altamir Lopes.
    O objetivo da medida, segundo o BC, é contribuir para a redução dos casos de furtos e roubos a caixas eletrônicos, ao dificultar a circulação de notas roubadas ou furtadas.
    O Banco Central estima em cerca de 75 mil o número de cédulas manchadas por mecanismos antifurtos de caixas eletrônicos não retiradas de circulação.
    PMs envolvidos em 80% dos ataques
    Jornal de Jundiaí
    Todo Estado – 02Jun11

    Investigações da Polícia Civil sobre ataques a caixas eletrônicos mostram que 80% dos casos contam com o envolvimento de policiais militares. Só o Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic) tem indícios da suposta participação de 20 PMs nos roubos. A maioria deles recebe propina para dar cobertura aos bandidos, informando sobre a movimentação da polícia no bairro.
    Policiais corruptos também se comprometem a retardar o atendimento da ocorrência, a fim de permitir a fuga dos criminosos. Às vezes vão até o lugar do furto e, quando aparecem outros policiais que não estão esquema, dizem que está tudo certo. Tudo ficou registrado pelos grampos feitos durante as investigações dos ataques.
    Para enfrentar essa onda de crimes – foram 77 casos até maio -, a Polícia Civil montou com os bancos um esquema para ser informada online logo que os alarmes dos bancos disparam. Em seguida, os investigadores vão às agências atacadas. A ideia é driblar a proteção dada por alguns PMs aos bandidos. Os Grupos de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra) e de Operações Especiais (GOE) estão sendo usados na tarefa.
    Foi essa ação que permitiu no sábado (28) a prisão de dois PMs que estavam escondidos em uma agência do Banco do Brasil na zona sul de São Paulo. O Deic prendeu na terça-feira (31) quatro PMs acusados de pertencer a uma das quatro grandes quadrilhas que estariam agindo no Estado.
    Em um dos casos, grampos mostram bandidos reclamando com os PMs corruptos porque uma viatura se aproximou da agência – ela ficava a 200 metros de uma delegacia. Os policiais tranquilizam o bandido dizendo que os colegas haviam entrado na rua por engano.
    O governador Geraldo Alckmin (PSDB) lamentou a participação de PMs nos crimes. “A polícia já prendeu 27 criminosos. Lamentavelmente são policiais militares que já estão presos, vão responder a processos civil e criminal.” Alckmin também ressaltou que o efetivo da polícia é grande (140 mil agentes) e “você tem sempre um caso ou outro”. “O que não pode haver é impunidade”, resumiu.

  • 58 Al Saddam Salem // jun 2, 2011 at 1:13 PM

    Pais de jovem morto em cemitério serão indenizados

    1 de junho de 2011 |
    14h27 |
    Tweet este Post

    Categoria: Justiça

    A Defensoria Pública de São Paulo pediu ao Estado, na última segunda-feira (30), indenização para os pais de Dileone Lacerda de Aquino, morto por policiais militares no Cemitério Parque das Palmeiras, em Ferraz de Vasconcelos, na Grande São Paulo. O valor pedido é de R$ 500.000,00 para cada um dos pais por danos morais.

    O pedido solicita ainda que o Estado conceda uma pensão vitalícia para cada um dos dois no valor de um salário mínimo e o ressarcimento de R$ 2.349,33 gastos com o velório, transporte e sepultamento da vítima. O pedido tem natureza administrativa e será analisado pela Procuradoria Geral do Estado.

    No dia 2 de março, Dileone foi perseguido por dois policiais militares após o relato de um roubo de carro. O jovem foi atingido na perna por um tiro e algemado. Dileone teria sido colocado dentro de uma viatura policial com vida e levado para o cemitério. Uma testemunha ligou para o telefone 190 e narrou o ocorrido. Priscila Trindade

  • 59 Al Saddam Salem // jun 1, 2011 at 9:44 AM

    Chupa essa manga!!!

    PM orientavam criminosos de dentro da viatura

    31 de maio de 2011 |
    fonte: Jornal da tarde, 010611

    Categoria: Polícia

    FELIPE TAU

    Policiais militares em serviço utilizavam viaturas da corporação para dar cobertura a criminosos que explodiam e roubavam caixas eletrônicos em São Paulo. Dos carros oficiais, monitoravam a movimentação de outras unidades da PM por meio dos radiocomunicadores. A informação foi dada nesta terça-feira pelo Departamento de Investigações Sobre Crime Organizado (Deic), após a prisão de quatro PMs, um ex-PM – expulso por brigar com outros policiais no trânsito – e mais dois suspeitos de pertencerem a uma das quadrilhas responsáveis pela onda de ataques na Grande São Paulo. Com a ação são sete o total de policias militares presos desde o fim de semana. Três, do mesmo bando, foram detidos no sábado.

    Os PMs acompanhavam a movimentação de outras viaturas via rádio e avisavam os bandidos para fugirem. Em outros casos, despistavam policiais que se aproximavam para fazer o patrulhamento. Durante a investigação foram feitos grampos de conversas telefônicas com autorização da Justiça. “Meu, você não acredita. Acendeu! Vai explodir”, é o trecho de uma gravação de conversa através de celular entre um PM, de dentro da viatura, e um comparsa que estava perto do caixa que seria arrombado.

    Na operação, chamada Caixa Preta, foram presos quatro suspeitos na capital e três na Grande São Paulo: Diadema, São Bernardo do Campo e Taboão da Serra. Foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão.

    André Luis Leite, de 41 anos, é apontado como o líder da quadrilha e o responsável por aliciar policias. O soldado João Paulo Victoriano de Oliveira, de 31 anos, por sua vez, seria o coordenador das ações na zona sul da cidade. De acordo com a Polícia Civil, o grupo está envolvido em pelo menos mais sete crimes. Entre os de maior repercussão estão dois ataques a caixas eletrônicos, em abril. O primeiro ocorreu na Avenida do Cursino, e deixou um policial morto. O segundo foi no Ipê Clube, no Ibirapuera. A ação deixou três mortos.

    Entre os detidos, há dois sargentos e dois soldados. Dois deles atuam no Comando de Policiamento de Trânsito (CPTran). Outros dois atuam no 46º e no 1º batalhões. O policial afastado foi expulso da corporação no começo do ano.

    As prisões foram feitas por 60 homens da Delegacia de Repressão a Roubos, do Garra e do setor de inteligência da Polícia Civil. Eles partiram do Deic às 6 horas e concluíram o trabalho no início da tarde. Foram recolhidos celulares, rádios, armas de brinquedo – usadas para treinamento – e um Chrysler 300C, que custa entre R$ 185 e R$ 245 mil.

    Segundo o diretor do Deic, delegado Nelson Silveira Guimarães, as investigações começaram há dois meses e meio e apontam a existência de quatro quadrilhas, todas com relações entre si. “Isso é só a ponta do iceberg”, disse o delegado em entrevista coletiva após a operação. Ele não quis informar o total de policiais investigados e negou a presença de policias civis na lista.

    Os PMs detidos deixaram a sede do Deic às 18h e foram levados ao Instituto Médico Legal (IML) para exame de corpo de delito. Eles tiveram prisão temporária decretada e ficarão no Presídio Romão Gomes.

  • 60 Al Saddam Salem // mai 31, 2011 at 4:54 PM

    Dois policiais militares do 3º Batalhão, um deles do posto que fica próximo à estação São Judas do Metrô e outro das Rondas Ostensivas com Auxílio de Motocicleta (Rocam), foram presos, em flagrante, por volta das 3 horas desta madrugada de sábado, ao invadirem uma agência do Banco do Brasil localizada na altura do nº 485 da avenida Engenheiro Armando de Arruda Pereira, na região do Jabaquara, zona sul de São Paulo. Os soldados foram autuados em flagrante e já foram encaminhados para o presídio Romão Gomes.

    No momento em que foram detidos por agentes do Grupo de Operações Especiais (GOE), da Polícia Civil, os soldados Marcelo Gomes Hiar e Emerson Aparecido Teixeira tentavam se esconder na copa da agência. O companheiro da dupla, o soldado Adriano Antônio de Novaes também foi preso. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), no celular dele havia uma mensagem de texto alertando os companheiros sobre a chegada dos políciais civis.

    Com os presos, os policiais apreenderam um pé-de-cabra, uma furadeira, broca e um artefato explosivo artesanal feito com tubos de PVC e possivelmente pólvora, material que seria utilizado para arrombar um dos caixas eletrônicos.

    Segundo os policiais civis, a dupla entrou na agência pelo portão lateral, que estava aberto quando o GOE chegou ao local, e foi diretamente para os fundos, onde encobriu uma câmera de monitoramento externo com um pedaço de pano escuro. Um funcionário da empresa de segurança patrimonial que presta serviço para o banco, da central de monitoramento, notou algo de errado e acionou tanto a Polícia Civil como a Militar.

    Uma viatura da PM foi até o local e, após uma rápida inspeção, não teria notado nada de errado e prosseguiu com o patrulhamento de rotina. Agentes do GOE então resolveram apurar melhor o que ocorria e detiveram os dois soldados dentro da copa.

    Um carro com uma pistola ponto 40, estacionado próximo à agência, também foi apreendido. Um dos policiais militares detidos, segundo o GOE, estava com colete balístico e outra pistola ponto 40.

    Supermercado

    Uma quadrilha tentou arrombar, sem sucesso, por volta da 0h30 deste sábado, um caixa eletrônico da rede Banco 24 Horas instalado no interior do supermercado Dia, localizado na altura do nº 1.170 da Estrada Turística do Jaraguá, zona norte da capital paulista.

    O estabelecimento já fechava quando funcionários eram rendidos e colocados nos fundos do supermercado. A explosão ocorrida no caixa não foi forte o suficiente para que os seis bandidos tivessem acesso ao cofre. O grupo fugiu sem levar nada. Policiais militares foram acionados, mas não chegaram a tempo de deter os suspeitos. O caso foi registrado no 46º Distrito Policial, de Perus.

  • 61 Al Saddam Salem // mai 31, 2011 at 4:52 PM

    A casa ta começando a cair…

    Operação prende 4 PMs suspeitos de roubar caixas eletrônicos
    Investigações revelam que policiais militares integravam quadrilha especializada em roubar caixas na Grande São Paulo

    Fernanda Simas, iG São Paulo | 31/05/2011 11:39 – Atualizada às 16:28

    A operação realizada pelo Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic) nesta terça-feira quatro policiais militares suspeitos de formar uma quadrilha especializada em roubos de caixas eletrônicos na Grande São Paulo. A operação é comandada pela Delegacia de Repressão a Roubo a Bancos, parte do Deic.

    De acordo com a DEIC, sete mandados de prisão foram cumpridos hoje – entre os presos, estão quatro policiais militares, um ex-policial e outras duas ainda não identificadas. Identificado como Andrezinho, o suspeito é acusado de ser o chefe da quadrilha que atuava na Grande São Paulo. Os nomes dos outros seis presos não foram divulgados oficialmente. Segundo o Deic, a operação continua para o cumprimento de 13 mandados de busca e apreensão.

    Em cerca de dois meses, a operação chamada de Caixa Preta já prendeu ao todo 26 pessoas, entre eles sete policiais militares em atividade. Segundo o Deic, todos os presos fazem parte de uma mesma quadrilha responsável por roubos a caixas eletrônicos, agências dos Correios e residências. A polícia de São Paulo ainda investiga outros três grupos suspeitos de cometer os mesmos crimes e se que estavam interelacionadas.

    Suspeito identificado como Andrezinho, acusado de ser o chefe da quadrilha, chega ao Deic

    No último sábado (28), dois policiais militares foram presos dentro de uma agência bancária, no bairro Jabaquara, na zona sul de São Paulo, suspeitos de tentativa de roubo a caixa eletrônico. Um colega da dupla, também policial militar, tentou “ajudar” os suspeitos enviando uma mensagem de texto sobre a chegada do Grupo de Operações Especiais (GOE). Com os presos foram encontraram pé-de-cabra, furadeira, broca e máscaras. Além de um tubo de PVC com material explosivo.

    Roubos na madrugada

    Mais três casos de roubos a caixas eletrônicos foram registrados na capital e na Grande São Paulo nesta madrugada. Em Pinheiros, bairro da zona oeste da cidade, sete bandidos amarraram os vigias da Editora Saraiva, na Rua Henrique Schaumann, e roubaram três máquinas do banco Itaú, por volta das 3h. Ninguém foi preso.

    Já em Osasco, os bandidos explodiram outras três, todas da rede Banco 24 Horas. A explosão se transformou em um incêndio, por volta das 3h30, em um supermercado na rua Professora Adelaide.

    Por volta das 4h40, criminosos tentaram explodir uma máquina com um maçarico dentro de uma agência em São Bernardo do Campo, no ABC. Diante de uma tentativa frustrada, os bandidos fugiram do local sem levar nada.

    Já o último caso desta madrugada ocorreu em um prédio da empresa Telefônica que foi invadido pelos bandidos, por volta das 5h. Os criminosos renderam os vigias do local e, com o uso de maçaricos, destruíram o caixa eletrônico e levaram o dinheiro.

  • 62 Al Saddam Salem // mai 26, 2011 at 8:20 AM

    Câmara aprova redução na jornada de trabalho de guardas
    EPTV.COM
    Ribeirão Preto – 25MAI11
    Editorial

    A Câmara Municipal de Ribeirão Preto aprovou, na terça-feira (24), o projeto de lei que reduz a jornada de trabalho dos 230 guardas civis municipais. Com a aprovação unanime dos 19 vereadores presentes, em primeira e segunda discussão, será reduzida de 40 para 36 a carga horária semanal dos agentes de segurança. Como o projeto foi apresentado pelo poder Executivo, não precisará ser sancionado pela prefeita Dárcy Vera para ser validado.
    O piso salarial da Guarda Municipal, que não foi alterado com a regulamentação da jornada de trabalho, é de R$ 1,3 mil mais benefícios, segundo o guarda municipal Janak Standoro Filho, de 35 anos. Para ele, a mudança é satisfatória. “Até então, a carga horária não tinha nenhuma regulamentação legal. Era um anseio da maioria”, disse.
    Com relação às denúncias de más condições de trabalho e de assédio moral contra o superintendente da Guarda, André Luiz Tavares, Standoro alega que as reclamações são infundadas e partem de um grupo que não representa os interesses da corporação. ”O comando foi bem explícito. Se há denúncias, tudo bem, é direito de todos em se manifestar”, afirmou.
    Na segunda-feira (23), 15 guardas municipais fizeram um protesto no Palácio Rio Branco contra Tavares – que negou as acusações – além de solicitarem melhorias como aumento de 100% nas horas extras no fim de semana e plano de carreira. A prefeitura informou que as denúncias serão apuradas e que as reivindicações ainda devem ser discutidas.

    Concurso
    O superintendente da Guarda Municipal, André Luiz Tavares, anunciou que um concurso público será aberto no segundo semestre para aumentar o efetivo da corporação. O número de vagas não foi anunciado. Ele nega, no entanto, que a redução da jornada de trabalho represente piora no atendimento à população e que as novas contratações sejam necessárias para compensar a regulamentação.
    “Essa redução não vai trazer prejuízo, porque dentro da escala eu supro isso”, disse. Tavares alega que as quatro horas a menos serão diluídas no mês e que os agentes de segurança continuarão trabalhando 8 horas diárias, no regime 3 x 1 – três dias trabalhados seguido de um de folga. “O que ultrapassar ele (o guarda) pega como folga”.

  • 63 Al Saddam Salem // mai 25, 2011 at 8:28 AM

    Mesmo estando condenados pela Justiça Militar, PMs do Rio são promovidos
    Levantamento feito pelo iG revela que quatro policiais condenados por corrupção nos últimos anos cresceram na hierarquia da PM

    Mario Hugo Monken, iG Rio de Janeiro | 25/05/2011 07:00

    Mesmo condenados, PMs conseguem promoção e continuam trabalhando no Rio

    Ao menos quatro PMs que foram condenados pela Justiça Militar do Rio de Janeiro nos últimos cincos anos por crimes como corrupção passiva ou concussão ou extorsão foram promovidos na corporação, segundo um levantamento feito pelo iG no site do Tribunal de Justiça (TJ) e nos boletins internos da PM.

    Esses policiais, além de serem promovidos por tempo de serviço e continuarem trabalhando, também tiveram aumento no salário.

    O crime de concussão ocorre quando um policial exige dinheiro ou outra vantagem indevida devido a sua função pública. Ela difere um pouco do crime de extorsão, que ocorre quando o suspeito exige algo de alguém mediante ameaça ou uso da violência.

    Um dos casos apurados aconteceu com o soldado F.A.C. No dia 6 de agosto de 2008, ele foi condenado a oito anos de prisão pelo crime de concussão.

    Segundo o processo, no dia 6 de maio de 2005, na Cidade de Deus, na zona oeste da capital, F.A.C e outros três PMs abordaram dois jovens e forjaram um flagrante de drogas. De acordo com os autos, os policiais revistaram o Palio onde estavam os dois rapazes e alegaram ter encontrado maconha.

    A dupla foi algemada e levada para a 32ª Delegacia Policial (Taquara). Durante o trajeto, um dos policiais disse aos rapazes que o caso era “papo de R$ 10 mil”. Quando chegaram na DP, os jovens foram levados para as celas onde ficaram por cerca de meia-hora.

    Após esse tempo, um dos rapazes disse aos PMs que não tinha a quantia exigida mas que poderia sacar R$ 1.500. Ele foi retirado da cela e foi com um dos policiais tentar obter o dinheiro. Como não conseguiu, foi combinado um encontro em um outro local para a entrega da quantia.

    Leia também:

    Em cinco anos, Justiça do Rio abriu processos contra 398 PMs
    PMs podem ser expulsos antes de serem condenados
    PM condenado por propina de R$ 2 é promovido
    Para promoções, Regulamento da PM não considera condenações

    Entretanto, antes de os rapazes irem embora, os policiais exigiram que eles deixassem o cordão de ouro e um relógio. Os policiais ainda, segundo os autos, roubaram R$ 200 dos jovens, além de 100 CDs, material que foi retirado do Palio durante a revista.

    Apesar de os autos mencionarem que as vítimas foram levadas e retiradas da cela de uma delegacia, a sentença não cita se policiais civis tiveram participação no episódio.

    Quase dois anos depois da condenação, o boletim interno da corporação publicou, em 30 de maio do ano passado, a sua promoção para cabo. Na época, ele estava lotado no Centro de Qualificação de Profissionais de Segurança (CQPS). A PM não informou onde ele estaria lotado atualmente.

    Propina de R$ 3 mil

    O segundo caso levantado pelo iG ocorreu com o então soldado H.P.S. Ele foi condenado no dia 26 de fevereiro de 2009 a dois anos, quatro meses e 24 dias de prisão por concussão.

    Segundo o TJ, no dia 28 de setembro de 2004, H.P.S e outros oito PMs exigiram R$ 3 mil de dois homens alegando que a oficina em que trabalhavam, no morro do Turano, no Rio Comprido, na zona norte, era usada para desmanche de carros.

    Os autos indicam que, além de exigir o dinheiro da dupla, os PMs roubaram um toca-fitas, um telefone celular e tentaram forjar um flagrante de porte ilegal de arma.

    No dia 29 de janeiro de 2010, foi publicado no boletim interno da corporação, a promoção de H.P.S de soldado para cabo. Na época, ele era adido na DAS (Divisão Anti-Sequestro) da Polícia Civil. A PM não informou sua lotação atual.

    A sentença que condenou H.P.S foi mantida no dia 13 de julho do ano passado em segunda instância e o caso foi para os órgãos superiores em Brasília, onde ainda cabe recurso.

    “O que você pode fazer pela gente?”

    Outro caso em que um PM foi condenado mas recebeu promoção ocorreu com o cabo A.M.C.S. No dia 15 de abril do ano passado, ele foi condenado a dois anos, quatro meses e 24 dias de prisão pelo crime de concussão.

    O processo diz que, no dia 18 de julho de 2007, A.M.C.S e um outro policial abordaram um motorista na saída do município de Sumidouro, na região serrana. Ao verificarem que a documentação do carro estava irregular, os PMs perguntaram ao rapaz. “O que você pode fazer pela gente?”.

    O motorista, então, disse que tinha R$ 50 mas que só poderia dar R$ 20 aos PMs. Um dos policiais, então, pegou a nota de R$ 50 e deu R$ 30 ao rapaz.

    Pouco mais de um mês depois da condenação, a PM publicou em seu boletim oficial a promoção de A.M.C.S de cabo para terceiro-sargento no dia 31 de maio do ano passado. Na época, ele atuava no batalhão de Nova Friburgo (11º BPM). A corporação não informou sua atual lotação.

    Em São Paulo não é diferente: no dia 13mai2010, o então majPM Dhaubian, do 32BPMM-Suzano, foi denunciado por usar armas de fogo, vtr pm, pessoal, estande clandestino, farta munição; foi promovido a TenCelPM, e ganhoum um comando próprio.
    Parece que o crime compensa, conforme demonstra a reportagem.
    Uma vergonha!!!

  • 64 Al Saddam Salem // mai 24, 2011 at 4:46 PM

    APÓS DENUNCIA, NOS PRINCIPAIS JORNAIS DE SÃO PAULO, DE QUE OFICIAIS DA PMESP GANHAM ALTOS SALÁRIOS, DANDO ROMBO DE 200 MILHÕES NA FOLHA DE PAGAMENTO DO ESTADO, O CMT GERAL PMESP MANDA ESTE RECADO AOS SEUS SUBALTERNOS E SUBORDINADOS:

    Alteração do cálculo do RETP – reportagem Folha de S.Paulo

    23/05/2011
    Comandante Geral
    Alteração do cálculo do RETP – reportagem Folha de S.Paulo

    Policial Militar,

    Em respeito a você e dentro da transparência do comando, trago esclarecimentos sobre o RETP.

    A REPORTAGEM SOBRE O RETP

    O Jornal Folha de S.Paulo traz na data de hoje matéria intitulada: “PM paga salários acima da lei para oficiais”, assinada pelo jornalista Rogério Pagnan, com informações totalmente distorcidas, embora tenha recebido do Centro de Comunicação Social os esclarecimentos corretos.

    Os dados publicados não condizem com a realidade e induzem o leitor a pensar que os policiais militares, principalmente os oficiais, recebem altos salários.

    A reportagem fala em irregularidades no processamento da folha e dá exemplo hipotético com padrão muito superior aos existentes.

    Também diz que oficiais fazem os próprios contra-cheques, esquecendo-se de incluir que processamos a folha por termos sido pioneiros em processamento de dados no Estado e nossa folha é auditada pela Secretaria da Fazenda e pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE).

    TIRANDO SUAS DÚVIDAS

    1. O que está sendo questionado?

    A fórmula de cálculo do RETP para os policiais militares, da ativa e veteranos, que têm gratificações incorporadas: décimos de pro-labore, décimos de aula etc.

    2. Como é essa fórmula de cálculo e como ficará?

    As gratificações incorporadas são somadas ao PADRÃO e sobre o total se calcula o RETP. A partir de 1º de junho o RETP será calculado somente com base em 100% do PADRÃO.

    3. Havia irregularidade? Houve pagamento indevido? Terei que devolver dinheiro?

    Não. A fórmula utilizada até hoje tem fundamento jurídico, assim não houve pagamento indevido. Ninguém terá que devolver qualquer valor.

    4. E quem tem decisões judiciais?

    Cada caso será analisado individualmente, respeitando a sentença judicial.

    5. Quem atinge? Eu serei atingido?

    Cerca de 11.600 policiais militares, praças e oficiais, da ativa e veteranos, além de aproximadamente 3.000 pensionistas. Se você tem o RETP igual ao PADRÃO nada muda no seu salário, caso contrário, será analisado individualmente.

    6. Porque isso está sendo modificado agora?

    Essa fórmula, utilizada há 17 anos, teve nova interpretação jurídica pelo Comitê de Qualidade da Gestão Pública expressa em Parecer da PGE recebido pelo Comando Geral em 13/05/2011 (clique aqui para ver a íntegra do parecer).

    7. Isso precisa ser feito? O Comando Geral tem que aplicar?

    Sim. A partir do recebimento da comunicação oficial o Comando Geral, responsável pela folha de pagamento, tem que aplicar o descrito no referido Parecer sob pena de improbidade administrativa. Esse assunto vem sendo discutido há vários anos e ressalta-se que o Comando esgotou todos os meios para demonstrar que entende a fórmula atual correta, baseada em fundamentos jurídicos.

    8. Houve preocupação com o RETP e nosso salário como fica?

    O Comando Geral está negociando com a Comissão de Política Salarial e fez proposta de reajustes para os próximos 4 anos consistindo de um percentual linear sobre o padrão, assim todos os policiais militares, ativos e veteranos e pensionistas terão o mesmo reajuste.

    OBS: caso fique alguma dúvida, fale com o seu comandante ou procure a Central de Atendimento ao Policial Militar, nosso “Poupatempo do PM”.
    INTRANET: CANAL DE COMUNICAÇÃO OFICIAL DO COMANDO
    Esse é nosso canal de comunicação e aqui vou colocar todas as notícias sobre nossa Polícia Militar. Não aceitem e nem propaguem informações diferentes que só servem para causar intranquilidade.
    Confie e conte sempre com o Comando!
    ALVARO BATISTA CAMILO
    Coronel PM Comandante Geral

  • 65 Al Saddam Salem // mai 23, 2011 at 12:40 PM

    23/05/2011 – 09h00
    PM de SP paga salários acima da lei para oficiais; prejuízo pode passar de R$ 200 milhões
    Do UOL Notícias
    Em São Paulo

    Comentários [49]

    A cúpula da Polícia Militar de São Paulo vem pagando, há pelo menos quatro anos, o salário de oficiais com valores acima do que deveria por lei. O prejuízo estimado aos cofres públicos supera R$ 200 milhões nesse período, revela reportagem da Folha de S.Paulo desta seguda-feira (23).

    O pagamento, considerado irregular pelos técnicos do próprio governo, ocorre porque a PM interpreta –de maneira distorcida– uma lei sobre uma gratificação chamada RETP (Regime Especial de Trabalho Policial), paga para compensar as horas extras. O bônus, que é fixo, dobra o salário base de todos os policiais.

    No caso da PM paulista, em vez de ser feito sobre o salário base, como diz a lei estadual (731/ 93), o cálculo era feito sobre o salário base somado a “todas as vantagens pecuniárias” (de acréscimo por nível universitário até aulas dadas na academia de polícia). Com isso, um salário de R$ 12 mil virava um de R$ 16 mil.

    Segundo o diretor da Fazenda, os contracheques eram feitos pelos próprios oficiais e enviados ao órgão para pagamento “sem nenhuma conferência”.

    Procurado, o governo de São Paulo admitiu o problema e disse que a PM concordou em mudar sua fórmula de cálculo. Mas, por considerar que não houve indícios de má-fé, os PMs não precisarão devolver o dinheiro já recebido.

    Segundo a reportagem, o problema nos salários é conhecido pelo governo desde 2007, quando uma auditoria apontou a divergência do que ocorria com a PM e com os salários dos policiais civis.

    Acho que todos os oficiais PM deveriam responder criminalmente afinal o poder-dever obriga a denunciar qualquer fato irregular.
    Mas no Brasil já viu né….

  • 66 Al Saddam Salem // mai 19, 2011 at 12:52 PM

    Suspeito agride PMs, tenta roubar fuzil e é detido por populares na Avenida Brasil
    fonte: disponivel em: .

    Despreparo total….

    Uma confusão envolvendo dois PMs e um motociclista suspeito chamou a atenção de quem passava pela Avenida Brasil nesta segunda-feira. O flagrante foi feito por uma equipe da TV Brasil.

    Os dois PMs não conseguem prender o homem, que reage, cai e, em seguida, tenta tomar o fuzil de um dos policiais. Um tiro é disparado. O homem foge, corre pelas pistas movimentadas da Avenida Brasil, tenta entrar em carros que passavam pelo local, enquanto os PMs se dividem: um deles carrega a moto para o acostamento, enquanto o outro retira a viatura da pista.

    O suspeito volta e, sem que os policiais percebam, invade a viatura e ataca o PM que estava ao volante. Nesse momento, dois PMs que estavam de folga param para ajudar os colegas. O suspeito tem mãos e pés algemados. Um PM bate no homem com o fuzil. Os PMs pedem reforço.

    Dentro da viatura, o homem — mesmo dominado por três policiais — ainda reage. Outros PMs chegam e um deles chuta o preso dentro do carro da polícia. O homem, algemado, é arrastado para fora do carro. Seu rosto é colocado voltado para o asfalto. Em seguida, ele foi levado a um hospital, onde foi medicado, e depois para a delegacia. Após o registro de ocorrência, o homem foi liberado.

    A polícia não divulgou os nomes dos PMs nem do suspeito envolvido na confusão.

    Os Mikes de sampa andam tão cansados da função delegada que nem consegue mais segurar um peão…

    segura peão!!!!!!!!!!!!

  • 67 Al Saddam Salem // mai 16, 2011 at 9:29 AM

    pms investigados por roubo a caixa eletronico!!
    40 PM são investigados por furto a caixas eletrôni
    13/05/201140
    PMs investigados por roubo a caixa eletrônico
    Josmar Jozino
    do Agora

    Pelo menos 40 policiais militares são investigados por suposto envolvimento em furtos ou roubos de caixa eletrônico no Estado. Os PMs são suspeitos de facilitar a ação dos criminosos durante o patrulhamento preventivo. Os ataques aos equipamentos começaram em 2007.

    Dos 40 investigados nos últimos cinco anos, 38 chegaram a ser presos, sendo dois em 2011; 13 em 2010; seis em 2009; nove em 2008 e oito em 2007. O número equivale a 18,45% dos 206 PMs recolhidos no Presídio Militar Romão Gomes, na Água Fria (zona norte de SP). Mas pode aumentar porque novas prisões devem ser feitas nos próximos dias pela Corregedoria da PM e o Deic (Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado).

    Em 4 de março deste ano, ladrões furtaram o caixa eletrônico do Banco do Brasil de Pedro de Toledo (145 km de SP). No dia do crime, dois PMs responsáveis pelo patrulhamento na cidade se deslocaram para a vizinha Itariri (152 km de SP), a pedido de outros dois colegas de farda.

    as máscaras estão começando a cair..

  • 68 Al Saddam Salem // mai 13, 2011 at 6:28 PM

    Policial acusado de matar ambulante deve ir a júri popular

    O 1º Tribunal do Júri de São Paulo pronunciou o policial Valdez Gonçalves dos Santos pela morte do ambulante Roberto Marcel Ramiro dos Santos, ocorrida em 8 de maio deste ano, na Zona Leste da Capital. A decisão submete o acusado a júri popular.
    De acordo com a sentença proferida nesta segunda-feira (13/12) pelo juiz Daniel Ovalle da Silva Souza, “não poderá o réu aguardar o julgamento em liberdade, recomendando-se no presídio em que se encontra recolhido”.

    Cabe recurso da decisão.

    Processo nº 052.10.002506-6

  • 69 Al Saddam Salem // mai 13, 2011 at 6:25 PM

    Justiça concede liminar que afasta limite de idade para concurso da PM

    A juíza Maria Gabriella Pavlópoulos Spaolonzi, da 13ª Vara da Fazenda Pública da Capital, concedeu ontem (3) liminar que afasta uma cláusula do edital do concurso para admissão no cargo de soldado PM de 2ª classe da Polícia Militar do Estado de São Paulo.
    A cláusula prevê que o candidato tenha no máximo 30 anos para ingresso na carreira. Rodrigo Paulo dos Santos Ribeiro impetrou mandado de segurança contra o diretor de pessoal da instituição ao ser impedido de se inscrever no concurso por já ter atingido a idade.
    A decisão da magistrada foi tomada com base no princípio da isonomia, consagrado na Constituição Federal. “Por força do princípio da isonomia, tem-se decidido no sentido de que a igualdade deve ser efetiva no ordenamento jurídico, o que significa que a legislação vigente não pode fazer discriminação imotivada”, afirmou. A Polícia Militar deverá prestar informações no processo sobre a existência de previsão sobre limites de idade para ingresso na instituição que porventura constem da Lei Orgânica da Polícia Militar ou em alguma norma pertinente.
    Outro princípio constitucional invocado pela magistrada foi o da razoabilidade, tendo em vista que o rapaz completará 31 anos três meses antes da data prevista para posse no cargo – 3 de abril de 2012. O princípio recomenda o uso do bom senso nas decisões. Por fim, alegou a juíza ser irrelevante a questão da idade do canditato, pois o concurso exige aprovação em teste de aptidão física.

    Assessoria de Imprensa TJSP – DS (texto e foto)
    imprensa@tjsp.jus.br

  • 70 Al Saddam Salem // mai 13, 2011 at 6:24 PM

    O 1º Tribunal do Júri de São Paulo designou para o próximo dia 30, às 13 horas, a sessão de julgamento do policial Valdez Gonçalves dos Santos, acusado pela morte do ambulante Roberto Marcel Ramiro dos Santos. O crime aconteceu em 8 de maio de 2010, na Zona Leste da Capital.
    O júri popular será realizado no Plenário 8 do Fórum Criminal da Barra Funda, que fica na Avenida Doutor Abrahão Ribeiro, 313, Barra Funda, Zona Oeste de São Paulo.

    Processo nº 052.10.002506-6/00

    Assessoria de Imprensa TJSP – AS (texto) / AC (foto ilustrativa)

  • 71 Al Saddam Salem // mai 13, 2011 at 6:22 PM

    O 1º Tribunal do Júri de São Paulo condenou o policial militar Reginaldo Furtado de Carvalho a 33 anos de reclusão, em regime inicialmente fechado, pela prática de sequestro e três homicídios qualificados. Os crimes ocorreram no dia 14 de março de 2009 e foram registrados no Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa.
    No julgamento, o Conselho de Sentença, por maioria, reconheceu a autoria e a materialidade dos delitos de homicídio, com incidência da qualificadora de motivo torpe, bem como o crime de sequestro qualificado.
    Em sua decisão, proferida no último dia 11, a juíza Leila Hassem da Ponte afirmou que “o motivo torpe se reveste de particular gravidade, consistente no fato de os ofendidos terem, supostamente, subtraído uma motocicleta, pertencente ao irmão do acusado. O réu, na condição de policial militar, integrante do corpo de bombeiros, treinado para salvar vidas, jamais poderia matar as vítimas, aplicando-lhes a ‘pena de morte’, em verdadeiro ‘tribunal de exceção’, posto que agiu com absurda violação ao Estado Democrático de Direito e que deve ser repudiada de forma concreta e eficaz pelo Estado constituído”. Reginaldo de Carvalho não poderá apelar em liberdade.

    Processo nº 052.09.002315-5/00

    Assessoria de Imprensa TJSP – AS (texto) / AC (foto ilustrativa)
    imprensatj@tjsp.jus.br

  • 72 Al Saddam Salem // mai 13, 2011 at 4:30 PM

    Confira: Conversa no MSN entre guarda e federal que matou PM anuncia tragédia
    Aumentar texto Diminuir texto

    Nicanor Coelho, de Dourados

    A operação realizada por dois policiais militares de Dourados na tarde do Dia das Mães supostamente engendrada para combater o narcotráfico resultou numa tragédia com a morte do PM Sandro Álvares Morel e lembra parte do enredo da peça teatral “A Comédia dos Erros” do inglês Willian Shakespeare.

    Com lances cinematográficos e em alguns momentos com inspiração em romances policiais no estilo Agatha Cristhie, o conteúdo da conversa através do MSN a guarda municipal Zilda Aparecida Rodrigues Ramires e o policial federal Leonardo de Lima Pacheco com alto teor rocambolesco comprova que a exemplo da comédia shakespeariana os enganos e os engodos estão presentes do começo ao fim.

    Zilda personagem principal desta tragicomédia acabou se transformando no pivô do enfrentamento entre os PMs e o policial federal. Quem levou a pior foi Sandro que perdeu a vida e deixou estragos irreparáveis na jovem família e consternação em toda a corporação.

    O soldado José Pereira de Souza como ator coadjuvante não conduziu a operação, restando para si apenas um tiro que lhe feriu. Para o policial federal sobrou a execração pública, problemas familiares e um longo processo pela frente e até a possibilidade de ter que enfrentar um conselho de sentença.

    Para entender a sucessão de mal entendidos é necessário que se conheça o teor da última conversa de MSN entre Zilda e Leonardo. Os dois deveriam estar navegando nas não tão plácidas páginas da internet em busca de divertimento ou simples prazer físico quando se encontraram num chat onde pode se escolher o tema da conversa.

    Zilda com o codinome Cláudia se apresenta e pela frente encontra Leo Prequetel. Assim começam a falar amiúde sobre as agruras da solidão. A identificação mútua foi instantânea. Depois de quase quinze dias de chat Claudia e Prequetel migraram para o MSN onde tiveram a única e última conversa. Passo seguinte foi a tragédia.

    Neste folhetim cibernético o que mais importa são as conversas do último domingo que começaram na internet logo depois do almoço por volta das 13h. Cláudia teclando como “Eu” conversa com Leo Prequetel e o clima erógeno esquentou talvez incentivado com a imagem de uma bela mulher que existia no lugar onde deveria estar a fotografia de Zilda.

    Leo mostrava sua face de Leonardo Pacheco através de uma webcam. Leonardo abriu seu coração e falou de sua família e até chegou a mostrar para “Eu” foto da esposa e do filho. Leonardo era Leonardo no MSN, enquanto que Zilda era “eu”.

    A conversa do domingo foi esquentando, esquentando e por insistência de Zilda que não aceitava “sair” com um desconhecido queria saber qual a profissão de Leo. Em tom jocoso Leonardo, conforme o advogado de defesa, Felipe Azuma, disse que seria traficante.

    A partir deste momento “Eu” demonstrou muito interesse na atividade de Leo. Foi ai que começou a ter mil idéias a mente fértil da guarda municipal que se travestiu num misto de investigadora e policial e foi quando possivelmente acendeu a “luz vermelha” já que passara a levar a sério a declaração de Leo de que seria traficante.

    Ao pensar que lidava com um traficante de “verdade” Zilda acionou a Polícia Militar e os erros da comédia começaram a ser desvelados. Para pegar o suposto traficante Zilda enredou um encontro sexual fazendo a conversa dar a entender que “Eu” era garota de programa e iria receber como pagamento pelos serviços sexuais uma porção de maconha correspondente ao valor de R$ 80,00.

    No depoimento dado a polícia Zilda afirma textualmente “que no início entendeu que o pagamento da prática sexual seria em droga, mas posteriormente teve a certeza de que o pagamento seria em dinheiro e não em drogas”.

    Por volta das 14h do domingo Zilda acionou a PM que lhe forneceu o número do celular de Sandro Morel. Meia hora depois Morel e José Pereira chegaram à casa de Zilda. Os policiais tiveram acesso à conversa no MSN. Morel gravou a integra do bate-papo num pendrive. Foi neste momento que Zilda “acertou” um encontro com o policial federal no Apartamento 31.

    O instinto policialesco de Zilda falou mais alto e levando a sério o enredo ditado por Leonardo armou o encontro para o recebimento da droga como forma de pagamento do “programa sexual”, que seria uma prova, caso Leo fosse um traficante “das pesadas”.

    Antes de marcar o encontro Zilda deu corda suficiente para o Federal se enforcar. Pelo teor das conversas no MSN Leo queria apenas sexo e acabou entrando “na onda” de Zilda/Cláudia/Eu.
    Zilda convenceu Leo e o encontro foi marcado. O combinado é que Zilda, ao chegar ao “apê”, faria uma ligação ao celular do Federal para que o portão do condomínio fosse aberto.

    Zilda subiu. Morel também. Sem mandado de prisão, o apartamento foi invadido por policial militar que fez uma abordagem abrupta. O resultado já é conhecido.

    Leonardo se defendeu e mandou “bala”. Zilda correu e com o prédio alarmado chamou o outro PM. Com a tragédia consumada restou apenas dar explicações.

    Leonardo chegou até a se esquivar do assédio investigativo de Zilda e negar que tinha combinado em pagar o “programa” com drogas. Numa parte da conversa Leo tira sua imagem da webcam e diz que o pagamento seria em dinheiro sem, em nenhum momento, desconfiar que a “cama-de-gato” já estava armada.

    Zilda na condição de Guarda Municipal não tem prerrogativa legal para agir como agiu. Como cidadã, tem todo o direito de acionar a Polícia Militar para fazer uma denúncia contra traficantes. A ação dos PMs também não condiz com os protocolos da segurança pública e a bazófia acabou sendo feita.

    Ao contrário dos contos literários, o episódio do Dia das Mães no Apartamento 31 não dá para ser recontado ou reescrito. Serve de lição para as atuais e futuras gerações de policiais.

    A Peça

    “A Comédia dos Erros” é a mais curta das peças de Shakespeare sendo considerada pelos pesquisadores como a sua primeira peça.

    A história gira em torno da confusão causada por dois pares de gêmeos idênticos, dois dos quais com o nome Antífolo e os outros dois com o nome Dromio. Os correspondem aos enganos provocados pelas pessoas que conversam alternadamente com cada um dos gêmeos.

    Conforme especialistas em literatura inglesa “A Comédia dos Erros” introduz diversas considerações sobre a condição feminina e sobre a condição servil. Passa por credores e devedores e a honra de cada um ao mesmo tempo em que se discute o papel do ciúme no casamento sempre com a participação de uma autoridade política que procura conciliar justiça e compaixão.

    Em Shakespeare houve um final feliz. Na tragicomédia douradense vai acontecer o que? É só esperar os próximos capítulos deste folhetim romanesco.

  • 73 Al Saddam Salem // mai 12, 2011 at 8:15 AM

    CPI-4 – REGIÃO DE BAURU

    Policial suspeito de matar jovem se entrega no interior de SP
    G1
    BAURU – 11MAI11
    Editorial

    Crime aconteceu em abril no município de Bauru.
    Homem confessou o crime, segundo a polícia, cometido por ciúmes.

    O policial militar suspeito de matar o decasségui – como são chamados os descendentes de japoneses que nasceram no Brasil e foram trabalhar no Japão – João César Takamatsu, em Bauru, a 329 km da capital paulista, se entregou nesta quarta-feira (11). Ele confessou o crime, segundo a polícia, e disse que matou por ciúmes. A morte aconteceu em abril.
    O suspeito vai ser encaminhado para o presídio Romão Gomes, na capital paulista. João César, de 29 anos, foi atingido por cinco tiros na porta de uma academia dias depois de voltar do Japão. A perícia esteve no local e identificou as cápsulas do revólver como sendo munição da Polícia Militar.

  • 74 Al Saddam Salem // mai 10, 2011 at 9:12 AM

    Alckmin nega ligação entre facção criminosa e ataque à base policial
    R7 – Notícias
    Capital – 09MAI11
    Editorial

    O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), negou nesta segunda-feira (9) que os ataques a bases policias do Estado de São Paulo, efetuados durante a madrugada, tenham relação com a onda de atos criminosos deflagrada em maio de 2006 pelo Primeiro Comando da Capital (PCC).
    Uma base da Guarda Civil Metropolitana de Santo André, no ABC paulista, e uma base da Polícia Militar (PM) na região do Parque Novo Mundo, zona norte de São Paulo, foram alvejadas. Tanto os ataques de hoje como os de 2006 ocorreram próximos ao Dia das Mães.
    “A informação da Secretaria de Segurança Pública é de que não houve nenhuma relação com nenhum outro episódio”, disse o governador. O tucano fez as afirmações após participar da abertura do 27º Congresso de Gestão e Feira Internacional de Negócios em Supermercados, na capital paulista.
    O governador preferiu não comentar o resultado de relatório divulgado hoje pela ONG Justiça Global e pela Clínica Internacional de Direitos Humanos da Faculdade de Direito de Harvard. O estudo, intitulado “São Paulo sob Achaque: Corrupção, Crime Organizado e Violência Institucional em Maio de 2006″, aponta que achaques de policiais a criminosos foram um dos responsáveis pela série de ataques de maio de 2006. “Não li o relatório, então eu me permito não comentá-lo”, disse o governador.
    A pesquisa aponta que a corrupção policial e a transferência em massa de líderes do PCC para penitenciárias de segurança máxima no interior também contribuíram para a ocorrência dos ataques.

    História

    Há cinco anos, várias bases da Polícia Militar, Civil e GCM (Guarda Civil Metropolitana) e delegacias foram alvos de bandidos, que deixaram centenas de pessoas mortas.
    Os crimes foram cometidos em um período de 20 dias, contados a partir de 12 de maio de 2006. No total, 493 pessoas foram mortas em todo o Estado, sendo 446 civis. De acordo com o movimento Mães de Maio, a maioria desses casos foi arquivado pela Justiça.
    O Mães de Maio foi formado por mulheres que tiveram seus filhos assassinados em uma retaliação aos ataques de uma facção criminosa que age a partir dos presídios paulistas.

    eta Policia paulista…parece os macacos não fala, não vê e não ouve. rsrsrs

  • 75 Al Saddam Salem // mai 10, 2011 at 8:16 AM

    Homem é baleado por policial federal na zona oeste de São Paulo
    R7 – Notícias
    Pirituba – 09MAI11
    Editorial

    Um homem foi baleado por um policial federal nesta segunda-feira (9), na região de Pirituba, zona oeste da capital. De acordo com a polícia, o disparo aconteceu depois de uma discussão dentro de uma lotérica. O policial fugiu após o tiro.
    Segundo a PM, a vítima foi atingida na região do abdômen e foi socorrida por policiais militares da 2ª Cia do 49° Batalhão ao Hospital Pirituba. O homem baleado passou por cirurgia.

  • 76 Al Saddam Salem // mai 9, 2011 at 10:18 AM

    Achaque de policiais causou ataques do PCC, diz estudo
    Agência EstadoPor AE | Agência Estado

    Em março de 2005, um ano antes da rebelião em 74 presídios e dos ataques do Primeiro Comando da Capital (PCC) nas ruas do Estado de São Paulo, Rodrigo Olivatto de Morais, enteado de Marcos William Camacho, o Marcola, líder da facção, foi sequestrado por policiais civis de Suzano, na Grande São Paulo. Só foi solto depois que Marcola pagou o resgate de R$ 300 mil. O chefe do PCC ficou indignado com o achaque. No dia 12 de maio de 2006, véspera dos ataques do PCC, Marcola fez um comentário no Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic): “Não vai ficar barato.”

    No inquérito feito pela Corregedoria da Polícia Civil, o delegado assistente, Hamilton Antônio Gianfratti, depois de citar dados do sequestro, afirma que o crime ajudou a deflagrar a revolta do PCC. “Aflora dos autos sérios indicativos direcionados à possibilidade deste fato erigir-se à causa deflagradora dos históricos e tristes episódios que traumatizaram o povo de São Paulo, traduzidos nos atentados em todo o estado pelo PCC.” O sequestro de Morais foi revelado pelo jornal O Estado de S. Paulo em 2008.

    Os achaques abusivos de policiais aos criminosos paulistas foram fundamentais para os ataques de maio de 2006. A conclusão é apontada em relatório intitulado “São Paulo sob Achaque: Corrupção, Crime Organizado e Violência Institucional em Maio de 2006”. As pesquisas começaram a ser feitas em outubro de 2006 por 24 pesquisadores da organização não governamental (ONG) Justiça Global e pela Clínica Internacional de Direitos Humanos da Faculdade de Direito de Harvard, com apoio de outras entidades.

    Trata-se da primeira tentativa de explicar o processo que levou aos ataques do PCC, cinco anos depois do acontecimento histórico paulista, que ainda não teve nenhum relatório ou documento oficial para tentar descrever os fatos. “Assim como ocorreu em novembro nos ataques do Comando Vermelho no Rio de Janeiro, a corrupção policial também teve papel importante nos ataques de maio de 2006 em São Paulo. Isso foi pouco discutido por aqui. Entender as causas do ocorrido é importante para saber o que precisa ser mudado”, afirma um dos coordenadores da pesquisa, Fernando Delgado, da Clínica de Direitos Humanos da Faculdade de Direito de Harvard.

    A reportagem conseguiu falar com o secretário de Segurança Pública, Antonio Ferreira Pinto. Ele concorda que a corrupção policial era intensa naquela época e afirma que por esse motivo tem centrado seus esforços no combate ao problema. O atual secretário de Transporte e Logística, Saulo de Castro Abreu Filho, que era Secretário de Segurança durante os ataques, não quis comentar o tema. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

  • 77 Al Saddam Salem // abr 28, 2011 at 12:31 PM

    O comandante-geral da Polícia Militar (PM) de São Paulo, coronel Alvaro Batista Camilo, comprou, por R$ 2,8 milhões, um Captiva para ele e 61 Vectras para atender os coronéis da corporação. Classificado como um utilitário esportivo de luxo, o Captiva do comandante saiu por R$ 92,9 mil e permite que ele compareça a seus compromissos e vá da casa ao trabalho em um carro mais caro e luxuoso que o usado pelo governador do Estado, Geraldo Alckmin (PSDB), que normalmente utiliza Vectra ou Corolla.

    O jornal O Estado de S. Paulo flagrou na terça-feira (26) o coronel em seu carro quando chegava a um encontro na zona norte da capital paulista. A seis quilômetros dali, Alckmin subia em um Vectra preto após uma solenidade na zona leste. O governador abriu mão dos Ômegas blindados contratados por seu antecessor, José Serra (PSDB).

    Seu exemplo foi seguido pelo delegado-geral, Marcos Carneiro Lima, que se desfez de três Vectras e duas Blazers que serviam à chefia da Polícia Civil – ele mantém um Vectra e duas Blazers. Os carros são usados agora na apuração de crimes. Além disso, na Civil só diretores de departamento – 20 dos 132 delegados de classe especial – têm carro descaracterizado.

    A compra do Captiva e dos Vectras para todos os coronéis é polêmica ainda por causa da legislação sobre o uso de veículos por autoridades no Estado. Ela estabelece hierarquia de carros de acordo com o cargo. O governador e o vice (Grupo Especial) têm direito aos carros mais caros. Depois, vêm os secretários (Grupo A) e, por último, as autoridades do Grupo B, entre as quais estão o comandante e o delegado-geral. Portaria de junho de 2010 diz que o Captiva só pode ser adquirido como veículo de prestação de serviço.

    Defesa

    Fazia mais de uma década que coronéis da PM não tinham veículos descaracterizados, sem as cores da polícia. À reportagem, o coronel Camilo disse que a compra dos carros foi feita porque coronéis são executivos e não podem andar em viaturas para não serem parados a toda hora para atender às ocorrências. Em nenhum momento alegou razões de segurança. De fato, nenhum dos veículos é blindado. A PM tem 57 coronéis.

    A escolha pessoal do Captiva não foi, diz Camilo, opção pelo luxo, mas sim pelo conforto de quem, por necessidade do ofício, passa boa parte do dia sentado no veículo, entre um compromisso e outro. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
    ISTO É UMA VERGONHA DESLAVADA E O XUXU NÃO FAZ NADA.

  • 78 Al Saddam Salem // abr 19, 2011 at 8:16 AM

    Preso policial suspeito de atirar contra pessoas

    18 de abril de 2011 |
    18h56 |
    Tweet este Post

    Categoria: Polícia

    O rapaz suspeito de ter matado uma pessoa e deixado outras sete feridas durante um ataque em São Vicente e Santos no último dia 10 foi presa neste sábado, 16. Ele era policial em Santos e o Comando do 6º Batalhão instaurou inquérito para apurar os fatos.

    A Polícia Militar afirmou que há apenas suspeição sobre o policial, em razão de ter sido visto conduzindo um veículo preto, assim como o usado no dia das ocorrências. Até o momento, nenhuma vítima o reconheceu como autor dos crimes. O carro do policial foi apreendido e encaminhado para exames periciais.

    Segundo a Secretaria de Segurança pública (SSP), três jovens foram baleados no bairro Vila Margarida, em São Vicente, por volta das 3h. Um suspeito que estava dentro de um carro disparou contra pessoas que estavam conversando na rua. Outros dois ficaram feridos no bairro Vila Catiopã, por volta das 6h30. Em Santos, o ocupante de um veículo atingiu um homem de 30 anos nos braço com dois disparos, às 2h30. Um homem de 34 anos também foi atingido por um disparos às 4h, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

    Marcela Gonsalves

  • 79 Al Saddam Salem // abr 7, 2011 at 10:22 AM

    DHPP investigará as resistências seguidas de morte
    O DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa) da Polícia Civil passará a investigar todos os casos de resistência seguida de morte com participação de policiais militares, civis ou GUARDAS MUNICIPAIS. A decisão foi anunciada nesta quarta-feira (6), pelo governador Geraldo Alckmin na Capital, um dia depois de elogiar a coragem de uma senhora que narrou ao telefone 190 da Polícia Militar uma execução cometida por PMs. Até hoje, as mortes de civis em confrontos com policiais eram registradas em distritos territoriais.




    RESOLVE:

    Artigo 1º – Todas as ocorrências preliminarmente identificadas como “resistência seguida de morte” envolvendo policiais militares, civis e integrantes da GUARDA CIVIL METROPOLITANA, ocorridas dentro dos limites territoriais do DECAP e DEMACRO, deverão ser registradas e investigadasexclusivamente pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa – DHPP, sem prejuízo das devidas apurações por parte das respectivas Corregedorias.

    Parágrafo único – Nas ocorrências de que trata este artigo, o local dos fatos deverá ser devidamente preservado para posterior levantamentopericial, ainda que ocorra a remoção de pessoa lesionadas.

    Artigo 2º – Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.

    ANTONIO FERREIRA PINTO
    Secretário da Segurança Pública

    Assessoria de Imprensa da Secretaria da Segurança Pública

  • 80 Al Saddam Salem // abr 7, 2011 at 8:30 AM

    Justiça decreta prisão preventiva de PMs

    6 de abril de 2011 |
    20h08 |
    Tweet este Post

    Categoria: Justiça

    A Justiça decretou nesta quarta-feira, 6, a prisão preventiva dos policiais militares Ailton Vidal da Silva e Felipe Daniel Silva, acusados por uma testemunha de assassinar um homem no Cemitério Palmeiras, em Ferraz de Vasconcelos, na Grande São Paulo.

    A prisão preventiva havia sido solicitada ontem pelo Ministério Público. Para o juiz de Ferraz de Vasconcelos, o fato imputado aos policiais “é de tamanha brutalidade que acabou por gerar grande repercussão e clamor social. A liberdade deles, nesse momento, colocaria em risco, por tal motivo, a ordem pública”.

    O crime aconteceu no último dia 12, mas veio à público nesta semana. O homem que morreu era suspeito de roubo, havia sido detido pelos policiais e levado em uma viatura até o cemitério, onde foi morto com um tiro à queima roupa.

    Uma mulher, que visitava uma sepultura no local, presenciou o crime e ligou para o Centro de Operações da Polícia Militar (Copom), no número 190. Ela relatou quando os policiais tiraram uma pessoa da viatura e atiraram contra ela.

  • 81 Pedro // abr 6, 2011 at 2:36 PM

    Jornal do Brasil Quarta-feira, 6 de Abril de 2011
    CapaPaís

    Guarda civil mata mulher com suposto disparo acidental em SP

    Publicidade SÃO PAULO – Um agente da Guarda Civil Municipal matou a mulher em casa, na madrugada desta sexta-feira, em Guarulhos, São Paulo. O disparo teria sido acidental. A vítima morreu no local.

    De acordo com a Polícia Militar, o agente teria verificado um movimento suspeito na residência e pediu para a mulher aguardar no quarto. Segundo declarações do homem, ao ver um vulto ele efetuou o disparo, atingindo a mulher. O incidente ocorreu por volta de 0h50. O caso é investigado pelo 2º DP de Guarulhos.

    Isto que dá colocar Guardas para zelar pela segurança da população.

  • 82 Al Saddan // abr 6, 2011 at 1:31 PM

    PMs vão responder por homicídio

    * 5 de abril de 2011 |
    * 11h29 |
    * Tweet este Post

    Categoria: Geral, Polícia

    Os dois policiais militares que mataram um suspeito de roubo, no cemitério Palmeiras, em Ferraz de Vasconcelos, na Grande São Paulo, e foram denunciados por uma mulher que presenciou o crime vão responder por homicídio.

    Os soldados Ailton Vital da Silva, com 19 anos de serviço, e Filipe Daniel Silva, com 5 anos de serviço, foram autuados e encaminhados ao Presídio Militar Romão Gomes. A dupla trabalhava na 4.ª Companhia do 29.º Batalhão.

    O suspeito foi assassinado na tarde do dia 12 de março. O infrator morto tinha passagens por roubo, receptação, formação de quadrilha e resistência, sendo egresso do sistema prisional desde 24 de agosto de 2010. Uma mulher, que visitava a sepultura do seu pai, presenciou o crime e ligou para o Centro de Operações da Polícia Militar (Copom), no número 190. Ela viu quando os policiais tiraram uma pessoa da viatura e atiraram contra ela.

    Os PMs podem ser expulsos da corporação. O Conselho de Disciplina da PM tem 45 dias para avaliar o caso.

    (Priscila Trindade)

  • 83 Al Saddan // abr 6, 2011 at 1:31 PM

    Nova testemunha ouviu PM gritar ‘cala boca, ladrão’

    * 5 de abril de 2011 |
    * 23h55 |
    * Tweet este Post

    Categoria: Polícia

    Camilla Haddad

    Bruno Paes Manso

    Uma testemunha que brincava com a filha no estacionamento do condomínio na zona leste da capital, onde Dileone Lacerda de Aquino se refugiou da polícia em 12 de março, disse que ele foi arrastado no chão por PMs e gritou: “Minha perna tá doendo, senhor!”. Em seguida, os PMs responderam: “Cala a boca, ladrão.” Minutos depois, Aquino foi executado no Cemitério das Palmeiras, em Ferraz de Vasconcelos.

    O depoimento faz parte do Processo 124/2011, que tramita na comarca da cidade, e ajuda a detalhar o caso revelado anteontem com exclusividade pelo estadão.com.br.

    A testemunha foi ouvida na Corregedoria da Polícia Militar no mesmo dia da morte de Aquino. Disse conhecer apenas o irmão do homem morto pela PM e relatou ter ouvido sete tiros, mas não chegou a observar o momento em que Aquino foi ferido.

    Sob proteção

    A principal testemunha, porém, narrou a morte em tempo real ao 190. Ela estava visitando o túmulo do pai quando viu a execução e chegou a bater boca com um dos policiais acusados. Desde então, está sob proteção da Corregedoria da própria Polícia Militar, segundo o capitão Emerson Massera, porta-voz da corporação.

    Esse serviço já vinha sendo prestado desde 12 de março, data da ocorrência. “Ela está se sentindo segura e confortável com a proteção que policiais vêm dando desde que o caso ocorreu. Os policiais suspeitos de autoria do crime estão presos, o que torna a situação mais tranquila. A proteção vai continuar enquanto ela achar necessária”, diz Massera.

    A Secretaria Estadual de Justiça oferece o Programa Estadual de Proteção a Testemunhas (Provita), que pode durar de seis meses a dois anos e inclui mudança de endereço e restrição dos contatos da vítima com terceiros. Atualmente, 64 pessoas estão no programa.

    “Ela preferiu não alterar tanto a rotina, por isso não entrou no Provita. Depois da repercussão, está mais resguardada. Teve a voz reconhecida por vizinhos e se sentiu insegura. Mas ela confia na polícia, tanto que ligou para o 190 para fazer a denúncia”, diz Massera.

    O capitão ainda explicou que o tenente-coronel Roberto Fernandes, responsável pelo 29º Batalhão da Polícia Militar, no Itaim Paulista, não foi afastado porque tomou as providências necessárias para tirar os suspeitos da rua.

    “Os policiais foram presos em flagrante ainda quando faziam o boletim de ocorrência na delegacia. Em seguida, ele comunicou o caso ao coronel (Marcos) Chaves, comandante do policiamento na capital, que avisou o Comando Geral”, explica. No entanto, o capitão responsável pela 4ª Companhia foi afastado da função no dia 26 de março.

    Governador

    Em Piracicaba, no interior paulista, ao referir-se ao episódio, o governador, Geraldo Alckmin disse que os PMs envolvidos na execução de Aquino serão punidos. “Os dois policiais já estão presos. Nós não passamos a mão na cabeça de bandido. Eles serão expulsos da polícia e responderão a processo criminal”, avisou.

    Alckmin elogiou a atitude da testemunha. “Essa mulher teve uma atitude exemplar, corajosa, firme, denunciando um caso gravíssimo. Quero cumprimentá-la e dizer que ela é um exemplo de cidadã que ajuda a sociedade.”

    Em todo o Estado, o Copom recebe em média 150 mil ligações por dia – 35 mil na capital. Do total, 37.500 resultam em envio de viaturas.

    Presos

    O policial militar Ailton Vital da Silva, de 37 anos, suspeito de ter executado no dia 12 de março Dileone Lacerda Aquino, no Cemitério das Palmeiras, em Ferraz de Vasconcelos, já se envolveu em outros três casos de resistência seguida de morte (em 2004, 2008 e 2009).

    Já o outro policial que o acompanhava na ocorrência, Filipe Daniel Silva, de 28, nunca havia se envolvido em um caso de resistência seguida de morte.

    Ontem, a promotora de Ferraz de Vasconcelos, Mariana Apparicio de Freitas Guimarães, reiterou ao juiz pedido de prisão preventiva dos PMs, que estão no Presídio Militar Romão Gomes.

    No processo, a promotora alega que os dois agiram de forma “covarde, em verdadeiro ato de execução” e podem ser um perigo à sociedade se soltos pois vão influir “no ânimo e na paz das testemunhas e demais pessoas com conhecimento dos fatos”.

    como sempre digo covarde é covarde…

  • 84 VGA DE VERDADE... // abr 5, 2011 at 10:44 AM

    A Guarda Municipal de Varginha esta de parabenz pelo ótimo trabalho que vem realisando em Varginha, mais a Guarda Municipal precisa não só Varginha mais de todas as cidades Mineiras simplesmente ter a consiência que eles não tem o poder de POLÍCIA, somente isto mais nada, pois a Guarda Municipal deve agir dentro de seus parâmetros para evitar confronto com ESTADO, muito simples… A escala de comando no país é muito simples, pois veja bem e subalternamente: 1º) Governo Federal, Políicia Federal e STF (Suplemo Tribunal Federal. 2º) Governo Estadual, Policia Militar etc. 3º) Poder judiciário, Ministério Público, Promotores etc. 4º) Governo Municipal, Guarda Municpal, Conselho Tutelar etc. Não é muito simples??? Potanto, como é dito um velho ditado CADA MACACO NO SEU GALHO certo!!! E tudo isto dentro da Constituição Federal e dentro da DEMOCRACIA do nosso PAÍS certo ou errado??? Então é cada um na sua muito simples pra que complicar???

  • 85 Al Saddan // abr 5, 2011 at 8:50 AM

    Mulher denuncia execução feita por PMs

    * 4 de abril de 2011 |
    * 23h31 |
    * Tweet este Post

    Categoria: Polícia

    BRUNO PAES MANSO

    Ligação feita em 12 de março para o 190, o Centro de Operações da Polícia Militar (Copom), revela em tempo real a execução praticada por policiais da 4ª Companhia do 29.º Batalhão. A testemunha está sob proteção policial. Ela ligou para o Copom e descreveu o crime, que foi gravado.

    OUÇA AQUI O ÁUDIO DA DENÚNCIA

    “Estou no Cemitério das Palmeiras, em Ferraz de Vasconcelos, e a Polícia Militar acabou de entrar com uma viatura aqui dentro do cemitério, com uma pessoa dentro do carro, tirou essa pessoa do carro e deu um tiro. Estou aqui do lado da sepultura do meu pai.”

    De onde estava, a testemunha não conseguia ver a placa nem o prefixo da viatura. Mas, enquanto falava com o 190, teve sangue-frio de esperar. “‘Pera’ só um pouquinho, porque eles vão passar por mim agora. Espero que não me matem também. A placa é DJM 0451, o prefixo é 29.411, M 29.411.”

    Após perceber que haviam sido vistos pela mulher, um dos policiais vai na direção dela. Corajosa, ela pergunta: “O senhor que estava naquela viatura? O senhor que acertou o disparo ali? Foi o senhor que tirou a pessoa de dentro? Estava próximo de onde estávamos. Eu estou falando com a Polícia Militar.”

    O policial diz que estava socorrendo a vítima e tenta levá-la à delegacia. “Estava socorrendo? Meu senhor, olhe bem para a minha cara. Eu não vou (para a delegacia). Ele falou que estava socorrendo. É mentira, senhor. Eu não quero conversar com o senhor. E o senhor tem a consciência do que o senhor faz.” O áudio termina com o atendente do 190 pedindo para a testemunha ligar na Corregedoria.

    Após o crime, os PMs registraram boletim de ocorrência de roubo seguido de resistência e morte no 50º DP (Itaim Paulista), na zona leste da capital. Alegaram que o homem morto havia resistido à prisão. Segundo o BO, os PMs Ailton Vital da Silva e Filipe Daniel da Silva, na viatura M 29.411, foram chamados pelo Copom para atender a um caso de roubo de carga no Itaim Paulista. Alegam que o suspeito tentou fugir em uma van e depois de bater o carro atirou neles, sendo baleado no revide. Ainda de acordo com a versão apresentada na delegacia, socorreram o suspeito, que morreu no hospital.

    A história, no entanto, caiu por terra graças a testemunha. Os dois policiais militares estão presos no Romão Gomes.

    Na tarde de segunda-feira, o tenente-coronel Roberto Fernandes, comandante do 29º Batalhão, disse que teve convicção de que os PMs cometeram o crime após ouvir o depoimento deles e o áudio da testemunha. “Houve contradições. Pequenos detalhes das versões de um e de outro não bateram.”
    Segundo o comandante, o Conselho de Disciplina da PM vai avaliar a possibilidade de expulsão dos dois homens da corporação no prazo de 45 dias. Ele fez questão de ressaltar a importância da confiança do cidadão no 190 da PM, a exemplo da denúncia feita no cemitério.

    A PMESP ta matando mais inocente que a AIDS, isto que dá colocar Militar tomando conta da Segurança dos Cidadãos.

    Ouça a gravação da conversa da testemunha com o atendente do 190.
    disponivel em: acesso em 5mar11

  • 86 D Juan // abr 4, 2011 at 8:07 PM

    todas as notícias de CIDADES
    03/11/2010 às 14:52 | ATUALIZADA EM: 03/11/2010 às 19:24 | COMENTÁRIOS (39)
    Guarda municipal é preso por conduzir carro com placa adulterada
    Helga Cirino | A TARDE*

    Arestides Baptista | Agência A Tarde
    Guarda municipal está detido na Delegacia de Furtos e RoubosO guarda municipal Jeferson Evangelista dos Santos Santana, 28 anos, foi preso por dirigir um carro com placa adulterada. Jeferson, que não quis falar com a imprensa, também portava um cacetete dentro do veículo ao ser abordado nesta terça, 2.

    O guarda municipal está detido na Delegacia de Furtos e Roubos, na Baixa do Fiscal, preso com base no art. 311, do Código Penal Brasileiro, que prevê pena de reclusão de três a seis anos e multa. Na polícia, ele tinha passagem por porte de armas.

    Em nota oficial divulgada na tarde desta quinta, a Superintendência de Segurança Urbana e Prevenção à Violência (SUSPREV) informou que Jefferson começou a exercer a função de guarda municipal em junho de 2008, foi detido em maio de 2009 por porte ilegal de armas e não estava no exercício da função quando foi preso por conduzir veículo com placa fria.

    “A Susprev está acompanhando ambos os inquéritos policiais para, de acordo com o resultado de cada processo, tomar as devidas providências”, conclui a nota.

    *Com redação de Paula Pitta | A TARDE On Line

  • 87 D Juan // abr 4, 2011 at 8:00 PM

    R7 NotíciasEntretenimentoEsportesVídeosRede RecordBuscar no R7

    Guarda municipal preso por subornar casal que fazia sexo dentro de carro na Pampulha

    Para não levar o caso à polícia, o acusado deu três opções: Os dois poderiam ir à delegacia, a garota poderia tirar toda a roupa ou pagar R$ 3 mil para que o caso fosse esquecido.

    Gledson Leão – 8/10/2009 – 23:06

    O inspetor da Guarda Municipal de Belo Horizonte, Hebert Antônio de Abreu, de 33 anos, foi preso em flagrante na noite desta quinta-feira (8) ao tentar extorquir um casal que foi visto mantendo relação sexual dentro de um carro na orla da Lagoa da Pampulha, próximo da Igrejinha.

    Conforme a PM, a tentativa de extorsão aconteceu na noite de quarta-feira (7), quando dois guardas municipais abordaram uma Palio Weekend parada na orla da lagoa, próximo da Igrejinha da Pampulha. Dentro do veículo, um casal de jovens fazia sexo. O inspetor da GM teria dado três opções ao casal.

    “Ele disse que os dois poderiam ir à delegacia, a garota poderia tirar toda a roupa ou pagar R$ 3 mil para que o caso fosse esquecido”, contou o sargento Marcos Bianquini, do 49º BPM.

    Como a mulher se recusou a ficar nua em troca do silêncio, o casal optou por pagar a extorsão, mas conseguiu reduzir o valor pela metade, R$ 1.500. O inspetor marcou para receber a quantia no mesmo local, às 18 horas desta quinta-feira (8). Entretanto, conforme o sargento Bianquini, um amigo do casal, ao saber do problema, chamou a polícia. “Chegamos no instante em que acontecia o pagamento. Ele foi preso em flagrante dentro de seu carro” ressaltou o policial.

    O sargento explicou que o GM apresentou duas versões para se defender. “Primeiro, disse que iria levar o dinheiro para polícia. Depois confessou que estava com problema grave de saúde na família e precisava de dinheiro”, contou o PM.

    O outro guarda municipal, segundo o acusado, não teria participado da extorsão. A ocorrência foi encaminhada para a Seccional Noroeste, que vai assumir as investigações.

    notícias | minas | vida | esportes | diversão | tevê | programinha | planeta verde | estilo | classificados | você no hoje em dia
    expediente | assine o hoje em dia | fale conosco | trabalhe no hoje em dia | anuncie

  • 88 Al Saddan // mar 31, 2011 at 9:31 AM

    REGIÃO METROPOLITANA

    CPA/M – 12 – REGIÃO DO ALTO TIETÊ

    ‘Quero meu filho de volta nem que seja morto’, diz mãe de jovem sumido
    G1 – São Paulo
    Mogi das Cruzes – 30Mar11
    Kleber Tomaz

    “Quero meu filho de volta nem que seja morto.” O desabafo é da vendedora Jaqueline Rose Lago Soares, de 33 anos, mãe do adolescente Alan Patrick Soares. Suspeito de roubar uma moto, o estudante de 17 anos desapareceu em 11 de março após ter sido abordado por policiais militares em Suzano, na Grande São Paulo.
    Quatro desses policiais estão presos temporariamente na capital paulista por suspeita de envolvimento com o sumiço do jovem. Em depoimento à Corregedoria da Polícia Militar eles negaram o crime e alegaram inocência.
    Testemunhas ouvidas pela Polícia Civil discordaram da versão. Elas disseram ter visto Alan pilotar uma motocicleta em fuga, enquanto era perseguido por pelo menos um carro Blazer da Força Tática da PM. Há relatos de que tiros foram ouvidos quando os policiais militares entraram num túnel à procura do rapaz. De acordo com o boletim de ocorrência, Alan estava com um revólver. Nem a arma nem a moto foram encontradas ainda.
    “Eu só queria que esses policiais falassem onde está meu menino, se está morto ou vivo. Nem que encontre o corpo dele para acabar essa angústia, meu Deus. Não importa o jeito”, afirmou Jaqueline ao G1 nesta quarta-feira (30).
    “Tenho fé em Deus em encontrá-lo com vida. Mas se não der, quero encontrar meu menino nem que seja morto. Meu coração de mãe está desesperado. Estou desesperada, estou perdida”, disse a mulher, que, sem respostas oficiais sobre o paradeiro de seu filho, encontra no marido, Sérgio Antonio Soares, de 34 anos, e nos amigos força para seguir a vida.
    “Preciso sair agora para trabalhar, moço. O senhor me liga depois?”, perguntou Jaqueline ao G1 num dos momentos da entrevista feita por telefone. Ela trabalha numa loja que vende sacolas plásticas em Suzano, onde mora com Sérgio e quatro filhos, incluindo Alan.
    saiba mais

    Fã de Neymar
    O estudante desaparecido é o mais velho dos irmãos. Segundo a mãe dele, ele nunca se envolveu com crimes ou teve passagens pela Fundação Casa (extinta Febem). “Ele é um filho muito bom. Nunca me deu trabalho, gosta de futebol, é santista, fã do Neymar, e sempre foi estudioso. Tirou primeiro lugar num concurso da escola técnica dele e ganhou a vaga para trabalhar como eletricista estagiário numa empresa. Tira algo em torno de R$ 800 por mês.”
    “Não sei por que ele inventou de sair naquele dia [11 de março] com aquele rapaz que se dizia amigo dele”, lamentou Jaqueline, ao se referir ao auxiliar de produção de 19 anos que saiu com Alan naquela sexta-feira à noite. “Eram 22h e esse rapaz buzinou da moto para ir com meu filho a um banco. Eu falei para meu filho voltar logo e meu marido nem queria que ele saísse.”

    Investigação
    O G1 não conseguiu localizar o amigo de Alan para comentar o assunto. O auxiliar aparece como testemunha e indiciado na investigação da polícia sobre o desaparecimento do adolescente. De acordo com a versão policial, o amigo do estudante declarou ter saído com o filho de Jaqueline para roubar uma moto em Mogi das Cruzes, também na Grande São Paulo.
    Ainda segundo a investigação, a dupla de amigos se separou depois do crime. O auxiliar ficou com a moto roubada e Alan com a moto do amigo. Após isso, uma denúncia acionou os policiais da Força Tática, que passaram a perseguir o estudante.
    “Ele estava com blusa bege e camiseta vermelha, calça jeans e tênis da Oakley. Meu filho faz aniversário dia 2 de novembro, no Dia de Finados. Saiu com celular e só cai na caixa postal. Ele não tem costume de sumir. Os policiais devem ter feito algo com ele”, disse Jaqueline.
    O G1 não conseguiu localizar os policiais presos ou seus advogados para comentar o assunto.
    Para o delegado Jorge Luiz Neves Esteves, do Distrito Central de Suzano, há indícios da participação dos policiais militares no sumiço de Alan. “Temos elementos fortes”, disse.
    Uma testemunha preservada afirmou à polícia ter visto os policiais jogando algo num rio da região. Por esse motivo, bombeiros realizam buscas no local, perto da estrada que liga Mogi das Cruzes à cidade litorânea de Bertioga.

    Laudos periciais
    A Corregedoria da PM, que instaurou um inquérito administrativo, e a Polícia Civil, que apura um eventual crime, aguardam agora o resultado de exames que estão sendo realizados por peritos do Instituto de Criminalística (IC) da Polícia Técnico Científica. Dependendo do que os testes apontem, a Corregedoria poderá pedir a prisão preventiva dos suspeitos.

    Pelo menos cinco exames estão sendo feitos pela perícia do IC:
    1) Análise das imagens de uma fita do circuito de segurança de uma empresa da estrada do Areião, onde o adolescente foi abordado. Cenas mostram uma Blazer da PM perseguindo uma pessoa numa moto;
    2) Exame para saber se há sangue no carro dos quatro PMs e se o veículo foi lavado pelos suspeitos;
    3) Teste de DNA para saber se sangue achado no local da abordagem é compatível com o material gentético colhido da mãe do adolescente;
    4) Laudo de balística para dizer se projéteis apreendidos no local da abordagem partiram das armas dos PMs;
    5) Analisar blusa e camiseta do adolescente, que tinham marcas de tiros e foram encontradas dois dias depois do desaparecimento na Rodovia Mogi-Bertioga. No mesmo local, testemunha viu policiais jogando algo no rio.

    Fotos e passeata
    Enquanto não tem informações precisas sobre seu filho, Jaqueline distribui fotos dele em cartazes que possam indicar seu paradeiro. Uma passeata também está sendo programada para ocorrer na sexta-feira (1º de abril), a partir das 17h30, na Praça do Soldado, em Suzano.
    “Só quero que digam onde está o meu filho”, disse a mãe de Alan. Quem tiver informações sobre Alan pode ligar para os telefones 181 (Disque-Denúncia) ou 190 (da PM).

    PM de Mogi das Cruzes tem novo comandante após sumiço de jovem
    G1 – São Paulo
    Mogi das Cruzes – 30Mar11

    O major José Francisco Braga assumiu o comando da Polícia Militar de Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo. O anúncio foi feito nesta terça-feira (29). O tenente-coronel Paulo Roberto Madureira Sales foi afastado por conta de irregularidades nos procedimentos adotados com Alan Patrick Soares, de 17 anos, que está desaparecido há duas semanas, desde que foi abordado por policiais.
    O capitão Alcides Dias Correia também assumiu o comando do 17º Batalhão, no lugar do capitão Eduardo Rangel, que também afastado devido ao mesmo incidente. Outros quatro PMs foram presos porque são suspeitos de terem atirado no adolescente.
    Sales e Rangel não foram localizados para falar sobre o afastamento.
    O garoto alvo da ação foi perseguido após a suspeita de ter participado do roubo de uma moto em Suzano, também na região metropolitana. Após ser detido pela PM, ele foi levado para um matagal. Tiros foram ouvidos e o rapaz não foi mais encontrado.

    Investigação
    A Polícia Civil de Suzano, na Grande São Paulo, investiga o desaparecimento de Alan Patrick. De acordo com denúncia feita pelo pai do jovem e testemunhas, o adolescente foi visto pela última vez guiando uma moto e sendo perseguido e abordado por policiais militares da Força Tática na cidade. Quatro pessoas que prestaram depoimento relataram ter ouvidos disparos perto de um túnel.
    No local foi encontrado sangue e três cartuchos de balas pertencentes a pistolas 40, de uso da Polícia Militar. O delegado Jorge Luiz Neves Esteves, do Distrito Central de Suzano, afirmou que policiais militares são os principais suspeitos, até o momento, pelo desaparecimento de Patrick.
    “Há indícios veementes da participação deles no sumiço do rapaz”, disse. Segundo o delegado, foi achada substância hematóide dentro do carro dos policiais. Um carpete do veículo chamou a atenção da Corregedoria porque foi lavado recentemente. Peritos da Polícia Técnico Científica de São Paulo colheram amostras do sangue perto do túnel, onde Patrick foi visto pela última vez, e da substância que estava no carro dos policiais militares. Todo esse material (do túnel e do carro) será submetido a exame de DNA comparativo com o sangue colhido da mãe da vítima.
    “O resultado da comparação genética irá determinar se o sangue achado perto do túnel e no carro da PM são mesmo de Alan. Se isso ficar comprovado, teremos mais indícios da participação dos policiais militares no sumiço do jovem”, afirmou o delegado. “Mas adianto que não é raro achar sangue em carros da PM. Isso porque é comum policiais militares também ajudarem vítimas de acidente de trânsito e levarem essas pessoas ao hospital antes do socorro da ambulância.”
    O resultado do exame de DNA deve ser conhecido dentro de 30 dias. Também será realizado exame de balística nos cartuchos recolhidos pela perícia, e que estavam perto do túnel, para saber se eles pertencem às armas apreendidas que estavam com os quatro policiais militares.

    Secretário admite ter afastado tenente coronel e capitão por causa de sumiço de jovem em Suzano
    R7
    Mogi das Cruzes – 30Mar11

    O secretário da Segurança Pública do Estado de São Paulo, Antonio Ferreira Pinto, admitiu nesta quarta-feira (30) que o tenente coronel Paulo Roberto Madureira Sales e o capitão Eduardo Rangel, ambos do comando do 17º Batalhão da Polícia Militar de Mogi das Cruzes, foram afastados por causa do desaparecimento de um jovem em Suzano, na Grande São Paulo.
    Por meio de nota, o secretário informou que o capitão “é o elo entre aquela tropa e o comando. Ele tem que exigir de seu policial e ter discernimento para saber qual policial não serve para trabalhar na rua e deve ser recolhido para um trabalho interno”.
    A decisão do afastamento foi tomada na última terça-feira (28) pelo secretário e pelo comandante geral da Polícia Militar, coronel Álvaro Batista Camilo. Outros quatro policiais militares suspeitos de envolvimento no desaparecimento do adolescente tiveram prisão temporária decretada e foram levados para o presídio Romão Gomes.
    Confira também
    A polícia investiga se o jovem foi morto pelos quatro PMs após o roubo de uma moto. Segundo informações do boletim de ocorrência, testemunhas viram que ele foi levado até uma viatura policial e depois ouviram disparos de arma de fogo. O adolescente é de Suzano, mas o susposto roubo da moto aconteceu em Mogi das Cruzes.
    Após o sumiço, o pai do jovem pediu apoio ao Corpo de Bombeiros e à Guarda Municipal de Suzano para ajudar nas buscas pelo filho. Eles encontraram marcas de sangue e três projéteis deflagrados de uma arma calibre 40 no local onde o adolescente entrou na viatura.

    eta batalhão….hein e esse TCelPM há alguns meses disse que tinha afastados PM honestos por serem “malas” agora a casa dele caiu…

  • 89 Al Saddan // mar 29, 2011 at 8:14 AM

    MINAS GERAIS
    Duas pessoas são baleadas em ação policial
    EPTV
    Itajubá – 28MAR11
    Editorial

    Segundo a Polícial Militar, motorista não respeitou a ordem de parada.
    Duas pessoas ficaram feridas após serem baleadas em uma ação policial, na noite desta sexta-feira (25), em Itajubá.
    Segundo informações da Polícia Militar, o motorista do carro não respeitou a ordem de parada, quando os policias atiraram, na tentativa de acertar os pneus, mas acabaram acertando o pé do motorista de raspão, e o ombro do passageiro que estava no banco de trás.
    Os dois feridos foram levados para o Hospital Escola e o motorista, que já tem passagem na polícia, por tentativa de homicídio passou por atendimento sendo preso depois por direção perigosa e falta de habilitação. O passageiro, Carlos Henrique Pinto, de 25 anos, está em observação e deve passar por cirurgia.
    O documento do carro, estava vencido, e no interior do veículo, que foi apreendido, foram encontradas nove munições calibre 38.
    Os dois policias que atiraram contra o veículo foram presos em flagrante, ficando a disposição da justiça no quartel da PM.

    Ministério Público denuncia PMs em Belo Horizonte (MG)
    Folha.com
    Minas Gerais – 28MAR11
    RAPHAEL VELEDA

    O Ministério Público de Minas Gerais ofereceu denúncia à Justiça contra dois policiais que estão presos sob suspeita de envolvimento no assassinato de duas pessoas em uma favela de Belo Horizonte (MG). O crime ocorreu em fevereiro. A Promotoria pediu ainda que a prisão dos policiais passe a ser preventiva, pois o prazo da temporária vence na próxima terça-feira (29).
    A denúncia encaminhada ao 1º Tribunal do Júri acusa os policiais Jason Ferreira Paschoalino e Jonas David Rosa, que fazem parte da Rotam, batalhão de elite da PM mineira, por homicídio duplamente qualificado (motivo fútil e impossibilidade de defesa das vítimas).
    Os acusados estão presos em quartéis da PM em Belo Horizonte desde 23 de fevereiro. Outro suspeito pelo crime, o cabo Fábio de Oliveira, foi encontrado morto em sua cela dois dias depois da prisão. Uma investigação da PM concluiu que ele se suicidou.
    O cabo Fábio de Oliveira liderava a patrulha da Rotam que subiu a favela do Aglomerado da Serra na madrugada em que aconteceram as mortes. Jéferson Coelho da Silva, 17, e seu tio, Renilson Veriano da Silva, 39, foram baleados à queima-roupa com armas de grosso calibre, de acordo com laudo do IML (Instituto Médico Legal).
    Na época, os policiais disseram que foram atacados por bandidos armados que usavam fardas da corporação. As vítimas, segundo eles, foram mortas no tiroteio. Armas e fardas que estariam com os mortos chegaram a ser apresentadas. Para o Ministério Público, porém, a versão foi inventada.

    a meganha do seu Zé apronta mais uma….
    sempre digo na mão da PM jacaré vira crocodilo e gato vira onça.

  • 90 D SOUSA // mar 23, 2011 at 5:10 PM

    grupos de exterminio!!
    GRUPOS DE EXTERMINIOS
    EX POLICIAIS MILITARES INTEGRANTES DE “A FIRMA” ACUSADOS DE FAZEREM PARTE DE GRUPOS DE EXTERMÍNIO, INCLUSIVE MORTES DE POLICIAIS CIVIS E MILITARES

    De acordo com o relatório, os três homens são policiais militares, integrantes de um grupo chamado “A Firma”, que age em Santo André, na Grande São Paulo. O grupo ganhou o nome porque passou a agir como uma empresa. Os “funcionários”, todos ex-policiais militares, eram contratados para matar.

    O preço de um assassinato variava entre R$ 30 mil e 50 mil reais.

    As mortes de policiais civis e militares poderiam ser motivadas por desavenças no grupo ou porque os matadores ficaram incomodados com as investigações.

    Na capital, a polícia ainda busca a principal prova contra os matadores de Santo André – o fuzil calibre ponto 223, considerado uma arma de guerra. Assista ao vídeo:

    http://noticias.r7.com/videos/policia-procura-arma-que-pode-explicar-como-agem-os-grupos-de-exterminio-em-sp/idmedia/99b745a1bbab61602f1ff994c7dda513.htmlhttp://noticias.r7.com/sao-paulo/noticias/policia-procura-arma-que-pode-explicar-como-agem-os-grupos-de-exterminio-em-sp-20110320.html

  • 91 D SOUSA // mar 23, 2011 at 9:00 AM

    Cidades recorrem a GCMs ao invés de ‘bico’oficial
    Diário do Grande ABC
    ABC – 20Mar11
    Evandro de Marco

    Enquanto Ribeirão Pires segue a linha adotada pela Capital de oficializar o bico para policiais militares, outras cidades da região apostam na (GCM) Guarda Civil Municipal para intensificar a segurança no município, utilizando seu próprio efetivo, aproveitando as horas de folga de seus guardas.
    Com vencimentos em torno de R$ 1.400 mensais para quem inicia na corporação, os guardas de São Bernardo conseguem alcançar ganhos de quase R$ 2.000; salário semelhante ao de um soldado da Polícia Militar em início de carreira. “A gente é regido pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), e esta escala ajuda a complementar nosso orçamento”, disse um dos guardas, que não quis se identificar.
    A rotina normal de um guarda é de 12 horas de trabalho por 36 de descanso, assim como acontece com a Polícia Militar. Cerca de 20% da tropa já estaria se colocando à disposição para trabalhar nos dias de folga e, assim, melhorar sua renda. O fato de seguir a CLT garante aos GCMs ganho de 50% a mais por dia extra trabalhado durante a semana e o dobro (100%) nos domingos e feriados, ou crédito em banco de horas para serem compensados futuramente.
    Em Santo André, parte do efetivo também costuma trabalhar durante as folgas, alguns são regidos pela CLT e outros estatutários, mas ainda assim, ambos recebem hora extra.
    São Caetano alega que as convocações extras de seus GCMs não são frequentes; acontecem apenas em casos especiais. A explicação é que o efetivo é considerado suficiente.
    ATIVIDADE DELEGADA – Em vez de contar com os guardas-municipais em seus dias de folga, Ribeirão Pires foi a primeira cidade da região a aprovar a contratação de 16 policiais militares para trabalhar em turnos extras.
    Cada um dos escolhidos terá ganho aproximado de R$ 100 por dia, trabalhando com uniforme e equipamentos da Polícia Militar, mas pago pela municipalidade.
    A medida foi aprovada pela Câmara e depende apenas de assinatura de convênio entre a Prefeitura e a Secretaria de Segurança Pública do Estado para entrar em vigor. Tal situação não agradou os guardas da cidade, que têm remuneração de R$ 850.
    “O governo do Estado já paga salário para os policiais militares. O que a Prefeitura de Ribeirão Pires precisa fazer é investir e valorizar a GCM (Guarda Civil Municipal), que é do município”, disse o presidente do Sindguardas (Sindicato dos Guardas-Civis Municipais Ativos e Inativos de São Caetano, Mauá e Ribeirão Pires), Nilton Taveira.

    Cansaço pode comprometer trabalho
    As seguidas horas de trabalho sem tempo adequado para descanso podem comprometer o rendimento de qualquer pessoa. No caso dos agentes de segurança, como policiais e guardas municipais, isso pode ter desdobramentos ainda mais reprováveis.
    O delegado do Sindicato dos Investigadores e Associação dos Investigadores da Região do ABC, Jorge Maciel, chama a atenção para o perigo. “É só somar a quantidade de horas que esses policiais irão trabalhar e ver se eles terão condições de prestar um serviço de qualidade à população.”
    A carga horária em excesso também é apontada como fator preocupante pelo especialista em segurança Guaracy Mingardi – doutor em Ciência Política da USP (Universidade de São Paulo) e membro do Fórum Brasileiro de Segurança. “Teremos pessoas cansadas e, pior, usando armas na cintura”, salientou Mingardi.
    Para o especialista, o bico oficial mostra a incapacidade do Estado em solucionar os problemas relacionados à segurança pública. “O que se deveria fazer é aumentar os efetivos e melhorar as remunerações.”
    Apesar de não concordar com a atividade extra, Maciel acredita que. se o bico legalizado for estendido também aos policiais civis, a aceitação será imediata. “Todos querem ganhar mais, e muitos acabam trabalhando todo dia, como acontece nesse bico (Atividade Delegada)”.
    Apesar de apontar todos os fatores contra a adoção deste sistema, Mingardi acredita que o bico oficial é mais indicado do que as atividades extras. “Pelo menos, eles (policiais militares) estarão melhor preparados e equipados nestas situações”, disse.

  • 92 D SOUSA // mar 23, 2011 at 8:57 AM

    Só no Amazonas?????

    Policiais militares do Amazonas atiram covardemente em adolescente
    UOL Notícias
    Manaus – 22Mar11

    As imagens obtidas com exclusividade pela Rede Calderaro de Comunicação mostram policiais militares da Força Tática, humilhando, agredindo e atirando contra um adolescente de 14 anos. O crime foi na madrugada do dia 17 de agosto de 2010, no final da rua 50, no bairro Amazonino Mendes, Zona Norte.
    O vídeo foi feito por uma câmera de segurança particular e, há pouco mais de um mês, foi entregue à reportagem do acritica.com, que iniciou uma investigação compartilhada com a TV A Crítica.
    A investigação chegou ao adolescente de 14 anos, que aparece no vídeo sendo acuado e baleado. Apesar de ter levado três tiros de pistola PT.40, ele sobreviveu, mas fugiu do bairro com a família por medo dos policiais.
    As imagens e os dados obtidos na apuração foram entregues ao Ministério Público Estadual (MPE) e virou uma investigação coordenada pelo Centro de Apoio Operacional de Combate ao Crime Organizado (Cao-Crimo).
    A família do adolescente ingressou no Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas Ameaçadas (Provita) e deixaram o Amazonas.

    Como aconteceu
    Na madrugada de 17 de agosto de 2010, policiais militares da Força Tática (FT) se dirigem ao final da rua 50, no bairro Amazonino Mendes, Zona Norte de Manaus. Eles param as pessoas que passam pelo local, vasculham bueiros, invadem quintais, procuram algo. Toda a ação é filmada por uma câmera de vigilância.
    De repente, um dos cinco PMs analisa minuciosamente uma arma, que é passada a outro policial. Surge um garoto de camisa vermelha e bermuda clara. Começa a sessão de violência e tortura psicológica.
    O garoto tem um cordão e uma pulseira arrancada na marra, leva um soco, é cercado pelos policiais que sacam suas pistolas. Ele fica acuado entre o muro e os PMs. Uma arma é apontada para seu rosto. O menino empurra o cano do revólver e se encolhe com medo. Ele chora muito enquanto um dos soldados volta a mantê-lo na mira. O PM se aproxima, olha para os lados, aponta e atira.
    O tiro de pistola PT.40 é à queima-roupa e atinge o menino na barriga. Ele tenta fugir da mira do PM, que o segue e atira novamente.
    Mesmo baleado duas vezes o adolescente ainda se mantém de pé, atordoado. Quando o policial se preparava para dar um tiro de misericórdia, surge um outro PM que atira entre o soldado e o garoto ferido. Os dois policiais discutem, os cachorros da vizinhança latem, os moradores escondidos se esgueiram para assistir a cena.
    Um terceiro tiro é dado e o adolescente é empurrado mais de cem metros até as viaturas 1667 e 1668 da FT estacionadas na rua 1. No caminho o garoto perde as forças e senta no meio da rua 50.
    Ele é encaminhado ao Hospital e Pronto-Socorro Platão Araújo, a poucos metros dali, onde é internado.
    No dia seguinte, A CRÍTICA vai ao local e apura a versão dos policiais. O sargento Hércules Duarte, subcomandante da Força Tática do CPA Norte, alega que o garoto era “soldado do tráfico” e que seus subordinados atiraram para se defender, pois haviam sido recebidos a tiros.

    ‘Milagre’
    O adolescente de 14 anos sobreviveu aos três tiros e voltou para casa após dez dias de internação. “Meu filho teve parte do pulmão perfurado e passou por cirurgia. Foi um milagre não ter morrido”, lembrou a mãe dele. Com medo da polícia, a família se mudou.
    “Possivelmente esse jovem deu muita sorte. Os tiros pareceram ter entrado na base do tórax em direção ao abdômen e devem ter lesionado estrutura de pouca importância, porque se pegam a veia cava ou aorta abdominal, possivelmente ele teria uma brutal hemorragia no mesmo instante e não chegaria a ser transportado vivo”, explicou o cirurgião e médico legista Mario Vianna.

  • 93 VGA DE VERDADE... // mar 21, 2011 at 10:22 PM

    D SOUZA, me desculpe, eu leio sempre suas reportagens e você esta de parabens pelo seu lindo trabalho, pois eu em momento algun quis te ofender falou AMIGÃO, VOCÊ É UM ÓTIMO PROFISSIONAL. Abraços de muita saude e muitas felicidades. E eu vou continuar a ler suas reportagens aqui no blog do MADEIRA certo. O meu E-mail é vgadeverdade@.bol.com.br e vgadeverdade@r7.com
    Caso você queira conversar mais um pouco me mande um E-mail certo…

  • 94 D SOUSA // mar 21, 2011 at 12:41 PM

    VGA DE VERDADE>
    de uma olhadade na lei nova
    Art. 213. Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso: (Alterado pela L-012.015-2009)

    Pena – reclusão, de 6 (seis) a 10 (dez) anos. (Alterado pela L-012.015-2009)

  • 95 D SOUSA // mar 21, 2011 at 12:37 PM

    VGA DE VERDADE…

    caro colega, as noticias por mim expostas são as sinteses do que leio.
    no caso do crime de estupro, houve alteração no codigo penal, hodiernamente ambos, homens e mulheres podems er vitimas desse tipo penal. so observar que o codex criminae foi alterado recentem,ente.
    mas de qualquer forma valeu, significa que leu meus postados grato

  • 96 D SOUSA // mar 21, 2011 at 12:32 PM

    CPA/M-7 – REGIÃO DE GUARULHOS

    Fato:Ocorrência envolvendo PM e GCM
    Nome dos PM:Sd PM 109510-2 André Silva Assis e Sd PM 976305-8 Cristiano Vieira Alves
    Data:20MAR11
    Hora:17:30
    Endereço:Rua Claudino Barbosa, s/nº, Bairro do Macedo, Guarulhos
    Vítimas:Sd PM 961964-0 Júlio Baraúna da Silva, do 44º BPM/M
    Envolvidos:Sd PM 961964-0 Júlio Baraúna da Silva, do 44º BPM/M, Max Delon de Moraes Matos, RG 18.838.026 e Rosilene Jorge Melanda, RG 17.445.618 (GCM)
    Btl:15º BPM/M
    Cia: 1ª
    Vtr:M-15438
    DP:1º
    Procedimento:BOPM nº 11528/11 e BOPC nº 1959/11
    Histórico:O Sd PM Júlio, de folga e em trajes civis, portando a pistola Taurus, calibre. 380, número KPK36691, particular, se encontrava próximo a um campo de futebol no bairro do Macedo, quando uma equipe da GCM, com a viatura prefixo DT 1105, iniciou autuações nos veículos estacionados de forma irregular nas imediações do campo de futebol. O cidadão Pedro Borges Freire, RG 33.266.861, que se encontrava no local, indagou aos GCM o motivo das autuações, pois, não era de costume atuações naquele local. O Sd PM Júlio estava neste momento ao lado de Pedro Borges, também questionado as autuações realizadas pelos GCM, mas, sem se identificar até então. Em dado momento os GCM perceberam que o Sd PM Júlio estava armado e mandaram ele levantar as mãos. O Sd PM Júlio se identificou como PM e confirmou que estava armado, alegando que não seria revistado pelos Guardas, pois, os GCM não tinham competência para tal. A equipe da GCM solicitou apoio, compareceram no local, várias viaturas da GCM entre motocicletas, veículos de quatro rodas e bicicletas. Após a chegada do reforço os GCM tentaram abordar a força o Sd PM Júlio, inclusive rasgando sua blusa, porém, não conseguiram desarmá-lo, momento em que solicitaram o comparecimento de uma viatura da Polícia Militar. Após a equipe da viatura M-15438 chegar ao local, as partes foram conduzidas ao DP. Na delegacia os GCM envolvidos na ocorrência disseram ao Delegado que os policiais que foram atender a ocorrência estavam acobertando o Sd PM Júlio, o qual estaria com uma arma dentro de uma sacola verde escondida no interior da viatura M-15438. Nesse momento o encarregado da viatura solicitou ao Delegado que fizesse uma vistoria no interior da viatura, entregando-lhe chave, e, após um investigador efetuar a revista, nada foi localizado. Foi registrada ocorrência de Averiguação de abuso de autoridade e ameaça, em desfavor do Sd PM Júlio. Em seguida foram liberados.

  • 97 D SOUSA // mar 21, 2011 at 10:22 AM

    CAPITAL

    CPA/M-10 – ZONA SUL

    PM que atirou contra dois homens em shopping diz que temia ser assaltado
    R-7
    Capital – 21MAR11
    Editorial
    Ele fugiu após os disparos, mas foi encontrado em casa pelos policiais.
    O policial militar que atirou contra dois homens na garagem do Shopping Campo Limpo foi preso em casa, horas depois de fugir do centro de compras. Ele justificou a atitude dizendo que estava com receio de ser assaltado pela dupla.
    Ele conseguiu ser identificado, pois os seguranças visualizaram, por meio das câmeras, a placa do carro dele. A polícia registrou o caso como tentativa de homicídio simples. A Corregedoria da PM foi acionada e o oficial foi levado para o presídio militar Romão Gomes, na zona norte.
    A direção do Shopping Campo Limpo não foi localizada pelo R7 até a publicação desta reportagem.

    Feridos

    Os dois homens que foram baleados passaram por cirurgia no Hospital Campo Limpa, na noite de sábado (19), informou a Secretaria Municipal de Saúde.
    O tiro que atingiu Ricardo Silva Barros, de 27 anos, acertou uma artéria da perna. O estado de saúde dele era considerado grave, mas estável. O irmão de Ricardo, Fábio Silva Barros, disse que os médicos cogitaram a necessidade de amputar a perna do jovem.Já Rafael Silva da Luz, 30 anos, também foi operado e passa bem. O projétil que o acertou causou uma fratura exposta no fêmur. Ele foi transferido para um hospital particular, ainda de acordo com a secretaria.

  • 98 VGA DE VERDADE... // mar 18, 2011 at 10:35 AM

    D SOUZA, suas reportagens são muito boa, mais você precisa fazer um reciclagem e estudar mais o código Civil e Penal, pois algumas noticias precisa ser mais bem explicadas e esclarecida a população, veja bem: A reportagem que você escreve sobre o jovem que foi estuprado por policiais por exemplo, você não deve ter conhecimento, mais, em pessoas do sexo masculino não existe estuplo, mais sim TENTADO VIOLENTO AO PUDOR. E por ai vai certo…

  • 99 D SOUSA // mar 17, 2011 at 5:28 PM

    03.mar.2011
    Estudante de 16 anos acusa três policiais de estupro

    LAÉRCIO RIBEIRO

    Um estudante, de 16 anos, procurou na noite de segunda-feira a delegada Valene de Souza Bezerra, titular da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), no Parque Monte Líbano, em Mogi das Cruzes. Ele denunciou que no domingo, por volta das 14h30, foi violentado por três policiais militares, que ocupavam uma viatura tipo Blazer, na Estrada velha Mogi-Biritiba Mirim, em Biritiba Mirim. O comandante Paulo Roberto Madureira Sales, do 17º BPM/M, disse ontem a O Diário que “já mandei abrir Inquérito Policial Militar (IPM), chamei o rapaz, pedi detalhes do crime, a descrição dos supostos policiais, mas infelizmente, não soube dar”.

    De acordo com a acusação, o adolescente, que foi medicado, mas está traumatizado, voltava sozinho a Mogi depois de discutir com a namorada em uma festa de casamento.

    Na DDM, segundo o Boletim de Ocorrência , o jovem observou que os policiais pararam a viatura. Eles perguntaram onde o rapaz estava indo e ao responder que era para casa em Mogi, disseram que poderia entrar, pois dariam uma carona.

    Apesar de negar, afirmando que iria caminhando, foi obrigado a obedecer , sendo que o soldado, ao lado do motorista, lhe apontou uma arma.

    A vítima relatou na delegacia que foi levada a um lugar isolado na própria estrada. O estudante deu detalhes de como um policial o segurou, outro o estuprou e um terceiro ficou apenas olhando, sem esboçar qualquer reação. Ele diz que foi abandonado no matagal.

    A delegada Valene mandou o estudante se submeter a “exame de corpo de delito” e despachou o B.O de número 372 sobre Estupro para investigação.Logo, em seguida, informou o comandante Sales.

    http://www.odiariodemogi.inf.br/policia/noticia_view.asp

  • 100 Al Saddan // mar 14, 2011 at 11:53 AM

    Do UOL Esporte
    Em Porto Alegre *
    12mar11 –
    http://www.orkut.com.br/Interstitial?u=http://noticias.bol.uol.com.br/esporte/2011/03/12/promessa-do-boxe-brasileiro-e-assassinada-durante-discussao-com-policial.jhtm&t=AMZijsu4r08FtTthWGNovfXKvcyRLEo1qRVF6BHPOhTLLepkcou6qJpV89btnA5JBcIcq4CgFTjFWubyjMexdr4Egu0z4qwcLwAAAAAAAAAA
    O jovem pugilista Tairone Silva, de 17 anos e considerado uma das maiores promessas do boxe brasileiro, morreu na tarde da última sexta-feira vítima de dois tiros na cidade Osório, no Rio Grande do Sul, onde visitava a mãe.

    O boxeador foi levado ao hospital da cidade por um policial militar, mas chegou sem vida ao local. Familiares de Tairone indicaram o PM, Alexandre Camargo, de 29 anos, que socorreu a vítima, como o responsável pela morte e revelaram que ele havia ameaçado o jovem na tarde da última quinta-feira. Os disparos teriam ocorrido após uma discussão seguida de agressões.

    O soldado da Brigada Militar (BM) admitiu a morte ao delegado Celso Ferri e alegou legítima defesa. Ferri não ficou convencido com a tese, pois de acordo com a trajetória e a distância dos tiros não fica confirmada a luta corporal. Com base no laudo do Departamento Médico-Legal, a Justiça decretou a prisão preventiva de Alexandre Camargo na madrugada deste sábado. Ele segue detido no quartel de Osório.

    “A motivação a partir do esclarecimento de algumas questões do laudo cadavérico passam a ficar nebulosas. Porque a versão de legítima defesa decorrente de ofensas anteriores passaram a ser descartadas, pois não temos segurança que houve o embate pela trajetória e pela distanciados disparos. A gente sabe que ele tinha problemas de relacionamento com a juventude do município. Por vezes, tinha atitudes truculentas. A real motivação, consta como nebulosa. Ela está inserida no ritmo dele e talvez nem venha a ser revelada”, afirmou Ferri à rádio Guaíba.

    A Polícia Civil irá ouvir pelo menos mais duas testemunhas e não descarta a reconstituição do crime. O órgão de segurança tem dez dias para fechar o inquérito.Tairone foi velado na Câmara de Vereadores de Osório e cerca de mil pessoas participaram do sepultamento.

    O incidente foi declarado como uma “tragédia” para o esporte pela Confederação Brasileira de Boxe (CBBoxe) e informou que o atleta estava em visita na casa de sua mãe na cidade da região nordeste do Estado.

    “O Brasil perde um atleta de futuro, que tinha o sonho de chegar a ser um grande boxeador e participar dos Jogos Olímpicos de 2016, que serão realizados na cidade do Rio de Janeiro… Deixa a saudade de um grande companheiro dos colegas do esporte e a imagem de correção e educação dentro e fora do boxe”, informou em nota a maior entidade nacional de boxe.

    Tairone Silva era atualmente campeão brasileiro da categoria de cadetes de 75 kg (de 15 a 16 anos) e em fevereiro do ano passado disputou seu primeiro torneio internacional da cidade de Iquique, ao norte do Chile, e foi campeão da categoria até 75 kg.

    * Atualizada às 18h20

    As meganhas do Brasil afora estão fora de ordem. Isto que dá colocar Militar pra tomar conta da segurança de cidadão. Eles não respeitam os direitos fundamentais.

  • 101 DSousa // mar 11, 2011 at 10:02 AM

    11/03/2011 às 01:30:58 – Atualizado em 11/03/2011 às 01:29:57

    http://www.parana-online.com.br/editoria/policia/news/516800/?noticia=BANDIDOS+DE+FARDA

    Extorsão praticada por policiais é confirmada
    Janaina Monteiro
    Átila Alberti

    Coronel Tortato prometeu rigor na apuração dos fatos.

    Dois dos sete policiais acusados de extorquir quase R$ 9 mil de um empresário em Piraquara, em fevereiro deste ano, já responderam a Inquérito Policial Militar (IPM) por tortura, conforme informou o comandante do 17.º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Maurício Tortato, que ontem concedeu entrevista coletiva para falar a respeito do assunto.

    Quatro policiais – um sargento com mais de 10 anos de serviço, um cabo e dois soldados – foram presos no último fim de semana, quando apresentarem ao comando.

    Os outros três soldados apresentaram-se ontem à tarde e a exemplo dos colegas, também foram presos. Caso eles não se apresentassem, seriam considerados desertores.

    A vítima, de 38 anos, foi abordada três vezes pelos policiais que estavam atrás de R$ 7.500, dinheiro referente à venda de um terreno. O empresário optou por manter o valor em casa porque os bancos estavam fechados por causa da greve dos vigilantes.

    Na noite de 6 de fevereiro, houve a primeira abordagem, feita por três policiais da Rádio Patrulha de Pinhais Em circunstâncias ainda investigadas, eles souberam que o empresário estava com o dinheiro guardado em casa. “A vítima contou que comentou com alguém que tinha essa quantia”, acrescentou o coronel.

    A primeira informação divulgada era de que o empresário teria pendências judiciais – o que poderia ter motivado o desvio de conduta da equipe. Porém, o comandante Tortato afirmou que o empresário não tem passagem pela polícia, o que pode caracterizar roubo qualificado em vez de extorsão.

    Violência

    Em horário de serviço e usando a viatura da corporação, dois milicianos fardados e um em traje civil invadiram a casa do empresário proferindo ameaças de morte a ele e à família, caso não entregasse o dinheiro.

    Sem poder reagir, ele entregou a quantia da venda do terreno e ainda um pouco mais, no total de R$ 8.100, além de objetos da residência. Depois disso, foi levado até um local ermo e novamente ameaçado caso denunciasse a violência.

    Coagido e acuado, o empresário ficou em silêncio até ter sua casa novamente invadida, nos dias 24 e na madrugada de 25 para 26. No dia 24, outra vez mediante ameaça, a vítima entregou mais R$ 800 a uma equipe de São José dos Pinhais.

    No dia seguinte, quatro homens em trajes civis, que se identificaram como PMs, voltaram à residência em dois veículos particulares e levaram o televisor e o computador.

    Não suportando mais as ameaças, o empresário criou coragem e decidiu acionar a Polícia Militar, oficializando a denúncia na sede do 17.º BPM. Agentes do serviço de inteligência realizaram diligências que confirmaram a denúncia. “Tínhamos que tomar providências imediatas para garantir a segurança da vítima”, explicou o tenente-coronel.

    Os mandados de prisão preventiva foram expedidos pela Justiça Militar Estadual após solicitação do comandante. Foi instaurado o inquérito policial militar que poderá acarretar na expulsão dos PMs da corporação.

    “Não temos provas materiais, mas indícios e provas circunstanciais que indicam a autoria”, afirmou Tortato. O prazo para conclusão do inquérito é de 20 dias, quando será então remetido à apreciação da Junta Militar Estadual. “Não mediremos esforços no sentido de corrigir eventuais desvios de conduta ou qualquer tipo de ofensa aos princípios e valores que regem a Polícia Militar”, garantiu o comandante.

    O oficial explicou que o empresário não foi incluído no programa de proteção à vítimas por ser muito “oneroso” e informou que o empresário está sendo orientado para evitar possíveis represálias.

  • 102 DSousa // mar 11, 2011 at 8:33 AM

    10/03/2011 21:53 – Polícia

    http://www.orkut.com.br/Interstitial?u=http://www.folharibeiraopires.com.br/portal/exibeMateria.php?materia%3D10428&t=AKHysYtAHCMSKO0NkBkllmtlIRR5IdkE7BVF6BHPOhTLLepkcou6qJpV89btnA5JBcIcq4CgFTjFWubyjMexdr4Egu0z4qwcLwAAAAAAAAAA

    Militar mata companheiro de farda com tiro acidental em Rio Grande

    Disparo aconteceu na madrugada de quarta-feira durante
    operação da Força Tática em Rio Grande. O enterro aconteceu ontem

    Quando o policial militar Wellington Marcelo de Costa, 36 anos, embarcou em sua viatura da Força Tática na madrugada de quarta-feira não imaginava que estaria participando de sua última operação. Após chegar no Centro de Rio Grande da Serra, o policial que conduzia o veículo foi alvejado com um tiro na cabeça, ainda antes de desembarcar. O tiro partiu da arma de um colega de farda, que estava no banco traseiro e acidentalmente efetuou o disparo. O corpo foi enterrado na tarde de ontem no Cemitério Municipal São José, em Ribeirão Pires onde policiais da região e grande São Paulo prestaram a última homenagem ao policial morto. A tropa de choque realizou a tradicional salva de tiros.

    O militar de 36 anos iniciou os trabalhos pouco depois da meia noite da quarta-feira. Populares, através de uma denúncia anônima, informaram que no interior de uma residência próxima ao Pátio Municipal de Rio Grande da Serra estava um homem armado. Foram então deslocadas para o local duas viaturas da Força Tática da Polícia Militar (PM), onde em cada uma estavam três integrantes. Na direção de uma delas estava Wellington.

    Uma vez no ponto indicado pelas denúncias, os policiais da primeira viatura desembarcaram e passaram a investigar o imóvel. A segunda, essa sob controle de Wellington, começou a manobrar para o desembarque dos policiais. Nesse momento ouviu-se um disparo, e dois dos integrantes do veículo desceram. Wellington foi encontrado pelos outros policiais inconsciente, ainda no interior da viatura, com a cabeça e o corpo levemente inclinados na direção da janela e com um ferimento grave na cabeça. Os milicianos o levaram até o Hospital São Lucas e no caminho tentaram reanimar a vítima.

    Porém, nem as ações dos companheiros e nem o atendimento médico foram suficientes para salvar a vítima, que morreu no centro hospitalar.

    O policial que efetuou o disparo, que estava no banco traseiro, afirmou às autoridades da Polícia Civil que tudo não passou de um acidente. Segundo o seu depoimento, enquanto Wellington manobrava a viatura ele tentava se equilibrar na parte detrás.

    Com a arma em punho, segurou em um suporte metálico da estrutura e acionou acidentalmente o gatilho, culminando no disparo que acertou o colega de farda.

    Além do autor do tiro, o comandante da operação também se sentiu mal após o acidente e foram encaminhados ao Hospital São Lucas, onde foram hospitalizados e até a tarde de ontem seguiam em observação. Uma escolta da PM permanece na porta do hospital, supervisionando o atirador que deve ser indiciado pela Justiça Militar por homicídio culposo, que significa sem intenção de matar.

    O corpo foi velado durante toda a quarta-feira e enterrado por familiares e amigos às 16h de ontem.

  • 103 D SOUSA // mar 10, 2011 at 12:16 PM

    ladrões roubam banco ao lado da base da PMESP em ferraz de vasconcelos, na madrugada de ontem bandidados invadiram banco do Brasil, ao lado da base da PM em Ferraz de Vasconcelos, os PM nada viram.
    a agencia fica proximo de cem metros da base militar.

    A Populaçâo pergunta: POLICIA MILITAR PRA QUE?

    fonte: diàrio do alto tietê, pagina 9, 10mar11

  • 104 D`Sousa // fev 23, 2011 at 4:48 PM

    Polícia prende professora com rapadura por confundir com crak rsrsrsrsrs

    Advogado de professora confundida com traficante em Santa Cruz alega abuso de autoridade
    Jornal Temmais.com
    Santa Cruz do Rio Pardo – 22FEV11
    Editorial

    O caso da professora Angélica Jesus Batista que carregava um tablete de rapadura e foi confundida com uma traficante de crack na semana passada em Santa Cruz do Rio Pardo ainda está repercutindo. O advogado dela, José Beraldo, vai alegar abuso de autoridade na ação de danos morais que pretende abrir contra o estado.
    A informação foi dada hoje por telefone. O advogado não concorda com o procedimento adotado pela Polícia Civil. Ele disse que também pretende fazer uma representação na corregedoria e uma notícia crime ao Ministério Público de Ourinhos para que um inquérito seja instaurado.
    O caso aconteceu na base da polícia rodoviária em Santa Cruz do Rio Pardo. Policiais civis de Ourinhos tinham informações de que uma traficante levaria drogas da capital para o interior em um ônibus.
    Um dos veículos parados foi o de Angélica e na bolsa dela os policiais confundiram com crack o tablete de rapadura que ela levava de presente para o namorado. A professora foi algemada e retirada do ônibus.
    Depois de alguns minutos a confusão foi desfeita e ela liberada. A verdadeira traficante foi presa horas depois em outro coletivo com dois quilos de crack.

  • 105 D`Sousa // fev 17, 2011 at 8:18 AM

    REGIÃO METROPOLITANA

    CPA/M-8 – REGIÃO DE OSASCO

    Polícia de Osasco é suspeita de fazer parte de esquema de apreensão e venda de caça-níqueis
    R-7
    Osasco – 16FEV11
    Editorial

    Comerciantes têm que pagar R$ 400 por cada máquina de jogo ilegal e propina semanal
    Policiais de Osasco são suspeitos de fazer parte de um esquema de apreensão e venda de máquinas de caça-níqueis. De acordo com denúncia feita pelo Jornal da Record, duas maquinas de jogos ilegais, apreendidas pela polícia, voltaram para as ruas uma semana após a apreensão.
    De acordo com o dono de um bar que oferece o jogo ilegal, comprar as máquinas não é difícil.
    – Se você tiver lugar para botar 50, 100 máquinas, nós temos as máquinas. Rapidinho vem as máquinas.
    De acordo com ele, um investigador de polícia recentemente transferido para o 1º Distrito Policial de Osasco seria um dos chefes do esquema de revenda.
    Para ter as máquinas de volta nos fundos dos bares, os comerciantes têm que pagar R$ 400 por cada caça-níquel, além de um propina semanal para os policiais.
    O Ministério Público de São Paulo afirmou que sabe da atuação de grupos que exploram os jogos ilegais em Osasco. De acordo com o órgão, são cerca de cem envolvidos e mais de 2.000 máquinas em atividade.

  • 106 D`Sousa // fev 15, 2011 at 4:02 PM

    Polícia Federal prende vários PMS em Goiás
    Operação da Polícia Federal prende grupo de extermínio da PM em Goiás.
    Nesta terça-feira (15), a Polícia Federal divulgou uma nota explicativa a respeito da “Operação Sexto Mandamento”, com o intuito de prender, segundo eles, grupos de extermínio da Polícia Militar de Goiás (PMGO).
    “A Polícia Federal em Goiás deflagrou, nesta manhã, 15/02, a OPERAÇÃO SEXTO MANDAMENTO para cumprir 19 (dezenove) mandados de prisão preventiva e 8 (oito) mandados de prisão temporária, bem como mandados de busca e apreensão. Foram compostas 18 Equipes com 131 Policiais Federais e 12 Oficiais da Polícia Militar de Goiás. O total de alvos são 19 (dezenove), sendo 13 em Goiânia/GO e 6 no interior do Estado, haja vista que alguns dos envolvidos possuem mais de um de mandado de prisão.

    LEIAM TODA A MATÉRIA : http://www.portal730.com.br/noticias/seguranca/17886-policia-federal-prende-organizacao-criminosa-composta-pela-pmgo.html

  • 107 D`Sousa // fev 15, 2011 at 8:28 AM

     PM tem prisão preventiva decretada por envolvimento em morte de sindicalista
    EPTV.com.br
    Sertãozinho – 14FEV11
    Editorial

    O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) decretou nesta segunda-feira (14) a prisão preventiva do policial militar André Cesar Gomes dos Santos, acusado de participação na morte do sindicalista Wellington Wagner Espagnol, em dezembro do ano passado, em Sertãozinho. Santos já estava preso temporariamente no presídio Romão Gomes, em São Paulo.
    O sindicalista foi morto com dois tiros na manhã do dia 15 de dezembro, dentro do escritório do Sindicato dos Trabalhadores de Montagem, Manutenção e Serviços Terceirizados. De acordo com testemunhas, um homem chegou a pé ao sindicato e efetuou os disparos. Em seguida, correu e entrou em uma Astra, de propriedade do policial. Pelas características descritas do assassino, o policial estaria dentro do veículo, à sua espera. A polícia ainda investiga o segundo participante.
    O carro do policial foi encontrado no dia seguinte, em uma avenida de Pontal. Dentro, estavam cápsulas e uma pistola semiautomática 40 mm, particular do agente. Uma hora antes do crime, ele tentou registrar um boletim de ocorrência do furto do seu carro, mas não esperou o término do registro. Segundo a Polícia Civil, o carro foi encontrado sem sinais de que foi furtado. No dia 17, o policial se apresentou, ao lado de um advogado, à polícia.

  • 108 D`Sousa // fev 14, 2011 at 12:14 PM

    Jornal Noticia de Poá, acesso em 14Fev11, pagina 3

    PM é
    vítima de
    “saidinha
    de banco”
    Nem os policiais estão
    sendo poupados pelos criminosos
    que atacam em saída de
    bancos. Foi o que aconteceu
    com um cabo da Polícia Militar,
    que foi seguido e rendido
    por um criminoso durante
    a tarde de segunda-feira (7)
    na rua Capão Bonito, Vila
    Virginia.
    O policial, sacou R$800,00
    da agência Banco do Brasil na
    área Central de Itaquá e sem
    perceber, foi seguido e rendido
    ao chegar próximo a residência.
    Um criminoso armado
    em uma moto preta foi quem
    praticou o assalto. Além do
    dinheiro, o criminoso subtraiu
    o cartão do Banco, a carteira
    de identificação do Policial
    e os documentos, fugindo
    em seguida. O PM estava de
    folga e desarmado. Policiais
    Militares foram acionados
    e fizeram buscas pelo local,
    entretanto, o criminoso não
    foi encontrado.
    Atentado em Poá
    Na sexta-feira (4) um policial
    militar sofreu um atentado
    em frente a um bar no
    Jardim Estela. Vários tiros
    foram disparados contra ele ,
    que conseguiu escapar ileso.
    De acordo com informações
    da Polícia, o caso aconteceu
    por volta 23 horas, quando
    um homem identificado
    como Fábio Balchelli teria
    atacado o PM pelo pescoço
    e em seguida disparou vários
    tiros, sem atingí-lo.

  • 109 D`Sousa // fev 11, 2011 at 3:53 PM

    TJ absolve rapaz por flagrante forjado

    * 10 de fevereiro de 2011 |
    * 19h14 |
    * Tweet este Post

    Categoria: Polícia

    O Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo absolveu hoje, 10, um rapaz acusado por tráfico de entorpecentes, por entender que havia a possibilidade de ter ocorrido um flagrante forjado contra ele.

    Em outubro de 2009 o jovem foi abordado no bairro da Casa Verde, na Capital, por dois policiais da 1ª Companhia do 9º Batalhão da Polícia Militar. No local da abordagem, após revista, nenhuma droga foi encontrada. O suspeito foi conduzido ao batalhão da PM, e em revista íntima teriam sido encontrados 37 papelotes de cocaína.

    De acordo com o voto do relator da apelação, desembargador Damião Cogan, o fato causa surpresa, por se tratar de grande quantidade da droga para não ser percebida numa revista superficial sobre a roupa. Testemunhas também relataram no processo que, no dia da revista, houve uma briga entre os policias e o jovem, que teria sido agredido mesmo depois de dominado.

    O voto ainda menciona que um dos policiais envolvidos apresenta maus antecedentes na profissão, e que no mesmo batalhão onde foi realizada a revista íntima, o corregedor da PM já havia encontrado drogas em um dos armários do lugar.

    O rapaz foi absolvido por votação unânime. A decisão será encaminhado ao Comando Geral da PM para ciência e providências que julgarem cabíveis.

    Pedro da Rocha

    Sempre digo…a PM é retrograda e com isto quem perde é o Povo…

  • 110 D`Sousa // fev 4, 2011 at 8:38 AM

    Policiais civis e militares se enfrentam em MG

    Policiais civis e militares se enfrentaram nesta quarta-feira (2), em frente a uma oficina mecânica nas esquinas das ruas Japurá e Macapá, no Bairro Amazonas, em Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). A confusão começou às 19 horas, depois que sete suspeitos foram presos por agentes da Polícia Civil na Multipointer Oficina. Os suspeitos teriam participado de um sequestro, seguido de roubo, de um gerente do Santander em Betim.

    Segundo testemunhas, os policiais civis chegaram ao local em carros descaracterizados e prenderam os suspeitos dentro da oficina. No momento em que os presos estavam sendo colocados nos veículos – um Astra azul e um Palio Weekend preto – uma viatura da Polícia Militar (PM) passou pelo local.
    Uma testemunha que estava dentro da oficina afirmou que no momento das prisões, um tenente da PM exigiu a identificação dos agentes, entre eles, um delegado.

    Em seguida, os policiais se desentenderam e houve agressividade dos dois lados.
    Os três PMs e os sete civis envolvidos sacaram as armas e pediram reforços praticamente ao mesmo tempo.

    O tenente da PM foi imobilizado, agredido a socos e chutes e terminou a noite preso por desacato.

    Durante o trajeto até Contagem, pela Avenida Amazonas, a reportagem do HOJE EM DIA contou 25 viaturas da Polícia Civil e cinco da Polícia Militar. Todas estavam com as sirenes ligadas e retornavam do local do confronto. No Bairro Amazonas, um micro-ônibus lotado de policiais militares deixava a cena da briga no momento em que a reportagem chegou ao local.

    Também na quarta-feira (2), pela manhã, outro incidente parecido aconteceu no Bairro Tropical, em Contagem. Na ocasião, dois agentes da PC prenderam dois suspeitos de participação no mesmo crime, conhecido como golpe do sapatinho, e também foram parados pela PM. Porém, dessa vez, houve apenas uma discussão.

    De acordo com o vice-presidente do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil de Minas Gerais (Sindpol), Antônio Marcos Pereira, o fato demonstra o clima de tensão entre as duas polícias nas ações diárias. “Estamos sentados sobre um barril de pólvora. Um disparo neste incidente de hoje poderia tornar aquilo em uma carnificina. A integração entre as polícias só é real dentro dos gabinetes”, disparou.

    O sindicato participa nesta quinta-feira (3), às 15 horas, de uma reunião entre os altos comandos das polícias Militar e Civil com o secretário de Defesa Social, Jaime Lélis, na Cidade Administrativa, para discutir o assunto. A assessoria de imprensa do Governo de Minas Gerais anunciou que as corregedorias das polícias vão investigar separadamente o que aconteceu.

    Fontes: R7 e hoje em dia

  • 111 D`Sousa // fev 1, 2011 at 8:39 AM

    GM apreende fuzil que era alugado para roubos
    EPTV
    Americana – 31JAN11
    Editorial

    Dono da arma de fabricação caseira disse que trocou mobilete por fuzil.
    A Guarda Municipal de Americana apreendeu na noite deste sábado (29) um Fuzil de fabricação caseira, que era alugado para roubos. A apreensão aconteceu na rua do Azulão, 31, no bairro Jardim dos Lírios.
    A arma estava com o ajudante geral Paulo Cézar Souza, de 43 anos, morador do bairro. Ao ser questionado pelos guardas municipais sobre a arma, o homem autorizou a entrada da equipe em na residência dele. A arma estava escondida dentro de um saco plástico sem munição. Souza explicou que adquiriu a arma após uma troca de uma mobilete feita com uma pessoa desconhecida.
    De acordo com relatos obtidos pela Guarda Municipal no local da apreenssão, Souza costumava alugar a arma para prática de roubo na qual cobrava R$1 mil por aluguel. O homem foi levado para o plantão policial , mas foi liberado. Ele vai responder em liberdade por porte ilegal de arma.

  • 112 D`Sousa // fev 1, 2011 at 8:38 AM

    GM apreende quatro adolescentes com 216 pedras de crack
    EPTV
    Campinas – 31JAN11
    Editorial

    Eles estavam próximo ao Terminal Central com a droga.
    A Guarda Municipal de Campinas apreendeu quatro adolescentes nesta sexta-feira (28) com 216 pedras de crack, além de nove papelotes de cocaína e R$ 56 en dinheiro.
    No início da tarde, uma adolescente de 17 anos, grávida de oito meses, foi surpreendida no Terminal Central com 185 pedras de crack. À tarde, os guardas apreenderam outros três adolescentes, incluindo uma menina, com mais pedras de crack, papelotes de cocaína e R$ 56,10. Eles também estavam próximo ao Terminal Central. Os menores estão á disposição da Vara da Infância e da Juventude.

  • 113 D`Sousa // fev 1, 2011 at 8:38 AM

    Sargento da PM é preso em flagrante por aceitar suborno
    EPTV
    Ibaté – 31JAN11
    Editorial

    Comerciante que teria pago também foi presa.
    Um sargento da Polícia Militar, de 42 anos, foi preso em flagrante por aceitar suborno de uma comerciante de Ibaté na noite de sexta-feira (28). Depois de apreender cerca de quatro mil maços de cigarros contrabandeados em um bar no Jardim Cruzado, o policial teria aceito cinco mil reais.
    O dinheiro estava escondido embaixo do banco dentro do carro da polícia. A própria comerciante que pagou o suborno fez a denúncia.
    O sargento, que trabalhava na polícia há 21 anos, foi levado para o Presídio Romão Gomes, em São Paulo. A comerciante também foi presa por corrupção ativa, contrabando e descaminho. Ela foi levada para o Presídio de Ribeirão Bonito.
    A Polícia Militar informou que abriu inquérito e que o caso será julgado pelo Tribunal de Justiça Militar. O policial pode ser expulso da corporação. A prisão foi feita pelo comandante da PM.

  • 114 D`Sousa // jan 31, 2011 at 1:41 PM

    Policiais da Rota são afastados
    fonte: Jornal da tarde, 31JAN11
    * 29 de janeiro de 2011 |
    * 14h40 |

    Categoria: Polícia

    O comando da Polícia Militar do Estado de São Paulo decidiu afastar a equipe das Rondas Ostensivas Tobiasde Aguiar (Rota) envolvida na morte de Ruan Rodrigo Silva Araújo, de 19 anos, suspeito de participar de um arrastão na quinta-feira, 27, no restaurante BiCol, na Aclimação, zona sul de São Paulo. Segundo a PM, os policiais permanecerão afastados das atividades operacionais “até que os fatos sejam completamente esclarecidos”.

    A ação no restaurante durou cinco minutos. Policiais da Rota chegaram pouco após a saída do grupo e, pelo celular de uma das vítimas, localizaram um suspeito na Rua dos Estudantes, na Sé, a cerca de dois quilômetros do restaurante.

    No relato à Polícia Civil, eles disseram ter avistado Araújo em um Honda Civic preto. O jovem teria pulado do carro e atirado. Os PMs dispararam e acertaram o rapaz três vezes. Ele foi socorrido, mas não resistiu. Moradores relataram à reportagem que Araújo de fato correu, porém não tinha nenhuma arma.

    A Polícia Militar reafirma a política de “ser implacável na apuração dos desvios de conduta” e diz que divulgará
    informações complementares conforme o andamento da investigação.

    Elvis Pereira e Bruno Lupion

  • 115 D`Sousa // jan 28, 2011 at 1:16 PM

    Prostíbulo pagava PMs por segurança e oferecia ”mimos”
    Lobista distribuía presentes a oficiais da PM e diz que até comandante-geral se beneficiaria
    25 de junho de 2008 | 0h 00

    Marcelo Godoy e Rodrigo Pereira – O Estadao de S.Paulo

    O esquema de tráfico de influência e corrupção que manteve aberto o prostíbulo de luxo W.E. pagava R$ 2,5 mil por mês para usar policiais militares em sua segurança externa ao mesmo tempo em que distribuía mimos a oficiais da Polícia Militar. Escutas telefônicas feitas pela Polícia Federal (PF) flagraram o lobista da quadrilha, o coronel da reserva da PM Wilson de Barros Consani Junior, conversando sobre a concessão de camarotes “com comes e bebes livre” na 13ª Festa do Peão de Osasco ao comando da PM, que nega ter recebido o presente.

    Ao todo, Consani conversa oito vezes com três coronéis, um tenente-coronel, um major e um capitão, entre os quais os coronéis Arivaldo Sérgio Salgado, chefe de gabinete do comandante-geral, e João Antônio Ribeiro Ferreira, diretor de Telemática da PM. O lobista afirma ainda que até o comandante-geral da corporação, coronel Roberto Diniz, se beneficiaria dos camarotes.

    Apreendida pela PF na Operação Santa Tereza, a contabilidade do prostíbulo usado para traficar mulheres e lavar dinheiro desviado do BNDES, mostra que a quadrilha pagava R$ 2,5 mil por mês para a “segurança externa PM”. Além disso, o bando gastava R$ 8,5 mil mensais com “segurança-coronel”. Localizado na Rua Peixoto Gomide, em Cerqueira Cesar, região central de São Paulo, o W.E. funcionou até 25 de abril, quando foi fechado pela Prefeitura a pedido da PF. No relatório da operação, a PF informa que não há dúvidas de que “Consani era o responsável pela manutenção da casa aberta junto aos órgãos policiais e de fiscalização”.

    A PF exemplificou a participação de Consani por meio de comprovantes de depósitos bancários de até R$ 18,6 mil achados na W.E.. Em 17 de março, a PF flagrou conversa do gerente financeiro da casa, Celso Murad, com o empresário Manuel Fernandes de Barros Filho, dono da casa. Celso diz que o coronel “veio hoje porque ele tem o ?acerto? para fazer”.

    CAMAROTES

    Além de ser o assessor de segurança da Força Sindical e do prostíbulo usado para lavar dinheiro do BNDES, o coronel cuidava de eventos, como a Festa do Peão de Osasco. Em alguns casos, ele misturava essas atividades para obter favores para clientes e amigos.

    As escutas mostram, por exemplo, Consani oferecendo em 12 de abril ingressos ao capitão Neliton, do Centro de Operações da PM, para agradecer o envio de uma viatura da PM para dar segurança a um jogo do Esporte Clube Força, o time de futebol do deputado Paulo Pereira da Silva (PDT). A partida se realizaria às 11 horas daquele dia no estádio do Flamenguinho, em Guarulhos, na Grande São Paulo. “Ô, chefe, pra essas coisas boas ninguém liga”, diz o capitão.

    Os ingressos para a festa, que começou dia 10 de abril e se estendeu até o dia 20, custavam R$ 25. O camarote para oito dias de festa, com capacidade para dez pessoas, saía por cerca de R$ 3 mil. Entre os artistas que se apresentaram estavam Mateus Minas e Leandro, Edson e Hudson, Victor e Leo, Bruno e Marrone e Chitãozinho e Xororó. Cerca de 250 mil pessoas compareceram à festa.

    No dia 7 de abril, às 9h06, o coronel Consani conversa com o tenente-coronel Henrique Cesar Mendes, do 14º Batalhão da PM, responsável por Osasco. O lobista conta que um emissário ia entregar para o coronel ainda naquele dia “os camarotes da PM”. Em seguida, ele diz que ia no dia 12 ao Comando-Geral e avisava o tenente-coronel que “o Brandão, o Daniel subcomandante, o Diniz em um ou outro dia eles vão”.

    Os coronéis citados por Consani são: Roberto Diniz, comandante-geral, Daniel Rodrigueiro, subcomandante-geral, e Aílton Araújo Brandão, chefe do policiamento da capital. “Me pediram até os ingressos e eu vou combinar com eles que o dia em que eles forem eu te aviso e aí a gente faz a corte para eles”, diz Consani. Mendes deixa claro que sabe as intenções do lobista. “Vocês fazem isso até para aumentar a segurança interna, porque tendo policiais vocês têm uma vantagem sobre isso.”

    No dia 10, Consani fala com o coronel Álvaro Batista Camilo, chefe do policiamento no centro de São Paulo. Camilo diz a Consani que não vai à festa e vai entregar os ingressos que recebeu ao coronel Brandão “pra ir no mesmo esquema”. Em 18 de abril, o coronel Salgado telefona a Consani e pergunta sobre os ingressos para o show. Conta que o diretor de Telemática da PM também quer ir. Consani então combina com o coronel João Antônio que vai arrumar cinco ingressos para sexta e sábado para o coronel. “Mas eu não vou te dar trabalho?”, pergunta João Antônio. “De jeito nenhum, pelo contrário, vai me dar prazer”, diz Consani.

  • 116 D`Sousa // jan 22, 2011 at 6:40 PM

     Morre estudante de 17 anos baleada por pm na Expressa
    Araraquara.com
    Araraquara – 21Jan11
    Editorial

    A jovem Mariane Fernanda Mendonça de Matos, de 17 anos, que estava internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa de Araraquara, morreu na tarde desta sexta-feira.
    Ela foi vítima de um tiro disparado pelo soldado da Polícia Militar José Henrique Stievano, 34, que executou a ex-mulher, a montadora de produção Josilaine Aparecida Tamburi, 32, em um ataque na Avenida Antônia Camargo de Oliveira, a Via Expressa, na madrugada de quinta-feira.
    O também soldado da PM, Antônio Eduardo Crispim, pai de criação da garota, conta que menina ficou com a bala alojada na perna direita e, até por volta do meio-dia estava com a situação clínica estabilizada. Porém, no final da tarde, ela sofreu outras complicações médicas e não resistiu aos ferimentos por ter perdido muito sangue.
    Emocionado o pai desabafou: “Ela não aguentou, a minha filha não aguentou.” A mãe também desesperada chorava copiosamente.
    A suspeita da polícia é que, o mesmo projétil da pistola semiautomática calibre 40 tenha atravessado o corpo de Josilaine e atingido Mariane, que estava sentada no banco do passageiro do Corsa Sedan.
    A família tinha iniciado uma campanha de doação de sangue na cidade justamente para abastecer o estoque do Hemonúcleo de Araraquara. A família ainda não informou onde será o velório e o enterro.
    Stievano foi enterrado na manhã de hoje. Josilaine foi sepultada ainda na quinta-feira. O crime chocou Araraquara e a tragédia se completou com a morte da estudante. A jovem Mariane foi baleada simplesmente por estar no mesmo carro da amiga.
    Na ocasião, Josilaine e Mariane saíram para dar uma volta porque a ex-mulher do policial tinha acabado de se separar – eles assinaram o divórcio no Fórum na tarde de quarta-feira.
    A polícia ainda não tem detalhes do encontro. Só se sabe que o soldado dirigia um Astra e forçou a ex-mulher a encostar o Corsa Sedan. Eles discutiram porque a separação foi motivada por uma traição do soldado.
    Em meio à briga, tiros foram disparados à queima-roupa. Josilaine morreu na hora. Mariane foi baleada e socorrida por policiais militares. Stievano se suicidou atirando contra a própria cabeça.
    Depois dizem que as GCM que são destreinadas despreparadas…

  • 117 D`Sousa // dez 27, 2010 at 8:39 AM

    Policial militar é preso com carro furtado na Baixada Santista
    G-1
    Cubatão – 26DEZ10
    Editorial

    Suspeito foi abordado por policiais rodoviários na Imigrantes, em Cubatão.
    Veículo furtado apresentava uma série de infrações administrativas.
    Um policial militar foi detido na Rodovia dos Imigrantes, na altura do Jardim Casqueiro, em Cubatão, na Baixada Santista, dirigindo um veículo identificado como sendo roubado na tarde de sábado (25) de Natal.
    O carro, um Fiat Palio azul, tinha uma ligação direta no contato e não estava com a chave original. O fato aconteceu por volta das 15h45. A Polícia Rodoviária identificou o carro, que também tinha uma série de infrações administrativas.
    O policial foi conduzido até a Delegacia Sede de Cubatão, onde a autoridade de plantão elaborou um boletim de ocorrência de flagrante de receptação de veículo furtado. O veículo foi levado para o Pátio do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), em Itanhaém.

  • 118 D`Sousa // dez 20, 2010 at 8:42 AM

    Policiais militares são suspeitos de participar de mortes de sindicalistas
    G1
    São Paulo – 15DEZ10

    Polícia Civil apreendeu computadores e documentos de suspeitos.
    Diretores do Sindicato dos Motoristas e Cobradores foram mortos em SP.

    Oito policiais militares são investigados pela Polícia Civil de São Paulo por suspeita de envolvimento nos assassinatos do diretor de base do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus São Paulo, Sérgio Augusto Ramos, morto com cinco tiros no último dia 25 de outubro, e de de outro sindicalista, José Carlos da Silva, também morto com cinco tiros em 12 de novembro.
    Ramos foi morto após gravar um vídeo dizendo que estava sendo ameaçado. Ele havia denunciado ao Ministério Público um esquema de corrupção dentro do sindicato, com desvio de dinheiro.
    O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e o Ministério Público deflagraram na manhã desta quarta-feira (15) uma operação para cumprir mais de 20 mandados, entre eles de prisão, busca e apreensão dos suspeitos pelas mortes dos sindicalistas.
    Segundo a polícia e a Promotoria, os policiais militares também se envolveram no esquema de corrupção, fazendo a segurança pessoal de alguns diretores do sindicato. As armas dos policiais foram apreendidas e encaminhadas à perícia.
    Em 12 de novembro, três semanas depois da morte de Ramos, outro diretor do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus, José Carlos da Silva, foi morto de uma maneira parecida. Ele foi atacado por dois homens numa moto, numa rua da Zona Norte da capital. Levou cinco tiros. Segundo os promotores, nos últimos sete anos, foram assassinadas 13 pessoas ligadas ao sindicato.
    “A partir de agora nós vamos analisar a necessidade de medidas mais drásticas. Nós estamos lidando com o crime organizado. E para combater o crime organizado nós precisamos de medidas enérgicas”, disse o promotor Roberto Porto.
    Além do promotor, a delegada do DHPP responsável pelas investigações, Alexandra de Agostini, acompanhou a operação. “São policiais militares da ativa”, disse a delegada Alexandra Agostini sobre quem são alguns dos suspeitos pelos crimes.
    Computadores e documentos de suspeitos de envolvimento no crime foram apreendidos e levados ao DHPP, na capital paulista. O irmão de um motorista de ônibus foi preso em casa, por porte ilegal de arma. Duzentos policiais civis fizeram buscas na capital e em Mairiporã, Taboão da Serra e Santana de Parnaíba.
    Vídeo gravado

    O sindicalista Ramos foi baleado por dois motoqueiros enquanto fazia panfletagem na frente da Viação Itaim Paulista (VIP), na Estrada do M’Boi Mirim, Jardim Ângela, Zona Sul da capital.
    Antes de ser morto, o sindicalista havia registrado dois boletins de ocorrência relatando supostas ameaças de morte que recebia de pessoas ligadas ao ex-presidente do sindicato dos motoristas e cobradores, Edivaldo Santiago da Silva. Ele já tinha sido preso pela polícia federal em 2003. Procurado para comentar o assunto, Silva afirmou que não está sendo investigado pelas mortes.
    O sindicalista também tinha gravado um vídeo, dizendo que estava sendo ameaçado e acusando a direção do sindicato de corrupção. “Todo mês vinha 2 mil reais, dinheiro ilícito, pra minha conta” e “temo pela minha vida, pela dos meus filhos”, havia dito Ramos. Ele denunciou ao Ministério Público esquema de desvio do subsídio pago pela Prefeitura referente ao plano de saúde dos trabalhadores.
    O Sindicato dos Motoristas e Cobradores de ônibus informou que já esperava a operação da polícia e da Promotoria.

  • 119 D`Sousa // dez 17, 2010 at 1:36 PM

    Na Segurança Pública, uma crise que não precisava ter acontecido
    Araraquara.com
    Capital – 16Dez10
    Editorial

    Contemplada com um sistema de videomonitoramento que se tornou essencial para a construção de uma estratégia viável de Segurança Pública no município, Araraquara viu emergir uma estranha crise de poder justamente no período inicial de funcionamento das câmeras. Um conjunto de pequenos fatos que poderiam ser corriqueiros e de fácil resolução desatou um processo de desgaste entre a Guarda Municipal e a Polícia Militar, culminando com a exclusão do acesso dos militares às imagens enviadas à central instalada na Arena da Fonte para controlar o monitoramente.
    Nada mais descabido a estas alturas. O que deveria funcionar como ponto de partida para o aperfeiçoamento do combate ao crime na cidade, com a utilização de um dos meios preventivos mais eficazes de que se tem conhecimento, gerou, ao contrário, um conflito de interesses entre as forças que deveriam agir de forma coordenada para promover a melhor utilização desse novo mecanismo. Tudo porque uns poucos membros do contingente de guardas municipais – comprovadamente minoria – extrapolaram em suas funções, que são bastante claras, por definição: sem poder de polícia, os GMs são protetores do patrimônio, zeladores da população e dos bens do município. Mas têm, da mesma forma, uma função fundamental nas políticas de segurança, por agirem em conexão direta com os outros policiais.
    Só que é preciso ressaltar mais uma vez as diferenças entre as funções para que não se repitam erros institucionais. O policial militar age por meio de indícios e também por ‘feeling’, por intuição, um artifício muitas vezes tão eficiente quanto as pistas concretas. Por isto é tido como especialista no combate ao crime comum, aquele que mais convive com os delitos diários, tanto os mais graves quanto os de rotina. Desta forma, o militar é – juntamente com o policial civil – quem melhor conhece o modo de agir dos criminosos, e quem melhor sabe identificar suspeitos e antever atos nebulosos. Como ferramenta de prevenção, o monitoramento por câmeras visa justamente a antecipar as ações de segurança, alertar os agentes de vigilância, mobilizar a tempo a linha de frente de combate ao crime. Trata-se de uma ajuda e tanto para uma política eficaz de segurança. O prefeito Barbieri estima uma redução de 30% da criminalidade associada à ação das câmeras.
    A crise, que surgiu após alguns excessos e que ressaltou problemas de gestão que a Administração Municipal precisa enfrentar, é inútil e extemporânea. Não levará a nada, ninguém sairá vencedor. Ao contrário, perderemos todos – a população em primeiro lugar. Araraquara é uma das primeiras cidades que recebeu o sistema de monitoramento, através do Pronasci, um equipamento moderno, caro e necessário, reconhecidamente uma arma poderosa para ajudar na manutenção da ordem pública. É preciso aproveitar essa vantagem legítima.
    Mesmo porque, enquanto isso, a criminalidade não descansa. Os números estão aí para comprovar. Pesquisa divulgada na terça-feira pelo IBGE mostra que 42% dos brasileiros de sentem inseguros em suas cidades, três em cada cinco domicílios usam algum esquema de segurança, quase 12 milhões de pessoas foram vítimas de crimes no ano passado, sendo que 2,5 milhões sofreram agressões físicas. Enfrentar a violência exige inteligência, estratégia e tecnologia. E o fator humano é essencial nesse processo.
    Não existe outra opção às lideranças policiais da cidade – com a devida mediação do governo municipal- a não ser o entendimento. Mesmo porque os comandos sabem que nada será eficiente sem uma ação ordenada, sólida, voltada para o bem da população. Divisões, egocentrismo e excessos institucionais nunca deveriam estar em primeiro plano quando o assunto é Segurança Pública.

    è por estas e outras e por alguns jornalisats desinformados sobre a verdadeira missão constitucional das GCM que dá nisso.

  • 120 D`Sousa // dez 15, 2010 at 6:18 PM

    Quase 80% dos brasileiros não se sentem seguros, mostra pesquisa
    Estadão
    Brasil – 02DEZ10
    Editorial

    Estudo do Ipea aponta que população tem muito medo de ser assassinada ou roubada e acha polícia lenta.

    BRASÍLIA – Os brasileiros têm bastante medo da violência. Esse é o resultado dos Indicadores de Percepção Social (Sips) sobre Segurança Pública divulgado nesta quinta-feira, 2, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O estudo mostra que nove em cada dez entrevistados disseram ter medo de ser vítimas de crimes como homicídio, assalto à mão armada ou roubo de residência.
    Foram entrevistadas 2.770 pessoas nas cinco regiões do País. A maioria dos entrevistados, 78,6%, afirmou ter muito medo de morrer assassinado. O mesmo ocorre em relação ao medo de ser vítima de assalto à mão armada (73,7%). Também é alto o número de pessoas que temem encontrar a casa arrombada (68,7%). Em relação à agressão física, o grau de medo entre os entrevistados é menor (48,7%).
    A pesquisa aponta que o medo de arrombamento é mais baixo na classe média, em famílias com renda entre cinco e dez salários mínimos. Esse medo aumenta à medida que a renda se torna muito baixa ou muito alta.
    Entre os jovens de 18 a 24 anos de idade, o medo de ter a residência arrombada ou de sofrer agressão física é menor do que nas demais faixas etárias. Segundo o estudo, 60% dos jovens responderam ter muito medo de arrombamento. Porém, apenas 40% temem agressão física, parcela pequena se comparada aos 51,4% daqueles que têm entre 45 e 54 anos, ou aos 57% da faixa etária com mais de 55 anos.
    Polícia. A pesquisa também avalia os serviços prestados pela polícia e os problemas relatados pela população no contato com os policiais. A Polícia Federal conta com o maior grau de confiança por parte da população (82,5%), enquanto 74,1% apresentam algum grau de confiança na polícia civil e 72,3% na polícia militar. O nível de confiança nas guardas municipais foi menor: 68,1%.
    De acordo com o Ipea, a avaliação geral dos serviços comumente prestados pelas instituições policiais é negativa. Os resultados da pesquisa mostram que 61,7% dos entrevistados apontaram lentidão da polícia no atendimento a emergências quando o pedido de socorro é feito por telefone. Nas regiões menos povoadas e mais carentes de serviços de infraestrutura (Norte e Centro-Oeste) se encontra o maior quantidade de cidadãos satisfeitos com a rapidez no atendimento emergencial: 48,8% e 49,5%, respectivamente, contra cerca de um terço nas demais regiões.

  • 121 D`Sousa // dez 3, 2010 at 9:02 AM

    Policiais militares são presos suspeitos de furtar caixas eletrônicos
    G-1
    Itaquaquecetuba – 02DEZ10
    Editorial

    Corregedoria cumpriu mandados de prisão, informou PM nesta quinta (2).
    Policiais são suspeitos de integrar quadrilha que agia na Grande SP.
    A Corregedoria prendeu policiais militares suspeitos de integrar uma quadrilha especializada em furtar caixas eletrônicos em Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (2) pela assessoria de imprensa da PM.
    Em nota, a PM informa que as prisões resultaram de investigações feitas após dois furtos em agências bancárias em abril deste ano na cidade da Grande SP. O número de policiais militares presos não foi divulgado.
    O tenente-coronel Emanuel Marcelo Umada, comandante do 35º Batalhão de Polícia Militar dará uma entrevista na tarde desta quinta em Itaquaquecetuba para comentar o assunto.

  • 122 D`Sousa // nov 28, 2010 at 9:53 AM

    PM do Gate confessa ter matado jornalista

    * 27 de novembro de 2010 |
    * 23h36 |
    * Tweet este Post

    Categoria: Polícia

    Medina disse ter matado Luciana porque ela falava muito (Foto: Reprodução)

    Corpo de Luciana foi encontrado na Serra do Mar (Foto: Reprodução)

    LUÍSA ALCALDE

    O cabo Rodrigo Domingues Medina, de 34 anos, do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), uma das tropas de elite da Polícia Militar, confessou ontem à tarde ter estrangulado a jornalista Luciana Barreto Montanhana, de 29 anos. Ela havia sido sequestrada por ele no dia 11, depois de ter saído de uma academia dentro do Shopping Eldorado, zona oeste.

    Luciana trabalhava para uma grande assessoria de imprensa. Por ter reagido, segundo o depoimento de Medina à Polícia Civil, horas depois de ter sido colocada no carro do policial, um Gol, ela foi morta estrangulada. As mãos da moça foram atadas com algemas de plástico. O corpo foi jogado na serra, no km 44 da Rodovia Anchieta. Nessa mesma noite, ele ligou para o pai da vítima, pedindo resgate de R$ 500 mil.

    Ele contou aos policiais da Divisão Antissequestro (DAS) ter abordado aleatoriamente Luciana, porque estaria precisando de dinheiro, mas não disse para que e nem se estava endividado.

    Segundo Medina, a jornalista foi abordada dentro do estacionamento do shopping, mas, para o delegado Wagner Giudice, a abordagem ocorreu do lado de fora, em uma das saídas do centro de compras. Giudice solicitou ao Eldorado as gravações das câmeras de monitoramento.

    O carro dela, um Captiva, foi encontrado a duas quadras do shopping. Medina estaria armado no momento em que obrigou a vítima a entrar em seu carro. O delegado descartou que ele conhecesse a assessora de imprensa ou que tivesse alguma informação sobre a vida financeira do noivo dela, um empresário bem-sucedido – eles moravam juntos.

    “Ele disse que ela falava muito e por isso a matou”, contou o delegado. O corpo foi encontrado ontem, já em estado de decomposição, o que, para Giudice, confirmaria que ela foi morta no primeiro dia do sequestro. O policial do Gate foi descoberto depois de ter feito cinco ligações de orelhões no centro e na zona norte da capital para a família de Luciana. A DAS passou a monitorar as ligações.

    Na última, feita no dia 20, os policiais conseguiram localizá-lo ainda no orelhão. Como é triatleta, ele correu duas quadras até onde deixara o carro estacionado, abriu o veículo, pegou a arma que estava no banco e passou a atirar nos civis. Assim que entrou no carro, foi atingido nas costas.

    Só então se identificou como PM. Foi socorrido e levado ao hospital da PM, onde ainda permanece internado. No dia em que foi descoberto, ele foi autuado em flagrante e tinha uma agenda onde estavam anotados os números da família de Luciana, que mora na zona norte. No mesmo dia, a Corregedoria da PM foi avisada e abriu um procedimento para investigar a conduta do policial.

    Quando receber alta, será encaminhado ao Presídio Romão Gomes. Ele vai responder por homicídio e extorsão mediante sequestro. Na pensão em que Medina morava com outros quatro PMs, também na zona norte, foi encontrada a bolsa da jornalista, onde havia iPod, celular e documentos.

    Segundo o major Marcel Sofner, Medina não tinha, até então, nenhuma ocorrência no prontuário que desabonasse sua conduta. No último telefonema antes de ser surpreendido pelos policiais da DAS, Medina negociava o resgate em um orelhão próximo a um batalhão da PM.

  • 123 Fac Dir // nov 4, 2010 at 4:47 PM

    Legal, a incompetencia é contagiosa!

  • 124 D`Sousa // nov 4, 2010 at 10:53 AM

    Morte de GCM em Osasco é denunciada à OEA
    Comandante afirma que subordinado foi executado por policiais militares e decide recorrer a instituições internacionais em busca de punição.

    Jornal “O Estado de São Paulo”
    04 de novembro de 2010 0h 00

    * Leia a notícia
    * Comentários
    Bruno Paes Manso – O Estado de S.Paulo

    Poderia ser mais um caso suspeito de resistência seguida de morte envolvendo policiais militares de São Paulo com poucas chances de ser esclarecido. Mas a vítima foi um guarda-civil metropolitano de Osasco e o comando da corporação comprou a briga. No dia 25 de outubro, o comandante da GCM da cidade, Gilson Menezes, denunciou o caso na Comissão Interamericana de Direitos Humanos em Washington, nos Estados Unidos.

    Foi a primeira vez que uma autoridade brasileira denuncia um caso de violência policial na Organização dos Estados Americanos (OEA). Ele atuou em parceria com as ONGs Geledés e Global Rights. “Foi uma execução e agora que denunciamos o caso em instâncias internacionais não tem mais volta. O caso não será arquivado. O que mais me revolta é que os autores ainda estão na rua, trabalhando normalmente”, afirma Menezes.

    A morte do GCM aconteceu em 13 de dezembro do ano passado. Ataídes Oliva de Araújo, de 53 anos, que além de guarda-civil era formado em Geografia, estava saindo de um bar com a mulher, por volta das 20 horas, quando foi atacado por três homens e duas mulheres. No meio da briga, Oliva deu um tiro para o chão. Policiais da Força Tática do 14.º Batalhão da PM de Osasco ouviram o disparo e foram ao local.

    Segundo versão dos policiais, o guarda-civil atirou primeiro na viatura. Os policiais afirmam que atiraram em legítima defesa. Alguns elementos do laudo da Polícia Técnico-Científica, contudo, ajudam a identificar uma série de lacunas na versão oficial. Conforme a perícia, o local do crime foi “deveras prejudicado”, já que os técnicos encontraram somente um cartucho de pistola ponto 40, arma usada por policiais militares, “indicando que “os cartuchos restantes foram recolhidos antes da chegada da polícia ao local”.

    Laudo. Foram constatados 16 ferimentos no cadáver, caracterizando excesso por parte dos policiais. Além disso, os ferimentos indicam que as perfurações foram produzidas por “tiros disparados a curta distância, com orientação de cima para baixo e contra a vítima tombada sobre o piso”. O comandante da GCM de Osasco afirma que a denúncia visa a provocar mudanças no atual estágio de violência envolvendo policiais militares. “A corregedoria da PM, que deveria ser independente, é corporativista. Existe uma cultura do uso da arma de fogo na PM”, avalia.

    Para comparar, Menezes menciona alguns números da GCM. Foram 1.333 flagrantes que viraram boletim de ocorrência desde 2005 e nenhum caso de resistência seguida de morte. Procurada, a Assessoria de Imprensa da PM afirmou que só vai se manifestar sobre o caso hoje.

    A PM conseguiu, neste último trimestre, reduzir o número de resistências seguidas de morte. Foram cem casos, número 17% menor que no ano passado.

  • 125 D`Sousa // nov 1, 2010 at 12:40 PM

    JT Segurança 1NOV10

    Policial é preso em tentativa de furto a caixa eletrônico

    * 1 de novembro de 2010 |
    * 12h18 |
    * Tweet este Post

    Categoria: Polícia

    Um policial militar foi preso à 1 hora da madrugada desta segunda-feira, 1º, enquanto tentava furtar com dois comparsas um caixa eletrônico instalado em uma agência do Banco do Brasil na Rua Ibitirama, na Vila Prudente, zona leste da capital.

    Para se esconder durante a ação, o trio pendurou um banner de propaganda do próprio banco na porta de vidro da área de caixas, mas policiais militares da 4ª Companhia do 21º Batalhão em patrulha desconfiaram e flagraram os criminosos.

    O soldado de policiamento de trânsito Samuel Pereira Lima, de 35 anos, 14 deles na polícia, foi preso com Anderson Andrade Imolene, 28, e Felipe Santos Castilho, 27, segundo a polícia. Eles portavam uma furadeira e outros instrumentos usados para violar os caixas.

    O trio foi encaminhado ao 56º Distrito Policial, na Vila Alpina, onde o crime foi registrado.

  • 126 D`Sousa // set 18, 2010 at 12:10 PM

    Pior, tem que chamar mesmo: – assim ajuda mitigar o dispêndio do erário; preencher o ócio, criar condições de operar e balançar o cabide de empregos, ajuda ainda a diminuir a barriga e preencher os espaqços vazios nas cabeça de bagre e clarear as cavernas da ignorância ensinada nos cursos de filosofia.
    Afinal é do bolso de cada um, Cidadão, Militar, Eclesiástico, etc., que saem os valores para os dispendiosos salários dos “meganhas” e dos “guanapos”.

  • 127 CAPITÃO CAVERNA // set 17, 2010 at 6:36 AM

    Acho que essa GM, foi criada para o ¨nada ¨, Varginha continua na mesma. Na hora do rush, chamem a PM. Dispendiosa, Ociosa, Inoperante, e cabide de empregos.

  • 128 D`Sousa // set 16, 2010 at 10:41 AM

    Corpo carbonizado pode ser de desaparecido

    * 15 de setembro de 2010 |
    * 20h20 |
    * Tweet este Post

    Categoria: Polícia

    Um corpo carbonizado encontrado no sábado, 11, na Rua Tadao Inoue, no bairro Jardim São Norberto, zona sul, pode ser de um dos rapazes que desapareceram no dia anterior, 10, após serem abordados por uma viatura policial. O Instituto Médico Legal fará perícia para identificação.

    De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP) o morto foi encontrado após denúncia anônima. Ao chegarem no local, policiais encontraram uma pessoa totalmente queimada dentro de pneus. Não foi possível distinguir nem
    o sexo da vítima.

    No mesmo dia, um carro igual ao que os desaparecidos usavam no dia em que sumiram foi encontrado na mesma região do corpo carbonizado. Perícia técnica irá verificar se é o mesmo veículo. O caso foi encaminhado ao 48º DP e ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

    Na última sexta-feira, 10, dois homens saíram com um amigo para levar o irmão de um deles até um ponto de ônibus, e não voltaram mais para casa. Da última vez em que foram vistos, eles estavam sendo abordados por uma viatura da PM.

    (Pedro da Rocha)

  • 129 D`Sousa // set 14, 2010 at 6:42 PM

    Mais uma suspeita de “bom Sv PM”

    PM investiga sumiço de 2 homens na zona sul

    * 13 de setembro de 2010 |
    * 16h17 |
    * Tweet este Post

    Categoria: Polícia

    A corregedoria da PM investiga o sumiço de dois homens na noite da última sexta-feira, 10, no bairro Rio Bonito, zona sul de São Paulo. Da última vez em que foram vistos, eles estavam sendo abordados por uma viatura da PM.

    De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), a mulher de um dos desaparecidos registrou queixa no 102º, no sábado, 11. Ela disse aos policiais que o esposo havia saído sexta-feira à noite com um amigo, para levar o irmão até o ponto de ônibus, e não voltara mais para casa.

    O irmão do desaparecido afirmou que quando estava dentro de um ônibus, viu o veículo Kadett, de cor vermelha, pertencente ao seu familiar, parado e com os dois procurados fora do carro, sendo abordados por policiais. Foi a última vez em que foram vistos.

    A mulher ligou para todos os hospitais da região atrás do marido, sem obter sucesso. A polícia procurou informações sobre os corpos enviados ao Instituto Médico Legal (IML) naquele dia, mas nenhum havia sido identificado como dos desaparecidos. O caso foi encaminhado ao 48º DP, por ser o responsável pelas investigações na região em que a os homens sumiram.

    (Pedro da Rocha)

  • 130 D`Sousa // set 10, 2010 at 9:36 AM

    CPA/M-1 – ZONA CENTRO
    Ocorrência: Falecimento de PM durante Atividade Delegada
    Nome dos PM: Sd PM 943157-8 Sérgio Inácio Ferreira da Silva, do 1º BPTran
    Condição: Escalado em Serviço
    Dia: 09SET10
    Hora: 14:45
    Endereço: Centro Velho, São Paulo
    OPM: 45º BPM/M
    Cia: 2ª
    DP: 1º
    Vtr: M-45205
    Procedimento: BOPM nº 2716/10, BOPC nº 8416/10
    Histórico: O Sd PM Sérgio Inácio Ferreira da Silva, do 1º BPTran, escalado na Atividade Delegada, no Centro Velho, das 11:00 às 19:00 horas, passou mal e foi até a Base Comunitária M-45288, localizada na Praça da Sé. Foi solicitado apoio e o CGP II com a viatura M-45208, o socorreu ao PS Glória, dando entrada às 14:05 horas, com vida e entrando em óbito às 14:20 horas. O médico, Dr André Cedroni, CRM 95559, atestou o óbito e constatou que o policial foi vítima de parada cardiorrespiratória.

  • 131 D`Sousa // set 10, 2010 at 9:35 AM

    CPA/M-8 – REGIÃO DE OSASCO

    Fato: Disparo acidental envolvendo PM
    Nome dos PM: 2º Sgt PM 911783-A Julian Wesley de Souza Ramos, Sd PM 970792-1 Dagmar Saturnino da Silva, (M-14209)
    Dia: 09SET10
    Hora: 20:00
    Endereço: Rua Otavio Catelani, s/nº, Umuarama, Osasco
    Vítimas: Kauê Henrique Nascimento Conceição, RG 41.392.591-2, (ferido), Bruno Eduardo Souza Laje, npd (ileso)
    OPM: 14º BPM/M
    Cia: 2ª
    Vtr/PP: M-14113
    DP: Seccional
    Procedimento: BOPM nº 636/10, IPM nº 14BPMM-023/060/10 e BOPC nº 4673/10
    Histórico: O 2º Sgt PM Wesley, após uma abordagem policial em Kauê Henrique Nascimento Conceição, tentou guardar a pistola Taurus, calibre .40 nº SCR-81214 da PMESP no coldre e deixou cair. Ao pegá-la, efetuou um disparo acidental que atingiu o joelho esquerdo de Kauê Henrique. Socorrido ao PS Jardim de Abreu foi medicado e liberado.

  • 132 D`Sousa // set 10, 2010 at 8:38 AM

    Preço da vergonha
    Taxista deve ser indenizado por revista pessoal vexatória da PM
    Um cidadão não pode ser submetido a revista da polícia de maneira vexatória, sob a mira de arma de fogo, sem direito a apresentar documentos. Com esse entendimento, a 3ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de Santa Catarina condenou o Estado a pagar indenização por danos morais em favor do taxista Daltro Nascimento, que foi coagido pela Polícia Militar, ao retornar do seu trabalho. A sentença havia sido dada pela Comarca de Criciúma (SC), município do taxista.
    Segundo o relator da matéria, o desembargador Luiz Cézar Medeiros, a situação causou danos para além do patrimônio material e por isso o taxista mereceu reparação por danos morais.
    O profissional voltava de uma corrida no início da manhã de 13 de dezembro de 2003 quando foi parado.
    Os policiais Militares com as armas em punho, ordenaram que o trabalhador colocasse as mãos sobre o carro.
    Em seguida, o taxista foi submetido a uma revista minuciosa.
    O profissional disse não ter dado motivo para a ação e que se sentiu humilhado ao ser tratado como um bandido em público. A PM responsável pela ação alegou que a confusão foi feita na checagem das placas do veículo.
    A sentença determinou que o taxista fosse indenizado em R$ 5 mil.
    Apelação Cível: 2007.04315
    Revista Consultor Jurídico, 19 de novembro de 2007

  • 133 D`Sousa // set 8, 2010 at 1:44 PM

    Defesa

    Segundo o advogado do policial, Arildo Oliveira de Paula, seu cliente confessou ter atirado na vítima, mas afirmou ter agido “em legítima defesa”. De acordo com ele, o PM e os dois amigos deram uma versão diferente para o início da confusão: disseram que foram os jovens quem começaram a fazer barulho na lanchonete. E que o PM e os amigos pediram silêncio.
    “Meu cliente diz que ele e os amigos deixaram a lanchonete para evitar mais confusão e os dois rapazes ameaçaram o trio, fingindo estar armados. Ele atirou para se defender”, disse o advogado.
    Os amigos do PM foram ouvidos na condição de testemunhas e foram liberados. A Corregedoria da Polícia Militar abriu procedimento para apurar o caso. O escritório central do Habib’s não se manifestou sobre o caso.

  • 134 D`Sousa // set 8, 2010 at 1:44 PM

    Cliente morto a tiros por PM após discussão em lanchonete é enterrado
    G-1
    São Paulo – 06SET10
    Kleber Tomaz

    Auxiliar de 24 anos ia se casar em fevereiro; noiva passou mal no cemitério.
    Enterro foi hoje na Zona Leste de SP; PM preso alega legítima defesa.
    O corpo do auxiliar de estoque Felipe Augusto Brandão, de 24 anos, morto por um policial militar à paisana após uma discussão em uma lanchonete na madrugada de sábado (4) na Zona Leste de São Paulo, foi enterrado no início da tarde deste domingo (5).

    saiba mais

    Morto por PM após discussão em lanchonete ia se casar em fevereiro PM à paisana é detido por suspeita de atirar e matar homem em SP O sepultamento ocorreu no Cemitério da Saudade, na região de Ermelino Matarazzo, também na Zona Leste. Cerca de cem pessoas, entre amigos e parentes, acompanharam o cortejo, segundo o tio do jovem, Jair Brandão, tenente aposentado da Polícia Militar. “Na despedida, todos bateram palmas.”
    A noiva de Felipe chorou muito e passou mal durante a cerimônia. O casal namorava havia quatro anos e planejava se casar em fevereiro.
    O soldado da PM Eduardo Ribeiro Reis foi preso e levado ao presídio Romão Gomes, da Polícia Militar, na Zona Norte da capital. Ele foi indiciado por homicídio doloso e porte ilegal de arma.
    O crime ocorreu fora da lanchonete Habib’s da Avenida São Miguel, vizinha ao 24º Distrito Policial, da Ponte Rasa. Segundo a polícia, imagens do circuito interno de segurança registraram a confusão, dentro e fora da lanchonete. Os disparos feitos pelo soldado da PM já na calçada também foram filmados pelas câmeras do estacionamento. As imagens foram requisitadas pela polícia e serão utilizadas na investigação.
    De acordo com a polícia, a vítima e um amigo, o office boy Edson Miguel Sobrinho, de 20 anos, foram ao Habib´s a pé para comer um lanche. Sobrinho contou que, ao chegar ao local, viu três homens fazendo “algazarra”. “Eu pedi para eles pararem e os três partiram para cima de mim e do Felipe com socos e pontapés dentro da lanchonete.”
    O office boy disse que ele e o amigo foram orientados pelo segurança do estabelecimento a deixar o local porque os homens pretendiam continuar a briga. Eles saíram do lugar correndo. Mas os três foram atrás.
    Sobrinho afirmou que, em um determinado momento, o amigo já não o acompanhava. Ao voltar para ver o que tinha ocorrido, notou que Brandão já estava caído, baleado.
    Policiais do 24º DP chegaram rapidamente ao local após serem avisados da confusão por funcionários do Habib’s e ouvirem os tiros.
    O policial Reis foi preso pela PM a poucos metros do local, dentro de um carro. Ele foi levado ao 24º DP para prestar depoimento. Afastado por licença médica devido a um acidente de moto, ele não estava trabalhando. De acordo com a polícia, o PM usava um revólver do irmão dele.

  • 135 D`Sousa // set 1, 2010 at 8:40 AM

    Não sou GCM, sou cidadão e quero ser protegido por uma Polícia Cidadã e não por Policiais Militares, que nem são Cidadãos e nem tampouco militar; são serem deformados que vivem e tentam trabalhar numa seara que não são uma coisa e nem outra.

    Os iguais devem cuidar dos iguais e os desiguais dos desiguais, está é a regra.

    Ah e tem um monte deles passando fome, na ativa reprimem as GCM e na reserva vão pedir emprego lá…uma vergonha..

    Só isto!!!

  • 136 D`Sousa // ago 31, 2010 at 9:07 AM

    NAPOLEÃO BONAPARTE CLASSIFICAVA SEUS SOLDADOS EM 04 TIPOS DE PESSOAS:
    01. Os inteligentes com iniciativa;
    02. Os inteligentes sem iniciativa;
    03. Os ignorantes sem iniciativa;
    04. Os ignorantes com iniciativa.
    . Aos inteligentes com iniciativa, Napoleão dava as funções de comandantes: gerais, estrategistas, etc.
    . Aos inteligentes sem iniciativa, Napoleão os deixava como oficiais que recebiam ordens superiores, para cumpri-las com diligência.
    . Aos ignorantes sem iniciativa, Napoleão os colocava à frente da batalha: para serem “buchas de canhão”.
    . Os ignorantes com iniciativa Napoleão desprezava; não os queria em seus exércitos…
    – Um ignorante com iniciativa é capaz de fazer enormes besteiras e depois, dissimuladamente, tentar ocultá-las.
    – Um ignorante com iniciativa faz o que não deve, fala o que não pode, envolve-se com gente inadequada e depois diz que de nada sabia.
    – Um ignorante com iniciativa faz perder boas idéias, bons projetos, bons clientes, bons fornecedores, bons homens públicos.
    – Um ignorante com iniciativa produz sem qualidade, porque resolve alterar processos definidos e consagrados.
    – Um ignorante com iniciativa é, portanto, um grande risco para o desenvolvimento e o progresso de qualquer empresa e/ou governo.
    Normalmente você é capaz de identificar os 04 tipos que estão presentes na sua vida, na sua empresa ou na Instituição que trabalha. E toma suas decisões sobre eles.

    Olhe a sua volte e tire as conclusões

  • 137 Arthur // ago 30, 2010 at 8:03 PM

    KKK,
    Essse tal de D’ Sousa (GM) que transcreveu alguns trechos jornalísticos é muito engraçado…kkkk…. Será que ele acha que nós cidadãos vamos acreditar que todos são iguais, por causa de atos isolados de alguns maus profissionais?
    Pelo jeito, deve “pensar” que acreditamos em papai noel e fada madrinha…kkkkkk

  • 138 D`Sousa // ago 29, 2010 at 3:01 PM

    Capitão do caso Rafael Mascarenhas é preso
    Jornal da Tarde – 28AGO10
    Priscila Trindade

    O capitão da Polícia Militar, Lauro Moura Catarino, que julgava os PMs acusados de receber propina do caso Rafael Mascarenhas, filho da atriz Cissa Guimarães, está preso na unidade prisional da PM, em Benfica, no Rio de Janeiro. O oficial foi afastado da função.
    Ele e o também capitão da Polícia Militar Marcelo Queiroz dos Santos, são acusados de participação em uma quadrilha que furtava cabos de fibra ótica na zona sul da cidade. Os dois prestaram depoimento na manhã de sexta-feira, 27, na 9° Delegacia, no Catete.
    O Comandante Geral, Mário Sérgio de Brito Duarte, pediu que se inicie imediatamente um processo disciplinar com vistas à demissão dos oficiais. Em nota, o comandante diz que “não vai esperar sequer o resultado das investigações por parte da Polícia Civil”.
    Duarte também ordenou que o caso seja tratado com máxima prioridade, “porque é inadmissível que policias pagos com dinheiro público para proteger a população e os bens privados e públicos sejam covardemente seus dilapidadores”.
    Mascarenhas morreu na madrugada de 20 de julho, quando andava de skate com amigos no Túnel Acústico, na Gávea, na zona sul da cidade.

  • 139 D`Sousa // ago 27, 2010 at 8:01 PM

    Pior de Todas.
    PMESP paga um péssimo salários aos “meganhas” e quer que as Prefeituras que já pagam: água, luz, telefone, aluguel, combustivel, alimentação, etc..
    Oague também outro salário aos Milicos pela chamada “função delegada” é mole.
    Outra vergonha nacional São paulina.

  • 140 D`Sousa // ago 27, 2010 at 7:58 PM

    Policiais são presos por exploração de bingos

    * 27 de agosto de 2010 Jornal da tarde
    * 12h24 |
    * Tweet este Post

    Categoria: Polícia

    Quatro policiais, três civis e um militar, foram presos na manhã desta sexta-feira, 27, acusados de envolvimento com exploração de bingos clandestinos em São Paulo. Além das prisões, os policiais apreenderam documentos e dinheiro com os suspeitos.

    Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), uma delegada e um investigador da 34°DP, de Vila Sônia, uma perita do Instituto de Criminalística (IC), e um policial militar foram detidos em suas residências, durante cumprimento de mandados de prisão e de busca e apreensão. (Solange Spigliatti)

  • 141 IN OFF // ago 27, 2010 at 2:29 PM

    RSRSRS!!!Melhor….Rapidinho!!!
    Eu hein!!!

  • 142 IN OFF // ago 27, 2010 at 2:28 PM

    Este ‘rapinho” seria de madrugada!!!???
    A GM devia pelo menos entregar uma “C”!!!
    Eu hein!!

  • 143 BAADER MEINHOF // ago 27, 2010 at 10:23 AM

    Uns 3 ou 4 dias depois, estava subindo a rua lateral ao Museu e, na esquina da Delfim Moreira, onde tem uma farmácia, havia um veículo parado na faixa amarela, com a traseira do carro quase fechando a rua. Pra minha surpresa, um GM estava do outro lado da rua, assistindo a toda situação, sem nada fazer. O motorista apenas avisou que seria “rapidinho”. Não pude entrar na Delfim Moreira devico ao bloqueio causado pelo “motorista brasileiro mais esperto e melhor que os outros, que não precisa cumprir leis…” .
    Enfim, após presenciar em pouco tempo essas duas situações claras de IMPUNIDADE, pergunto: alguém aí poderia, por gentileza, me dizer PRA QUE SERVE A GUARDA MUNICIPAL ? ? ?

  • 144 BAADER MEINHOF // ago 27, 2010 at 10:23 AM

    EIS A RESPOSTA: “SE EU FOR MULTAR TODO MUNDO QUE FAZ ISSO AQUI NESTA ESQUINA, FICAREI O DIA TODO EMITINDO MULTA…” . Em seguida, insistiu pra que eu enfiasse meu carro “pelo canto” pra entrar na avenida também…

  • 145 BAADER MEINHOF // ago 27, 2010 at 10:22 AM

    Neste momento, avistei um GM na mesma esquina, e fiquei aguardando alguma atitude/ação do mesmo. Como nada foi feito, coloquei a cabeça pra fora da janela e gritei o GM, mostrando pra ele o que estava acontecendo.

  • 146 BAADER MEINHOF // ago 27, 2010 at 10:21 AM

    Estava eu passando ao lado do posto Britos, para adentrar a avenida principal, qndo um “brasileiro mais esperto que os outros” cortou todos os carros pela direita, eentrou no posto para em seguida entrar na avenida.

  • 147 D`Sousa // ago 27, 2010 at 8:17 AM

    Esta é a PM preparada….

  • 148 D`Sousa // ago 27, 2010 at 8:16 AM

    Da Agência Record

    Um estudante de 22 anos morreu após ser baleado por um soldado da Polícia Militar, por volta das 12h desta quinta-feira (26), na praça Vila de Sintra, na região da Vila Sônia, zona sul de São Paulo. O policial, que trabalha no 16º Batalhão, responderá por homicídio culposo (sem intenção de matar).
    Segundo a família, Danilo Righetti da Silva estava na praça na companhia de alguns amigos, quando uma viatura da Polícia Militar fez a abordagem. Assustados, alguns deles tentaram fugir. Danilo ficou e acabou sendo atingido por um tiro na cabeça.
    O jovem chegou a ser levado pelos policiais para o Family Hospital, em Taboão da Serra, na Grande São Paulo, mas morreu. Ainda segundo parentes, o disparo teria sido realizado de cima para baixo. A ocorrência foi registrada no 89º Distrito Policial.
    Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Militar, o disparo foi acidental. O policial deve ser levado para o Plantão de Polícia Judiciária Militar, no bairro do Rio Pequeno, na zona oeste da capital, informou a PM.

    O que diz a polícia

    Em entrevista à Agência Record, o capitão Edinaldo Soares Alexandre, comandante da 5ª Companhia do 16º Batalhão da Polícia Militar, da qual faz parte o policial que matou Danilo, disse que a praça costuma ser frequentada por usuários de droga e que é comum a PM receber denúncias de moradores da região.
    Durante patrulhamento, os policiais viram Danilo com um grupo de amigos na praça. Na abordagem, diz o capitão, foi encontrado um cigarro de maconha no bolso do rapaz. Um dos PMs o informou que teria de levá-lo à delegacia, mas Danilo virou as costas e caminhou para fora da praça, conta o comandante. Quando o policial tentou conter o estudante, houve o disparo acidental, segundo Edinaldo Soares.

  • 149 D`Sousa // ago 27, 2010 at 8:16 AM

    Justiça manda prender 14 PMs suspeitos
    .publicado em 26/08/2010 às 17h06:

    Da Agência Record.Texto:

    …A Justiça Militar decretou a prisão preventiva de 14 policiais militares que fazem parte do Comando de Policiamento do Interior 1, que cobre a região do vale do Paraíba, litoral norte e serra da Mantiqueira. Todos os mandados já foram cumpridos nesta quinta-feira (26).

    Segundo a Polícia Militar, a prisão só foi possível depois de denúncia de que policiais estavam envolvidos em atividades ilícitas, entre elas o esquema de caça-níqueis. Há indícios de que outros agentes tenham participado do esquema. Os 14 presos devem ser conduzidos ao presídio Romão Gomes, em São Paulo.

    O número de policiais envolvidos pode ser maior. As informações são da Polícia Militar, que não deu detalhes do esquema, porque o processo corre sob segredo de Justiça.

  • 150 SANDRO MENEZES // ago 18, 2010 at 8:13 AM

    Esses entendidos…
    Aguarda municipal tem o poder de policia.
    Acho que falta para algumas destas pessoas que postaram seus comentarios aqui e informação, eu li uma materia em um blog e fiz questao de posta aqui.
    Leiam e comentem….vamos ver o que vcz acham

    http://guardamunicipalimbe.blogspot.com/

  • 151 waldomiro // jun 14, 2010 at 7:27 AM

    Esse negocio de guarda municipal nunca achei normal ou legal, policia é policia, e guarda o nome já diz é guada, é só pra guardar e vigiar.
    E quanto ao comentario do amigo que diz que tem que dar arma para a GM, ele esta totalmente errado, quem tem que usar arma é a policia, guarda é só pra guardar e avisar a policia do que esta á acontecer.

  • 152 Marcos // jun 7, 2010 at 9:59 PM

    Quem muito diz, tem pouca ou nenhuma razão. Se você precisar falar que tem autoridade, é porque não tem. Entenderam?

  • 153 Mauro // jun 3, 2010 at 5:46 PM

    Pobres coitados dos Guardas… Além de ganharem mal e serem discriminados pela sociedade, ainda não tem identidade, ou seja, o que são? Guardas Municipais, Guardas Civis, Policiais Municipais, Policiais, Força Pública Municipal, etc, etc.

  • 154 CAPITÃO CAVERNA // mai 22, 2010 at 6:28 PM

    ESSA GM, É INOPERANTE, INEFICIENTE, DISPENDIOSA, E UM PESO MORTO PARA VARGINHA. NÃO SOU MILITARE NEM POLITICO, MAS ATÉ HOJE, EU NÃO ENTENDO, QUE ESSA GM. TROUXE DE BOM PARA VARGINHA<( SÓ DESPESAS, PARA A PREFEITURA)OBS. SÃO, NA MAIORIA DFE T. PONTAS, E. MENDES EATÉ DE NEPOMUCENO. ESTOU COM A PM. ( MELHOR POLICIA MILITAR DO BRASIL). NEM EM PORTAS DE ESCOLAS CAIC-1 E CAIC-2, QUE SÃO DO MUNICIPIO, É POSSIVEL, UM DESSES GUARDAS.

  • 155 carlos a sousa // mai 22, 2010 at 3:46 PM

    Diante da inércia do Corregedor PM em apurar as condutas delitivas dos PM na baixada santista o Secretário de Segurança Pública exonerou-o do cargo, indo em seu lugar o Cel Admir Gervásio Moreira, que já foi capitão PM na Correg em meados de 1997.

  • 156 carlos a sousa // mai 18, 2010 at 8:01 AM

    http://noticias.r7.com/videos/violencia-de-policiais-militares-assusta-moradores-de-sao-paulo/idmedia/16197c0f45232b7862d7059279999f9d.html

    para não se esquecer…..

  • 157 carlos a sousa // mai 13, 2010 at 2:49 PM

    No JT desta data, 13MAI10, na página 6-A JT CIdade, há a seguinte chamada “MP investiga curso de tiro dado por Major” segundo a nota o Oficial PM usava armas, coletes, viaturas, pessoal e equipamentos do Estado, para ensinar pessoas estranhas a PM a dar tiros se ordem de superior. O MP instaurou IC, de ordem do GAECO para apurar a situação. Solicitaram dados sobre as armas de fogo, as munições(fartas) escalas de serviços, etc., o Cmdo Geral PM foi chamado a se manifestar…

    Enquanto isto há PM sem coletes, sem munição, trabalhando em bases que parecem pardieiros, como p.ex. uma das Bases da PM de SCSul.

    Uma vergonha, aliás outra vergonha!!!

  • 158 carlos a sousa // mai 11, 2010 at 1:09 PM

    Sábado usando de ardil, os pusilânimes PMs do 22º BPMM, Zona Sul assassinaram mais um cidadão negro motociclista.
    Pra arredondar a ocorrência intrujaram uma arma fria. revólver magnum, no corpo morto.
    O Comandante que segundo o Secretário de Segurança do Estado, mais assassino(na forma pusilânime efetuada por PMs) do País, com as seguintes mortes/ano: 495/06, 377/07, 371/08 , 524/09 e até agora 214/10, não tinha comando sobre a tropa que disse ao JOrnal Estado: ” Oficial não deve ser decorativo, deve cuidar da disciplina da tropa, orientá-los e cobrar os atos de seus subordinados”; e disse ainda que os comandantes afastados serão maçanetas, ou seja, ficarão nos serviços internos adminsitrativo até a reforma.
    Uma pena acho que incompetentes deveriam ser demitidos e ficar na fila do desemprego pra sentir na pele. Ou então ser Motoboy e viver sendo abordado por maus policiais que estragam a imagem de qualquer instituição.
    Outra Vergonha!!!!

  • 159 carlos a sousa // mai 9, 2010 at 2:26 PM

    Polícia de Sampa está sitiada, foi só o PCC ameaçar atacar e a PM voltou a se esconde rnos quartéis, hoje passei por 12 cidades e vi pouquissimas Vtr PM, no entanto os Verdadeiros Heróis, os GCM, que não fazem crocodilagem nas ocorrências, logo tratam os infratores dentro da normas legais, estão trabalhando normal, sem medo de represálais, sem se acovardar, se esconder nos quarteis e deixar o Povo a Mercê da Sorte.
    Uma vergonha.

  • 160 carlos a sousa // abr 29, 2010 at 10:35 AM

    A Segurança Estadual no Brasil, mormente em São Paulo, s emostra como era em Nova Iorque em meados da década de 60, na qual nasceu a figura de Sérpico, o único Policial honesto que existia e ele descobriu isso após várias denúncias aos seu superiores, que via de regra, também eram “bandidos” pois havia um verdadeira máfia instalada naquela polícia. Assim toda a corporação foi desmontada e partiram do zero, de modo a descontaminar a instituição.
    A Biblia também relata uma passagem depurativa importante: é o caso da travesia do deserto, todos sabemos que se leva a pé, no máximo 40 dias para atravessá-lo, mas o lider, querendo salvar os futuros futuros daquela nação preferiu gastar 40 anos, de modo que os “viciados” morressem e com eles os seus vicios e assim teria a concepção de um Povo Novo.
    Neste sentido precisamos depurar os organismos de Policia Ostensiva que ao meu ver estão contaminados, destruir tudo de modo que “ordo ab caos” e assim uma nova ordem se eleve e tenhamos policiais comprometidos com a busca séria de segurança urbana e não de se locupletar pelas desgraças alheias.
    Sem contar que a maioria dos Oficiais de Alto Posto das PM quando na ativa nas milicias criticam, tentar destruir, prender, mazelar as Guardas Civis Municipais e ai aposentam e correm atras dos Prefeitos e das Autoridades para arrumarem empregos nas Prefeituras, nas Guardas Civis, nas Ouvidorias, Corregedorias, etc.. Exmeplo clássico e vergonhoso dá-se em São Paulo, é só pesquisar, os altos cargos da municipalidade bandeirante está barrotada de Majores, Coroneis, Tenentes Coroneis e toda sua trupe, não deixam os estado crescer e aidna tolhem de outros a possibilidade de emprego.
    Uma Vergonha que precisa ser mudada…Urgente senão nascerão novos Sérpicos.

  • 161 Ariovaldo C.do Couto // abr 26, 2010 at 6:37 PM

    Creio que a resolução do problema está,antes de tudo,em não deixar nossas mentes à mercê dos comentários que bem sabemos são plantados por gente inteligênte,para distração e atrazo das resoluções!Nas próximas eleições,torna-se nescessária a formação de frentes informativas,que apontem na direção principalmente,de Drs.Delegados,Policiais Militares,e,alguns políticos donos de Emprezas de Vigilância,que como a maioria de nós sabemos,as GCMs representam risco e perda de lucratividade! É preciso buscar e formular argumentos à época dos eleições de defeza contra esses(que sempre apelam defender o emprêgo,mas que por detráz desse brilho defensivo…)que tudo o que importa,é a fatura!
    Está na hora de não mais nos importar-mos,e devotar toda a atenção a busca incessante de resultados,que podem e devem começar pelo Vereador no nosso bairro,Deputados e Srs.Senadores representantes dos estados e da União!A pior resposta aos nossos detratores,é o desprezo,mas virar as costas aos mesmos!

  • 162 carlos a sousa // abr 24, 2010 at 6:45 PM

    rsrsr Nepomuceno um dia a casa cai…eu gostumo dizer que a PM é como o Império Romano, faz e acontece, mas um dia so restará dela o que restou do SPQR, o colisevm…

  • 163 José Luciano Nepomuceno // abr 23, 2010 at 9:49 PM

    Hoje caiu a casa, a Dra. Elizabeth Sato deixou claro na entrevista que vai fritar os PMs do 9M na gordura quente pelo homicidio do rapaz na sede da CIAPM ao lado do DP da Casa Verde, a se pudesse voltar no tempo em que era escrivão no DP da Casa Verde, aproveitava para acertar a conta da surra na frente do Palacio dos Bandeirantes.

  • 164 carlos a sousa // abr 23, 2010 at 7:58 AM

    Pior, Nepomuceno, esta é fria e pura verdade, ams infelismente ainda tem pessoas que pra entender deve ser escrioto com letras GARRAFAIS.
    E não poderia deixar de citar a barbarie cometida por PM da área do 13 DP, que mataram covardemente um jovem negro e depois jogaram o corpo na via pública pra outra VtrPM encontrar.

    Canalhas, Covardes e Crueis.

  • 165 José Luciano Nepomuceno // abr 22, 2010 at 10:47 PM

    Nobres debatedores, a questão das Guardas Municipais já foi pacificada pelos doutos estudos do Dr. Pedro Abromovay, Secretario Executivo da Secretaria Nacional de Segurança Pública – SENASP.

    1. As Guardas Municipais são policias de natureza administrativa;

    2. As Guardas Municipais são corporações públicas, mantidas pelos governos municipais e como tais tem todos os privilègios das demais policiais, observando-se apenas a estrutura mais convêniente a cada uma das Prefeituras Municipais;

    3. Os Guardas Municipais tiveram suas funções regulamentadas pelo Codigo de Ocupações, estão com suas tarefas bem delimitadas, tais quais as Policias Civil e Militar;

    4. A destinação constitucional das Guardas Municipais está em aberto na CF, observem que a Lei regulamentadora não foi editada até a presente data e essa lei é de cunho federal;

    5. Nenhum bandido foi solto até a presente data por haver sido preso por integrante das Guardas Municipais, observem a maciça jurisprudência formada a respeito;

    6. A ação das Guardas Municipais é legitima e deve ser respeitada, os excessos fazem parte de particularidades cometidas em todas as policias, quem somos nos para julgar aquilo que não vimos;

    7. As PMs são rançosas e isso é evidente em todos os lugares, quem não se lembra do embate defronte o Palácio dos Bandeirantes em SP?. até hoje carregamos as marcas daquela sova que nos foi dada pela PM Paulista a serviço do Zé Careca, que agora quer ser Presidente do Brasil, se ele vencer, vocês Guardas Municipais estão dentro d’agua literalmente, conservador maldito;

    8. Vão em frente e sentem o pau na bandidagem, bandido bom é bandido morto ou preso (Paulo Salim Maulf ).

  • 166 Carlos A. Sousa // abr 22, 2010 at 4:33 PM

    Como bem lembrado pelo Colega Alirio Vilas Boas, Nobre Oficial da Reserva do Exército Brasileiro, Pedagodo, Contador, Advogado, Ex-Cmt da GCM de São Caetano do Sul (onde sua passagem foi um marco de mudanças e quebras de paradigmas, fazendo daquela GCM uma marca de bons serviços prestados à Sociedade do ABC Paulista). A Segurança Pública ofertada aos cidadãos está a beira da saturação, não há muito o que se comemorar, a cada dia dá mais e mais sinais de falência e observem que o tema é novo, ele nasce com o advento da Constituição de 1988, antes dela o que buscava no Brasil era a Segurança Nacional, inclusive àquela época o Pais era Unitário, os Governadores, Prefeitos, Senadores, Deputados, etc., eram biônicos, eram verdadeiros bonecos ans mãos do Poder Central.
    Com a chegada da Nova Carta(CF/88) os municípios, os estados-membros e o distrito federal, galgaram a sua carta de alforria e assim obtiveram a chamada autonomia politica-administrativa(art. 1º e 18), dessa feita passaram a ter autogestão autodomínio. Fato que os Estados-Membros não querem aceitar – vede as politicas de Segurança Pública vigentes.
    Neste cenário evolutivo o tema Segurança Pública igualmente a Segurança Nacional ficou obsoleto e surge uma nova nomenclatura SEGURANÇA URBANA e isto tudo dentro de um sistema único de segurança no qual todos os entes federativos devem ter sua parcela de participação e, dentro desse mister, todos os organismos dos entes estatais(municipais, estaduais, distrital e federal) devem contribuir para que obtenhamos a Segurança Urbana, que não se retringe apenas as Politicas de Segurança Policialescas, ou seja, Segurança Pública.
    O Direito e a Sociedade são dinâmicos por excelência e na obra “Segurança Urbana” do insigne Alírios Vilas Boas há a mostra e a prova disto tudo.
    Precisamos repensar o Brasil e deixar de lados demagogias e hipocrisias.
    A Segurança deve ser Municipalizada não apenas às GCM mas para dar suporte a toda População, ademais o Povo mora, reside, trabalha, produs nas cidades. O Estado-Membro é mero arrecadador de impostos, ele nada produs, nele ninguém reside. Ele de nós tudo tira, façamos uma reflexão: “para que realmente serve o Estado-Membro~?” senão para galfar os tributos dos municipios e redistribuí-los em parcelas desiguais.
    Pra que serve um Deputado Estadual??
    Pela nova forma de Estado Brasileiro(Estado Democrático e Social de Direito) a ligação Município/União é muito forte e desnecessária a presença do Estado.
    Por derradeiro, se os municípios deixar de pagar as contas de Água, Luz, Telefone, Aluguel, Combustivel, etc. das repartições estaduais, delegacias, foruns, ciasPM, BtlPM, etc.. com certeza sobraria mais dinheiro para os municípios servirem seus Povos.

    Na verdade o Estado sorri com apiada dos municípios.

  • 167 ALÍRIO VILAS BOAS // abr 22, 2010 at 3:51 PM

    SEGURANÇA URBANA

    Ao longo da história, a segurança pública colocada à disposição dos brasileiros vem mostrando a sua participação ativa em defesa do cidadão. Hoje o sistema existente chega à beira da saturação, e para atender às necessidades atuais é preciso ações, estudos e reflexões sérias sobre segurança e, acima de tudo, vontade política para que a população seja despertada para a necessidade de seu envolvimento no tema. Assim, por que não viabilizar a municipalização gradual dos serviços de defesa social, quiçá a segurança urbana seja contemplada. O exercício da cidadania depende da não-omissão, cujo modelo atual não corresponde aos anseios da população, tem-se a necessidade de mudança, porém, com ordem e sem violências. Os municípios podem criar sua própria Polícia (Guarda Civil Municipal), A responsabilidade recaindo sobre os ombros dos governantes locais estimulará seus gestores na busca de soluções, cuja omissão reflete diretamente nas urnas. Idéias todos têm e emite, o que realmente importa, sem falsa demagogia, é o ser humano com suas virtudes e defeitos atuando juntos. No campo de segurança, o certo é que, mais cedo ou mais tarde, a municipalização das ações básicas de segurança pública virá. No que tange à competência, várias autoridades com poder de mando vêm sendo instadas a reexaminar a excessiva concentração de poderes da União num só segmento social, quem sabe conseguirão levar a revisão constitucional.

    São Caetano do Sul, 22 de abril de 2010
    Alírio Vilas Boas

    Texto extraído do Livro “Segurança Urbana – Gestão Municipal”, de, de minha autoria. http://www.segurancaurbana.com.br

  • 168 Ariovaldo C.do Couto // abr 22, 2010 at 12:14 PM

    Infelizmente o que se nota,observando alguns cometários à proceder,pelo vocabulário e o uso gráfico das palavras,e outras expressões;uma defasagem na estrutura cognitiva de debatedores e depreciadores da(hoje instituiçao)G.C.M.Eu cito o “MESTRE e SENHOR da verdade ” JESUS”,que respondeu aos apelos e excesso de zelo de alguns de seus discípulos(ciumes)incomodados por outros pregadores do outro lado do Rio Jordão:Quem não é contra nós é por nós!!!.De forma; que não se torna nescessária tanta reflexão, sobre um assunto que sob a lente dos abalizados e todos que militam na área da justiça,pela simples leitura dos códigos(incluo a jurisprudência)à saber o que está implícito(para os sábios)e não se encontra exposto graficamente,que toda a segurânça em qualquer paíz,ocorre em função do maior dos PATRIMÔNIOS,a VIDA!!!

  • 169 carlos a sousa // abr 22, 2010 at 10:13 AM

    Lendo nossa Carta Maior de forma sistêmica, chegamos a fria conclusão que as Forças Policiais Militares do Brasil são VERDADEIROS ELEFANTES BRANCOS, elas possuem boa estrutura(diga-se de passagem a PM de São Paulo surrupiou da antiga Guarda Civil em meados de 1970); bom treinamento, boa formalidade “extralei”; Tribunal de Exceção, bons profissionais. No entanto suas atividades se limitam ao Policiamento Ostensivo Preventivo e Manutenção da Ordem Pùblica.
    Ostensivo(se mostrar atraves de Viaturas e equipamentos) e atraves dessa ostensividade previne o crime(ou pelo nenos deveria – a criminalidade assola o País) e a Ordem Pública está mantida.
    No demais as GCM são Policias Especiais, que tratam do filé da Sociedade: Bens(art. 98/99 CCB), Instalações, Serviços(art. 144 CF/88 – “caput”) e com exclusividade Gerenciar o Bem Estar da Populações(art. 182 – CF/88). Ademais ficar massageando “malas” é coisa pra PM mesmo.
    Há e Policiamento exclusivo cabe somente à Polícia Federal. o Decreto Federal 667/69 foi derrogado pela Carta Maior.

    É triste, mas a PM é um mero Elefante Branco, doa a quem doer. Exceto se mudaram a Constituição.

    Por derradeiro, o CIDADÃO ser protegido por POLICIAL MILITAR que nem cidadão é. é uma aberração que precisa ser corrigida urgentemente.

  • 170 carlos a sousa // abr 22, 2010 at 10:00 AM

    Uma vergonha, enquanto as autoridades policiais de todas as esferas se digladiam sob competências; o crime assola o país.
    Não existe criminoso estadual, municipal ou federal, a eles não há formalidades e ne regras estatais, assim eles agem de todas as formas e em todas as esferas e muitos são desorganizados.
    Já as polícias, principalmente as Militares, que nem cidadão sequer são, querem tolhir direitos de cidadãos e pior ainda tolhir o direito do cidadão ter segurança ofertada por Polícia Cidadã.
    Na verdade o Brasil precisa passar por uma gigantesca máquina de lavar. extirpar podridrões e canceres que estão matando a esperança de Segurança Urbana em prol dos Coronéis e seus Cães de Guarda manterem a Segurança Pública como forma de Privada, nos dois sentidos: para ganhar muito dinheiro com a insegurança generalizada e fazer as m… que estamos acostumados…

    “Isto é uma Vergonha”: diria Boris Casoy.

  • 171 NAVAL // abr 21, 2010 at 9:06 PM

    É POR ISSO QUE EM TODO O BRASIL AS GUARDAS MUNICIPAIS A CADA DIA CAI NA PREFERÊNCIA DO POVO, PORQUE AS PMs NUNCA CONVENCE NINGUÉM DE SUA INCONPETENCIA NA SEGURANÇA PÚBLICA.
    VIOLENCIA REQUER PREVENÇÃO, GUARDAS MUNICIPAIS, JÁ!
    NAVAL

  • 172 GCM Juvenal // abr 21, 2010 at 7:34 PM

    Sou totalmente a favor da Guarda Municipal de Varginha , aqui em Cruzeiro Sp, nos estamos em harmonia com a PM , em varias situações fomos apóidos por eles. Tenho parentes no bairro de Sion e sei que se não se entenderem a cidade ficará sem as sua sprincipais forças. Resolvam essa numa boa será mehor a todos .

  • 173 GCM Sebastião // abr 21, 2010 at 7:26 PM

    Senhores estou com a GCM de Varginha, isso ai tá me parecendo ciumes da PM, tem bandidos pra todo mundo, não precisa de briga é só ter companherismo.
    Um abraço da GCM de Cruzeiro/SP

  • 174 INSPELVIS // abr 21, 2010 at 3:34 PM

    ASSISTA A LINHA DO TEMPO E ENTENDA !

    http://www.youtube.com/watch?v=MSW-M1UnSQA

    ESSE POWER POINT PODE SER ADQUIRIDO GRATUITAMENTE POR E-MAIL.

    gcmelvis@gmail.com

    PEÇA O SEU !

  • 175 INSPELVIS // abr 21, 2010 at 3:27 PM

    Em resposta ao “CONTATO”, as Guardas Municipais chegaram ao BRASIL juntamente com a Familia Real, em 1808, as origens das Guardas Municipais remontam a Divisão Militar da Guarda Real de Lisboa, o modelo implantando pelo Rei Dom João VI de GUARDA MILITAR, só perdurou até 1.826 quando estes se rebelaram e tantaram tomar o poder, o então MAJOR E.B. LUIS ALVES DE LIMA E SILVA, prendeu os revoltosos e o Rei achou por bem EXTINGUIR A MÃE DAS PMS por D E C R E T O R E A L ! foi criado o CORPO DE GUARDAS MUNICIPAIS PERMANENTES DO REINO DO BRASIL, corpo policial de natureza civil, mas hierarquizada e uniformizada, encaregada de manter a ordem na cidade do Rio de Janeiro, portanto Sr. “CONTATO” temos mais tempo de casa que V.Sª. sã ignorância dos fatos e da história possam compreender, AS POLICIAS MILITARES BRASILEIRAS tem suas origens no CORPO DE GUARDAS MUNICIPAIS PERMANENTES, pesquise sobre o BATALHAO VOLUNTARIOS DA PÁTRIA, que lutou na guerra do Paraguay (isso mesmo, com psilone), Batalhão formado quase que exclusivamente por GUARDAS MUNICIPAIS PERMANENTES que foram a guerra a convite do Duque de Caxias, leia o discurso do insgne patrono de nosso Exército Brasileiro, quando se despediu do comando do CORPO DE GUARDAS MUNICIPAIS PERMANENTES no Quartel dos Barbonos no RJ, que emocionante, que maravilhoso, ele afirmou que COMANDOU HOMENS, BRAVOS, VALOROSOS, DISCIPLINADOS, FIEIS A PATRIA E AO REI, Guarda Civil Municipal para SEMPRE, !!!! saudações em AZUL MARINHO !!!!!

    LEI MAIS SOBRE O ASSUNTO EM:

    http://www.inspetorelvis.com.br

    DEIXEMOS A IGNORANCIA PARA OS NÃO ILUMINADOS PELO SABER !

  • 176 cont(ato) // abr 7, 2010 at 9:41 PM

    Seu Presidente da Abraguardas ha quantos tempo existe a GM em conparação a PM?

  • 177 José Luiz // abr 7, 2010 at 7:21 PM

    Guarda Municipal é polícia de direito e de fato
    * Eziquiel Edson Faria

    Recentemente vemos diversos PM’s se julgando especialistas no assunto, gerando entrevistas e artigos falando das Guardas, sem nenhum dado técnico, somente com meras expressões pessoais e com a clara intenção de promover uma infame campanha para denegrir a imagem dos Guardas Municipais como policiais.

    O que temos a esclarecer é que a GCM é POLICIA de fato e de direito pelos seguintes órgãos:

    1° – Pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo em mais de 900 Acórdãos que são decisões de 2° instancia, em casos de prisões realizadas por GCM’s, nas quais nossos Juízes Desembargadores decidiram que o GCM é policial e tem o dever de atender ocorrências policiais de roubo, furto, trafico de drogas e outras e que o depoimento do GCM goza de legitimidade tanto quanto o depoimento de outros policiais (Acórdãos TJ – SP n°’s: 02083138, 02083466, 02088024, 01988357).

    2° – Pelo DEIC – Policia Civil que em matéria jornalística sobre os primeiros ataques do PCC em 2/12/2003, afirmou que a GCM é órgão da hierarquia policial.

    3° – Pela OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) que afirma que o GCM é policial portanto está impedido de exercer advocacia.

    4° – Pelo Ministério do Trabalho que regulamentou a profissão de GCM como função policial, incluindo no Código Brasileiro de Ocupações CBO (2008) sobre o código 5172-15 (funções policiais) e traz em a descrição diversas atividades policiais, tais como: Efetuar Prisões em Flagrante; Prevenir Uso de Entorpecentes; Realizar Operações de Combate ao Crime Em Geral; Transportar Vítimas de Acidentes; Prestar Segurança na Realização de Eventos Públicos; Escoltar autoridades; Promover Segurança nas Escolas e imediações; Fazer Rondas Ostensivas em Áreas Determinadas; Deter Infratores para a Autoridade Competente; Abordar Pessoas com fundadas suspeitas.

    5° – Pelo Ministério da Justiça através do Estatuto do Desarmamento (lei 10.826/03) que considera a GCM como órgão policial, e exige formação policial com no mínimo 640 horas, Corregedoria, Ouvidoria, exames periódicos e cursos de aperfeiçoamento anual.

    6° – Pelos Juizes e Promotores que validam a função policial da GCM, dizendo que o GCM exerce função semelhante as do PM, sendo imprescindível que ande armado para defender os munícipes e a si próprio (processos: n° 050.04.081810-1, n° 050.04.065947-0, n° 050.04.025797-5 e n° 050.05.003739-0).

    7° – Pelo Metro (resolução 150/87) ao conceder isenção de passagens aos GCM’s por afirmarem ser o GCM policial do município.

    8° – Pelo Presidente do TJ SP que proibiu a greve dos GCM’s de São Paulo por serem funcionários policiais. 9° – Pela correta interpretação do artigo 144 da CF, principalmente no que diz seu parágrafo

    9°, que afirma que todos os órgãos citados no artigo 144 são órgãos policiais o que inclui a GCM.

    Sendo assim é inquestionável o poder de polícia dos Guardas Municipais o que existe na realidade é uma ação dos oficiais da PM que consideram as Guardas como CONCORRENTES FUNCIONAIS e tem na realidade medo de perder espaço político, poder e status, e se preocupam mais em denegrir a imagem das Guardas do que cuidarem do próprio quintal, pois se as Guardas cada vez mais se firmam como órgãos policiais é por culpa da ineficiência da Policia Militar em cumprir com suas obrigações constitucionais, ou seja as Guardas existem porque a PM não faz sua lição de casa ou será que estamos em uma sociedade sem crimes e sonegada.

    O medo é cada vez maior na sociedade que está a mercê dos bandidos isto é culpa das falhas constantes da PM, portanto não só no aspecto legal mas até no aspecto moral fica difícil de algum oficial da PM falar mal das Guardas Municipais.

    Eziquiel Edson Faria é presidente da Abraguardas – Associação Brasileira dos Guardas Municipais.

  • 178 edson giesteira // jan 14, 2010 at 11:37 PM

    esse fato é ridiculo
    as forças teriam que trabalhar juntos a favor da população que na verdade somos pagos pata isso e ao inveis de somar dividi isso é pobreza de inteligancia é lamentavel que isso ainda aconteça
    entre neste site e nosso foi feito por guardas e é nosso guardas de todo Brasil. http://www.gm-brasil.com. entre ele dos guardas brasileiros

    http://www.gm-brasil.com

  • 179 liel chaves pereira // dez 3, 2009 at 4:36 AM

    caros internaltas,imagine voçe em uma situação de risco ,seja ele qual for,presisando de ajuda na hora procura um gm e este diz que não pode te ajudar a não ser chamar apm que no minimo levará 15min para aparecer e uma decepção.Tire isso da cabeça pmou gm tem a obrigaçaõ de agir,pm não é nada mais que gm ,nada mesmo,tanto o gm pode dar vaz de prisão a um pm quanto pm a gm .GUARDA MUNICIPAL O FUTURO É NOSSO PEC534 JÁ NÃO ADIANDA ESPERNIA SE ESTÃO ´PERDENDO ESPAÇO LAMENTO…….

  • 180 alan magno // nov 22, 2009 at 4:06 PM

    Esse cão tem q apodrecer na cadeia!kkkkk.

  • 181 mao // nov 11, 2009 at 9:26 PM

    quebom

  • 182 silva // set 23, 2009 at 6:38 AM

    CARAMBA! teve um aí que falou que era para prender o cachorro!!! na corrente ou leva-lo ao DP? pelo jeito aí banana tá comendo macaco.

  • 183 silva // set 23, 2009 at 6:34 AM

    Ao dono do restaurante. Tomara que dois ou três ladrões invadam seu restaurante e roubem teu movimento e os seus fregueses,e ao sair roubem teu carro também e que isso ocorra 1, 2, 3 vêzes ou mais e que você chame sempre as PMs por que quando pedir ajuda para um GM ele vai responder exatamente as tuas palavras.

  • 184 Sérgio Estudioso // jul 28, 2009 at 1:03 PM

    Deixo para reflexão um grande jargão jurídico: “Cabeça de juiz e bundinha de neném, nunca se sabe o que vai sair”.

  • 185 Sérgio // jul 13, 2009 at 9:36 AM

    Sobre a atuação da Guarda Municipal como polícia, a decisão do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, APELAÇÃO CÍVEL N° 1.0024.06.122613-0/001 – , condenando o Município de BELO HORIZONTE – MG ao pagamento de indenização por danos morais a um cidadão que sofreu indevidamente busca pessoal de GM, não deixa dúvidas sobre o limite das respectivas competências. Fica um alerta aos Prefeitos sobre as responsabilidades que acarretarão quando leis forem descumpridas. É a lei.

  • 186 Marco // jun 7, 2009 at 1:03 PM

    É, …parece que quando faltam argumentos plausíveis para questionar opiniões fundadas na expressão da lei, sobressai a ignorância daqueles que não têm amparos legais para subsidiar suas teses.
    Apesar de haver muitos defensores da exclusividade da Polícia Militar na realização do policiamento preventivo e ostensivo, tal conceito não tem qualquer respaldo legal, uma vez que a Carta Magna é clara quando diz que a Segurança Pública é direito e responsabilidade de todos. A expressão “dever do Estado”, refere-se ao poder público em todos os âmbitos.
    Segundo o famoso jurista Pontes de Miranda, ” a polícia , como todos sabem, é órgão público de prestação de serviço; tanto pode ser federal, estadual ou municipal. O que não pode é haver polícia particular; policiar é ato estatal”.
    Cabe salientar que o termo “polícia” é melhor definido como “funcionário público que detém o monopólio legal do emprego da força física no exercício de suas funções”. Ademais, as Guardas Municipais já obtiveram o reconhecimento da Secretaria Nacional de Segurança Pública, que garantiu-lhes o “status” de órgãos de segurança pública.
    Acredito assim, que contra fatos não há argumentos!!!

  • 187 Cont(ato) // jun 3, 2009 at 10:24 AM

    Ué Leandro/bh, alguém aqui lhe pediu pra você ensinar alguma coisa? Marmanjo ora…

  • 188 leandro/bh // jun 3, 2009 at 12:58 AM

    RETIFICANDO.
    Gostaria de deixar claro para alguns que pensam que entendem de leis:
    1º. Usurpação de função pública: Inserido do capítulo II do Código Penal, dispõe sobre os crimes praticados por particular contra a administração pública…será que algum idiota acha que a guarda municipal é particular? parece que sim.
    2º.O conceito de Bens é muito mais amplo, abrangendo tudo aquilo que tenha valor econômico ou moral e seja suscetível de proteção jurídica. No âmbito local consideram-se bens ou próprios municipais todas as coisa corpóreas ou incorpóreas: imóveis, móveis e semoventes: créditos, débitos, direitos e ações que pertençam, a qualquer título, ao Município, incluindo, dentre outros atributos, a vida, que é o nosso Bem maior.
    3º. De acordo com o nosso Código de Processo Penal “Qualquer do povo poderá e as autoridades policiais e seus agentes deverão prender quem quer que seja encontrado em flagrante delito.”
    Art. 302. Considera-se em flagrante delito quem:

    I – está cometendo a infração penal;

    II – acaba de cometê-la;

    III – é perseguido, logo após, pela autoridade, pelo ofendido ou por qualquer pessoa, em situação que faça presumir ser autor da infração;

    IV – é encontrado, logo depois, com instrumentos, armas, objetos ou papéis que façam presumir ser ele autor da infração.

    Se quiserem mais argumentos, estou munido de pelo menos uns 300, mas tenho mais o que fazer do que ficar dando aula pra marmanjo.
    Meu tema de monografia do curso de Direito é sobre a atuação das guardas municipais…Não sou guarda e nunca tive vontade de ser, mas me incomoda muito esse corporativismo barato e negativo por grande parte da PM, que fica com ciúme da atuação das GMs, gerando conflitos desnecessários, ao invés de procurar medidas satisfatórias, para que, através de um trabalho solidário entre as Instituições, possam atender melhor a sociedade, que cada vez mais, clama por uma melhor SEGURANÇA!!!!

  • 189 leandro/bh // jun 3, 2009 at 12:53 AM

    Gostaria de deixar claro para alguns que pensam q entender de leis:
    1º. Usurpação de função pública: Inserido do capítulo II do Código Penal, dispõe sobre os crimes praticados por particular contra a administração pública…será que algum idiota acha q a guarda municipal é particular? parece que sim.
    2º.O conceito de Bens é muito mais amplo, abrangendo tudo aquilo que tenha valor econômico ou moral e seja suscetível de proteção jurídica. No âmbito local consideram-se bens ou próprios municipais todas as coisa corpóreas ou incorpóreas: imóveis, móveis e semoventes: créditos, débitos, direitos e ações que pertençam, a qualquer título, ao Município.
    3º. De acordo com o nosso Código de Processo Penal “Qualquer do povo poderá e as autoridades policiais e seus agentes deverão prender quem quer que seja encontrado em flagrante delito.”
    Art. 302. Considera-se em flagrante delito quem:

    I – está cometendo a infração penal;

    II – acaba de cometê-la;

    III – é perseguido, logo após, pela autoridade, pelo ofendido ou por qualquer pessoa, em situação que faça presumir ser autor da infração;

    IV – é encontrado, logo depois, com instrumentos, armas, objetos ou papéis que façam presumir ser ele autor da infração.

    Se quiserem mais argumentos, estou munido de pelo menos uns 300, mas tenho mais o que fazer do que ficar dando aula pra marmanjo.
    Meu tema de monografia do curso de Direito é sobre a atuação das guardas municipais…Não sou guarda e nunca tive vontade de ser, mas me incomoda muito esse corporativismo barato e negativo por grande parte da PM, que fica com ciúme da atuação das GMs, gerando conflitos desnecessários, ao invés de procurar medidas satisfatórias, para que, através de um trabalho solidário entre as Instituições, possam atender melhor a sociedade, que cada vez mais, clama por uma melhor SEGURANÇA!!!!

  • 190 Dra.Juh // mai 20, 2009 at 2:19 PM

    Olha gente, antes de emitirmos algum juizo de valor sobre o caso, devemos “ler” sobre a competencia de cada orgão. Apos a formação de uma opiniao sobre estes, opinar sobre o caso.
    Tambem acredito que deviam “discutir relações” longe das “vistas” da populaçao, assim, fazem com que a unica autoridade que os policiais (pm ou gm) tiverem seja ameaçada. Precisam se unir, para resolver os conflitos da sociedade, respeitar e serem respeitados.

  • 191 dono de restaurante no centro // mai 14, 2009 at 10:20 PM

    Olha li varios comentarios a respeito, e minha opinião e a seguinte.
    quando a coisa fica feia a GM se esconde e por varias vezes ja via fatos ocorrerem no centro e eles fingirem nao ver, realmente tem alguns Gm que se acham os federais, pelo que sei da constituicao federal a GM nao tem nem o direito de aplicar multas de transito e nao pode nem mesmo dar voz de prisao ou revistar cidadãos, a nao ser em flagrante delito, o que a constituição diz ser direito de qualquer ser humano fazer.
    li uma reportagem outro dia sobre o assunto que diz que a GM deve ser uma força para proteger patrimonios publicos e tem sua atuação limitada a isso
    Vejam bem nao podem aplicar multas se alguem foi multado pela gm deve recorrer.
    A GM tambem tem o dever de proteger nossos carros quando estacionados em area azul.
    Quanto a PM quando a coisa fica feia, gostando da PM ou não todos nos recorremos a eles, gentis ou não são eles que nos socorrem.
    quando a praça aqui no centro da cidade e invadida pelos marginais e olha que a praca e patrimonio da cidade e deveria ser monitorada pela GM, e a PM que vem nos socorrer.
    entao vamos deixar uma coisa clara a GM deve se colocar em seu lugar e passar a fiscalizar,
    pq com cinceridade ate no transido eles fazem besteira.
    passem na porta da escola afonso pena e todos verão a GM atravessando criancas fora da faixa de pedestr a causando maior transtorno no transito, e olha que a faixa esta a apenas 5 metros de distancia dela.
    apenas uma gm consegue feixar o transito no horario de pico em duas ruas de intenso movimento
    Santa Cruz e Rui Barbosa, fala verdade tem coisa que ate retardado sabe fazer olhar e observar se esta fazendo errado ou certo.

  • 192 Luiz // mai 14, 2009 at 8:47 PM

    É… acredito que devamos aguardar a PEC 534, talvez assim parem com essa mania de querer barrar o bom serviço das Guardas Municipais.

  • 193 Cont(ato) // mai 11, 2009 at 1:51 PM

    A Cristina parece que escreve em códico Dá até soluço na gente, rssss!

  • 194 carlos // mai 10, 2009 at 1:24 AM

    Pit Bul na rua tem que ser recolhido e dar um sumiço, ontem mesmo um sujeito com um cão passeando pelo passeio e eu que tive que ir pra rua pro beleza passar com aquele cão que parecia um bezerro de tão grande. Agora essa Cristina tem que chorar na cama que é lugar mais quente. Esse negocio de arrepender ja era… Lei é lei.

  • 195 Fabiano // mai 10, 2009 at 1:20 AM

    Fico envergonhado de saber que dois orgãos de credibilidade, que sempre se deram bem, derrepente fica nessa poca vergonha. O dono do cachorro tinha que ser preso sim, porque se esse cachorro tivesse avançado em minha mãe, esse sujeito não tava aqui pra contar história.

  • 196 PC // mai 8, 2009 at 9:46 AM

    Olá Pessoal! Os Guardas Municipais terão poder de polícia sim! Muitos já estão nas polícias federal, rodoviária, civil e militar, pois, prestaram concurso e passaram. As portas estão abertas, não percam tempo tentando mudar todo um sistema, isto pode demorar muito. Abraços.

  • 197 Cidadão // mai 6, 2009 at 4:45 PM

    Voz de prisão por abuso de autoridade? Nossa que poder!!!! Acho que foi muito mais que isso…. O Inspetor prendeu o PM, indiciou, ofereceu denúncia e condenou…. Saudações azul marinho, continuem assim gms…. (rsss).

  • 198 GMBH // mai 5, 2009 at 3:48 PM

    infelizmente a PMS que não gostam da atuação da GM pois ela vem conquitando seu espaço ,tanto no interior como na capital, eu como gmbh dou meus parabens ao inspetor que deu voz de prisão ao cabo da pm por abuso de autoridade,no minimo esse cabo deve ser um despreparado , saudações azul marinho e continuem assim gms

  • 199 Dr. Simplício // mai 5, 2009 at 2:52 AM

    Ufa…
    É mais um causo de polícia…
    Muita autoridade para pouco poder de polícia…

  • 200 cristina // mai 2, 2009 at 3:34 PM

    vcs tao defendendo a PM E GM, ESQUECEM Q NESSA HISTORIA TODA TEM UMA VITMA; q nao e bandido, q estava no servico( frentista de posto de combustivel), e por estar em experiencia no trabalho; nao quiz mesmo acompanhar a gm.. so q assim mesmo ele foi… nao p delegacia, mas p sua casa, onde foi algemado e torturado pelos 4 gm. A propria senhora q chamou a gm; ao ver a situaçao q eles tratavam a vitma, se arrependeu, e chamou a pm. e ai deu no q deu. e se oculos for cotovelo; to por fora; e essa nao e a primeira ocorrencia contra a gm. NESSA HISTORIA TODA O BANDIDO NAO E A VITMA. ANALISEM BEM A SITUAÇAO

  • 201 VITOR COMUNIAN // mai 2, 2009 at 3:59 AM

    TENHO MUITOS QUESTINAMENTOS SOBRE A ATUAÇÃO DAS VARIAS AUTORIDADES , QUE ATUAM EM NOSSA CIDADE,NO SETOR SEGURANÇA, PORÉM COMO NÃO SOU DETENTOR DE NENHUM CARGO PÚBLICO OU ELETIVO, ME CONTENTO EM DEFENDER AQUELES QUE ME PROCURAM. ESPERO QUE SAIBAM ANALISAR UM OUTRO PROBLEMA QUE ESTA CHEGANDO,QUE É A PENITENCIÁRIA, CUJO GOVERNO OFERECE R$ 30.000,00 PARA A CONSTRUÇÃO, E PROMESSAS DE MUITOS EMPREGOS, SERÁ MAIS UM PRESENTE DE GREGO ?…. OU UM BENFICIO PARA CIDADE OU RFEGIÃO, ESPERO QUE O MADEIRA, COLOQUE ESSE ASSUNTO EM DISCUSÃO . VITOR COMUNIAN

  • 202 Heleno // mai 1, 2009 at 8:03 PM

    Olha depois desse comentário acima, onde explica tudo, sem maldades e com muita sabedoria, tem que fechar esse espetaculo.
    S r Bastos, faça de suas palavras toda minha opinião.

  • 203 Inspetor Bastos // mai 1, 2009 at 2:51 PM

    Saudações ,família varginhense,sou Inspetor Chefe Operacional da GM Poços e fiquei entristecido com esse fato . Pelo que percebi, o proprietário do animal devia ser conduzido por “omissão de cautela na guarda de animal” além de também responder por “lesão corporal” causada às vítimas por animal de sua propriedade, posto que é responsável pelo mesmo.Havendo resistência à prisão, deve-se usar a força necessária. É o que prima a Declaração Universal dos Direitos Humanos. Se, por ventura, resultar dessa força necessária alguma lesão, deve-se encaminhar o conduzido até o pronto socorro e solicitar um laudo médico que será anexado ao Boletim de Ocorrência para avaliação da autoridade competente que decidirá se houve ou não abuso, após leitura do relatório do boletim.Conheço o Inspetor Maciel, com quem mantenho grandes relações de amizade e respeito; estive em Varginha em uma reunião de Guardas Municipais realizada no Batalhão da PM, onde fui muito bem recebido pelo então Comandante Cantarino e outros Oficiais. Também mantive contatos com integrantes da GM local, os quais se mostraram bastante respeitosos e preparados para a sua árdua missão. Pregamos sempre a UNIÃO e ESPÍRITO DE EQUIPE com todos os órgãos que compõem o sistema de defesa social de um município, ainda mais Varginha, cidade próspera e acolhedora, onde tive a felicidade e honra em cursar a Faculdade de Direito. Espero que essas arestas sejam aparadas, pelo bem maior da população, que quer e deseja, no decorrer de uma ocorrência, o atendimento rápido e protetor, seja de qualquer órgão, independente da cor do uniforme.Quem ganha com isso é a população, bem maior que deve ser sempre protegido, sem entrarmos em discussões legais. Considero um privilégio uma cidade ter a sua Guarda Municipal, atuante, moderna, preventiva e comunitária, ajudando e cooperando com outros órgãos de defesa social, orgulhando-se em estar ao lado de Instituições como nossas Polícia Militar e Civil mineiras, parâmetros de honradez, dignidade e eficiência, exemplos para todo o Brasil. Vamos dar as mãos, pedir desculpas uns aos outros e defender nossa sociedade. Abraços a todos os GMs , PMs e cidadãos varginhenses. Vocês devem se orgulhar desses profissionais.

  • 204 Tekita // mai 1, 2009 at 12:53 AM

    Varginhense??? Amei viu. Isso mesmo a GM está de parabéns… Além do mais, vamos deixar eles quietos gente… Eta povo bonito na corporação. Da até gosto de ver….kkkkkkkkkkkk

  • 205 Comandante da PM instaura processo para apura incidente com GM // abr 30, 2009 at 4:54 PM

    [...] de Oliveira Guimarães, instaurou processo administrativo para apurar os fatos ocorridos durante o incidente entre a PM e Guarda Municipal. O comandante da Polícia Militar afirmou que vai encaminhar o resultado do processo administrativo [...]

  • 206 Frederico // abr 30, 2009 at 12:25 AM

    Combate à violência!

    Para acabar com este embate, o qual não leva a lugar alguns.
    Houve erro sim, basta agora apurar os fatos e punir/corrigir o servidor que cometeu o erro.

    Sugiro que busquem aproveitar os exemplos positivos.
    Segue link que mostra o que tem acontecido no Paraná, em específico em Curitiba, onde a integração efetivamente vem ocorrendo.

    Alguns erros pode acontecer, afinal somos seres humanos, contudo, buscar acertar com as falhas, já é um grande começo.

    podem acessar o link e vejam a matéria :
    http://portal.rpc.com.br/tv/paranaense/video.phtml?Video_ID=44052

    Um Forte Abraço,
    Insp. Frederico

  • 207 Lucio // abr 29, 2009 at 11:08 PM

    pra mim voces todos não passam de vaidosos, cada cidade tem a policia que merece, cada estado tem a policia que merece, cada paiz tem a policia que merece, quero é que a população seje atendida, to me lixando pra esse negocio de pode não pode, pelo amor de deus tanto bandido por ai e voces discutindo quem vai la resolver o problema? Faça o favor.
    Eu ja morei em são carlos e Limeira e não se discute essa bobageira. La a PM faz mas a Guarda também pega. Se não acredita procure saber, Meus companheiros resolvam os problemas da cidade depois voces brigam, e falar nisso daqui uns dias vão começar por fogo na cidade, nos terrenos com mato alto e ai? Voces vão ficar brigando ou vao trabalhar para meu nariz não ficar borrado de fuligem de queimada.

  • 208 Observador // abr 29, 2009 at 6:37 PM

    Nossa!!!!! Paresse que hoje todos os PMs estao dispensados do trabalho para poderem entrar aqui no Blog e descer o pau nos guardas municipais!!!!Isso é uma vergonha!!!! Tem ate um pressuposto advogado ja fazendo publicidade para pegar uma graninha. Que beleza, virou festa!!!!!!!

  • 209 Cont(ato) // abr 29, 2009 at 4:49 PM

    Na verdade ninguém gosta da Polícia Militar. É lógico que a maioria vai defender a GM. Polícia existe ha quanto tempo em comparação a GM? Vamos ver na hora do “pega” quem é que resolve! Ah, não sou da polícia, hem?

  • 210 CIDADAO ATENTO // abr 29, 2009 at 2:26 PM

    Sr. PM Leonardo, o pessoal da GM é povinho sim(cfe. voce declarou). Talvez por isso que estao no coração d povo varginhense. Voce que se acha tao superior deveria ter um pouco mais de respeito.
    Apreciaria se o moderador do blog nao publicasse opiniões desrespeitosa e racista como do Sr.Leonardo

  • 211 Lucas // abr 29, 2009 at 12:13 PM

    A GM de Varginha, está na cidade para zelar pela segurança dos cidadãos ou ficar nas esquinas de óculos escuros com a mão na sintura pensando que está prestes a desfilar; ficar conversando com as mulheres fazendo pose de “gostosão”, porque quem manda aqui é eu;
    Se é a GM que cuida o nosso trânsito, porque na hora do pico eles somem, o trânsito aqui na cidade a cada dia que passa ficar pior.
    GM vai trabalhar em vez de ficar fazendo só pose para a sociedade varginhense.

  • 212 Marcos / Advogado // abr 29, 2009 at 9:38 AM

    Os Guardas Municipais não possuem imunidade. Se o Policial deparar com uma situação de crime, DEVERÁ efetuar a prisão em flagrante delito, sob pena de processo por prevaricação, improbidade administrativa e transgressão disciplinar. Tomei conhecimento que a GM em Varginha está atuando também como polícia ostensiva, exclusividade das Polícias Militares. Particularmente não sou contra, mas a lei não autoriza-os agir fora de suas atribuições legais. Se um cidadão me procurar por ter sido vítima de qualquer ação fora das atribuiçõs legais da Guarda, como por exemplo “sofrer buscas pessoais, conferir dados no sistema, etc…” , terei de orientá-lo a registrar um boletim de ocorrência na polícia civil ou militar e aida moverei uma ação judicial por danos morais. Compete ao Ministério Público mover uma ação civil pública no caso em pauta, espero que já esteja fazendo, pois, estamos num estado democrático de direito. Caso contário, não precisa mais de lei, cada um faz o que quer e da forma que achar melhor.

  • 213 Frederico // abr 29, 2009 at 1:58 AM

    Me desculpem a interferência. O assunto na verdade é um, mas pelo desvio de alguns ou falta de conhecimento, me sinto na obrigação de passar o enunciado abaixo:

    GUARDA MUNICIPAL 10 DE OUTUBRO

    No início era o verbo:
    Gênesis 2:15 Tomou, pois, o SENHOR Deus ao homem e o colocou no jardim do Éden para o cultivar e o GUARDAR.

    Com a existência do fato delituoso, virou denominação:
    Gênesis 37:36 Entrementes, os midianitas venderam José no Egito a Potifar, oficial de Faraó, comandante da GUARDA.

    Todos os povos sempre ao se reunirem em grupo, passaram a necessitar da figura altaneira do Guardião da Lei e da Ordem.

    Muitas vezes representado pelo próprio chefe da tribo, ou sendo delegado este poder de polícia a determinadas pessoas do grupo.

    No Brasil, a primeira instituição policial paga pelos erários foi o Regimento de Cavalaria Regular da Capital de Minas Gerais, em 09 de junho de 1775, onde o Alferes Joaquim José da Silva Xavier, o “TIRADENTES”, tornou-se Comandante em 1780.

    Com a vinda da Família Real para o Brasil, foi criada em 13 de maio de 1809, a Divisão da Guarda Real de Polícia (Guardas Municipais no Brasil), sua missão era de policiar a cidade em tempo integral, tornando-a desde o início mais eficaz que os antigos “Quadrilheiros”.

    Ao abdicar o trono, D. Pedro deixa seu filho D. Pedro II, neste momento conturbado, através da Regência Trina Provisória em 14 de junho de 1831, é efetivamente criada com esta denominação em cada Distrito de Paz às Guardas Municipais, divididas em esquadras.

    Em 18 de agosto de 1831, após a lei que tratava da tutela do Imperador e de suas Augustas irmãs é publicada a lei que cria a Guarda Nacional, e extingue no mesmo ato as Guardas Municipais, Corpos de Milícias e Serviços de Ordenanças, sendo que em 10 de outubro, foram reorganizados os Corpos de Guardas Municipais, agora agregado com a terminologia “Permanentes”, subordinada ao Ministro da Justiça e ao Comandante da Guarda Nacional.

    As patrulhas de permanente deveriam circular dia e noite em patrulhas a pé ou a cavalo, “com o seu dever sem exceção de pessoa alguma”, sendo “com todos prudentes, circunspectos, guardando aquela civilidade e respeito devido aos direitos do cidadão”; estavam, porém autorizados a usar “a força necessária” contra todos os que resistissem a “ser presos, apalpados e observados”.

    As Guardas Municipais no Brasil, dado a sua atuação foram conhecidas também como:
    “Batalhão dos Oficiais-Soldados”, “Voluntários da Pátria”, “Sagrado Batalhão” e “Guerreiros da Pátria”.

    A atuação da Guarda Municipal desde a sua criação foi motivo de destaque, conforme citação do Ex-Regente Feijó, que em 1839, dirigiu-se ao Senado, afirmando que:
    “Lembrarei ao Senado que, entre os poucos serviços que fiz em 1831 e 1832, ainda hoje dou muita importância à criação do Corpo Municipal Permanente; fui tão feliz na organização que dei, acertei tanto nas escolhas dos oficiais, que até hoje é esse corpo o modelo da obediência e disciplina, e a quem se deve a paz e a tranqüilidade de que goza esta corte”.

    Esta Corporação Ducentenária, teve em quadro vultos nacionais que souberam conduzi-las honrosamente, tendo como destaque o Major Luiz Alves de Lima e Silva – “Duque de Caxias”, que foi nomeado Comandante do Corpo de Guardas Municipais Permanentes, em 18 de outubro de 1832.
    Ao ser nomeado Coronel, passou o Comando, onde ao se despedir dos seus subordinados, fez a seguinte afirmação:
    “Camaradas! Nomeado presidente e comandante das Armas da Província do Maranhão, vos venho deixar, e não é sem saudades que o faço: o vosso comandante e companheiro por mais de oito anos, eu fui testemunha de vossa ilibada conduta e bons serviços prestados à pátria, não só mantendo o sossego público desta grande capital, como voando voluntariamente a todos os pontos do Império, onde o governo imperial tem precisado de nossos serviços (…). Quartel de Barbonos, 20/12/39. Luís Alves de Lima e Silva”.

    ***

    A Guarda Municipal é um dos poucos órgãos, senão o único, de prestação de serviço público municipal, que está inserida na Constituição Federal, tamanha a sua importância frente à segurança pública local.

    Na Carta Magna, em seu artigo 144, § 8º, ao estabelecer atividades, órgãos e atuação frente à Segurança Pública e à incolumidade das pessoas e do patrimônio, preconiza a responsabilidade de todos, e principalmente do “Estado” (União, Estados, Distrito Federal e Municípios), sendo um direito e responsabilidade de todos.

    “Art. 144 – A segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, através dos seguintes órgãos:
    § 8º Os municípios poderão constituir guardas municipais destinadas à proteção de seus bens, serviços e instalações, conforme dispuser a lei.”

    Como o grande Jurista Plácido e Silva já definia:
    “GUARDA-CIVIL é uma corporação de ordem policial, existente nas cidades, com a incumbência de vigiar pela ordem pública, orientando também os veículos e pedestres no trânsito citadino.
    A cada uma das pessoas que faz o serviço de vigilância ou de policiamento, também se diz guarda-civil.
    Embora a guarda-civil entenda-se uma força armada, sujeita a exercícios e deveres militares, não é uma força militar.
    Propriamente, o guarda-civil não é um soldado. E embora, na prestação de seu serviço esteja sempre uniformizado, ele é, como se diz comumente, um paisano.”

    A história da Guarda Municipal, sendo uma instituição secular, acaba se confundindo com a própria história da Nação, ao longo desses últimos duzentos anos.

    Em diversos momentos esta “força armada” se destacou vindo a dar origem a novas instituições de acordo com o momento político vigente.

    Dado a missão principal de promover o bem social, esta corporação esteve desde os primórdios diretamente vinculada a sua comunidade, sendo um reflexo dos anseios desta população citadina.

    Em Curitiba, no ano de 1992, ao realizar-se o III Congresso Nacional das Guardas Municipais, estabeleceu-se que 10 DE OUTUBRO, passaria a ser Comemorado O DIA NACIONAL DAS GUARDAS MUNICIPAIS DO BRASIL.

    POR ISSO, PARABENIZO A TODOS OS GUARDAS MUNICIPAIS DO BRASIL, PELA BRILHANTE CARREIRA QUE COM AMOR E DEDICAÇÃO ABRAÇARAM, BUSCANDO SEMPRE DAR O MELHOR DE SI A SUA COMUNIDADE LOCAL.

    Um Forte Abraço, e
    Saudações Azul-Marinho,
    Insp. Frederico.

  • 214 Leonardo // abr 28, 2009 at 9:15 PM

    policia Militar é poderosa, a gloriosa, fantastica, a melhor policia do BRASIL, o que é Guarda, esse povinho que se acha POLICIA, pra mim esses metidos não passam de ajudantes da policia militar, A GLORIOSA.

  • 215 Heldrick // abr 28, 2009 at 8:09 PM

    eh cada coisa que a gente lê…
    tem gente que não leu os comentários e postou até texto repetido heheheheh

  • 216 José da Silva Work // abr 28, 2009 at 4:32 PM

    Quem disse que guarda municipal tem prerrogativas? quem disse que guarda minicipal é imune de leis? Se uma viatura policial foi solicitada e la deparar com vitima de agressão e autores, a papel da policia e fazer cumprir a lei, prender quem quer que for, não deixando de observar as prerrogativas destinadas a autoridades conforme contituição federal, e la não cita nenhuma imunidade a guarda municipal,,independe se for guarda municipal, ou guarda de qualquer outra coisa a policia tem que fazer seu papel. Agiu totalmente dentro da legalidade, TA DE PARABÉNS a ação da PM, por isso que essa instiutição chamada de Gloriosa tem 200 anos de existencia, é criticada é exaltada, e segue com seus bravos integrantes sempre de cabeça erguida. É claro que ninguem quer ser preso, agora se fez algo contra a lei, a lei tem que ser cumprida. Agora eu ouvi falar que guarda municipal prendeu os integrantes da viatura policial por abuso de autoridade, pra mim isso deve ser apenas boato, pois ninguem seria tão burro o suficiente pra fazer o papel de juiz prendendo alguem por abuso de autoridade, e guarda municipal prender a PM, é o cumulo da burrice, acho que os caminhos legais não foram devidamente trilhados pela gm. Parece que a cobra esta criada e agora ta louca pra injetar veneno.

  • 217 Pedreiro // abr 28, 2009 at 4:12 PM

    Esse assunto já deu o que tinha que dar , define-se as atribuições de cada instituição , deixa-se claro para todos envolvidos e finalizamos este assunto . Só sei que a eficiência de cada uma destas instituições resultam em melhorias para a população e isso é o mais importante . Todos nós queremos uma melhor condição da segurança pública , agora quem vai fazer , ou de quem é a responsábilidade , ou se uma pode ou não , eu não quero nem saber . Façam o seu trabalho da melhor forma possível , porque contra evidências e resultados não há discussão e parem de criar situações que só denigrem a imagem das duas instituições .

  • 218 Marisa // abr 28, 2009 at 2:54 PM

    Acabei de escutar a noticia na Radio Vanguarda, não entendi pois comandante da pm disse que foi legal prender guarda porque ouve alguem machucado, mas quando a pm espanca esses coitados, pobres, miseraveis da rua, e ai quem prende eles?
    Existem dois pesos e duas medidas? As pessoas podem ter acesso a esses documentos que ele disse que vai apurar dentro do batalhão?
    Isso não pode acontecer, se a moda pega como esses meninos vão trabalhar? Quem perde é a população.
    Não endendo muito mas ta muito esquisito, e tem maldades nessa história, e o Cachorro PIT BULL? e o dono do cão?
    Quer diser que bandidos são os Guardas que a pedido de uma senhora foi la pra ajuda-la?
    Esses guardas agora são registrdos como presos?
    Uma coisa foi bom pelo menos ele disse que não ha crise entre a guarda e a pm, que continui assim porque estava muito bom até agora.

  • 219 Mário Soares // abr 28, 2009 at 12:34 PM

    É comum, a todo guarda municipal, questionar onde está escrito, em qual lei ou código, que a Polícia Militar é o órgão competente, com exclusividade, para executar bloqueios, no chamado “poder de polícia”! Com o advento da Constituição Federal, de 1988, ela afirma que os Municípios, os Estados-membros e por fim a União; são entes autônomos. Isto significa dizer que os prefeitos, os governadores e o Presidente da República gozam de tratamento igualitário, de chefe de poder executivo e, neste sentido, o artigo 30, inciso I, da CF/88, aduz com veemência que os assuntos locais devem ser tratados pelos municípios. Logo as Guardas Municipais – órgãos de Polícia Administrativa, igualmente à PM, tem o chamado “police power”, ademais tal poder está inserido no artigo 78 do Código Tributário Nacional, e ele não faz alusão a nenhuma polícia e especial.

    Art. 78 – Considera-se poder de polícia atividade da administração pública que, limitando ou disciplinando direito, interesse ou liberdade, regula a prática de ato ou abstenção de fato, em razão de interesse público concernente à segurança, à higiene, à ordem, aos costumes, à disciplina da produção e do mercado, ao exercício de atividades econômicas dependentes de concessão ou autorização do poder público, à tranqüilidade pública ou ao respeito à propriedade e aos direitos individuais ou coletivos.

    Do mesmo modo que, quando um Policial Militar aborda um veículo e nele nada é encontrado, colocando os PMs na situação hipotética de abuso de autoridade, os guardas municipais, do mesmo modo, se praticarem a mesma ação estão sujeitos a lei.

    O código de processo penal artigos 241 a 244, que regula a busca pessoal (revista), etc., também não faz alusão a polícias e sim a autoridade. Ademais, desde 1988, somente a Polícia Federal tem exclusividade no policiamento ostensivo. O decreto 667/69, que dava tal poder às PMs está derrogado, pelo novo ordenamento jurídico brasileiro, ou seja, as Polícias Militares estão no mesmo patamar das Guardas Municipais.

    Muitas autoridades policiais, e até políticas, ainda entendem que a função das Guardas Municipais é zelar pelo patrimônio público; o que dizer, então, de centenas de policiais tomando conta de estações de trens, parques públicos, estádios, etc.. Qual a diferença, senão a cor do uniforme, já que o salário da PM é pago pelo Estado-Membro, com dinheiro da contribuição dos munícipes (aqueles que vivem nos municípios) do mesmo modo que as Guardas Municipais (ou civis), são pagas pelos municípios. Vale lembrar que além desse ônus, muitos municípios ainda bancam os custos da presença de destacamentos das PMs com pró-labores, alimentação, uniformes, equipamentos, etc.

    O policiamento ostensivo exclusivo às PMs estava previsto no Decreto lei 667/69, mas ai foi derrogado pelo inciso V do artigo 144 da Constituição Federal de 1988. A mesma CF/88 deu exclusividade de policiamento somente a Polícia Federal, inclusive de efetuar Policiamento Ostensivo, o que é vedado às Polícias Civis. Por exemplo, quando uma viatura da PC está caracterizada ela está efetuando Policiamento Ostensivo que é vedado pela CF/88. No que concerne a faculdade dos municípios constituírem Guardas Municipais, dá-se pelo fato de, com o advento da CF, em outubro de 1988, nem todos municípios da federação possuiam Guardas, contudo, quem as tivesse, deveria fazer Segurança Pública e aqueles que quisessem poderiam fazê-lo, desde que instituissem suas Guardas.

    Agora, passados 19 anos, ainda não foi editada nenhuma lei complementar federal, que alude o final do parágrafo 8º do citado artigo constitucional.

    Por derradeira questão de lógica, o parágrafo 9º do artigo 144 da CF/88 estabelece que os “…órgãos policiais deste artigo…” logo todos os órgãos elencados no artigo 144 da CF/88 são policiais, inclusive as Guardas Municipais.

    E se verificarmos de forma detalhada, em nenhum artigo de lei determina ao Estado-Membro exclusividade de Atos de Policia e sim às autoridades (Prefeitos, Governadores e Presidente), aos Estados genéricos (União, Estados, Distrito Federal e Municípios) pois de acordo com o disposto no artigo 1º e 18 da CF/88, eles são entes federativos, com autonomia política e administrativa. Vede, por exemplo, a lei que trata de poder de polícia – Código Tributário Nacional, artigo 78, do mesmo modo em seu “caput” enumera estes mesmos entes – União, Estados membros, Distrito Federal e Municípios. Na verdade Poder de Polícia no Brasil é coisa cultural e não legal.

  • 220 Razão // abr 28, 2009 at 12:32 PM

    Será que já prendemos todos os ladrões, para agora querer prender policiais??? Onde estão a razão e a tolerância necessárias aos bons profissionais???

  • 221 MAÇANETA // abr 28, 2009 at 10:49 AM

    CONSULTOR POLÍTICO EM VARGINHA??? KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  • 222 Luiz // abr 28, 2009 at 2:24 AM

    Vejo que nosso País ainda briga para se ver livre do militarismo. Nunca funcionou nas mãos dos militares, não é agora que vai funcionar. Esse militares que se acham donos do estado e da Lei, deveriam se preocupar mais com a população do que importunar os Guardas que realmente trabalha para o povo e não para seu benefício próprio. Se não querem ser incomodados trabalhem mais e parem de se preociparem com os outros órgãos ao seu redor.

  • 223 Varginhese // abr 28, 2009 at 1:49 AM

    É amigo Tião, será que você nunca limpou um banheiro, pelo jeito não, você teve ser destes filhinho de PAPAI, berço de ouro. Mais guarde o recado da DEMOCRACIA, ela falou tudo acho q nem precisa mas comentário, porque isto ja virou baxaria, Obs: todos nos temos o direito de subir na vida, não porque eu nasci burro que eu tenho que morrer burro, DEUS nos deu capacitade. Então amigo TIAO o nosso atual presidente não poderia esta exercendo a função porque ele mal tem 4º Serie. Será que é incopedente no para esta onde esta por ser um ex peão de metalurgica. E outra aqui nos estamos falando sobre competencias institucionais, e não vida particular. Se você não tem o que falar fique na sua….. GMs continue com a boa vontade de trabalhar, porque infelizmente a inaveja existe. Sou Fã do serviço de vocês, se eu podesse preferia ser um guarda do que um PM. Não estou desmerecendo o trabalho da PM e sim preferencia profissional, GM e PM se eu fosse o Eduardo, fazia uma reunião entre vocês e resolveria estas picuinhas. ABRAÇO A GMV E A PM.

  • 224 Ruy de Ávila // abr 28, 2009 at 12:26 AM

    A COMPETÊNCIA DA GUARDA MUNICIPAL NÃO SE CONFUNDE COM A DA POLÍCIA.
    NO CASO DESSE CACHORRO QUE MORDEU O CIDADÃO NÃO VEJO MOTIVO ALGUM PARA ATUAÇÃO DA GUARDA MUNICIPAL. SE A GUARDA ESTIVESSE ACOMPANHANDO ALGUMA BLITZ DO SETOR DE ZOONOSES (QUE É UM SERVIÇO PÚBLICO MUNICIPAL), OU ATÉ MESMO PRENDER O CACHORRO, TUDO BEM, MAS IR AO LOCAL PARA REGISTRAR OCORRÊNCIA DE CRIME OU CONTRAVENÇÃO É DESVIO DE COMPETÊNCIA.
    COM A DEVIDA VÊNIA, O COLEGA DA GUARDA QUE POSTOU ACIMA ESTÁ EQUIVOCADO.

  • 225 RENATO AQUIAR // abr 27, 2009 at 11:35 PM

    Queria deixar aqui meu apoio a essa grande instituição, pois não concordo com a visão da Polícia Militar de que somos concorrentes, nos somos colaboradores e orgãos da segurança publica, em vez de ficar com essas briguinha e invejas inuteis, a PM deveria nos apoiar, pois a criminalidade está cada vez mais alta e nos precisamos de nos unir para diminuir essa criminalidade.

    http://guardamunicipaldecontagem.blogspot.com/

  • 226 Mario Soares // abr 27, 2009 at 8:56 PM

    NÃO EXISTE MONOPOLIO EM SEGURANÇA PÚBLICA A CF DE 88 ABOLIU DECRETOS E REGIMENTOS INTERNOS DE ORGÃOS, O QUE EXISTE HOJE SÃO ORGÃOS DE AGENTES DE SEGURANÇA DO ART 144CF.

    O poder de policia das Guardas Municipais

    É comum, a todo guarda municipal, questionar onde está escrito, em qual lei ou código, que a Polícia Militar é o órgão competente, com exclusividade, para executar bloqueios, no chamado “poder de polícia”! Com o advento da Constituição Federal, de 1988, ela afirma que os Municípios, os Estados-membros e por fim a União; são entes autônomos. Isto significa dizer que os prefeitos, os governadores e o Presidente da República gozam de tratamento igualitário, de chefe de poder executivo e, neste sentido, o artigo 30, inciso I, da CF/88, aduz com veemência que os assuntos locais devem ser tratados pelos municípios. Logo as Guardas Municipais – órgãos de Polícia Administrativa, igualmente à PM, tem o chamado “police power”, ademais tal poder está inserido no artigo 78 do Código Tributário Nacional, e ele não faz alusão a nenhuma polícia e especial.

    Art. 78 – Considera-se poder de polícia atividade da administração pública que, limitando ou disciplinando direito, interesse ou liberdade, regula a prática de ato ou abstenção de fato, em razão de interesse público concernente à segurança, à higiene, à ordem, aos costumes, à disciplina da produção e do mercado, ao exercício de atividades econômicas dependentes de concessão ou autorização do poder público, à tranqüilidade pública ou ao respeito à propriedade e aos direitos individuais ou coletivos.

    Do mesmo modo que, quando um Policial Militar aborda um veículo e nele nada é encontrado, colocando os PMs na situação hipotética de abuso de autoridade, os guardas municipais, do mesmo modo, se praticarem a mesma ação estão sujeitos a lei.

    O código de processo penal artigos 241 a 244, que regula a busca pessoal (revista), etc., também não faz alusão a polícias e sim a autoridade. Ademais, desde 1988, somente a Polícia Federal tem exclusividade no policiamento ostensivo. O decreto 667/69, que dava tal poder às PMs está derrogado, pelo novo ordenamento jurídico brasileiro, ou seja, as Polícias Militares estão no mesmo patamar das Guardas Municipais.

    Muitas autoridades policiais, e até políticas, ainda entendem que a função das Guardas Municipais é zelar pelo patrimônio público; o que dizer, então, de centenas de policiais tomando conta de estações de trens, parques públicos, estádios, etc.. Qual a diferença, senão a cor do uniforme, já que o salário da PM é pago pelo Estado-Membro, com dinheiro da contribuição dos munícipes (aqueles que vivem nos municípios) do mesmo modo que as Guardas Municipais (ou civis), são pagas pelos municípios. Vale lembrar que além desse ônus, muitos municípios ainda bancam os custos da presença de destacamentos das PMs com pró-labores, alimentação, uniformes, equipamentos, etc.

    O policiamento ostensivo exclusivo às PMs estava previsto no Decreto lei 667/69, mas ai foi derrogado pelo inciso V do artigo 144 da Constituição Federal de 1988. A mesma CF/88 deu exclusividade de policiamento somente a Polícia Federal, inclusive de efetuar Policiamento Ostensivo, o que é vedado às Polícias Civis. Por exemplo, quando uma viatura da PC está caracterizada ela está efetuando Policiamento Ostensivo que é vedado pela CF/88. No que concerne a faculdade dos municípios constituírem Guardas Municipais, dá-se pelo fato de, com o advento da CF, em outubro de 1988, nem todos municípios da federação possuiam Guardas, contudo, quem as tivesse, deveria fazer Segurança Pública e aqueles que quisessem poderiam fazê-lo, desde que instituissem suas Guardas.

    Agora, passados 19 anos, ainda não foi editada nenhuma lei complementar federal, que alude o final do parágrafo 8º do citado artigo constitucional.

    Por derradeira questão de lógica, o parágrafo 9º do artigo 144 da CF/88 estabelece que os “…órgãos policiais deste artigo…” logo todos os órgãos elencados no artigo 144 da CF/88 são policiais, inclusive as Guardas Municipais.

    E se verificarmos de forma detalhada, em nenhum artigo de lei determina ao Estado-Membro exclusividade de Atos de Policia e sim às autoridades (Prefeitos, Governadores e Presidente), aos Estados genéricos (União, Estados, Distrito Federal e Municípios) pois de acordo com o disposto no artigo 1º e 18 da CF/88, eles são entes federativos, com autonomia política e administrativa. Vede, por exemplo, a lei que trata de poder de polícia – Código Tributário Nacional, artigo 78, do mesmo modo em seu “caput” enumera estes mesmos entes – União, Estados membros, Distrito Federal e Municípios. Na verdade Poder de Polícia no Brasil é coisa cultural e não legal.

  • 227 Mario Soares // abr 27, 2009 at 8:47 PM

    O poder de policia das Guardas Municipais

    É comum, a todo guarda municipal, questionar onde está escrito, em qual lei ou código, que a Polícia Militar é o órgão competente, com exclusividade, para executar bloqueios, no chamado “poder de polícia”! Com o advento da Constituição Federal, de 1988, ela afirma que os Municípios, os Estados-membros e por fim a União; são entes autônomos. Isto significa dizer que os prefeitos, os governadores e o Presidente da República gozam de tratamento igualitário, de chefe de poder executivo e, neste sentido, o artigo 30, inciso I, da CF/88, aduz com veemência que os assuntos locais devem ser tratados pelos municípios. Logo as Guardas Municipais – órgãos de Polícia Administrativa, igualmente à PM, tem o chamado “police power”, ademais tal poder está inserido no artigo 78 do Código Tributário Nacional, e ele não faz alusão a nenhuma polícia e especial.

    Art. 78 – Considera-se poder de polícia atividade da administração pública que, limitando ou disciplinando direito, interesse ou liberdade, regula a prática de ato ou abstenção de fato, em razão de interesse público concernente à segurança, à higiene, à ordem, aos costumes, à disciplina da produção e do mercado, ao exercício de atividades econômicas dependentes de concessão ou autorização do poder público, à tranqüilidade pública ou ao respeito à propriedade e aos direitos individuais ou coletivos.

    Do mesmo modo que, quando um Policial Militar aborda um veículo e nele nada é encontrado, colocando os PMs na situação hipotética de abuso de autoridade, os guardas municipais, do mesmo modo, se praticarem a mesma ação estão sujeitos a lei.

    O código de processo penal artigos 241 a 244, que regula a busca pessoal (revista), etc., também não faz alusão a polícias e sim a autoridade. Ademais, desde 1988, somente a Polícia Federal tem exclusividade no policiamento ostensivo. O decreto 667/69, que dava tal poder às PMs está derrogado, pelo novo ordenamento jurídico brasileiro, ou seja, as Polícias Militares estão no mesmo patamar das Guardas Municipais.

    Muitas autoridades policiais, e até políticas, ainda entendem que a função das Guardas Municipais é zelar pelo patrimônio público; o que dizer, então, de centenas de policiais tomando conta de estações de trens, parques públicos, estádios, etc.. Qual a diferença, senão a cor do uniforme, já que o salário da PM é pago pelo Estado-Membro, com dinheiro da contribuição dos munícipes (aqueles que vivem nos municípios) do mesmo modo que as Guardas Municipais (ou civis), são pagas pelos municípios. Vale lembrar que além desse ônus, muitos municípios ainda bancam os custos da presença de destacamentos das PMs com pró-labores, alimentação, uniformes, equipamentos, etc.

    O policiamento ostensivo exclusivo às PMs estava previsto no Decreto lei 667/69, mas ai foi derrogado pelo inciso V do artigo 144 da Constituição Federal de 1988. A mesma CF/88 deu exclusividade de policiamento somente a Polícia Federal, inclusive de efetuar Policiamento Ostensivo, o que é vedado às Polícias Civis. Por exemplo, quando uma viatura da PC está caracterizada ela está efetuando Policiamento Ostensivo que é vedado pela CF/88. No que concerne a faculdade dos municípios constituírem Guardas Municipais, dá-se pelo fato de, com o advento da CF, em outubro de 1988, nem todos municípios da federação possuiam Guardas, contudo, quem as tivesse, deveria fazer Segurança Pública e aqueles que quisessem poderiam fazê-lo, desde que instituissem suas Guardas.

    Agora, passados 19 anos, ainda não foi editada nenhuma lei complementar federal, que alude o final do parágrafo 8º do citado artigo constitucional.

    Por derradeira questão de lógica, o parágrafo 9º do artigo 144 da CF/88 estabelece que os “…órgãos policiais deste artigo…” logo todos os órgãos elencados no artigo 144 da CF/88 são policiais, inclusive as Guardas Municipais.

    E se verificarmos de forma detalhada, em nenhum artigo de lei determina ao Estado-Membro exclusividade de Atos de Policia e sim às autoridades (Prefeitos, Governadores e Presidente), aos Estados genéricos (União, Estados, Distrito Federal e Municípios) pois de acordo com o disposto no artigo 1º e 18 da CF/88, eles são entes federativos, com autonomia política e administrativa. Vede, por exemplo, a lei que trata de poder de polícia – Código Tributário Nacional, artigo 78, do mesmo modo em seu “caput” enumera estes mesmos entes – União, Estados membros, Distrito Federal e Municípios. Na verdade Poder de Polícia no Brasil é coisa cultural e não legal.

    Comentário do Mário Soares

    Claudio Frederico de Carvalho Data de nascimento: 14 de julho de 1969 Profissão: Inspetor da Guarda Municipal de Curitiba Bacharel em Direito, formado em 1997, pela Universidade Tuiuti do Paraná (UTP), com habilitações específicas em Direito Civil e Direito Penal. Pós-Graduado em Ciência Política e Desenvolvimento Estratégico – Instituto Martinus de Educação e Cultura (IMEC) Pós-Graduando em Direito Público – UniBrasil e Escola da Magistratura Federal do Paraná. MBA em Gestão Pública – Faculdade OPET. Membro da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG-PR) – XXX CEPE. Docente dos Cursos de Formação Técnico-Profissional para Guarda Municipal de Curitiba e Região Metropolitana, e dos Cursos de Aperfeiçoamento de Inspetores, Supervisores e Guardas Municipais de Curitiba e Região Metropolitana – Disciplinas: Direito Penal, Termo Circunstanciado e Direito Constitucional. Conselheiro da Associação dos Servidores Públicos do Estado do Paraná – ASPP. Ex-Con

    http://www.forumseguranca.org.br/perfis/claudio-frederico-de-carvalho
    http://www.forumseguranca.org.br/perfis/claudio-frederico-de-carvalho

  • 228 Gama // abr 27, 2009 at 8:38 PM

    É sabido por todos que acompanham as políticas de segurança pública, a enorme pressão exercida pelas Polícias Militares sobre as Guardas Municipais, principalmente para dificultar, retardar ou impedir que as mesmas cresçam e se transformem, em futuro próximo, nas tão sonhadas e indispensáveis polícias municipais.

    Os prefeitos eleitos, ao designar oficiais e praças, das Policias Militares, para os comandos de suas forças municipais de segurança pública, agem como aquele fazendeiro que, na falta de um cão de guarda, acredita que a melhor solução será colocar uma raposa fazendo a segurança do galinheiro. Mesmos que os comandantes, oriundos das PMs, tenham as melhores das intenções; mesmo quando eles assumem um compromisso com a instituição, sob seu comando, fica difícil se contrapor a filosofia de exclusividade e de hegemonia, das PMs, no policiamento preventivo nas cidades brasileiras.

    Nos últimos anos, as Guardas Municipais vêm se notabilizando pelo excelente trabalho realizado junto às comunidades dos municípios onde prestam seus serviços. Sua filosofia de atuação é baseada em três pilares: amigo, aliado e protetor. Por desempenharem atividades de apoio à segurança pública, ações de cunho social e controle do tráfego em vias municipais (nos municípios dos quais fazem parte), são raros os casos de corrupção, violência arbitrária ou abusos de poder, o que torna a instituição uma referência para a segurança pública, particularmente nas pequenas e médias cidades.

    Jorge Heleno de Araújo é militar da reserva do Corpo de Fuzileiros Navais, pedagogo e foi gerente de Planejamento de Ensino da GM-Rio na gestão do Comte Paulo Cesar Amendola de Souza.

  • 229 O Varginhense MG // abr 27, 2009 at 7:08 PM

    Concordo com você Democracia, não significa que as pessoas não se aperfeiçoaram, mas já conversou com o Inspetor da GM? Pois é, ele não sabe nem se expressar direito, usa o português de forma errada, então diz para ele se aperfeiçoar mais e depois discutir segurança pública.
    Agora com certeza PM e GM devem trabalhar em parceria, pois nem um nem outro vão deixar de existir, isso é fato. Então só há uma forma de se resolver, que entrem em acordo.
    Toda profissão possui pessoas “malas” e na PM e GM não seria diferente, mas conheço alguns GMs e PMs que são excelentes pessoas. Portanto a população de Varginha não deve ficar defendendo nem PM nem GM, deve sim apoiar as duas instituições e motiva-las.

  • 230 Heldrick // abr 27, 2009 at 5:22 PM

    Pasquale…sou grande defensor disso…tinha que banir era a tecla do teclado de uma vez…

  • 231 Thiago Rodrigues // abr 27, 2009 at 5:13 PM

    esqueceram do real motivo do acontecido, esqueceram que teve uma primeira vítima de um cachorro perigoso e que este a atacou. Observem que o responsável por um delito virou vítima e que está sendo defendido aqui. Se nao tivesse tido a rixa entre PM e GM estaríamos todos indignados com o dono do cão

  • 232 Renato Aguiar // abr 27, 2009 at 4:37 PM

    Olá companheiros de Varginha.
    Queria deixar aqui meu apoio a essa grande instituição, pois não concordo com a visão da Polícia Militar de que somos concorrentes, nos somos colaboradores e orgãos da segurança publica, em vez de ficar com essas briguinha e invejas inuteis, a PM deveria nos apoiar, pois a criminalidade está cada vez mais alta e nos precisamos de nos unir para diminuir essa criminalidade. Mas com certeza a atuação da GM de Varginha foi de grande importância e este fato não irá apagar a grande imgem de referência de Guarda Municipal que Varginha é! E isso nõa sõu eu que falo, e sim essa é a visão da Secretaria Nacional de Segurança Publica SENASP.
    Abração Maciel e pode Contar com a Guarda Municipal de Contagem
    Saudações Azul Marinho!!!

  • 233 Democracia // abr 27, 2009 at 3:39 PM

    Veja meus amigos, muita coisa foi escrita sobre este assunto, más temos que pensar antes de expor nossas idéias pois tem muita coisa em jogo, não quero entrar no mérito de quem estava certo ou errado, mas quero pedir coerência para todos.Estamos falando de pais de família e mães de família que estão trabalhando e não são bandidos e por problemas particulares de alguns integrantes das forças, estão pagando o pato, vejo neste episódio a total falta de profissionalismo, pois se a prisão tinha que ser feita, que fosse feita, o problema é a maneira que foi e a proporção que se deu tal fato, levando ao ridículo as consequencias, como risos e comentários absurdos por parte de “alguns” PMs, digo alguns, pois não são todos que comungan com essa idéia, as autoridade da cidade de varginha tem que se posicionarem a respeito e tomarem um atitude a respeito, principalmente nosso prefeito que foi eleito pelo povo. Gostaria de dizer também sobre o comentario do Sr. Tião, que o passado não quer dizer que ela não tenha procurado se aperfeiçoar para sua profissão, pois se olhar-mos existem PMs que eram lavradores e nem por isso deixam de prestar um bom serviço a comunidade, e existem varios que estão também com liminares, os GMs passam por um curso que tem grade curricular estabelicido pelo SENASP, que é um orgão federal, não preciso dizer mais nada. Laranjas podres existem em todas profissões, só peço para não generalizarem uma ou outra profissão e pensarem nas pessoas.Tenho outra proposta, a lei que regulariza esta parte que se trata de cães foi uma lei criada pela câmara municipal, então que a mesma mande um ofício para que a PM venha cumpri-lá, pois se a guarda não pode, alguém tem que cumprir, em favor da população.

  • 234 fulvio // abr 27, 2009 at 2:42 PM

    Acessem o meu blog:amigocipeirodasguardasmunicipais.blogspot.com/ e deixe seus comentários.

  • 235 fulvio // abr 27, 2009 at 2:41 PM

    Mais uma vez a PM mostra o que é é por isso que defendo a união de nós GCMs , devemos trocar informações, situações e ocorrências do dia a dia para que aperfeiçoamos nossas ocorrências, pois em dezoito anos de serviço já passei por isso, portanto devevos nos comunicar sempre.

  • 236 Pasquale // abr 27, 2009 at 1:38 PM

    Pelo que noto nos comentários, deveria ser bloqueado o comentário em CAPS LOCK, ou seja, na linguagem da internet, a pessoa está berrando, gritando. E outra, são alguns comentários igual ao 38 que a pessoa pensa que está falando alguma coisa, mas está escrevendo assassinando o português e a ortografia em específico.

  • 237 lei // abr 27, 2009 at 1:21 PM

    INfelizmente a populaçao varginhense desconhece a situação preocupante que se tornaria a guarda municipal fazendo papel da Policia, como o proprio nome diz “Guarda” exerce o papel de “vigia”, ou seja, que toma conta de alguma coisa, no caso da GM, dos bens publicos municipais (escolas, hospitais, transito…) e a policia exerce o policiamento. Voces sabem porque se discute a utilização das forças armadas na segurança publica? Porque eles são treinados para Guerra e não para atuar em prol do cidadão e a guarda foi treinada para sua função. A policia tem que exercer seu papel e parabenizo o atual Comandante da PM pela postura de não aceitar os abusos cometidos pela GM.

  • 238 Fabiano // abr 27, 2009 at 11:12 AM

    Verdade, Ranger so quem participou da ocorrência sabe te toda a verdade, não entendo o que a policia militar foi fazer no local mesmo sendo chamada, pois ela não vai em um monte de brigas, se voces trabalham juntos com o mesmo rádio não sabia que a missão estava sendo realizada pela guarda?Ja imaginou sempre que a PM estiver em uma ocorrência chegar a Guarda ou Policia Civil e intervir prendendo policia, se eu entendi alem do culpado o JOAQUIM que ja esta definido, os outros culpados são os guardas, presos como bandidos e o dono do cão que deveria ser conduzido por omissão, pelo que entendi é o grande heroi e vitima. Por favor policia voces simplesmente inverteram os fatos.

  • 239 Pedreiro // abr 27, 2009 at 11:10 AM

    Essa situação toda pode abrir antecedente e os vagabundos não aceitaram ser detidos pela guarda municipal e acionaram a polícia Militar para criar situações que poderam fazê-los viram de bandidos a vitimas em poucos minutos . Deve-se colocar os responsaveis pelas duas instituições frente a frente e acertar os ponteiros , quem tem a perder com essa situação é a população , parem de bringuinhas e vamos trabalhar ! Espero que se caso ocorra uma competição que seja em relação a atuações que favoreçam a nossa população em resultados como : quem apreendeu mais drogas , quem prendeu mais traficantes , ladrões , vândalos , etc….

  • 240 Ministerio // abr 27, 2009 at 11:00 AM

    De tudo o que li acho que no final tudo saira bem, mas como funcionario público queria ajudar também a entender as FUNÇÔES das guardas municipais, e não é briga de torcida de futebol ou de religião, Aqui tem muito do achismo, veja o que o GOVERNO FEDERAL, site oficial do MINISTÉRIO DO TRABALHO resa sobre o que se faz um GUARDA MUNICIPAL, entre no site e vai a esquerda no link TABELA DE ATIVIDADES escolhe guarda civil municipal e vc vira o que o orgão maior do pais norteia, e não são especulações.
    http://www.mtecbo.gov.br/busca/descricao.asp?codigo=5172

  • 241 Francyelli // abr 27, 2009 at 8:48 AM

    PM e GM, trabalhem mais e sem brigas, bandidos tem pra todos, não briguem para saber quem vai atender a ocorrencia, isso não enche mais o bolso de vocês… cuidem da população direitinho

  • 242 Francyelli // abr 27, 2009 at 8:45 AM

    eu acho que tem sim muita rivalidade entre PM e GM, acho tbem que problemas particulares entre eles devem ser resolvido em particular e não com platéia como vem occorrendo a algum tempo, que segurança eles pretendem passar pra população dessa maneira… isso da ate medo é um querendo esganar o outro, que feio…só lamento

  • 243 Ranger // abr 27, 2009 at 1:18 AM

    Senhores,só quem participou da ocorrência sabe o que aconteceu.Fato é que em um local de infração penal você não convida ninguém uma vez,nem seis vezes a comparecer na delegacia.Sabem porque pq nínguém é obrigado a fazer nada senão em virtude de lei.Logo vc não convida,pq seu convite jamais será aceito.Detectado o ilícito,você socorre a vítima e prende o autor dos fatos. Será que foram essas as providências adotadas no local?Ao comparecer no local,a Pm tomou essas providências,lamentável que agora o crime era outro e envolviam companheiros da GM. Pq se fosse feito diferente,os policiais que lá estiveram responderiam por um crime chamado prevaricação,ja ouviram falar?O que realmente aconteceu,foram providências erradas tomadas de forma preliminar e superficial que agravaram com a lesão corporal sofrida pelo dono do animal e que é crime definado em lei,e que exigiu a intervenção da Polícia militar e que não poderia adotar outro procedimento,lembram da prevaricação? Pois bem,todos estão falando dessa ou aquela providência,queria saber se estariam sastifeitos se o dono do animal fossem um ente querido dos senhores,um pai um irmão,convenhamos óculos não foi feito pra arranhar e sangrar rosto de nínguém.Contudo,ao efetuar uma prisão legal,se ocorrer reação por parte do preso,poderiam sim os agentes municipais usarem de força moderada para conter o agressor,devendo os autos serem subescritos e testemunhados.Senão vejamos,eu disse que a prisão tem que ser legal,a omissão na cautela de animais era motivo de prisão? Ou de um convite para ir a delegacia?Bem senhores ninguém é obrigado a fazer nada,senão em virtude de lei,nem há crime sem lei anterior que o defina.Em toda intervenção em ocorrência é necessário ter certeza do que vc está fazendo,pq posterior alguém estará sentado atráz de uma mesa,com ar condicionado e café quente analisando friamente os fatos para atribuir responsabilidades.E podem ter certeza que no caso em lide isso irá acontecer,tanto de um lado como de outro,e quem estiver errado,quem tomou a decisão errada com certeza será responsabilizado.Na minha visão,bandido não escolhe se o agente de segurança é GM,PM,da Polícia Civil ou da Federal,no momento de fuga,do comentimento do ilícito ele passa por cima e pronto,logo senhores são todos iguais,a diferença está em seguir o que preconiza as leis e serem unidos pq os vagabundos são unidos,trabalham juntos e se respeitam,um exemplo disso são as células do PCC,que por vez já foram presos em nossa cidade. Face a isso nenhum orgão de segurança é tão bom que não precise do outro,é uma complementação,uma sequência de trabalho,um do outro,a competência de um termina onde começa a do outro. Agora não se preocupem,nossa cidade tem vagabundo pra todos os orgãos de segurança,basta que tais orgãos comecem a irem atráz,de prferência nas madrugadas frias,nas noites de incertezas,nos lugares mais feios,nas vielas escuras,nas ruas e becos dominados pelo CRACK,que com certeza os encontraram.No entanto senhores,tenho visto somente a instituição do bravo alferes fazendo isso,indo de encontro com um submundo que ora é incompreendido por toda uma sociedade que prefere julgar a fazer algo pra ajudar!

  • 244 varginhense // abr 27, 2009 at 1:07 AM

    Nascemos da necessidade
    Chegamos para somar
    Amor e dignidade
    Muita vontade de trabalhar
    Somos a GUARDA MUNICIPAL
    Jovem corporação
    Bela , destemida
    força e vibração
    Determinados somos nós
    A vida em primeiro lugar
    Bens e serviços públicos
    Chegamos para cuidar
    No sol, na chuva
    No frio ou calor
    Trabalho e dedicação
    Nosso lema é o amor
    Quando se ama se cuida
    VARGINHA está em nossas mãos.
    Amor a instituição e toda nossa comunidade.

  • 245 Frederico // abr 27, 2009 at 1:07 AM

    Meus queridos irmãos de Varginha.
    Diante deste conflito, gostaria de expressar a minha indignação, contudo na verdade, não existe culpado ou inocente, tão somente um desentendimento que espero estar resolvido em breve.
    Deixo abaixo um texto o qual considero oportuno para o momento.

    POR QUE MANTER A GUARDA MUNICIPAL

    A Guarda Municipal pode ser mais que apenas uma corporação, pode ser principalmente solidária, dinâmica e uma grande prestadora de atendimentos de excelência em várias áreas de atuação para a população, trazendo benefícios com idéias simples e com um custo quase que inexistente.
    Existem vários programas das Guardas Municipais no Brasil que estão apresentando resultados positivos junto a sua localidade. Em virtude da sua atuação direta com a comunidade, as Guardas Municipais passam a conhecer as tipicidades dos bairros, a ponto de, em determinadas regiões, onde a insegurança era premissa máxima, agora o cidadão já pode dizer: “eu estou me sentindo mais seguro, quando caminho pela minha cidade”.
    O maior dilema da Guarda Municipal, enquanto prestadora de serviço de Segurança Pública Municipal, na esfera municipal, não é encontrar resistência frente à legislação vigente, doutrina ou jurisprudência, mas na intransigência de alguns dirigentes que a vêem como uma concorrente.
    Cabe lembrar que quanto mais precária é a segurança oferecida pelo Poder Estatal, maior será o número de prestadoras de serviço de segurança particular, muitas na clandestinidade, onde acabam colocando em risco seus próprios contratantes.
    À medida que a criminalidade aumenta no país em proporções assustadoras, surgem tendências político-partidárias querendo diminuir a competência na área de segurança pública por parte dos municípios.
    Como podemos observar, em um determinado estado brasileiro, através da Diretriz nº PM3-001/02/01, editada em janeiro de 2001, pelo comando geral, a finalidade era repassar aos comandos locais o que segue abaixo:
    “Padronizar os procedimentos das OPM em relação às guardas municipais existentes, bem como, aqueles a serem adotados junto ao poder público municipal nos municípios em que houver pretensão de criação dessas instituições e outras providências a serem adotadas para desestimular iniciativas nesse sentido.” (grifo nosso).
    Percebe-se claramente que a preocupação deste comando não está voltada à área de Segurança Pública dos municípios em pauta, mas sim, nas lacunas deixadas por esta instituição, em virtude do seu sistema metódico e de certo modo arcaico, onde torna-se ineficiente frente às necessidades básicas da comunidade. O medo maior está na concorrência de um órgão público municipal capaz de diminuir os índices de insegurança local.
    Anteriormente, a preocupação estava centrada no estado, em virtude da dicotomia policial. O governo federal, buscando pôr um fim a esse dilema, iniciou o processo de integração das instituições policiais. Para alguns comandantes retrógrados manterem-se ocupados, optaram em começar a se preocupar com a existência e manutenção das Guardas Municipais, esquecendo da sua principal função que é oferecer Segurança Pública de qualidade.
    Por outro lado, enquanto estes comandantes digladiam-se politicamente, a criminalidade vem crescendo e se organizando cada vez mais, a ponto de tornar o povo e a polícia reféns em suas próprias casas e casernas. O crime nas grandes cidades tornou-se insustentável. O criminoso passou a desafiar as próprias instituições de segurança, que acabam por ser invadidas ou tornam-se objetos de atentados.
    No Estado do Paraná, por sua vez, as organizações policiais têm adotado um relacionamento mais profissional, onde policiais civis e militares, junto com os guardas municipais, trabalham lado a lado no combate ao crime, cada um respeitando a sua área de atuação e, quando necessário, dando apoio à outra instituição.
    Servindo como exemplo está a Operação Integrada, onde, juntos, Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiro, Ministério Público e a Guarda Municipal de Curitiba, com demais órgãos da Prefeitura Municipal de Curitiba, vêm trabalhando semanalmente, há mais de três anos, nas fiscalizações de estabelecimentos comerciais da grande Curitiba.
    Deste modo, não há o que se falar de milícias, mas de Guardas Municipais atuando em sintonia com os poderes públicos constituídos e sob a exegese da lei, cumprindo com a sua função constitucional e buscando minimizar os índices de insegurança nesta Capital.
    Por sua vez, cabe lembrar que a Guarda Municipal não está exclusivamente voltada para a segurança pública, conforme os moldes do Regime Militar, mas sim para atuação na área de defesa social que corresponde a uma parcela significativa da prestação de serviço à comunidade de maneira extensiva, o qual abrange segurança pública, defesa civil, entre outras ações do poder público.
    Defesa Social é a concepção de justiça criminal como ação social de proteção e prevenção, caracterizando-se pela aceitação da mutação de acordo com a evolução da sociedade. O Direito Criminal é, então, parte da polícia social; o crime está na sociedade, o homem apenas o revela. A eficácia do Direito Penal e da polícia em geral no controle da criminalidade é apenas de relativa importância. A prevenção prevalece sobre a repressão.
    A criminalidade não se resolve no contexto restrito da Segurança Pública, mas em um programa de ampla defesa social, isto é, numa política social que envolva o punir (quando útil e justo) e o tratamento ressocializante do criminoso e do foco social de onde emerge.
    Desta forma, a Guarda Municipal, sendo a prestadora de serviço que trabalha diuturnamente representando o Poder Público Municipal, em todos os bairros e periferias, torna-se uma das poucas instituições do município capaz de dar o pronto-atendimento às necessidades locais.
    Por fim, conforme Theodomiro Dias Neto comenta, “Pesquisas norte-americanas realizadas durante os anos de 60 e 70 revelaram que embora a cultura e estrutura policial estivessem inteiramente voltadas à repressão policial, parte significativa dos pedidos de assistência referia-se a pequenos conflitos. Hoje é fato conhecido que a polícia, mesmo em contexto de alta criminalidade, chega a consumir 80% de seu tempo com questões como excesso de ruído, desentendimento entre vizinhos ou casais, distúrbios causados por pessoas alcoolizadas ou doentes mentais, problemas de trânsito, vandalismo de adolescentes, condutas ofensivas à moral, uso indevido do espaço público, ou serviços de assistência social, como partos”. (grifo nosso)
    Como vimos na pesquisa, o que nos Estados Unidos era realidade nos anos 60 e 70, aqui no Brasil continua sendo uma rotina, a qual necessita, com uma certa urgência, ser revista pelos Poderes Públicos constituídos.
    As Guardas Municipais têm contribuído de maneira significativa nestes diversos tipos de atendimento acima citados, entre outros mais.

    ***

  • 246 Carlos Duarte // abr 27, 2009 at 12:50 AM

    PRA QUEM TIVER UM TEMPO E REPEITAR AS OPINÍÕES DE JURISTAS DE UMA OLHADA, INTERESSANTE.

    Resumo do parecer do renomado Jurísta JOSÉ CRETELLA JR. sobre o PODER DE POLÍCIA das Guardas Municipais

    O mestre e professor de Direito da USP José Cretella Jr. é um renomado jurista, e uma assumidade em Direito Administrativo e Direito Constitucional. Em 1989, preocupada com opiniões infundadas de pessoas leigas que questionavam as atribuições das Guardas Municipais, a AGMESP consultou essa autoridade a respeito da legitimidade das nossas ações na Segurança Pública. O parecer é técnico, devidamente fundamentado, e foi no sentido de que as Guardas Municipais podem e devem enfrentar a criminalidade, podem promover ações preventivas contra a violência e devem proteger as pessoas. Até hoje esse parecer não foi contrariado. Alias, a cada dia ganha mais consistência e força. Confira abaixo nosso resumo.

    A manutenção da ordem publica é tarefa do Estado, que incide não só mente sobre a proteção dos bens como também sobre proteção das pessoas

    Poder de policia é a faculdade discricionária do poder publico – União, Estados, Municípios, Distrito Federal – de limitar ou restringir, quando for o caso, a liberdade individual em prol do interesse publico, exteriorizando-se, de modo concreto pela policia.

    O poder de policia é a causa; a policia é a conseqüência direta dessa mesma causa.Pelo poder de policia, o Estado de direito procura satisfazer o tríplice objetivo, qual seja, o de propiciar “tranqüilidade”, “segurança” e “salubridade” ás populações, mediante uma serie de medidas restritivas, limitativas, coercitivas, traduzidas, na prática, pela ação policial, que se propõe a atingir esse desiderato.

    Poder de Policia deve ser entendida como o “exercício de poder sobre as pessoas e as coisas, para atender ao interesse publico” inclui “todas as restrições, impostas pelo poder publico, aos indivíduos, em beneficio do interesse coletivo, saúde, ordem publica, segurança e, ainda mais, os interesses econômicos e sociais”

    Sob o titulo de Segurança Publica, todo capitulo da Constituição de 1988 é dedicado à policia e a sua atuação, fundamentada no poder de policia.

    Nota-se que as Guardas Municipais colaboram no exercício da preservação da ordem pública, incidindo a respectiva ação sobre pessoas e patrimônio, que devem ficar incólumes quando se trata da segurança publica.

    A Guarda Municipal destina-se a colaborar com os demais órgãos do Estado, na consecução da segurança publica diante do exercício da parcela de poder de policia de que e detentora. Protegendo “bens”, “serviços e ”instalações”, a Guarda Municipal pode exercer o poder de policia de que dispõe para vigiar pessoas no Âmbito municipal.

    De qualquer ângulo que se considere, a Guarda Municipal enquadra-se no conceito de policia.

    Se a Guarda Municipal percebe que determinado indivíduo pretende danificar “bens” e “instalações” ou perturbar os “serviços municipais”, o combate ao crime se impõe, porque existe estreita relação entre os três aspectos apontados e o agente do crime, que pretende atingi-los, de qualquer modo. Assim, a Guarda Municipal coíbe o crime, incidindo sua ação sobre o agente infrator.

    O recrudescimento da criminalidade, por um lado, e, pôr outro lado, a ineficiência de uma policia preventiva e repressiva, levou a Guarda Municipal a desempenhar serviços da Policia Militar.

    Os integrantes das Guardas Municipais encontram-se mais próximos da população.

    A interpretação sistemática do capítulo reservado à segurança publica, revela, ao interprete, que a preservação da ordem publica compreende a proteção das pessoas e do patrimônio, dos bens, instalações e serviços.

    Se a Guarda Municipal protege “bens”, “serviços” e “instalações”, deverá proteger também os agentes públicos municipais. E também quem quer que se encontre no Município.

    Pôr outro lado, quem atentará contra bens, serviços, instalações e agentes? A resposta e simples: qualquer pessoa, que pretenda perturbá-los.

    Dai, conclui-se, de imediato, que a ação da Guarda Municipal pode e deve incidir sobre todo aquele que atente contra a ordem publica.

    PROTEÇAO DA PESSOA HUMANA

    Seria censurável a omissão da Guarda Municipal diante da ação do agente do crime.Assim, a Guarda Municipal protege o funcionário do Estado e o particular resguardando-os de qualquer ação criminosa.

    ATRIBUIÇAO DA POLÍCIA MUNICIPAL

    Aquele poder como a faculdade discricionária da Administração municipal de restringir a liberdade física ou espiritual dos munícipes – ou dos que se acham, momentaneamente, no Município, quando esta perturbe – ou ameace perturbar – a consecução do peculiar interesse da Comarca ou dos demais Munícipes.”

    Entende-se a razão pela qual o poder de polícia, no âmbito municipal, deva ser mais favorecido e mais amplo do que nas outras áreas, já que, nas coletividades publicas locais, a AÇÃO DA ADMINISTRAÇAO É MAIS DIRETA, INTENSA, PROFUNDA E FREQUENTE, em razão do maior numero de conflitos que surgem entre o poder publico e o administrado, reclamando-se, por isso mesmo, ação policial continua e eficiente “(cf. J. Cretella Junior, Direito Administrativo municipal, Rio, Forense, 1981, p.277).

    A ação da policia administrativa, no âmbito do Município, faz-se sentir antes que se manifestem desordens que ela pretende evitar, como também, assim que ocorrem essas desordens, intervindo o organismo policial para o restabelecimento do Estado anterior (cf. op. cit., Direito Administrativo Municipal, p. 279).

    APLICAÇAO DOS PRINCÍPIOS AO CASO CONCRETO

    Ordem e segurança pública

    Não há a menor duvida de que a ordem publica e a segurança publica interessam ao estado e ao cidadão. A Segurança publica, no Brasil, é da competência de varias modalidades de policiais, exercendo-se mediante a ação de diversos órgãos da Policia Federal, Civil, Militar, agora das Guardas Municipais.

    O poder de policia que, como dissemos, é uma facultas do Estado, exercita-se, também, no âmbito do Município, concentrando-se na Guarda Municipal que, concorrentemente com os órgãos da Policia Militar, exerce atividades endereçadas ao combate da criminalidade.

    Não há a menor duvida de que o poder de policia, na órbita municipal, será exercido pelas Guardas Municipais.

    PROTEÇAO DOS MUNICÍPIOS

    Mais do que os próprios bens municipais, a proteção da pessoa humana é poder-dever da policia. De que adiantaria um bem, dissociado da pessoa, que possa usufruí-lo?

    O poder de policia, exercido pelos guardas municipais, de peculiar interesse comunal, tem de ser autônomo, não podendo ser vinculado a outros órgãos policiais, como, pôr exemplo, a Policia Militar. O combate ao crime não é, assim, exclusivo da Polícia Militar, porque, se o fosse, o agente da Guarda Municipal deveria ficar omisso, quando a ação criminosa ocorresse fora do alcance da policia do estado, o que não teria sentido.

    Podem agentes policiais, de qualquer esfera, reprimir o crime, no exercício genérico do poder de polícia.

    AÇÃO CRIMINOSA NO MUNICÍPIO

    Se órgãos da Policia Militar estão ausentes e ocorre ação criminosa no Município qual o poder-dever dos integrantes das Guardas Municipais? Cruzar os Braços? Impedir imediatamente a ação destrutiva ou solicitar permissão a Polícia Militar, cada vez que pretenda salvaguardar entidades publicas, agindo em nome da segurança publica?

    O PARECER (respostas as perguntas formuladas)

    A segurança publica é dever do Estado‚ direito e responsabilidade de todos; Nesse caso‚ é poder-dever das Guardas Municipais zelar pela segurança publica dos munícipes e de todas as pessoas que‚ mesmo transitóriamente‚ transitem pela Coluna; O combate a criminalidade não é exclusivo ou privativo da Policia Militar‚ mas de todo o cidadão que‚ nesse particular‚ é detentor de fração do poder de policia‚ o combate ao crime é também da competência das Guardas Municipais‚ a tal ponto que se o organismo se omitir‚ em um caso concreto‚ será responsabilidade por omissão‚ tendo culpa ” in omitindo”; A atividade da Guarda Municipal concorre com a da Policia Militar‚ prevenindo e reprimindo o crime;

    Subordinação das Guardas Municipais à Polícia Militar configuraria ingerência‚ representando infração a regra constitucional da autonomia municipal.

    É exclusivo da Policia Militar o combate ao crime? Resposta: O combate ao crime‚ de modo algum‚ é exclusivo da Polícia Militar. Sob este aspecto‚ a atividade das Guardas Municipais‚ reprimindo e prevenindo todo o tipo de crime é concorrente com a atividade da Policia Militar. Trata-se de atividades paralelas e não conflitantes. Nem uma se subordinam as outras. Devem‚ ambas as organizações‚ no amplo exercício do poder de policia‚ combater o crime‚ não devendo‚ as Guardas Municipais‚ ficar sob a Orientação ou dependência da Policia Militar.

  • 247 Observador // abr 26, 2009 at 11:57 PM

    Esse tal Antonio Adilson deve ser o PM responsavel para contestar o incontestável. A população de Varginha é bastante culta para analisar os fatos.E tem mais, segundo recentes pesquisas de opiniao pública, feita por empresa idonea que venceu licitação para fazer os serviços, e que em breve sera publicada, segundo informações apuradas junto a GM, a população esta amplamente satisfeita com os serviços prestados pela GM. A Guarda Municipal teve a coragem de pedir a pesquisa, justamente para subsidiar seus planejamentos futuros e, mesmo correndo o risco, fez a pesquisa.Portanto quem por direito pode criticar( que é o povo) aplaude com louvor. Acho que é isto que importa nao é? O resto é picuinhas, ciumeiras, egoismo, falta de comprometimento com a segurança de nossa cidade.

  • 248 FERREIRA Duarte // abr 26, 2009 at 11:12 PM

    Zé Aderson Paiva Pinto // Apr 25, 2009 at 1:32 am

    Seu Madeira,

    O delegado deveria mandar recolher todo mundo e mandar instaurar inquerito para descobrir quem mandou enforcar o Joaquim afinal ele é o grande culpado pelo feriadão que fez com que os superiores, teoricamente mais preparados, estivessem relaxando.

    RI MUUUUITO, MUITO BOM MANDOU BEM VEIO!!!! KKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    MAS TEM MUITO PM METIDO A BESTA TB, PRA QUE ESSAS ESPINGARAS NO CENTRO DA CIDADE, COM CORRERIA MALUCA NAS RUAS, A HORA QUE MATAR UM …. COITADO DESSE….. PULOU NA FRENTE DO CARRO DA POLICIA.

    MADEIRA MUITO BOM O SHOW NA PRAÇA ONTEM , AS PREVISÕES DAS GANGUES NÃO CONFIRMARAM.
    PM DEIXA DESSES CIUMES ISSO DOI.

  • 249 MARIANO CAMPOS // abr 26, 2009 at 10:56 PM

    AMIGOS DE VARGINHA NÃO ABAIXEM A CABEÇA, POIS O QUE VOCES ESTÃO PASSANDO NÓS AQUI EM SÃO PAULO COM MAIS DE 8OOO GUARDAS JA PASSAMOS, A POLICIA MILITAR JA BRIGOU COM OS BOMBEIROS, COM A POLICIA CIVIL COM OS AGENTES E TAMBÉM COM A GUARDA, ISSO NÃO É NOVIDADE. OS MILITARES É A CLASSE MAIS UNIDA E PREVILEGIADA DESSE PAIS, NÃO DESANIMEM. QUANTO A ESSE DISSE ME DISSE QUE PODE NÃO PODE ESQUEÇAM, ENGUANTO AS GUARDAS ESTIVEREM SEGUINDO O MINISTRO DA JUSTIÇA SENASP EM SUAS LINHAS, EQUEÇAM MILITARES DA ATIVA, APOSENTADOS OU OUTROS CONTRAS, MANDAM CHORAR NA CAMA QUE É LUGAR MAIS QUENTE. AS GUARDAS SO EXISTEM PORQUE ESSE MODELO DE SEGURANÇA É FALIDO. E AS MAIS DE 1000 GUARDAS PELO BRASIL SÃO FUTURO DA SEGURANÇA PÚBLICA NOS MUNICIPIOS BRASILEIROS.
    NÃO ABANDONE O DIALOGO, MAS NUNCA SEJAM SUBMISSOS.

  • 250 José Pereira // abr 26, 2009 at 10:44 PM

    A Guarda Municipal foi muito bem treinada pela PM, passando a partir dai a adotar os procedimentos de abordagem aos infratores da lei e atendomento aos cidadãos conforme atendimento da PM. O trabalho até hoje foi harmonioso, como resultado quem ganhou foi a população. Entendo que como a PM de certa forma abraçou a GM, deveria auxiliar e continuar apoiando e treinando. A PM tem equipamentos de abordagem e treinamento capazes. A Guarda Municipal tem a boa vontade no atendimento e necessita do auxílio da PM, a sua quase irmã. Parece-me que está fácil de ser solucionado este problema.

  • 251 Marcia Rocha // abr 26, 2009 at 10:41 PM

    Esse meu comentário é pra passar o que penso, estou vendo que tem engraçadinhos criticando os Guardas sem um porque absoluto, ou ja foram multados e se foram é porque estavam errados, ou estão com ciumes e querem que a prefeitura tiram eles da rua. Como professora muito me preocupa pois todos os dias estão na minha escola realizando um exelente trabalho.Fui no evento ontem na concha vi muitos Guardas trabalhand, não contei mas eram muitos, pra quem criticou o carnaval aqui no blog, tb esse evento torcendo pra tudo dar erraso deve estar decepcionado, pois foi um sucesso e com a participação dos guardas.Não é justo o que estão fazendo com esses meninos, se tirar a guarda da rua sera que a policia militar se responsabiliza pelo que possa acontecer? Um assunto interessante, e curioso, o municipio ( prefeito) tem sim o direito de agir e ter sua policia, tenho certeza que conhecendo muitos desses guardas jamais ouve essa tortura.que a verdade venha a tona e que os trabalhos continue, porque os mais prejudicados somos nós funcionarios e comunidade.

  • 252 JULLIANO MASSAROTI // abr 26, 2009 at 10:27 PM

    SE ANTONIO ADILSON VC COM TANTA SABEDORIA DEVE SER ESSES MILITARES APOSENTADOS QUE NÃO DEIXA AS TETAS POR NADA, VOCE NÃO PRECISA GASTAR SUA PREOCUPAÇÃO PORQUE NA CIDADE EXITEM JURISTAS PREPARADOS PRA INTERPLETAÇÕES DAS LEIS E PRA TRANQUILIZAR VOCE MAIS AINDA NA CIDADE EXISTE VARIOS PROMOTORES, DELEGADOS, JUISES E ENTIDADES DE CLASSE COM NOTAVÉL SABEDORIA PARA LIDAR COM O ASSUNTO.

  • 253 ROSA // abr 26, 2009 at 10:00 PM

    COMO DIZEM POR AI, A GUARDA VEM AGINDO ILEGALMENTE AS MAIS DE 4 ANOS, EFETUANDO DEZENAS E DEZENAS DE PRISOES, PRISOES ESTAS EM CONJUNTO COM A POLICIA CIVIL E MILITAR, E ALGUMAS DESTAS COMPETENCIA DA POLICIA FEDERAL, SERA QUE ATE HOJE NAO TEVE NENHUM ADVOGADO COMPETENTE PRA BARRAR AS ACOES ILEGAIS DA GUARDA MUNICIPAL.
    ?????????????????????????????????????
    ABRAM OS OLHOS O QUE TEM DE ESTRELADOS QUERENDO ACABAR COM AS ACOES DA GUARDA MUNICIPAL, E BOM NEM COMENTAR……………………………….
    NAO SO EM MINAS GERAIS, MAS NO BRASIL TODO……………………………………………………….
    A INVEJA MATA, DESTROI, CUIDADO, ABRAM OS OLHOS…………………………………

  • 254 MARIA G. M. // abr 26, 2009 at 9:11 PM

    Li poucos comentarios (afinal foram muitos, o que prova a importancia do fato e a diversidade de opinioes), mas o LUIZ RODRIGO falou o necessario: onde ha duvidas , é preciso que haja esclarecimento. Reunioes, reunioes, reunioes… deixando bem claras as competencias de cada um, esclarecendo tambem a populaçao atraves de meios diversos. O que nao pode acontecer é fato como esse , demonstrando a fragilidade das instiutuiçoes, onde alguns apenas conhecem os seus direitos e , mesmo conhecedores dos deveres, insistem em ignora-los ou buscam minimizar o seu nao cumprimento.
    Reunam-se . Nesse clima quem perde sao os homens de bem.

  • 255 Carlos Silva // abr 26, 2009 at 7:35 PM

    Visitem o Blog do GCM Carlinhos Silva

    http://gcmcarlinhossilva.blogspot.com/

  • 256 Carlos Silva // abr 26, 2009 at 7:34 PM

    Será que já prendemos todos os ladrões, para agora querer prender policiais??? Onde estão a razão e a tolerância necessárias aos bons profissionais??? Com isso, quem perde é a população… Muito despreparado esse Cabo PM… Lamentável

  • 257 washingon // abr 26, 2009 at 6:06 PM

    GENTE PRA QUE TANTAS BRIGAS, QUE TODOS VOCÊS TRABALHEM JUNTOS EM PROL DA SOCIEDADE. O TRABALHO DE VOCÊS SÃO EXCELENTES. QUE DEUS ILUMINE A TODOS. ( a fila anda)

  • 258 NAVAL // abr 26, 2009 at 3:54 PM

    NA VERDADE O POVO PRECISA MESMO É DE SOCORRO, AS PMs, NÃO SÓ DE MG, MAS DE TODO O BRASIL TERÃO DE ACOSTUMAR COM AS GUARDAS MUNICIPAIS, PORQUE AS GUARDAS MUNICIPAIS SÓ NASCERAM POR CAUSA DA INCOPETÊNCIA E NEGLIGÊNCIA QUE ANDA A INSEGURANÇA NO PAÍS, O CAOS JÁ É NOTADO POR TODOS, CONHEÇO A GUARDA MUNICIPAL DE VARGINHA, MUITO BEM PREPARADA TECINICAMENTE E LEGALIZADA, JÁ DEVERIA INCLUSIVE ESTAR ARMADA PARA EXERCER MELHOR SERVIÇOS A SOCIEDADE, POR OUTRO LADO, TAMBÉM CONHEÇO A PM MINEIRA E DIGO QUE ESTE MONOPÓLIO VAI ACABAR, CRIEM UMA FERRAMENTA PARA SE DAR BEM COM AS GUARDAS, PORQUE QUERENDO OU NÃO O POVO JÁ DEFINIU PELAS GUARDAS MUNICIPAIS, FUTURAS POLICIAS MUNICIPAIS…SÓ NÃO COLOCAREI ESTA MATÉRIA NO SITE http://www.guardasmunicipais.com.br PORQUE ELE É MUITO VISITADO EM TODO O MUNDO E ESTA SITUAÇÃO CHEGA SER RIDÍCULA, VAMOS TRABALHAR …PORUQE A CRIMINALIDADE ESTÁ SÍ CRESCENDO E DIVISÃO NÃO FAZ BEM PRA NINGUÉM…ABRAÇOS, NAVAL…CONSULTOR DE SEGURANÇA PUBLICA MUNICIPAL E IDEALIZADOR DO SITE http://www.guardasmunicipais.com.br

  • 259 Saulo // abr 26, 2009 at 2:34 PM

    Sr Antonio Adilson, não vejo o porque de tanto rancor, pois participando de forum envangelico em diversdas capitais, nunca ouvi esse seu questionamento, respeito imensamente sua opinião, mas amedrontar as pessoas com sua linha de pensamento acho um des serviço ao povo de varginha. Ja passei por centenas de cidades, e grandes como Campinas, são Paulo, Curitiba, Goiania e muitas outras, tenho o prazer de dizer que os trabalhos dessas Forças Policiais Municipais se assemelham a realizada em nossa querida varginha. Eu como Cristão e defensor da vontade da comunidade, e vendo os trabalhos realizado pela Guarda Municipal em nossa Igreja com diversos apoios, sou intusiasta desta instituição, mais proxima da Comunidade. Esse problema sera resolvido tenho certeza com bom dialogo e sem vaidades. Quanto a legalidade da Ação não tenho duvidas que A Guarda Municipal de Varginha é revestida de dreito para tal, não so ela mas centenas por esse Brasil a Fora. Aos filhos de nossa terra , não deixem interesses outros assumir o lugar em prejuiso dos menos faforecido.

  • 260 Cont(ato) // abr 26, 2009 at 12:54 PM

    Também concordo com a Ana Paula.

  • 261 Cont(ato) // abr 26, 2009 at 12:53 PM

    Caro Antonio Adilson tem razão e conhecimento pra escrever sobre o assunto. Existe uma lei que diz que qualquer cidadão, se presenciar um delido, pode dar ordem de prisão a qualquer larápio. Mas não confundir com o trabalho que só é da polícia. Tenho observado alguns da GM metidos e usando de autoridades que não lhes é permitido.

  • 262 Saulo // abr 25, 2009 at 11:11 PM

    Estamos na campanha da fraternidade tema SEGURANÇA PÚBLICA esse é o momento pra repensarmos a segurança pública no brasil, esse modelo utrapassado centenario de autoritarsmo. Gostaria de deixar uma pergunta para refretirmos, o custo da maquina que se usa no BRASIL é compativél com os trabalhos? Se os problemas acontecem nos municipios, não é hora dos parlamentares imaginar a tão sonhada municipalização da SP? Se a UNIÂO tem sua policia o ESTADO tem a sua O MUNICIPIO é mais que necessário. Que deus ilumine a todos e sentem em uma mesa pra conversar. Feliz o homem que tem a mente aberta a aceitações.

  • 263 Antonio Adilson // abr 25, 2009 at 10:57 PM

    Quem gostaria que a GM tivesse poderes policiais procure um deputado federal ou senador e peça a ele que proponha uma mudança na Constituição Federal, pois como ela está hoje o policiamento ostensivo e repressor pertence à Polícia Militar. Se a Prefeitura de Varginha insistir na tese que a GM pode prender e fazer serviço policial terá que arcar com as consequências, pois qualquer cidadão que for “preso” pela GM poderá pleitear uma indenização por perdas e danos morais. Vivemos num estado legal e quer gostemos ou não, a lei é essa.

  • 264 Ana paula // abr 25, 2009 at 10:31 PM

    Que vergonha, essas instituições envolvidas deveriam trabalhar mais para o povo . Será que essa foi relamente a verdade???

  • 265 valéria // abr 25, 2009 at 10:27 PM

    Como cidadã fiquei envergonhada ao ler esta reportagem,pois acredito que PM e GM deveriam trabalhar em prol do povo, e essa briguinha não vai levar a nada . Pois temos bandidos para todos!!!!!!

  • 266 nero // abr 25, 2009 at 9:08 PM

    No fundo a PM tah morrendo de ciúmes da GM, pois estão cumprindo seu dever como os PM não fazem. Todo mundo esquece das vítimas do cão, enquanto o dono, tadinho, tinha q passar a mão na cabeça dele e falar: Por favor amor, entra na viatura…
    aaaaaaaaahhhhh tem q baixar porrada nesses inconsequentes mesmo… carinho é com a vovó amor… kkkk

  • 267 Heldrick // abr 25, 2009 at 8:47 PM

    Essa competição entre as policias sempre teve em todos lugares, militar, guarda municipal, civil, federal…
    Creio que foi um mal entendido que acabou virando essa bagunça toda, agora cada um vai arcar com suas consequencias.
    A lei que regula a GM foi postada ae, sugiro que todos leiam antes de postar essas bobagens por ai…

  • 268 observador // abr 25, 2009 at 7:34 PM

    Conheço o Guarda envolvido na operação do pit bull. É uma pessoa preparada e só usou da força após a recusa por seis vezes para acompanhar ate `aDelegacia de Policia para prestar depoimento. Houve o ferimento por acidente sim, infimo nem precisaria atendimento medico mas o cabo da PM em questao quis de todas as .
    formas complicar o caso e viu uma oportunidade de colocar a GM em apuros. Tanto é que quando deu a voz de prisao na Delegacia para os Guardas nem sabia como enquadrar, teve que chamar um monte de superiores e, me parece que no final ficou como usurpação de função, ou coisa parecida nao conheço os termos policiais. E se o cao tivesse matado a criança e sua vó? Será que o Cabo estaria tao preocupado com a ação da GM? Outra coisa nao é a primeira vez que a PM ta querendo prender GM. No carnaval, na praça da fonte, os gaurdas foram em socorro de um PM que inclusive tinha deixado cair sua arma no chao e o bandido reagindo, a Guarda chegou e como tinha arma de fogo proxima ao Bandido atuou com mais força, chegou um superior do soldado da Pm e ameaçou dar voz de prisao aos GMs por excesso de força. Ora, ora!!!! nem sabia dos acontecimentos e, seus próprios comandados o alertaram que estava errado.Tem mais coisas ainda até a farda camuflada que a GM usa em ocasiões especiais é motivo de questionamento por parte do Comando da PM. Na verdade o que esta ocorrendo é que a PM nao aceita que a GM atue como Polícia, é ciumeira, nao querem dividir o poder. A GM esta atuante, esta em todos os lugares e isso esta incomodando muita gente. Porque entao nao ha conflitos com a Policia Civil e nem com a Policia Federal? A Gm, A Civil, os fiscais da Prefeitura estao sempre junto atuando e sem problemas. Porque esses conflitos so começaram agora, apos a troca de comando do Batalhao? Tem treinou a Guarda Municipal foram os próprios Pms e, por sinal foram remurados para isso. Treinamento de 6 meses. Como nao sao capazes. Aliás dentro da Guarda, nao se enganem pelas aparencias. Sao pessoas humildes nao tem tanta pose como os PMs mas a maioria deles no minimo tem curso tecnico e grande parte curso superior.
    Extrapolando funções!!!! Entao a Policia Civil metropolitana de Sao Paulo( que é a guarda municipal), do Rio de Janeiro, de Jundiai, etc…., etc… estao todas irregulaRES? E tem mais Varginha por possuir mais de cem mil habitantes pode armar sua Guarda a hora que quiser. A LEI PERMITE.
    Mesmo assim acho que o melhor para todos nos é que todos se entendam e trabalhem juntos, sem egoismos, picuinhas, inveja, etc.., etc…etc…

  • 269 Lilian // abr 25, 2009 at 7:25 PM

    Enquanto a GM e a PM estavam trabalhando em parceria estava muito bom. No carnaval, por exemplo, a segurança foi espetacular. Espero que esses problemas sejam resolvidos da melhor forma. A GM realizada um excelente trabalho e está de parabéns.

  • 270 Alexandre // abr 25, 2009 at 5:18 PM

    Creio que se uma pessoa aciona a Policia Militar alegando que foi agredida por uma pessoa seja Guarda Municipal ou qualquer outra pessoa e alega que cortou o rosto e apresenta um hematoma no olho a PM no minimo tem que tomar as providências cabíveis quanto aquela lesao corporal ou agressão, são crimes previstos no Código Penal Brasileiro. O que não pode é a PM dizer para o cidadão que não vai fazer nada, que ele que se vire com os Guardas e vai embora. É so imaginarmos se fossemos nós quem estivesse sofrido alguma lesão e pedissemos providências a PM. Acho que cabe a Policia Civil instaurar um processo e apurar o crime cometido pelo dono do cão e o crime de agressão cometido pelo Guarda. Agora disser que o óculos do guarda bateu no olho do cidadão e causou uma lesao com corte e hematoma, aí não. Cadê as tecnicas para imobilizar e efetuar a prisão. A Policia, no meu menteder, apenas cumpriu seu papel.
    Há rumores que no momento dos fatos nenhum GM deu Voz de Prisão ao Policial e essa história foi depois para imprensa.

  • 271 PAULO MOURA // abr 25, 2009 at 5:10 PM

    SENHORES,

    INDEPENDENTE DE TUDO, O QUE PREVALECE SÃO OS DIREITOS DO CIDADÃO AO QUAL O ESTADO É RESPONASAVEL POR GARANTIR. A CARTA MAGNA DEFINE ISSO. SOU SOLIDARIO À VITIMAS DE EXCESSO DE AGENTES VINCULADOS A SEGURANÇA PUBLICA SEJA DE QUE ESFERA FOR. ESPERO QUE AO AGIR, SEJA OBEDECIDO O QUE AS LEIS DEFINEM PARA A AÇÃO DO AGENTE DE SEGURAÇA DO MUNICÍPIO OU DO ESTADO. SE HÁ UM ESTATUTO, UM REGIMENTO E LEIS, O QUE A SOCIEDADE ESPERA É SEU CUMPRIMENTO. SÓ ASSIM, SERÁ GARANTIDO A ESPERADA SEGURANÇA PUBLICA, GRIFO PÚBLICA.. LEMBRAMOS QUE NÃO EXISTE O PRÉ-CRIME. E QUE O PREPARO DOS AGENTES DE SEGURANÇA DEVEM SER EMINENTES. A ACADEMIA DE POLÍCIA DO ESTADO DE MINAS GERAIS É UMA INSTITUIÇÃO SECULAR, E RESPEITADÍSSIMA. EU ACREDITO NELA. SOU ADIMIRADOR PESSOAL DELA E INTUSIASTA.
    QUERO ACREDITAR DE FORMA RESPONSAVEL NO SISTEMA.
    E ESPERAR O RESPEITO AO NOSSO QUERIDO POVO DA VARGINHA.

    ATT.
    PAULO MOURA
    CONSULTOR POLÍTICO.

  • 272 Cont(ato) // abr 25, 2009 at 4:50 PM

    A guarda Municipal não tem estrutura para andar armada. Se já estão se achando os xerifes querendo fazer todo o trabalho da polícia, imagine com toda a liberdade que têm o que vão aprontar. A GM é para auxilar a polícia e tomar conta do trânsito e só.

  • 273 PRACAPA // abr 25, 2009 at 4:18 PM

    se tem lei é pra cumprir, muito ruim sua colocação antonio adilson, muito interessante as poderaçõs do luis vermelho. agora tenho certeza que tem muita inveja sim nessa historia, a tradição da policia militar não pode ser resumida em uma pessoa empolgada. Morava em Arrarraguara e a Guarda fazia tudo que se faz aqui e nunca ouve esses descontentamento , até porque tenho certeza que tem lei pra isso. leis estaduais, federais, municipais, estatutos, etc… acho até que a guarda municipal deveria estar armada e com evetivo maior nos bairros, claro que a guarda tem seu valor, como essa Guarda que escreveu e tem lei pra tal ação. A sociedade tem que valorizar o policial militar, e municipal , civil e exigir que trabalhem juntos pois quem paga o salario deles somos nós. A guarda de varginha esta prstando otimo serviço não se abalem com isso, com uma infelicidade de um cabo. Conheço o Capitão Sidney pessoa espetacular, que sempre preocupou na paz na integração e no funcionamento nas relações de cordialidade entre instituições. Amigo Sidney não deixe essa pequena ferida virar um cance. Dialogo.

  • 274 Varginhense // abr 25, 2009 at 4:02 PM

    É de lamentar a falta de desconhecimento, sou Guarda Municipal, queria fazer um convite a todos, antes de criticar e julgar um dos lados, deem uma lidinha na CF , e CE e na lei que organiza a Guarda Municipal vou dar uma ajuda pra voces, principalmente para esse que escreve acima, dizendo sobre atuações e adivinhações

    CAPÍTULO II

    ORGANIZAÇÃO E COMPETÊNCIA

    Art. 2º A GUARDA MUNICIPAL DE VARGINHA – GMV, é uma entidade autárquica criada, que atuará como corporação uniformizada, de acordo com o prescrito no § 8° do artigo 144 da Constituição Federal, combinando com os artigos 9o, III e 87 da Lei Orgânica do Município, que tem por finalidade proteger as pessoas, os bens, serviços e instalações públicas municipais, realizar o policiamento preventivo e disciplinar, colaborar com o Estado na manutenção da ordem e segurança pública, com exercício de vigilância diuturna nas vias e logradouros públicos e prestação de socorro à população, nos casos de necessidade, além das atribuições legais relativas à fiscalização de trânsito.

    Art. 4º À Guarda Municipal caberá as seguintes atribuições:

    I – executar a vigilância e proteção dos bens, serviços e instalações municipais em geral e, em especial, as escolas, creches, sedes dos Poderes Executivo e Legislativo, praças, jardins e parques;

    II – auxiliar na fiscalização e controle do tráfego e do trânsito;

    III – auxiliar na fiscalização de áreas verdes e na defesa do meio ambiente;

    IV – colaborar com os demais órgãos municipais, nas suas atividades pertinentes;

    V – participar de maneira ativa nas comemorações cívicas de feitos e atuar em eventos programados pelo município;

    VI – colaborar com o Estado, objetivando a preservação da ordem e da segurança pública, na forma da Lei;

    VII – demais atividades afins, nos limites e nas condições da legislação vigente

    Acho que meus colegas agiram corretos. E por fafor antes de alguem escrever aqui estudem o assunto.

  • 275 Bruno junqueira // abr 25, 2009 at 3:53 PM

    Sr Antonio Adilson voce esta totalmente errado, equivocado, perde um tempo, e fala com um Delegado, um Juiz, um promotor e faz uma explanação sobre as competencias da Guarda Municipal, tenho a certeza da ação legal e jamais o Diretor da Gm pessoa que conheço e admiro, não vejo motivos pra sua preocupação, parabéns a guarda Municipal, uma das melhores coisas que o prefeito anterior fez em nossa cidade.

  • 276 Marcos // abr 25, 2009 at 3:40 PM

    Lamentável o ocorrido e pior ainda um GM dar voz de prisão ao policial que prendeu um autor de lesao corporal…complicado.Vamos ver a competência de cada um e atuar dentro dessa competência.Ambas são importantes para a cidade e quem perde com isso é o cidadão.

  • 277 Paola Diniz // abr 25, 2009 at 2:41 PM

    É nisso que dá ter muito cacique e pouco índio. Mas acho que a guarda faz um bom trabalho que, por sinal, e por patriotismo, vai até além da função mesmo, mas nada por má fé. Já a PM, nunca ví gostar tanto de aparecer e mostrar poder, começando pelos relatos que colocam nos BO’s que fazem. Em toda profissão tem aqueles que se sentem inúteis qdo alguém desenvolve funções que deveriam ser sua. Já o capitão Sidney é um militar e pessoa fantástica, sensato e competente, que com certeza deve ter muito trabalho para aparar essas vaidades. Abraços ao Sidney.

  • 278 Antonio Adilson // abr 25, 2009 at 1:21 PM

    Eu bem que avisei que a Guarda Municipal está extrapolando suas funções constitucionais. Ela não pode prender, não tem este poder. Sua função é preservar o patrimônio público e nada impede que faça as funções de patrulhar o trânsito. O policiamento repressor é feito pela Polícia Militar e o judiciário pela Polícia Civil. Se a Guarda Municipal continuar atuando como está fazendo hoje, a Prefeitura acabará pagando indenizações vultosas aos eventuais ofendidos. O artigo 144 da Constituição Federal estabelece as normas de segurança pública e em seu parágrafo 8º está escrito o seguinte: “Os Municípios poderão constituir guardas municipais destinadas à proteção de seus bens, serviços e instalações, conforme dispuser a lei.
    ” Acho que não há dúvida quanto à competência da GM e, caso exista lei municipal aumentando este poder ela é inconstitucional.

  • 279 Luciano // abr 25, 2009 at 11:57 AM

    Lamentável o acontecido entre as corporações envolvidas. Pior é a linguagem desta matéria. É basicamente um B.O da polícia transcrito com termos policiais. Péssimo texto, nada jornalístico. Lamentável a qualidade. Pior pra imprensa da cidade.

  • 280 Flavia // abr 25, 2009 at 3:34 AM

    Existe uma lei que deve ser cumprida com relação a certas raças de cão, como o da raça em questão. A Guarda Municipal anda fazendo um trabalho muito bonito em nossa cidade e uma delas é e deve ser um trabalho em conjunto com a policia militar,civil porque o contingente é pequeno . Sugiro que todos se unam e façam um trabalho para o bem comum ou seja, a população, que infelizmente esta desprotegida muitas vezes até em transitar pelas ruas por causa dos malandros, cheiro de droga, etc etc… Vamos unir e parar com esta picuinha ou mesmo ciumeira que não leva a nada e sim ao que aconteceu. Parece não haver ocorrido foi uma conversa de ambas as partes naquele momento, ou seja Guarda Municipal e Policia Militar. Que Deus os proteja e abençõe nos trabalhos que prestam à comunidade, que voces mesmos escolheram estas profissões.

  • 281 Vanda // abr 25, 2009 at 1:41 AM

    estava em casa e vi a falta total de desconhecimento e preocupação com o povo de varginha, esse cabo tinha que prender é uns vereadores, estilo mineirinho, agora meu amigo Dr adilson que infelicidade essa coisa do transito. que palhaçada se a policia militar ja fazia esse serviço quando a situação da cidade era melhor e não deu conta , o Sr, com tanta sabedoria quer que volte tudo? Dr Adilson melhora o que temos, valoriza o que temos, ruim com a Guarda pior sem ela, quanta inocencia. Sou funcionaria pública não concordo com um monte de coisas, da administração mas tem certas coisas que são obvia, a não ser que não entendi nada o que vc falou na televisão. quanto ao ocorrido da prisão tem que se apurar ninguem pode estar acima da lei, e a Guarda esta ai pra servir a população e dentro dos limites o faz muito bem.

  • 282 Zé Aderson Paiva Pinto // abr 25, 2009 at 1:32 AM

    Seu Madeira,

    Eu não estava lá, mas óculos arranhar o rosto e causar sangramento é no mínimo esquisito.
    Que tem muito GM muito mal preparado isso a gente vê pelas ruas todos os dias.
    Um cabo da PM dar voz de prisão para os Gm, das duas uma: ele se quis mostrar sua “ôtoridade” ou a PM não tinha em serviço naquele momento ninguém de patente mais alta.
    O delegado deveria mandar recolher todo mundo e mandar instaurar inquerito para descobrir quem mandou enforcar o Joaquim afinal ele é o grande culpado pelo feriadão que fez com que os superiores, teoricamente mais preparados, estivessem relaxando.

  • 283 Bruno // abr 25, 2009 at 1:30 AM

    … falar mal da Guarda Municipal usurpando a função da Polícia Civil, bonito né pessoal?…
    … sexo dos anjos? Policia Militar, Guarda Municipal, Policia Civil, ou Federal enguanto se discute quem manda mais, quem pode fazer, quem não pode, e ai? e o povo? depois a pessoa não pode ter uma arma, mas se até a policia briga pra outra não fazer.
    Aquele ditado eu não faço nada e vc tb não pode fazer, que bobeira quando vão colocar a população em primeiro lugar?Acho que é muita gente atras das mesas e poucos na rua trabalhando. Agora esse cabo da pm se deu mal, não sei não mas ele não vai passar pra sargento.

  • 284 Luiz Vermelho // abr 25, 2009 at 1:06 AM

    Os exemplos de Brasilia, não podem se extender pelo país afora. é hora de buscar-mos paz e harmonia. O ideal nesse episódio é que todos selem a paz, peçam desculpas , afinal de contas, eles são servidores públicos e seus patrões, na realidade não se chamam nem Aécio e nem Corujinha, chamam povo de Minas Gerais e de Varginha. Daí o que tod0s querem é simplesmente que o entendimento prevaleça e os bons serviços que ambos prestam continuem com a eficiência de sempre.
    Agora é botar uma pedra em cima do assunto e apenas tirar experiências ,visando melhorar cada vez mais.
    A tradição da PM no bom atendimento e também a GM, que em pouco tempo conquistou a simpatia dos varginhenses merecem uma chance de novo entendimento.
    Assunto a ser encerrado..

  • 285 Leonardo // abr 25, 2009 at 12:54 AM

    Madeira so vc mesmo pra trazer umas coisas dessar kkkkkkkkkkkkk, acabei de elogiar uma ação das policias na prisão de bandidos na outra noticia onde a Guarda Municipal prendeu um vagabundo, agora vc vem me trazer a tona esses problemas? e a população? Eu quero ser atendido não importa se é policia militar bombeiro ou guarda municipal, vai se danar pra essas picuinhas, ja falei mal da Guarda aqui e não foi uma so vez, mas dessa vez quero dizer que eles tem toda razão, esse cabo tem que se explicar muito se o Diretor da Guarda realmente fazer isso. E os coitados dos pais de familia que são guardas municipais, como fica ser humilhado cumprindo um dever pra nossa cidade. Eu ja tinha ouvido falar nesse caso mas nem de longe imaginava ser verdade…. Isso é uma vergonha, eu nunca vi isso meus amigos, Policia miltar pra que isso?
    Ou esse cabo é um louco ou muita coisa ruim ainda esta por vir, é hora do prefeito, da camara prestar atenção pois injustiça, repressão e ditadura ja passou. Vivemos num estado democlatico de direito.

  • 286 Abuso // abr 24, 2009 at 11:29 PM

    Eu acho que esses agentes da guarda municipal estão se achando os tais.Porque usam uma farda e teem um cacetete e algemas, podem fazer o que quizerem.Já vi por diversas vezes esses guardas fazerem vistas grossas no transito, quando a obrigação deles era fiscalizar, controlar e sinalizar. Agora, quando o assunto desafia a autoridade deles, aí eles ficam bravinhos, querem multar, prenter, responder mal, faltando educação. Prá mim, a função deles não deveria passar de fiscais de transito. Estão criando um poder paralelo.

  • 287 Luiz Rodrigo // abr 24, 2009 at 11:28 PM

    esse caso é meio complicado de comentar mas vou deixar minha sugestão.Policia e Guarda deveriam se reunirem para especificar qual a competência de cada órgão diante de varias situações do cotidiano, isso seria valido não só pra as entidades mas muito importante para a população que poderia solicitar os serviços daquela que realmente cabe a sua função.E quanto aos guardas darem voz de prisão sou a favor mas eles deveriam ser melhores equipados isso inclui o uso de arma de fogo, que só assim na minha opinião eles seria, vistos como agentes de segurança em nosso município, uma vez que muitos servem de piadas para a população devido a falta de equipamentos.

  • 288 PERDA DE PODER // abr 24, 2009 at 11:21 PM

    PERDA DE PODER // Apr 24, 2009 at 7:12 pm

    Marcus, segundo informações apuradas junto a pessoas que nao querem se identificar, por razoes justas, desde que foi trocado o comando do 24º Batalhao da PM houve uma deteriorização nas relações da PM com a Guarda Municipal .Acontece que a GM vem ocupando espaços na area de segurança na cidade e, com isso, tem provocado junto a algumas areas da policia militar,sentimentos de perda de poder que nao deveriam nortear as ações de uma corporação.Enquanto o Cantarino era comandante as relações eram harmoniosas.A GM tinha 6 guardas ajudando no atendimento do 190, usava a frequencia de radio da PM, usava os sistemas de informações da PM, etc…Com o novo comando tudo foi cortado e, a partir dai PMs começaram a questionar as atuações do GMs e, inclusive em duas oportunidades ameaçaram prender os GMs.
    Acredito que, antes que se crie mais animozidades em prejuizo da população, O Sr.Prefeito Municipal, juntamente com os comandos da GM e da PM deveriam se reunir e colocar um ponto final nessa situação.
    Se o comandante do 24º Batalhao acha que a GM esta interferindo em sua area de atuaçao ele deve levar o assunto a seus superiores pois exitem leis que amparam as ações da GM.
    A hora é de união de nossas forças policiais e nao de sentimentos pequenos e corporativistas.

  • 289 LUNETA // abr 24, 2009 at 11:10 PM

    ESSA HISTORINHA DO CAPITAO DA PM TA MAL CONTADA.!!!!!TA CHEIRANDO INVEJA DA BOA ATUAÇÃO DA GM NA CIDADE. TAO PERDENDO ESPAÇO. A GM TA ATUANTE, MOTIVADA. PARA COM ISSO PM. VAO PRENDER BANDIDOS DEIXEM OS MENINOS TRABALHAREM

Deixe um Comentário